………………..

Esse país está mesmo do avesso…

Enquanto tem gente que reclama de racismo se alguém diz que a “coisa está preta”, se uma marca de batata frita lança um novo produto, sabor feijoada, e a embalagem (idealizada por um consumidor negro) é preta… que reclama de apropriação cultural se um branco usar uma peruca black power e, com um vitimismo ridículo, esvazia a real luta contra o racismo, o nivela com essas bobagens… tem outras pessoas que fazem declarações racistas, rindo, com a maior cara de pau, como se fosse piada…

Lembra do ex-jogador Edílson? Que ganhou fama no Brasil inteiro depois de ser contratado pelo Palmeiras em 1993 e ter sido Bicampeão Paulista e Brasileiro?

O mesmo, que em 99, defendendo o Corinthians, numa final de campeonato contra o Palmeiras, resolveu parar na lateral de campo e fazer embaixadinhas, colocar a bola no pescoço e fazer gracinhas, como se fosse um bichinho amestrado de circo (ser como um Cafu, um Antonio Carlos, Evair, Dracena, Zé Roberto… que pode jogar em um clube, se transferir para um grande rival, sem precisar desrespeitar nenhum deles, não é para qualquer um)?

Edílson, que na despedida de São Marcos cometeu o sacrilégio de tentar dar uma caneta no Divino. Um jogador tentar dar uma caneta em outro, num amistoso, embora seja deselegante, não teria nada demais se esse outro jogador não tivesse 70 anos (quase o dobro da idade dele) e se ele não fosse um dos maiores ídolos do clube onde esse “ser” jogou um dia e da torcida que lotava o estádio. Algumas coisas, relacionadas à educação, elegância, grandeza de espírito, não se pode ensinar a ninguém, não se pode comprar e nem emprestar…

E Edílson nos comprovou isso agora com uma declaração racista (a mim, parece racista) sobre o goleiro Jaílson, do Palmeiras, o nosso Jailsão da Massa.

Convidado da FoxSports, Edílson fez algumas declarações depreciativas sobre o Palmeiras e, entre elas, falou sobre o goleiro Jaílson. E na sua falta de bom senso costumeira, aliada à sua habitual vontade de ser engraçado (parece não querer perder a piada nunca), e lembrando de uma suposta declaração de Zinho nos anos 90, Edílson, que é negro, saiu com essa: “Goleiro negão sempre toma um gol”, “goleiro negão falha sempre” (Era negão o goleiro brasileiro do vexame do 7 x 1 na Copa, Edílson?). Lamentável. Falta de respeito com o Jaílson.

Edílson deve achar que, por ser negro, tem alvará para fazer piada escrota com outros negros, acha que é de boa falar assim sobre o Jaílson, que é engraçado. Mas não é. E os profissionais de imprensa do programa morreram de rir da “piada”, Edílson também riu. Ignorância generalizada no programa da Fox – justiça seja feita ao Mano, que defendeu Jaílson, não riu – mas não fez objeção nenhuma ao comentário sobre a cor ter alguma influência no rendimento de um jogador.

E como é possível  imputar à cor da pele de um goleiro ele tomar ou não tomar gols, não é mesmo? Ser melhor ou pior goleiro depende da cor da pele? Imagina se fosse um branco dizendo isso? Se fosse um certo deputado?  Se essa declaração de Edílson, que generaliza uma raça,  não for racista, eu sou japonesa. E ele disse também que os participantes do programa ‘não jogaram bola, não sabem, mas pele escura não dá certo no gol’. Dois absurdos numa mesma frase. …   “Pele escura”, Edílson,  tem nome, é pele negra.

Precisam avisar ao Edílson que Jailsão da Massa, lindo, amado, o ‘negão que não dá certo no gol’,  está há mais de 500 dias, há 27 jogos sem perder. Foi campeão Brasileiro-2016, jogando meio campeonato, sem perder nenhuma partida. Se isso é “não dar certo no gol”…

Precisam contar ao Edílson e ao pessoal da Fox, que os clubes do Brasil nunca deram muito espaço para goleiros negros, que sempre houve preconceito contra goleiros negros – preconceito, que Edílson parece querer ajudar a fortalecer com essa declaração imbecil, que os participantes do programa não quiseram coibir. Edílson, como um homem negro, e jogador que foi, deveria estar melhor informado e saber que esse clichê que ele repete vem desde Barbosa, o goleiro da seleção brasileira, que perdeu a final da Copa de 1950 para o Uruguai – o time deu uma amarelada, os uruguaios tiveram mais fibra, raça e determinação em campo, mas a culpa da derrota ficou só para o goleiro… negro.

A porcentagem de goleiros negros nos clubes do Brasil, que sempre foi pequena, só passou a aumentar depois que Dida, um goleiro negro, vestiu a camisa da seleção em 2006. Depois disso, os clubes passaram a dar mais oportunidades para goleiros pardos e negros. A estatística do crescimento dos goleiros negros passou de 18%, em 2005, para 20,5% em 2006, saltou para 25% em 2010, atingiu 31% em 2012, voltou para 25% em 2013 (estatísticas retiradas do livro “Goleiros: Heróis e Anti-heróis da camisa 1”, de Paulo Guilherme) … e hoje não deve ter mudado muito.

E eu não me lembro de ter ouvido o Edílson, ou qualquer outro, falar o mesmo sobre Dida – que Edílson jura que é “pardozinho” – na época em que os dois jogavam no Vitória, ou quando  Dida e Edílson jogavam no Corinthians… E Edílson, do mesmo jeito que ‘esquece’ de pagar a pensão alimentícia (já foi preso três vezes por isso) parece ter esquecido dos goleiros Felipe, Jefferson (pega muito), Aranha, Edson Bastos, Hélton (revelado pelo Vasco), Gomes, Sidão…

Perdeu uma boa chance de ficar calado… Era preferível ter perdido a piada, Edílson.

Quanto à Fox Sports, se lá estão tão sem assunto, que precisam até levar  um sujeito denunciado por fraude na Máfia das Loterias  para falar asneiras no programa, para depreciar um profissional por causa da sua cor, aqui vai uma sugestão: Que tal falarem sobre o depoimento do J. Hawilla, lá nos “isteitis”? O depoimento que cita o Andrés como responsável por subornar todo mundo (até presidentes e ex-presidentes de clubes) no esquemão com o Ricardo Teixeira. Contem os detalhes para os torcedores brasileiros, está todo mundo querendo saber.

“Vou ganhar agora, não me leve a mal, hoje é carnaval” 

………………..

Em plena noite de sábado de carnaval, a “Acadêmicos do Verdão” entrou em campo pra enfrentar o Mirassol, para buscar mais uma vitória e manter a invencibilidade no campeonato. O Verdão, aliás, é o único time da série A  que está 100%.

Na Comissão de frente, nenhuma novidade, a ala “Melhor Ataque” trazia Dudu, Willian e Borja, comandados pelo mestre-sala Lucas Lima, que vinha mais atrás. Na ala lateral, Marcos Rocha e Michel Bastos, em substituição a Vítor Luís. Na ala do meio, os  especialistas em evolução  Felipe Melo, (melhor desarme, mesmo tendo jogado uma partida a menos) e Tchê Tchê “Mochila de Leão”… mais atrás,  a Ala “Melhor Defesa”, com Antonio Carlos, Thiago Martins e Jailsão da Massa. Puxando o samba, a Que Canta e Vibra – o estádio, com lotação máxima, e como sempre acontece quando o Palmeiras vai jogar fora, estava repleto de palmeirenses.

