.

.

Não bastasse a baderna, a “reunião de condomínio” dentro de campo, a partida interrompida por 13 minutos para, ilegalmente, se  anular um gol ilegal do Fluminense, no Fla x Flu – e não anular um gol ilegal do Flamengo na mesma partida…

Não bastasse a súmula dessa partida, cheia de coisas estranhas, ter sido entregue pelo árbitro Sandro Meira Ricci apenas no dia seguinte, e sem a explicação sobre a confusão…

Não bastasse a participação da imprensinha fazendo parecer normal o uso de interferência externa – proibido pela Fifa -, fazendo de conta que a reclamação/escândalo  era pela anulação de um gol ilegal em si, e não por conta da ILEGALIDADE DA ANULAÇÃO – o autor do comentário abaixo não foi o único…

gambazek-fazendo-a-egipcia1

 

Não bastasse essa baderna toda, esse blá blá blá, apareceu o Figueirense querendo anular a partida em que foi derrotado pelo Palmeiras. Como se na partida tivesse havido qualquer coisa para legitimar a sua anulação.

E ficamos nos perguntando: O pessoal do Figueirense está doido, ou o quê? Esse “o quê” nos fez imaginar muitas coisas, até mesmo que ele pudesse estar a serviço de “alguém” que tivesse muito interesse em que a partida do líder fosse anulada…

Ok, já sabemos que o STJD rejeitou o pedido, e nem poderia ser diferente. Mas imagina se a imprensinha, tão “isenta” e “imparcial”, não ia fazer um veneno, não ia tentar plantar uma ‘ideiazinha’ na cabeça dos torcedores…

uol-sacana

A decisão do presidente do STJD  de não aceitar o pedido do Figueirense se deu pela inconsistência do pedido, e só por isso – e o presidente do tribunal poderia ter trabalhado em qualquer lugar do mundo, até aqui na minha casa, que não seria diferente. Sem a justificativa pertinente, sem o erro de direito, é impossível, até mesmo para o STJD (que salva o FluminenC e o Flamengo do descenso, rebaixando a Lusa) anular uma partida.

Mas eu já disse lá em cima que sabemos que essa ‘presepada’, protagonizada pelo Figueirense (quem diria que ele se prestaria a isso?), não deu em nada…

Porém, existem algumas considerações a serem feitas e algumas coisas a ficarem registradas…

O Figueirense resolveu pedir a anulação da partida, e a petição foi feita por um advogado da OAB……….. do RJ!!

advogado-carioca6

“Maoeeeeee”, diria Silvio Santos…

Tentemos entender a situação, raciocinarmos sobre ela, sem prestarmos atenção ao “cheirinho” estranho que isso exala… Talvez, não existam advogados em SC com conhecimentos em direito desportivo… Talvez, o advogado do Figueirense seja um dos que não entendam nada sobre isso… Talvez, o advogado da OAB-RJ seja uma sumidade no assunto e, por esse motivo, tenha sido contratado…

advogado-carioca

Ele diz que está descrente com o futebol brasileiro, mas redigiu e assinou um pedido de anulação de uma partida sem que tivesse ocorrido qualquer coisa nessa partida para justificar esse pedido? Sem um erro de direito, de verdade? Por um lateral que, dependendo do ângulo visto, ninguém pode cravar se a bola pingou fora ou dentro do campo? Então, né? Se essa partida fosse anulada, o futebol ficaria mais desacreditado ainda…

advogado-carioca1

O futebol precisa de uma limpa, diz ele – e eu concordo – mas era ele mesmo quem orientava, instruía o Figueirense, quem redigia uma petição para que o clube catarinense conseguisse anular um resultado sem um argumento legítimo? Não houve erro de direito nenhum na partida – e foi por isso que o STJD rejeitou o pedido.

Sem comentários para a declaração abaixo…

advogado-carioca2

advogado-carioca-lusagate

Falou-se muito em “erro de fato” e “erro de direito” nesses últimos dias – eu já citei isso na postagem algumas vezes -, mas o que essas expressões querem dizer?

