Nós poderíamos ter saído da Arena da Baixada com os três pontos. Mas, o bandeira não deixou. Contra o Nacional fomos roubados e hoje, mais uma vez, nos garfaram. O time começou bem nos primeiros minutos, dando a impressão que vinha com tudo. Aos 8′, Diego deixou K9 na cara gol, mas ele chutou fraco em cima do goleiro. E o Verdão que parecia tão ofensivo, voltou ao normal rapidinho. Como sempre faz,  vai esbarrando na marcação adversária, deixando o ‘inimigo’ gostar do jogo e o torcedor cada vez mais desapontado. Luxa, que só inventa, escalou Jumar, ao invés de Souza. Ele ainda deve acreditar que Jumar será o melhor volante do Brasil… ai meu Deus… E o primeiro tempo não foi nem de longe o que o palestrino esperava.

Mas uma coisa era verdade, o time estava com disposição. Mas de nada adianta disposição se os erros são inúmeros e constantes. Uma hora é abarreira mal formada, outra hora é o jogador desconcentrado, desatenção em laterais, na marcação. Até o Santo reclamou disso depois, porque ele sabe que faz uma diferença danada, no final das contas. O juiz, também não agradava. Quando o Palmeiras voltou para a segunda etapa, Obinae Ortigoza estavam no time nos lugares de Diego e Willians.

Começou o segundo tempo e tomamos um gol, logo de cara. Haja paciência, amigo palestrino! Seis minutos e já estamos no prejuízo? Ai, Luxemburgo! Até quando? Nosso time tá sem criatividade no meio-campo, e não adianta termos três atacantes. E depois a torcida vai cobrar de Keirrison. E, sem criatividade, melhor seria apostar no erro do adversário, não é mesmo? E o Palmeiras começou a buscar. Mas Luxa, acertadamente (antes tarde do que nunca), sacou Jumar para a entrada de Sacconi. Aí, sim, as coisas começaram a funcionar e o Palmeiras começou a ‘cutucar’ os poodles. Aos 23′, Obina, que saiu quase do meio de campo, correu em direção ao goleiro do Atlético, para tentar o desarme. O goleiro se atrapalhou e Obina, na raça, roubou a bola e tocou com ‘catiguria’ para empatar a partida. É isso aí, Obina! Embora muitos de nós torçam o nariz ao atacante, não podemos fazer de conta que não percebemos as suas qualidades. É ‘fuçador’, raçudo, forte e, de vez em quando faz umas coisas de deixar a gente boquiaberto. O torcedor palestrino ficou animado. O time jogava bola, que é só o que queremos, poxa! Mas, aos 34′, o juiz marcou uma falta, que a meu ver não existiu. Marcinho cobrou por cima da barreira e guardou. Era o Verdão no prejuízo, outra vez…

O Palmeiras, muito motivado, continuava buscando. A raça aparecia em cada jogada. Keirrison, jogando bem, dividindo, buscando jogo. E aos 39′ Obina brilhou! Recebeu uma bola na área e, de bicicleta, afundou as redes do Atlético. Golaço! Um dos mais bonitos do ano! Só que o bandeirinha anulou. Nos garfou! Assinalou impedimento,quando era claro que Obina saira de trás da zaga. Os jogadores do Verdão reclamaram, mas o juiz acatou o “erro” do bandeira. Que raiva que dá, ser roubado em tudo quanto é jogo!  Ah, diretoria! Tome as providências necessárias para dar um basta nisso. Não aguentamos mais.

 Mas eu disse que o time tava raçudo, não disse? Tava na cara que eles não queriam perder, de jeito nenhum. O jogo acabando e o Palmeiras em cima. Uma emoção danada. E o torcedor gosta é disso, de ver o time buscando, lutando. Pierre dividindo até sem chuteira. Graaaande Pierre! As chances aparecendo e sempre tinha um pé prá tirar, o goleiro prá pegar. Aos 46′, Ortigoza pegou uma sobra e chutou forte. A danada da bola parou na trave.  VAAAAAAI, PALMEIRAS!!! Eu acreditava, mas o tempo estava acabando. E se o juiz apita?