E não teve segredo… o Palmeiras venceu por 2 x 0.

No primeiro tempo, nada de muito importante aconteceu até os 20 minutos… Mirassol defendia bastante, procurava não dar espaços, por isso, o Palmeiras não evoluía como podia, os dois times erravam passes… O dono da casa até se empolgava e ia pro ataque, mas sem real perigo, a não ser aos 21′, quando Rodolfo  entrou na pequena área e chutou forte pro gol, Jaílson defendeu, o mesmo Rodolfo ficou com o rebote e tocou para Douglas Baggio, de frente pro gol, só ter o trabalho de guardar. Mas Lucas Lima, que já tinha se posicionado ali embaixo da trave desde o momento da defesa de Jaílson, impediu o gol do Mirassol – Jailson ainda acabaria ficando com a bola. Defesaça do nosso meia. Devia ter recebido parte do bicho do Jailsão.

Logo em seguida, aos 23′, Felipe Melo mandou a bola à frente para Borja, na intermediária, o seu marcador afastou, Lucas Lima, esperto, ficou com a bola, achou um buraco e tocou rapidamente para Borja. Borjão da Massa, nosso passista, invadiu a área, tocou no meio das pernas do goleiro e fez o Verdão brilhar na “avenida”. Gol lindo do nosso colombiano, e que assistência show do Lucas Lima (participação importantíssima de Lucas Lima nos dois lances que garantiam o Palmeiras na frente do placar no primeiro tempo).

Enlouquecido de alegria, nosso passista ganhou a “avenida”… E pensar que teve um repórter que perguntou outro dia pro Borja por que ele não sorria (isso é pergunta que se faça a um jogador?). Mas ele sorri sim ‘seo’ repórter, e que sorriso mais lindo ele tem…

“Diga, espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu” 

…………

Tranquilo com o gol marcado. o Palmeiras começou a se movimentar mais, a achar mais espaços (Borja foi um dos melhores em campo ao lado do cheio de vontade Lucas Lima), mas o primeiro tempo acabou sem alteração no placar.

Na segunda etapa, o Palmeiras voltou mais objetivo e, talvez por isso, o Mirassol começou a errar mais passes.

Marcos Rocha deu uma sambada (uma caneta) no adversário e sofreu a falta; na cobrança, ela foi tocada pra Lucas Lima que mandou lá na área onde estava Borja, ele tocou de cabeça e o zagueiro salvou em “cima da linha”. Confesso que, na hora, fiquei com a impressão que ela tinha entrado. Ainda tenho essa impressão, mas como não foi disponibilizada uma imagem no ângulo adequado (o ângulo que tem o bandeira) pra eliminar qualquer dúvida… tenho que concordar com a marcação.

……..

Keno entrou no lugar do Bigode… Scarpa entrou depois no lugar de Lucas Lima… O Palmeiras estava bem mais perigoso, ia mais vezes ao ataque, tocava melhor a bola… estava bem em harmonia. Borja já tinha aparecido com perigo duas vezes… o Palmeiras trocava mais passes, gastava mais o tempo…

Os “puxadores do samba” e a bateria faziam a festa na bancada…

O jogo já chegava aos 40′ do segundo tempo quando Felipe Melo tocou pra Dudu, que tocou  pro Tchê Tchê… e o Tchê Tchê, em seu centésimo jogo pelo Verdão, deu um passe lindo para o passista Borja lá na frente. Borjão da Massa foi derrubado dentro da área… E isso é pênalti!

Duduzinho lindo, destaque da “Acadêmicos do Verdão”, e cobrador oficial agora, foi lá e guardou. Cobrou muito bem nosso baixinho; chute forte, bola num canto, goleiro do outro. Estava liquidada a fatura.

………………………..Resultado de imagem para Dudu cobra pênalti contra o Mirassol

Roger colocou Thiago Santos, que também completava 100 jogos pelo Palmeiras, em lugar de Tchê Tchê…

O “samba enredo” era cantado a plenos pulmões… a “bateria” não queria saber de paradinha não…  tão linda quanto a evolução em campo era a evolução na bancada… os foliões eram uma alegria só… e o “desfile” do Palmeiras chegou ao final.

“Acadêmicos do Verdão” passou tranquila na avenida e chegou bonita na dispersão… nota 100%.

Jailsão, 500 dias (27 jogos) sem perder… Palmeiras 100%, 6 jogos e 6 vitórias… melhor ataque… melhor defesa… o time mais caçado (Duduzinho é o parmera que mais recebe faltas), Felipe Melo é quem mais desarmou no campeonato… e Roger, o técnico para o qual alguns palmeirenses torceram o nariz na chegada, e que tem conseguido manter a mesma escalação sem deixar de dar oportunidade aos suplentes (seria esse o segredo de um time tão unido e motivado?), tem o melhor início de trabalho no Palmeiras nos últimos 40 anos. Com 100% de aproveitamento em 6 jogos no Campeonato Paulista, Roger Machado agora persegue uma nova marca: os sete triunfos seguidos de Filpo Nuñez, em 1978.

Tô me sentindo insuportável com essas marcas todas.

E 17  mil ingressos já foram vendidos para Palmeiras x Linense, que será disputado na próxima quinta-feira. Booora lá, parmerada, encher o Allianz para ajudar o Palmeiras a buscar a sétima vitória e Roger a alcançar a marca de Filpo Nuñez.

“Quem não chora não mama!
Segura, meu bem, a chupeta
Lugar quente é na cama
Ou então no Bola Preta” 

Nos dias atuais, é muito fácil apontar nos outros o defeito que é seu… é muito fácil criticar nos outros aquilo que é você quem faz… é fácil meter o pau no capitalismo, nos “isteitis”, fazendo isso através de um caríssimo i-Phone, andar com tênis e roupas importadas, beber cerveja americana, ir passear na Disney, comer no Starbucks, no McDonald’s, assistir a todas as séries americanas… é fácil vilanizar aquele que tem capacidade de conseguir o que o outro não tem capacidade de alcançar… é fácil o que não tem vontade de trabalhar sério, desmerecer o trabalho daquele que rala muito, ou seja, é muito fácil ser cínico, ser hipócrita.

Dessa mesma forma, é fácil sair repetindo feito um disco  – daqueles bem antigos – riscado… “Ainn, a Crefisa sustenta o Palmeiras… Ainnn, a Crefisa sustenta o Palmeiras… lá lá lá… Se não fosse a Crefisa…”, enquanto os clubes dos repetidores desse “mantra” são sustentados por cotas de TV, por patrocínios estatais (dinheiro público) e estão atolados em dívidas…

Não haveria nada de errado se a Crefisa, nossa grande parceira – ou qualquer outra empresa -, num contrato de patrocínio muito vantajoso para ela também, fosse a maior receita do Palmeiras, fosse uma grande porcentagem das receitas do clube (apenas não seria muito saudável depender de uma única fonte de receita). Só que não é isso o que acontece, por mais que insistam em bater nessa tecla e finjam desconhecer a fórmula completa do sucesso financeiro do Palmeiras.

Os estaduais começaram por todo o país – o Paulistão já teve 5 rodadas. E “nóis tá como”? De acordo com os borderôs, os clubes estão assim:

…………………….