Não sou advogada, nem especialista em legislação desportiva, mas sei que erro de fato é o tipo de erro que ocorre quando um árbitro, conhecedor das regras de futebol, interpreta um lance de maneira equivocada. Como, por exemplo, o gol impedido do Flamengo, no Fla x Flu – o do Fluminense também. O jogador impedido, valendo-se da posição de impedimento, atrapalha o goleiro, a visão do goleiro, quando a bola é alçada e também durante o trajeto da mesma. O juiz  sabe que isso não é permitido (seus auxiliares também), mas errou ao validar o gol, seja por não ter visto o lance, ou por ter entendido de outra forma o que viu. E assim pode ocorrer também quando um árbitro interpreta que em um lance não houve pênalti ou que não houve uma falta em uma jogada, pode ocorrer quando ele se equivoca na identificação de um jogador e acaba expulsando o jogador errado, que não cometeu falta alguma…

O erro de direito, que justificaria uma anulação de partida, seria o juiz errar porque desconhece a regra ou porque a aplica de maneira equivocada. Por exemplo, ele anula, invalida um gol olímpico, por achar que dessa maneira o gol não seja lícito, ou ele valida um gol feito após uma cobrança de pênalti onde a bola bate na trave e volta para o mesmo jogador, que faz o gol. Isso não é permitido, mas o árbitro achava que era. Em casos como esses, onde existiu um “erro de direito”, a partida pode vir a ser anulada.

A legislação desportiva prevê a possibilidade de anulação de partida quando ocorrer, comprovadamente, erro de direito, ou então algum comportamento também comprovado de alguém que agiu de forma atentatória à dignidade do desporto, agiu de má-fé, com o objetivo de alterar o resultado da competição, como, por exemplo, o suborno de árbitro, auxiliares, goleiro, etc. Mas, por erro de fato, não tem como se anular uma partida (Já pensou se o Palmeiras pudesse anular todas as partidas em que erros de arbitragem lhe subtraíram pontos importantes?).

E parece que o advogado do pedido de anulação da partida entre Figueirense e Palmeiras sabe muito bem que “erros de fato” não anulam partidas, não é mesmo?

advogado-carioca5

 

Sim,  não daria em nada querer anular o jogo entre Vasco e Flamengo por um erro de fato. Então, por que ele fez a tal petição agora, querendo anular o jogo entre Figueirense e Palmeiras, se baseando numa cobrança de lateral, onde a bola supostamente tenha pingado fora? Isso não é erro de direito. Por que será que o advogado não disse aos dirigentes do Figueirense que não havia nada que sustentasse esse pedido? E, se disse, por que será que levaram isso adiante?

advogado-carioca-lavajato-e-futebol

Nós não sabemos o porquê de muitas coisas, não sabemos se alguém alimentou/incentivou o Figueirense nessa empreitada ridícula; não sabemos se os dirigentes do time catarinense foram apenas bobinhos e irresponsáveis ou se fizeram um favor para alguém; se o advogado, mesmo sabendo  da inutilidade do pedido feito ao STJD, apenas atendeu à vontade do seu cliente, ou se todos  contavam com o fato de o “futebol ser muito, mas muito pior que a Lava-jato”… não podemos afirmar nada, só podemos pensar, imaginar, questionar… talvez, nosso olfato nos engane… mas ficou um ‘cheirinho’ estranho no ar, você não acha?

 

P.S.- Os prints dos tweets me foram enviados pelo amigo Wellington Bortolotti (@wbortolotti). Grazie, caro.

 

 

 

Eu não falo pra você que foi pouco o 7 x 1 da Alemanha pra cima desse futebol brasileiro esculhambado, dessa CBF envolvida em corrupção (o FBI já prendeu um dirigente por corrupção, e tem mais gente da CBF na mira), de campeonatos de cartas marcadas, de favorecimentos pra uns e prejuízos e perseguição pra outros?

Não falo pra você que o STJD é um tribunal de ocasião, que, de justiça não tem nada, e usa dois livros de regras, “dois-pesos-e-duas-medidas”, para punir clubes e jogadores de acordo com a “cor das trancinhas” dos envolvidos?

Não falo que, na imprensinha,  está cheio de gente sem um pingo de vergonha na fuça, que não tem o menor pudor de fazer jornalismo (??) como se fosse torcedor numa arquibancada?

Então…

Depois da vitória do Palmeiras em cima do FluminenC (o clube queridinho do João Havelange e dos promotores da Justiça Desportiva), o  STJD (o mesmo tribunal que montou um teatro, em 2013, para rebaixar a Portuguesa, tirar o FluminenC da série B e salvar o Flamengo do descenso, e cuja corregedoria, agora, investiga o seu Procurador-Geral, Paulo Schmitt, por denúncia de armações nos julgamentos, em favor da CBF) denunciou o técnico Cuca e mais três profissionais do Palmeiras pelo uso de ponto eletrônico durante a partida. Detalhe, denunciou por muita insistência de, André Hernan, um repórter do SporTV (leia-se rgt).

“Ah, mas o uso do ponto eletrônico é proibido”, “a comunicação externa é proibida”,  dirão alguns. Sim, isso é proibido, e há muitos anos. No entanto, a comunicação externa continua acontecendo normal e abertamente, com ponto ou com outros artifícios também, principalmente, quando um técnico, por expulsão, está fora de uma partida.