Aos 48′, um bate-e-rebate dos diabos lá na área dos poodles, a bola não entrava até encontrar K9. Ele chutou e empatou!!! Seu primeiro gol na Arena da Baixada. É o artilheiro do campeonato. Nosso garoto! Que emoção! A gente não sabe se grita, se pula e faz tudo ao mesmo tempo. Ai meu Deus,ilumine o Luxemburgo, tá ‘facinho’ de acertar esse time. É só ele querer.  Vamos apoiar o time, Nação! Vamos cobrar de Luxa que escale os melhores e esse time vai dar samba. Tem que dar! E cá entre nós, não contem prá ninguém, mas K9, Obina e Ortigoza, ainda vão dar o que falar…

 

Eu não sei se o Luxa anda comendo comida estragada, ou se ele pensa que o torcedor é bobo. Que lambança é essa que ele anda fazendo com o time? Escala e substitui como se fosse um técnico iniciante, amador. No Brasileiro passado, na Sulamericana, no Paulista desse ano… Ele trata de complicar o que tá fácil. Que escalação foi essa, contra o Nacional? Entrou com o time errado e foi obrigado a “queimar” duas substituições ainda no primeiro tempo, para consertar o que ele mesmo estragou. O pior é que ele que pediu a semana inteira para o torcedor ter paciência com Capixaba, só aguentou 28 minutos. Tirou Souza, também. Entraram Marquinhos e Obina. O time teve uma discreta melhora, é verdade, mas não passou disso.Obina, ainda fora de forma e que mal treinou, até que foi bem.  Mas Luxa se precipitou ao colocá-lo em campo. Jogador que chega tem que disputar posição, nos treinos. A não ser que tivéssemos feito um placar confortável e aí, sim, Luxa colocasse Obina, para ir pegando ritmo e receber o carinho da torcida.

 Mas, jogando na nossa casa, ele entra com 3 zagueiros e Keirrison sozinho lá na frente. Ah, Luxa! Você quer queimar o garoto, para que ele possa ser vendido tranquilamente, né? E a torcida tá entrando no seu “jogo”… Porra, a gente quer acreditar, mas Luxa não deixa. O Nacional veio para jogar na retranca e sair sem muito prejuízo, mas Luxemburgo os convidou ao jogo ofensivo. Ah, se não fosse o Marcos… a vaca tinha ido pro brejo no primeiro tempo. E dá-lhe passe errados, chutes mais errados ainda. A verdade é que o time não apresenta um padrão de jogo, faz tempo. Individualmente, o rendimento cai a olhos vistos. Cleiton, Armero, K9… A defesa, então…  E o Nacional, que é rápido e de bobo não tem nada, foi gostando do jogo. Marcava muito bem e anulava as investidas do Palmeiras. A torcida  que  lotou o Palestra e apoiava o time,  já estava meio desconfiada. O gol não saía, o time não jogava bem, não tínhamos meio de campo.

Veio o segundo tempo e o Palmeiras achou seu gol, logo aos 10′. Diego arriscou um lindo chute de fora da área e guardou. O Palestra explodiu em festa! Com a “porteira aberta”, o palestrino imaginou que outros gols estariam a caminho… Só que, Luxa, medroso, resolveu segurar o resultado, e colocou Jumar, sacando Keirrison, que saiu vaiado. Meeeeeu Deeeeeeus! Que injustiça! Tá certo que K9, não vem tendo o mesmo aproveitamento, mas é o artilheiro desse time e o vice artilheiro da Libertadores. E, se era para tirar Keirrison, porque não colocou Ortigoza?

O técnico do Nacional percebeu que Luxa nem pensava mais em atacar, então quem atacou foi ele. E com que facilidade o jogador uruguaio achou seu gol. Sem marcação alguma, Santiago Garcia recebeu na área e só teve o trabalho de chutar. Nós, que precisávamos da vitória, para decidir no Uruguai com vantagem, ficamos no 1 x1, indigesto, indesejado… A torcida ficou desapontada, mas apoiou até o apito final. Mas não é que “meia dúzia” que ficava xingando Luxemburgo, tiraram o egocêntrico do sério? Ele nem levou em conta os milhares que apoiavam o time. Só deu ouvidos aos poucos (sempre tem) que criticavam. E, ao término do jogo, ele, que não quer ser chamado de burro, tentando explicar o inexplicável,  me saiu com essa pérola:

– PRECISÁVAMOS DE ALGUÉM PARA FAZER A DIFERENÇA. HOJE, NO FUTEBOL BRASILEIRO TIRANDO UM RONALDO, UM NILMAR, NINGUÉM TEM ESSE CARA QUE FAZ A DIFERENÇA.