Somando as rendas líquidas dos outros 11 clubes que tiveram lucro, o total ainda é menor do que a receita do Palmeiras com bilheteria:
PALMEIRAS: R$ 4.078.424,99
Os outros 11 clubes (Cor, Cru, Sao, Gre, Int, Atl-MG, San, Cha, Par, Spo, Atl-PR) : R$ 3.999.647,13

E 8 clubes têm renda negativa, ou seja, estão pagando para jogar. Flamengo, Botafogo, Fluminense, Vasco, América-MG, Ceará, Bahia e Vitória acumulam prejuízos que, somados, chegam  a  R$ 2.371.965,33.  E o maior prejuízo, pasme, é do Flamengo: – R$ 811,687,86.

Depois de cinco rodadas disputadas, o Palmeiras domina a lista das principais rendas no Paulistão:

1º  – Palmeiras 2 x 1 Santos – R$ 1.998.965,54
2º  – Palmeiras 3 x 1 Santo André – R$ 1.240.285,86
3º  – Palmeiras 2 x 1 Red Bull – R$ 839.173,59
4º  – Corinthians 2 x 1 São Paulo –  R$ 796.703,26
5º  – Botafogo 0 x 1 Palmeiras – R$ 796.569,93
6º  – Bragantino 0 x 2 Palmeiras – R$ 330.060,62
7º  – Grêmio Novo Horizontino 0 x 1 Corinthians – R$ 323.278,29
8º  – Corinthians 2 x 1 Ferroviária – R$ 281.710,47
9º  – Mirassol 0 x 2 São Paulo – R$ 280.908,18
10º- Corinthians 0 x 1 Ponte Preta – R$ 274.987,08

Percebe a diferença? A parmerada apoia o seu clube mesmo, vai ao estádio  – e para quem não é Avanti, o preço é bem salgadinho. E a torcida palestrina reverte para o Palmeiras em bilheteria (em compra de camisas e produtos oficiais também) mais do que qualquer patrocínio máster de qualquer clube aqui no Brasil.

Parece que está na hora de alguns torcedores (os da imprensa também) usarem mais o bom senso e  a inteligência para identificarem o porquê de um clube estar em ótima situação financeira e os seus clubes não estarem (uma administração séria vem antes de qualquer coisa). Está na hora de pararem de olhar para o Palmeiras com esses olhos de inveja (fazer o trabalho sério que ele faz, ninguém quer), pararem de se preocupar tanto com o Palmeiras – ele vai muito bem, obrigada – e tirarem a bunda do sofá, fazerem a sua parte, e irem apoiar os seus times, como nós, palmeirenses, com muito orgulho fazemos.

Aqui é Palmeiras! Aqui é a Torcida Que Canta, Vibra, torce, corneta, torce mais ainda, faz a diferença… e ajuda o seu clube a crescer.

O Palmeiras continua 100% no Paulistão… 5 jogos, 5 vitórias, melhor ataque, melhor defesa, melhor saldo de gols. E dessa vez foi contra o Santos.

Final de semana de primeiro grito de carnaval em São Paulo, milhões de pessoas nos blocos, e nem assim o Allianz ficou vazio. Ao contrário, o bloco “Unidos de Allianz Parque” estava entupido de gente… 38 mil pessoas.

Foi uma vitória tranquila do Palmeiras… e teria sido mais tranquila ainda não fosse o árbitro…

No primeiro jogo de Lucas Lima contra o seu ex-time, deu Verdão. Ainda que não tivesse levado perigo ao adversário o tempo todo, como gostamos nós, torcedores, o Palmeiras venceu o Santos com sobras e teve o domínio da partida.

O juiz, Flávio Rodrigues de Souza, mal tinha apitado o início de jogo e o Palmeiras já saía na frente. Com 2′, na segunda cobrança de escanteio palestrina, Antonio Carlos subiu mais que David Braz e, de cabeça, guardou no canto esquerdo de Vanderlei.  Uma bela cobrança de escanteio de Duduzinho (ele já participou de 5 dos 10 gols palmeirenses no ano). E foi bem pertinho de onde eu estava, que delícia de gol. Os jogadores todos se uniram num abraço gigante em volta do emocionado Antonio Carlos, os reservas correram lá na lateral pra comemorar com Roger…  nós nos abraçávamos na bancada…  Nosso “primeiro grito de carnaval” explodia no Allianz Parque.

E não tive como deixar de lembrar do treinamento de finalização em cobranças de escanteios e faltas que Roger Machado tinha dado no treinamento de preparação para o clássico.

Logo depois do gol, Lucas Lima mandou na trave uma cobrança de falta. Foi um lance rápido, a bola bateu no travessão, ficou viva na área,  mas eles conseguiram evitar que os palmeirenses aproveitassem o lance.

Jogo de torcida cantando forte…  de adversário meio perdido, sem força para ameaçar o Palmeiras. E só aos 13′ eles levaram perigo à nossa meta. Depois de uma falha individual – nosso primeiro erro de passe no jogo – , Arthur chutou pela direita e Jaílson fez uma boa defesa mandando pra escanteio. Na cobrança, Sasha subiu livre e cabeceou pro gol… porém, tinha um Jaílson no meio do caminho de Sasha… Jailsão da Massa fez uma defesaça e impediu o gol santista. Ô goleiro enjoado que não sabe o que é perder…

O jogo ficou meio devagar, o Palmeiras diminuiu o ritmo, esperando pelas oportunidades de contra atacar – e não estava errado. O primeiro clássico da temporada, o primeiro clássico de Roger e de alguns  jogadores aqui no Palmeiras… e estávamos ganhando, jogando melhor… O Santos até se animou com isso e rondou a nossa área, mas sem realmente levar perigo, a não ser nos dois lances, já citados, em que Jaílson resolveu.

Os palmeirenses se movimentavam bastante, trocavam de posição… O Verdão ditava o ritmo de jogo.

Já no final do primeiro tempo, com o Palmeiras voltando a empurrar o Santos para o seu campo de defesa, Felipe Melo desarmou Copete e foi pisado pelo santista… e  Flávio Rodrigues de Souza, o árbitro, deixou barato.  “Ainnn, ele errou o tempo da bola”, diriam alguns…

…………………….

Imagina o que diriam essas mesmas pessoas – que recebem ordens para falar mal do Palmeiras -, se fosse o Felipe Melo “errando o tempo da bola” e pisando algum adversário como Copete fez com ele? Levaria vermelho direto.  E mesmo tendo cometido outras faltas, além desse pisão que ficou impune, o santista só levaria um cartão no final da segunda etapa. Lucas Lima, no entanto,  levou um amarelo aos 25 minutos do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou aceso. No primeiro minuto, Felipe Melo (que nos primeiros 45 minutos já tinha dado um drible num santista e o deixado procurando a bola e ele até hoje), chutou de fora da área , mas o goleiro segurou. Logo depois, Borja recebeu na área, mas Caju conseguiu chegar a tempo de travar o chute… No minuto seguinte, Thiago Martins, na cara do goleiro, cabeceou pro gol, mas Vanderlei fez uma boa defesa… Blitz do Palmeiras pra cima das sardinhas.

O relógio marcava 4 minutos do segundo tempo, Borja enfiou a bola para Willian, ele avançou tentando entrar na área , passou por dois, mas a bola escapou dele um pouquinho… Não deu nem tempo de a gente ver direito o que aconteceu e ela estava dentro do gol do Santos. Borja, na meia lua, espertíssimo, tão logo viu a bola que ia em sua direção, mandou um canudo de primeira que foi morrer no fundo da rede. Que gol lindo, Borjão! Fiquei feliz demais com o gol dele.

Com a tranquilidade de 2 x 0 no placar, o Palmeiras, que dominava o jogo, esperava o Santos… Nossa defesa estava bem… só se acontecesse algo muito inesperado para tomarmos um gol…

E, então, aos 17′, com o Santos ciscando em nossa área, o inesperado, não tão inesperado assim (as arbitragens sempre afanam o Palmeiras mesmo) aconteceu. Marcos Rocha não conseguiu evitar um escanteio, tocou na bola depois que ela havia saído, e ela voltou pro campo. O árbitro ignorou  a saída de bola e deu continuidade à jogada; os palmeirenses, achando que ele ia marcar o escanteio, se descuidaram – não deveriam – e o Santos descontou.

……………

……………

Veja só, a bola sai inteirinha pela linha de fundo e o juiz deixa a jogada seguir como se nada tivesse acontecido. Quais as chances de o Palmeiras fazer um gol nessas condições e não aparecer jornalista, árbitro de vídeo,  delegado, marciano, inca venusiano  informando ao quarto-árbitro que teve irregularidade na jogada?  Nenhuma, né?

Uns minutos depois, Tchê Tchê sofre pênalti de David Braz – ele entrou atropelando o palmeirense – e o juiz nada marca. O bandeira também não. A imagem abaixo foi tirada de um gif, mas dá pra ver muito bem. Com a perna direita estendida para o lado ele atinge o pé de apoio de Tchê Tchê, e com o corpo acerta o pé que domina a bola e derruba o palmeirense.

………………….

Difícil acreditarmos que juiz e bandeira não viram a falta… ou que acharam que ela foi normal.

Aos 30′, Roger atendeu a torcida e colocou Keno.  Dudu deu lugar a ele. O baixinho saiu aplaudidíssimo, aos gritos de “Dudu, guerreiro”. Keno também foi aplaudido ao entrar. Minutos depois, Bruno Henrique entrou no lugar de Tchê Tchê.

O Palmeiras seguro na marcação, seguro do meio pra trás, dominava o jogo e garantia o resultado, que só não era maior porque o árbitro não apitava direito. E ele resolveu ignorar mais um pênalti a favor do Palmeiras. Com quase 40 minutos de segundo tempo, BGod recebeu na área, levou um tranco e foi derrubado por Alison. O juiz nada marcou (não tive tempo de procurar essa imagem, mas logo ela estará aqui).

Roger ainda promoveu uma estreia; colocou Scarpa no lugar de Lucas Lima. Aplausos para os dois. Com 4 min de acréscimo, ele encerrou a partida. O Palmeiras, merecidamente, saiu com a vitória.

“Tô mi gostando” do Roger Carvalho. O time está jogando bem, ele parece saber lidar bem com o elenco de tantos bons jogadores.  Bancou o Borja no time e ele fez o gol da vitória, e tá jogando bem e se soltando cada vez mais… voltou o Pitbull para o lugar de onde ele não deveria ter saído… repete a escalação, mas mesmo assim sempre dá um jeito de dar oportunidade para os que estão no banco… O Palmeiras, do meio pra frente tá encardido, tem muita qualidade ali. 

Se do meio pra trás a coisa funcionar, estiver consistente, penso que o Palmeiras vai dar trabalho, muito trabalho. E o bom da coisa é que parece que o Roger está acertando esse do meio pra trás… 

Mas tem um porém… a diretoria tem que abrir os olhos e mantê-los bem abertos,  nas arbitragens. Dia desses meteram a mão na Ferroviária para favorecer um certo time, no clássico no Allianz era palpável a impressão de que o árbitro usava um critério diferente para cada time.  Flávio Rodrigues de Souza fez vistas grossas para muita botinada que deram em Dudu, em Lucas Lima, em Willian, fez vistas grossas para a mão adversária na cara do Keno, para a pisada no Pitbull… para a bola que saiu em escanteio e resultou em gol… para o pênalti cometido por David Braz, para o outro pênalti cometido por Alison…  e poderia ter mudado o resultado da partida.

Já sabemos que a pagadora de propina manda jornalistas meterem o pau no Palmeiras (um  ex-SporTV foi quem cantou essa bola), e como ela parece mandar no futebol e até na CBF, fica a pergunta:  será que esses árbitros, que prejudicam o Verdão, são instruídos para apitarem assim, são paus mandados também?

Abre o olho, Galiotte! E não dá mole não.

………………………..

Existe uma cidade linda, louca, que chamam de “Selva de Pedra”, “Terra da Garoa”… Cidade onde  faz frio e calor no mesmo dia… e chove também, até mesmo granizo…

Seus habitantes são diferentes, especiais… Pra eles, a palavra “tipo” é usada como vírgula… eles falam bolacha ao invés de “biscoito”…

Quando recebem um agradecimento, ele falam “imagina”, ou “magina”,  no lugar de um “de nada”…

Estão sempre correndo pra lá e pra cá, até mesmo nas escadas rolantes… São muito trabalhadores, mas não vão para o trabalho, eles vão “pro trampo”…

Adoram ir passear no shopping… ou ir para os barzinhos e tomar umas brejas (cerveja)…

Pra eles, a expressão “Meu Deus do céu” vira “Mano do céu”…

E nessa cidade fantástica, coração pulsante do Brasil, tem o Allianz Parque, a mais bonita e moderna arena do país… onde vive uma gente linda, apaixonada (com familiares por todo o país)… que se veste de verde-e-branco, que não reclama, corneta…  que não torce,  canta e vibra…  

E essa cidade linda, maravilhosamente louca, de gente especial, apressada e apaixonada, tem algo que a torna ainda mais singular e apaixonante…  É NELA QUE MORA O PALMEIRAS, O MAIOR CAMPEÃO DO BRASIL!! 

PARABÉNS, SAMPA, SUA LINDA!! #SP464

O Brasil tem sofrido uma absurda inversão de valores nos últimos anos… o que era ruim passou a ser bom, o que era errado passou a ser certo e vice-versa (sem que a sociedade tivesse algum ganho com a mudança, muito pelo contrário)…  fãs(!?!) fazem selfies, alegre e vaidosamente, com assassino colocado em liberdade… o bandido é a vítima e o juiz o vilão… o que era lixo musical passou a ser o “hit” da vez para maioria… letras de música com inadmissíveis erros de Português, com um amontoado de palavrões, denegrindo a imagem de mulheres (de homens também), de “novinhas”, e fazendo apologia ao crime, ao uso de drogas, passou a ser “cultura”… qualquer coisa é arte (até mesmo uma roda de gente pelada, num palco de teatro, vasculhando os orifícios anais umas das outras)… mostrar o traseiro é o maior talento (se não for o único) de muita cantante por aí… qualquer coisa é a melhor música do ano, o artista do ano, a mulher do ano, enquanto pessoas verdadeiramente talentosas não são nem conhecidas… Os valores todos invertidos… Um monte de bobagens, aliadas a um “politicamente correto” burro, inimigo do raciocínio e do discernimento, que são enfiadas na cabeça do povo diariamente…

E não seria diferente no futebol… não seria diferente com a ‘querida’ imprensinha…

Ela parece sofrer de alguma doença rara que inutiliza os neurônios e a capacidade de isenção de uma boa parte de seus profissionais – muitos jornalistas se preocupam mais em formar opiniões a favor dos seus clubes de coração e contra os clubes rivais aos seus, do que com o jornalismo propriamente dito.