Técnico estúpido e presunçoso! Você tinha quem fazia a diferença, lembra? Ele se chama Valdívia! E você fez questão de mandá-lo embora, com as bençãos da diretoria anterior.  Essa sua declaração só mostra que você está ultrapassado e não tem mais nada que o coloque acima dos demais técnicos.  Não adianta menosprezar os seus jogadores. Os que saíram, no começo do ano, faziam corpo mole. Os de agora não fazem a diferença. Cada hora uma desculpa para esconder as SUAS falhas. ESSE TIME, VOCÊ MONTOU, ESQUECEU? Chupa essa manga, mané! E trata de cair fora do meu time! Você já está fazendo hora extra no Palmeiras e recebeu muito mais do que merece, pelo pouco retorno que tem dado. Vamos decidir no Uruguai e sabemos que podemos sair com a vaga. Embora a gente sinta esse resultado como uma derrota, foi apenas um empate, como acontecia nos tempos de Felipão. Nós acreditamos nesse time. Acreditamos em Marcos. Só não acreditamos mais em você…

VAI BUSCAR O FELIPÃO, BELLUZZO! APROVEITA, PASSA NOS EMIRADOS E EMPRESTA O MAGO!
 

Olha, a gente gostando ou não, o Obina deu o que falar, nem bem chegou. O cara está causando o maior furor, até no treino. Como eu havia dito, a gente sonhando com cada nome e o Obina”caiu na cabeça da gente”. A maioria dos palestrinos ficou furiosa, perdeu as estribeiras… eu fui uma delas. Aí hoje eu vi Obina com o uniforme de treino, com aquela cara de gente boa, que não tem culpa da maré ruim que estava vivendo (aqui vai acabar), e me bateu uma coisa…

Porra, ele agora veste a camisa do meu time, do time que eu amo! Ele é um privilegiado, caramba! Jogava em time de torcida grande, mas em time grande, de verdade, é só agora que ele vai jogar. E com o manto, ficou com cara de jogador do Palmeiras, mesmo! Não é qualquer um que tem essa “cara”. Essa camisa é especial, mágica. A gente tem até Santo nesse time, já tivemos um Divino, um Animal, um Mago, um Evair…  Tantos jogadores que ao vestirem essa camisa conseguiram a excelência da arte das quatro linhas, se tornaram maiores do que já eram e engradeceram o Palmeiras. Não acho que ele esteja ao nível desses jogadores. Mas, quem sabe não seja essa, a camisa onde ele irá brilhar de verdade? Quem sabe não seja essa, a torcida que ele vai amar e que vai amá-lo também? E, mesmo que ele não brilhe (torcida não vai faltar), como outros já brilharam, quem sabe não poderá nos ajudar a conquistar o que tanto queremos? Não temos mesmo como saber… Um centroavante meio botinudo e rompedor, nos ajudou a ganhar uma Libertadores, certa vez. Lembram de Oséas?

O futebol é uma gangorra. Nós, torcedores, vivemos entra a razão e a paixão, o tempo todo. Alguns momentos enfurecidos, outros tantos apaixonados pelo nosso clube e jogadores. Não é fácil a vida de torcedor, viu? Obina foi tão rejeitado, que acontece agora o inverso, tá todo mundo torcendo muito por ele, acreditando nele. E a Que Canta e Vibra vai dar o maior apoio à Obina. Tenho certeza, que ele, no seu jeitão simples, simpático, irá se emocionar na primeira vez que adentrar o Palestra Itália. Ele, que já está maravilhado com o clube e estrutura que encontrou, vai se arrepiar ao se encontrar com sua nova torcida, ao ouvir o grito da galera, no Palestra. Vamos “adotar” você Obina, e espero que sejamos todos muito felizes…

“Eu quero ver gol, eu quero ver gol, não precisa ser de placa, eu quero ver gol”  –  (O Rappa)