Alguns programas esportivos, mais rasos do que os programinhas de fofocas sobre pseudo celebridades, abusam  dessa inversão de valores… e vendem pra você que errado é o clube que faz as coisas da maneira certa… errado é o Palmeiras, que é bem administrado, tem um patrocinador forte, trabalha no azul, paga salários em dia, ganha muito dinheiro com bilheterias… enquanto que os caloteiros, os trambiqueiros, os mamadores de impostos, “afilhados” de políticos corruptos, os que vivem às custas de dinheiro público e cotas de TV… são as vítimas.

E tem gente que acredita…

O objetivo de todo clube qual é? Ser cada vez maior, disputar títulos, ter condições de brigar por eles (ganhá-los depende de várias circunstâncias, ainda mais em um país onde arbitragens decidem muitas partidas e campeonatos), me dirá você. Mas, e para chegar a isso? O que pretende qualquer clube de futebol, principalmente os grandes? Montar bons elencos – com os melhores profissionais que o clube puder contratar -, ter bons técnicos, ter um centro de treinamento moderno, tornar o clube  atraente para empresas patrocinadoras e, assim, conseguir um contrato milionário com alguma delas (o melhor contrato que for possível), trabalhar no azul, pagar salários em dia…  ter um plano de sócio-torcedor forte, rentável, com muitas adesões…  ter o estádio cheio, ter boas rendas… essas coisas…

E o que faz o Palmeiras que seja diferente disso? Nada, não é mesmo?

Então, porque essa choradeira da imprensa (de alguns rivais também), essa tentativa diária e incessante (essa sacanagem) de fazer parecer que há algo errado com/no Palmeiras? Que há algo errado no fato de ele ter um patrocinador que investe forte pela exclusividade de exposição de sua marca em seu uniforme (sonho de consumo de todo e qualquer clube)? Que distorção é essa que fazem sobre o ‘fair play financeiro’, e que usam para vilanizar o Palmeiras, enquanto ignoram as más administrações, mazelas e calotes dos outros clubes? Onde está o fair play na maneira de a imprensa noticiar, analisar?

O Palmeiras amargou anos de administrações caóticas, amadoras.  A soma do “trabalho” das administrações anteriores a Paulo Nobre levou o clube à falência… literalmente. E PN herdou problemas mil, dívidas, cofres vazios, Zero Receitas, elenco com poucos jogadores, time na segundona, oposição predadora…

Penou, teve dois primeiros anos turbulentos e difíceis, trabalhou duro, sério, e reestruturou a casa, fechou alguns ralos por onde o dinheiro do clube escoava livremente, colocou as finanças em ordem, fortaleceu o Avanti… inovou o mercado com os contratos por produtividade… com mão de ferro e transparência mudou tudo no Verdão. Então, e só então, o patrocinador master, o investimento milionário (que todo e qualquer ‘jornaleiro’ queria para o seu time de coração) apareceu. Tão óbvio… quem vai investir milhões onde não há o menor indício de retorno? Onde a baderna administrativa reina? Onde há muitos e$pertalhõe$? E foi por saber que o Palmeiras passava a ser rentável e muito bem administrado, e só por isso, que a Crefisa apareceu. E tem um retorno muitas vezes maior do que o valor que ela investe no clube.  Assim, pudemos trazer bons profissionais, montar elencos melhores, pagar salários em dia… pudemos fazer com que a torcida, que sempre apoiou o time, abraçasse ainda mais o Palmeiras, fazendo o Avanti ser um dos melhores planos de ST do país, e enchesse o Allianz em todos os jogos – o Palmeiras ganha com bilheterias mais do que ganha com o patrocinador… assim, pudemos conquistar dois títulos nacionais…

E o Palmeiras, na gestão atual, continua forte, de estádio e bolso cheio, e contratando… sem medo de ser feliz. Ele pode.  Trabalhou pra isso. Não caiu nada do céu pra ele. Qualquer outro clube que puder, quando puder, e se puder, fará o mesmo. E não há nada errado que seja assim. Pelo bem do futebol brasileiro todos deveriam trabalhar sério, seguir o caminho da reestruturação financeira e arrumar as suas casas, como fez o Palmeiras.

Mas a imprensinha, com os seus despeitados torcedores travestidos de jornalistas, infectados pelo “aedes hipocritus”, só fala em ‘fair play financeiro’… em campeonatos menos competitivos por causa da diferença de poderio econômico entre o Palmeiras e os demais.  Como se o tal “fair play financeiro” fosse isso que eles estão querendo fazer parecer que é… Como se o Palmeiras fosse algum vilão por estar numa situação financeira privilegiada, confortável; como se ele tivesse alguma responsabilidade nas más gestões  e dívidas dos outros clubes; como se o Palmeiras tivesse que contratar menos, tivesse que montar elencos mais modestos por causa dos clubes sem grana, que gastam mais do que arrecadam, e que devem salários, direitos de imagem,  marmitas… Fizeram isso com o Palmeiras quando ele estava na pior?  A imprensa reclamou dos patrocinadores dos outros clubes quando o Palmeiras não tinha nenhum? Clamou por ‘fair play financeiro’?

Primeiro, há que se entender o sentido da expressão “fair play”: tratamento imparcial; equidade, um modo leal de agir… Coisa que que muita gente desconhece em seu trabalho…

……………. 

……………. 

 

… conformidade com as regras estabelecidas de um esporte, ramo de negócios etc.; jogo limpo.

Em nenhuma situação o Palmeiras está deixando de agir em conformidade com as regras estabelecidas no futebol.

Mas e o tal “fair play financeiro”, que é mais específico, o que seria? Um regulamento aprovado pela UEFA, e já adotado pela CBF, que visa melhorar a saúde financeira dos clubes e tem por objetivo equilibrar os gastos dos times.

Basicamente, o fair play financeiro (jogo limpo) tem a ver com uma regra seguida por muitos de nós, torcedores (eu sigo): não gastar mais do que se ganha, ou seja, os clubes não podem gastar mais do que arrecadam. Isso quer dizer que os clubes não podem  atrasar salários e nem direitos de imagens dos seus respectivos jogadores, significa que os clubes não podem ficar devendo para outros clubes por negociações de jogadores que acabam não sendo pagas.

Tem muito clube por aqui que não anda respeitando nadinha o fair play financeiro, não é mesmo? E que já podia até ter sido punido… e o Palmeiras não é um deles. Ele não tem receitas escusas, não gasta mais do que arrecada,  muito pelo contrário. Terminamos 2017 com um superávit de aproximadamente 50 milhões.

A impressão que se tem é que alguns jornalistas não entenderam bem o que significa o tal ‘fair play financeiro’, ou entenderam e estão fazendo o de praxe: distorcendo um assunto para com ele atingir um clube rival ao seu clube de coração.

Imagine a situação por outra ótica… você está numa pior, falido, seus vizinhos parecem estar bem melhores do que você, se divertindo, gastando, comprando… então,  para tentar reverter a situação, você trabalha muito, trabalha sério – serve de motivo de zombaria de todos os seus vizinhos enquanto isso acontece -, economiza, passa apertado, rala, se reestrutura economicamente, começa a ganhar dinheiro, sai do buraco, vira o poderoso do bairro, deixa a sua casa linda, passa a poder comprar bons carros, boas roupas, boas viagens, e é você que está errado porque seus vizinhos, – incapazes de cuidar do próprio dinheiro e das suas próprias casas -, não estão na mesma situação que você? Porque eles estão “pobrinhos”?

É você que não tem ‘fair play financeiro’?  Os seus vizinhos trabalharem sério, como você trabalha(ou),  e melhorarem as suas situações financeiras também, nem pensar né?

Pois essa é a “lógica” da imprensinha… a mesma cujos profissionais estão sempre trocando de patrão – de canal – buscando a melhor empresa para se trabalhar, os melhores salários… e ninguém fala de fair play nesses casos. Ninguém fala que os canais pagos de TV – onde esses “jornaleiros” trabalham -, não  têm fair play com os canais mais modestos, os que têm menos audiência,  com os profissionais dos canais mais modestos, com os canais da  TV aberta também. Nesse caso, é cada um olha o seu e os outros que corram atrás, né?

A maioria dos clubes no Brasil está “a help”, sem grana, com muitas dívidas…  alguns clubes têm dívidas com outros clubes (Botafogo andou reclamando disso esses dias), devem premiações por título, devem salários para jogadores (vira e mexe, e todo ano, ficamos sabendo de jogadores que, por não receberem, entram na justiça contra seus clubes querendo rescisão de contrato),  devem prestações de arenas – devem até marmitas -, sacaneiam um monte de jogadores por não ter dinheiro para pagá-los (né, Cavalieri?), quase todos têm por “patrocinador” um banco estatal, ou seja, são sustentados por dinheiro público, alguns são realmente sustentados por cotas de TV (elas representam mais de 50% das receitas do Flamengo e aproximadamente 48% das receitas do Lava Jato. Assim pode?).

Mas a imprensa ignora tudo isso e só sabe repetir… “Ainn, a Crefisa sustenta o Palmeiras”… 

Sustenta o Palmeiras como? Se o investimento do patrocinador representa apenas 20% das receitas do clube (arredondei pra mais a porcentagem)?  Se com bilheterias o Palmeiras ganha mais do que o valor investido pelo patrocinador? Além disso, a exposição da marca Crefisa na camisa do Palmeiras faz com que ela lucre mais de 1,5 bilhão… Isso é negócio, e negócio bem feito. Não tem ninguém sustentando ninguém, não tem mecenato… Inventem outra.

O patrocínio da Crefisa é muito bom mesmo. Mas é parte equilibrada das receitas do clube. Querer um patrocinador como o do Palmeiras todo mundo quer, mas trabalhar sério, parar de mamar em seus clubes para que esse patrocinador apareça, ninguém está a fim. E, pelo visto, não andam muito a fim nem de ir ao estádio…

Duas rodadas no Paulistão 2018…
PAL  – público pagante: 49.873 / Renda: R$ 2.941.187,46
SPO  – público pagante: 26.318 / Renda:  R$ 752.481,00
COR – Público pagante:  26.970 / Renda: R$  915.767,50
SAN (só jogou uma partida) Público pagante: 5.866 / Renda: R$ 243.530,00

“Ainnn, o fair play financeiro” Assim, o futebol não é disputado de maneira justa”… “o campeonato deixa de ser competitivo”…

Alguma vez você ouviu esses mesmos ‘jornaleiros’ falarem o mesmo, ou qualquer outra coisa semelhante, em relação à distribuição das cotas de TV e a diferença absurdamente maior que é paga para dois clubes?  Em relação ao que alguns clubes recebem da CAIXA?

Viu algum jornalista achar algo errado quando tinha clube lavando dinheiro de crimes de máfia para montar time, contratando como queria, abrindo conta no exterior para atletas receberem “por fora”? A imprensinha endeusava essa parceria, o seu representante era tratado por “Mister”…

Você ouviu falar em  ‘não ser justo com os outros clubes’, quando a FPF contratou um jogador, por US$ 15 milhões, para a doá-lo para um clube paulista?

Quando um clube ganhou um estádio construído com dinheiro público? Quando ele recebeu isenção de milhões de reais em impostos, alguém falou que isso não era justo com os outros clubes, que não era justo com o povo, principalmente?

Falava-se  em tratamento imparcial, modo leal de agir,  quando tinha clube que se classificava por renda e não pelo desempenho em campo?

Você ouviu falar em fair play, ouviu alguém fazer algum comentário maldoso sobre as empresas na época em que alguns contratos de patrocínio pareceram “cair do céu” para alguns clubes?

……………………………………..

………………………..

Algum desses ‘jornaleiros’ falou algo na época dessas notícias? Algum deles viu algo errado em um clube querer receber (achar que ia receber) mais do que os outros todos? Em querer superar números do Palmeiras?

……………………….. 

……………………….. .
………………….

Alguém ouviu falar em ‘fair play financeiro’ nessa época aqui? Ouviu algum “assim, o campeonato deixa de ser competitivo”?

……………………….. 

Não, ninguém ouviu nada disso. E sabe porque você não ouviu, porque nenhum de nós ouviu nada a respeito de “fair play financeiro”, de “campeonato menos competitivos”, de “não ser justo um clube ter receitas tão maiores do que os outros” (mesmo as receitas oriundas de lavagem de dinheiro, de cotas de TV, de banco estatal)?

Porque os que reclamam disso agora são hipócritas. Porque, na época, eram seus times de coração os que tinham vantagens financeiras sobre os demais. Porque,  fair play mesmo, no sentido de jogo limpo, de tratamento imparcial, equidade… quem está devendo, e devendo muito ao futebol, aos torcedores, são eles mesmos, os ‘queridos’ torcedores profissionais de imprensa.

………………

 

Comecinho de Janeiro… segunda-feira… clubes em pré-temporada…  contratações ainda sendo feitas… jogadores fazendo exames médicos… torcedores aguardando o início do Paulistão… o treino de Roger Machado sendo elogiado por um monte de gente… Allione fazendo golaço… e algumas outras notícias já começam a nos chamar a atenção… Vamos dar uma passadinha rapidinha em algumas delas…
…..

“Barcelona contrata o brasileiro Philippe Coutinho, do Liverpool, por 160 milhões de euros( R$622 mi)”.

E lemos sobre isso nos portais, ouvimos as análises da fantástica contratação nos programas esportivos…  Neymar e Coutinho foram as duas mais valiosas contratações do futebol”, se gaba a press.

E nos perguntamos: Essa imprensa, que tanto critica a Crefisa, que acha que “é injusto/desigual com o futebol brasileiro, e com os outros clubes, o Palmeiras ter um patrocinador que invista tão alto”, que acha injusto o Palmeiras ter maior poder de compra do que os demais, é a mesma que acha o máximo um jogador brasileiro ser contratado por 622 milhões pelo Barcelona? (A mesma que não acha nada errado sobre cotas de TV, de valores altíssimos, privilegiarem/sustentarem dois clubes com quase o dobro do valor do que pagam ao Palmeiras – o ‘vilão do patrocínio’ -, por exemplo, e dez, vinte vezes mais do que pagam à maioria dos clubes?)

Ah, tá…

——————————————————————————————————————————————————————————————

“Scarpa entra com ação contra o Fluminense cobrando direitos atrasados e pedindo rescisão”

Segundo as notícias, o Fluminense devia (AINDA!?!) o 13º de 2016 para o jogador Scarpa, devia também 6 meses de direitos de imagem (60% do salário) – pagou rapidinho depois que foi acionado na justiça (e tem quem diga que o jogador é que está errado. Quem gosta de trabalhar sem receber?) -, e a juíza pediu novos documentos, adiou a decisão.

Então… Scarpa – jogador que o Palmeiras andou tentando contratar –  entrou com uma ação contra o seu clube cobrando direitos atrasados e pedindo rescisão, porque não recebe o que foi acordado na contratação. E quantos outros clubes estão devendo também, não é mesmo? Quantos clubes ficaram devendo salários em 2017, 2016, 2015… alguns deles foram até acionados na justiça, alguns jogadores rescindiram seus contratos… Mas o Palmeiras, que se reestruturou financeiramente, e que exatamente por isso, pela administração profissional, pode pagar, e paga, salários em dia,  é que é pintado como o vilão do futebol, não é? Para as administrações amadoras, caloteiras, os ‘imprenseiros’ não têm críticas a fazer.

E, pelo visto,  a tal punição para clube que deve salários para jogador – se é que ela ainda existe, porque nunca pegou nenhum clube caloteiro –  é só ‘de mentirinha’, só ‘enganation’ mesmo…

——————————————————————————————————————————————————————————————

Essa, veio da “Velha Bota”…

E se aqui fosse um parque de diversões, e se essa notícia fosse uma música, eu a ofereceria para alguns ‘jornaleiros tupiniquins’, que diziam que ele era muito melhor do que Gabriel Jesus e tinha muito mais chances de se dar bem na Europa…

“Com recorde de votos, Gabigol é eleito o pior jogador estrangeiro do futebol italiano em 2017”.

Não sei o que houve com Gabigol lá, não sei porque se saiu tão mal, mas não posso deixar de observar… “Sabem tudo” esses jornaleiros daqui, não é mesmo? rsrs


E, para terminar…

“Palmeiras aceita oferta de mais de R$ 45 milhões e vai liberar Mina ao Barça”

Então… Paulo Nobre pagou, do próprio bolso, R$ 12 milhões pelo Mina (que nem era pra vir, porque estava praticamente vendido ao Barça, mas o Mattos deu um jeitinho), ele jogou pra caramba aqui, fez muitos gols, dançou muito nas comemorações, ganhamos título com ele, e agora o Palmeiras vai vendê-lo por mais de R$ 45 milhões (Vai deixar muitas saudades, Mina, seu lindo). E devolverá os mesmos R$ 12 mi ao Paulo Nobre, uma  parcela deve caber ao clube de origem, e o resto é do Verdão.

Ainnn, mas o PN é agiota…”

 

Será que esse PN agiota quer me emprestar uns 3 milhões? Prometo que daqui a 2 anos devolvo os 3 milhões do jeitinho que ele me emprestou.   

….

E vamos em frente… falta pouco.  Dia 18, estreia do Palmeiras no Paulistão,  está logo ali.

Saudações alviverdes e clorofiláticas a todos!

..

 

Época de contratações, dispensas, empréstimos… época de montarmos/melhorarmos o elenco que fará a pré-temporada visando a disputa dos campeonatos que teremos pela frente em 2018.

Chegaram: Marcos Rocha, Diogo Barbosa, Lucas Lima, Weverton e Emerson Santos.

Saíram: Vinícius Silvestre, (emprestado para a PON), Egídio (CRU), Arouca (ATL-MG), Erick (ATL-MG), Roger Guedes (emprestado para o ATL-MG) e Raphael Veiga (emprestado para o ATL-PR) , Zé Roberto (encerrou a carreira).

Voltaram de empréstimo: Arthur, Victor Luís e Allione – esse foi muito bem no Bahia e teve a sua volta pedida pelo nosso novo técnico, Roger Machado.

Melhorou, né?

Além disso, contrariando o que dizia a imprensinha sobre os “4.567.989” jogadores, que voltariam de empréstimo e inchariam o elenco – essas baboseiras todas que a press adora fazer com o Palmeiras -, outras negociações aconteceram e a maioria desses jogadores já tem clube novo para a temporada que vai começar, sem contar os que foram vendidos ou os que já tinham sido emprestados na temporada passada:

Leandro ( foi vendido para Japão)
Gustavo (emprestado para o Santa Cruz)
Matheus Sales (estava no VIT e foi emprestado para o AME-MG)
João Pedro (estava na Chape e foi emprestado para o Bahia)
Fábio – goleiro (vendido para o Taubaté)
Lucas (estava  no FLU e foi emprestado para o VIT)
Tobio (estava no Boca Juniors e foi emprestado ao  Rosario Central-ARG até 30/06/2018)
Robinho (emprestado ao CRU – até 31/12/2019 e não terá mais contrato com o Palmeiras após o término do empréstimo)
Nathan (emprestado ao Servette-SUI até 30/06/2018)
Vitinho  (já tinha se transferido no meio de 2017, por empréstimo, para o Barcelona-ESP até 30/06/2018)
Gabriel Barbosa (emprestado ao SPAL-ITA até 30/06/2018)
Renato (emprestado ao Paysandu-PA  até 30/11/2018)

Além desses, Vagner (goleiro), Lucas Taylor, Matheus Muller, Leandro Almeida, Bruninho, Daniel, Juninho, Patrick Vieira, Gabriel Leite, Kaue, Mouche e Rodolfo tiveram seus contratos de empréstimo encerrados no final da temporada 2017 e deverão ser emprestados novamente nas próximas semanas.

Talvez possamos ter mais alguma contratação, talvez alguns garotos da base sejam integrados ao time de cima…

Por enquanto, o elenco que se apresentará para a pré-temporada está assim:


Prass / Jaílson / Weverton / Fuzato

Marcos Rocha / Myke / Fabiano (que pode sair também)

Mina / Emerson Santos/ Luan / Thiago Martins (tem chances de ir para o Bahia) / Edu Dracena / Juninho / Antonio Carlos

Diogo Barbosa / Victor Luis

Felipe Melo / Thiago Santos / Bruno Henrique / Moisés / Tchê Tchê / Jean / Michel Bastos

Dudu / Guerra / Allione / Lucas Lima /  Hyoran / Keno / William

Borja / Deyverson


Como podemos observar, está tudo tranquilo no Reino de Palestra Italia, não é mesmo? Que comece a nova temporada!

 

….,…………………………………                 

Último dia do ano de 2017… e, como sempre fazemos, nos despedimos do ano que se finda reclamando dele… e colocando todas as nossas expectativas no ano que está chegando…

Em parte isso é bom… começar um novo ciclo (nós é que separamos a coisa assim assim) com esperança, com energia renovada, com bons propósitos, com mais gentileza, com olhos mais amáveis para o mundo, para as pessoas e para nós mesmos, com fé na vida…

Mas será que o ano que passou, apesar dos problemas que enfrentamos, das expectativas que não foram atingidas, foi tão ruim assim? Eu sei,  não precisamos nem conhecer a história das demais pessoas para termos certeza de que cada um de nós teve, pelo menos, um grande dragão a enfrentar em 2017… cada um de nós viveu, na melhor das hipóteses, uma grande dor, ou viu uma pessoa querida vivenciar isso – o que dá na mesma, a dor também é nossa…

Mas 2017 foi só isso? O que doeu? O que não deu certo? O que a gente queria e não obteve? O dragão? A bola que não entrou? O juiz que nos meteu a mão?

Apesar de algumas tristezas, quantas alegrias tivemos… quantas risadas, impossíveis de serem contidas, nós demos… quanta ajuda recebemos, quanta ajuda pudemos dar… quantos beijos e abraços ganhamos, e quantos beijos e abraços nós demos também… a despeito de todas as noites mal dormidas, quantas noites de sono tranquilo e gostoso nós tivemos…

Quantas vezes, quando o mundo nos pareceu tão inóspito, nós pudemos voltar correndo pra casa – e por “casa” podemos entender qualquer lugar, pessoa, momento, onde nos fazemos felizes e pra onde fugimos nos momentos difíceis… pode ser o nosso lar, o teto que nos abriga, a arquibancada do Allianz Parque, pode ser uma pessoa querida, um amigo querido… pode ser um abraço, daqueles que dizem tudo em silêncio…

“Casa” pode ser uma partida de futebol, pode ser um momento… de um gol no último minuto e a sensação de que ganhamos a vida de novo….  de uma virada de jogo, no Uruguai, e nós nos sentindo (pela enésima vez na vida) como se “nunca” tivéssemos sido tão felizes antes…

Vamos para 2018 agora,  e vamos com as bagagens que preparamos em 2017…

Somos nós que escolhemos o que levar, nós decidimos se vamos levar conosco o que doeu, o que não deu certo, se vamos levar o dragão… ou se vamos levar conosco termos aprendido a rir de nossos problemas… se vamos levar conosco a esperança, a chance de fazer melhor da próxima vez, e que bom que existam próximas vezes… somos nós que levaremos os amigos que moraram em nosso coração o ano inteiro, as pessoas que temos certeza que nos querem bem, as que nós queremos bem… vamos levar o entendimento, conseguido à duras penas, de que cada um tem o seu caminho, a sua sorte… e que nem sempre as coisas serão do jeito que a gente quer, e temos que lidar com isso…

Somos nós quem decidiremos levar as vozes, os sorrisos e os olhares que já não vemos há tanto tempo… levar as nossas “roupas”, que nos mostram aos demais do jeitinho que somos, sem nenhum outro artifício…

Tá quase na hora… faça a sua “mala”. E não se esqueça de levar tudo o que te fez feliz, o que te fez melhor, te fez crescer… Leve o aprendizado que 2017 te deu, as coisas que ele colocou diante de você para aprender a ter que encarar… leve a coragem com que você enfrentou os obstáculos que a vida colocou em seu caminho… leve as lembranças dos momentos felizes com as pessoas que não estão mais por perto… as alegrias divididas com as que estão pertinho… leve a força que te fez chegar até aqui… leve a sua capacidade de trabalhar e de ir buscar o que você quer… leve a sua capacidade de sonhar… leve a esperança – ela tem certeza que você viverá muito momentos maravilhosos no novo ano… leve a paciência também – ela pode ser usada em qualquer estação do ano…  leve os amigos que continuaram amigos mesmo quando não precisavam da sua ajuda… leve as pessoas que você ama…  leve o seu melhor sorriso… leve seu coração em paz…

Leve os gols do Duduzinho, do Willian, do Keno… as defesas do Prass, do Jaílson… leve a garra do Felipe Melo, os desarmes do Mina, do Dracena, do Tche Tche,  do Thiago Santos, os lançamentos do Guerra… os gritos de gol,  a alegria e sons da Que Canta e Vibra..

Leve tudo o que deu certo, e leve também o que você aprendeu com o que deu errado… o resto, pode deixar em 2017 mesmo… você não vai precisar mais.

Ah, e não esqueça, de jeito nenhum, de levar o que aquece e faz vibrar teu coração o ano inteiro, o que te move e conduz 365 dias em cada ano… e que talvez seja a lição mais bonita que a vida nos deu… o orgulho e o amor, incondicional, ao Palmeiras!!

E boooora pra 2018, parmerada!!! Vai começar tudo outra vez!!!

UM FELIZ E VERDE ANO NOVO A TODOS!! MUITA LUZ, ALEGRIAS E PAlMEIRAS CAMPEÃO EM 2018!!.

……………         …………….     

 

O ano ainda não acabou e o Palmeiras já deu uma reforçada em seu elenco para a temporada 2018… 

Chegaram cinco novos jogadores. Um lateral-direito, um lateral-esquerdo (posições onde tínhamos carências), um goleiro, um zagueiro e um meia (reza a lenda que pode vir mais gente por aí. Aguardemos). São eles:
…..

Resultado de imagem para marcos rocha no palmeiras Marcos Luís Rocha Aquino, 29 anos, lateral-direito, que atuava pelo Atlético Mineiro e veio para o Palmeiras numa troca, por empréstimo de um ano, com o atacante Róger Guedes.

Títulos:

  • Copa Libertadores da América 2013 (ATL-MG)
  • Recopa Sul-Americana 2014 (ATL-MG)
  • Copa do Brasil 2014 (ATL-MG)
  • Campeonato Mineiro 2012, 2013, 2015 e 2017
  • Florida Cup 2016
  • Super clássico das Américas 2012, com a Seleção Brasileira

Prêmios individuais: Bola de Prata 2012 e 2014;  Seleção do Brasileirão 2012/2013/2014/2015; Melhor Lateral-Direito do Campeonato Mineiro 2010/2011/2-16/2017

 

 Diogo Barbosa Mendanha, 25 anos, lateral-esquerdo, que atuava pelo Cruzeiro.

Título:

  • Copa do Brasil 2017 (CRU)

Prêmios individuais: Foi eleito para a seleção do Campeonato Carioca 2016, como o melhor jogador em sua posição; Seleção do Campeonato Mineiro 2017.

 

Weverton Weverton Pereira da Silva, 30 anos, goleiro, que atuava pelo Atlético-PR.

Títulos:

– Campeonato Série B 2008, (COR, seu primeiro clube como profissional)

  • Campeonato Paulista do Interior 2010 (BOT)
  • Campeonato Série B 2011 (Portuguesa)
  • Marbella Cup 2013 (ATL-PR)
  • Campeonato Paranaense 2016 (ATL-PR)
Pela Seleção Brasileira:
Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos 2016 (a primeira conquistada pelo Brasil)

 

 Emerson Raymundo Santos, 22 anos, zagueiro, que atuava pelo Botafogo. Ele já tinha pré-contrato assinado com o Palmeiras desde Agosto.

Começou no profissional em 2015, e participou da campanha que trouxe o Botafogo de volta à Série A.

 

 Lucas Rafael Araújo Lima, 27 anos, meia ou ponta-esquerda, que atuava pelo Santos.

Títulos:

  • Campeonato Paulista 2015 e 2016

Prêmios Individuais:  Melhor meio-campista do Campeonato Pernambucano 2013; Melhor jogador do Campeonato Brasileiro Série B 2013; Seleção do Campeonato Paulista 2015/2016; Melhor jogador da Copa do Brasil 2015; Craque da galera do Campeonato Paulista 2016

…..

Então… Marcos Rocha, Diogo Barbosa, Lucas Lima, Weverton e Emerson Santos… Bons jogadores contratados, sem a ajuda da Crefisa e gastando pouco – três dessas contratações custarão aos cofres palestrinos somente as luvas e os salários.

Ainnn, mas sem a Crefisa o Palmeiras não contrata ninguém…
Ainnn, mas o Mattos gasta muito dinheiro…

Pelo visto, a  Fofox, a Espn e os ‘administradores de cartola’ vão ter que inventar novos mimimis para 2018… 😉