Pois bem… Cuca tinha sido expulso diante da Ponte Preta  (por ter socado o ar em sinal de protesto quando o juiz marcou uma falta do Palmeiras – expulsão mandrake… Cuca nem se dirigiu ao árbitro, e estava certo em se aborrecer, a tal falta não existiu). Assim, ele não pôde comandar o Palmeiras diante do FluminenC e assistiu ao jogo no camarote, mas, segundo a denúncia do repórter do SporTV, ele e seu substituto se comunicaram através de um ponto eletrônico.

Cuca nega ter usado qualquer coisa, e reclama da perseguição que está sofrendo por parte da imprensa (até ele, que acabou de chegar, já sabe como é “que a banda  toca” em relação ao Palmeiras)…

O repórter do SporTV e a emissora “mãe” não sossegaram enquanto não conseguiram que o STJD (serviçal da CBF, que, segundo o ex-jogador Alex, é apenas um escritório da rgt) denunciasse o palmeirense. Mais uma vez, a imprensa esportiva (a rgt) sai da sua esfera de trabalho usual e se empenha na denúncia de um profissional do Palmeiras – se fosse mesmo da sua competência, deveria fazer igual em todas as situações, mas a press não faz o mesmo com os profissionais de outros clubes, não há uma enxurrada de notícias sobre os “delitos” de alguns clubes e jogadores, nem sobre o estádio citado na Lava-jato, o diretor preso por receber propina, o jogador que toma todas, os salários muito atrasados em alguns clubes, as declarações desastrosas de jogadores sobre dirigentes… No Palmeiras, até as vagas no estacionamento, ou a quantidade de atletas que o clube contrata, viram notícias negativas.

Eu sei que a um repórter de campo cabe reportar os fatos de uma partida, no entanto, reportar os fatos de um time e não reportar os de outros, reportar os supostos delitos de uns e fazer de conta que não viu os de outros, exagerar no ato de “reportar”, não é trabalho de repórter – de um bom repórter – nem aqui e nem na China, ou no Chile, que é de onde vem o “meio-quilo” platinado – e há quem o parabenize ainda. Dá a impressão que a intenção é só a de atrapalhar o trabalho de um clube e seus profissionais.

E porque a imprensa tem agido assim, com essa ética e profissionalismo  seletivos , e porque o tribunal julga e denuncia de acordo com a “cor das trancinhas”, é que achamos que imprensa e tribunal perseguem mesmo os profissionais do Palmeiras.

É fácil sabermos se temos razão, caro leitor.

Façamos um teste. Tente encontrar as matérias sobre as denúncias que o STJD fez, e as punições que ele aplicou para esses técnicos das imagens abaixo, que também se utilizaram de recursos eletrônicos proibidos.

Ponto-eletrônico-Tite1Ponto-eletrônico-Dorivalrecurso-eletrônico-Dorivalrecurso-eletrônico-MO1recurso-eletrônico-MO

Encontrou? Não????  O STJD não denunciou nenhum desses técnicos pelo uso do proibido recurso eletrônico? Nenhum deles foi punido? Só tem denúncia para o Cuca? Se o tribunal não denunciou esses, por que então denuncia os profissionais do Palmeiras se a infração é a mesma? Pra que serve uma Justiça Desportiva que não faz justiça?

Continuemos, procure as matérias da rgt dando total enfoque nisso (duas vezes numa mesma página, por exemplo), procura as insistentes denúncias do “profissionalíssimo” “repórti” do SporTV, sobre os recursos ilícitos dos quais fizeram uso o Tite, o Dorival, o Marcelo Oliveira (muito mais gente se utiliza do ponto); procura a edição do rgt Esporte em que essas imagens foram mostradas com muito destaque, como fizeram agora com o Cuca; procura o jornal matinal, da mesma emissora, com notícias sobre o uso do ponto de Tite, Dorival, Marcelo Oliveira…

Achou? Não? A rgt não deu enorme destaque pra isso? Nem o “meio-quilo platinado” se esforçou pra denunciar esses técnicos? Por que com eles a coisa é diferente, se o uso foi ainda mais acintoso?

Bem, já que você está com a mão na massa, leitor, tenta então encontrar a denúncia e a punição recebida pelo preparador de goleiro do Santos, que, na semifinal do Paulistão 2016, entrou em campo com um recurso eletrônico proibido, para ajudar o seu goleiro a saber como defender as cobranças dos jogadores que o Palmeiras indicara para os pênaltis, (o do Santos pôde entrar em campo, e com um recurso ilícito, enquanto que o preparador do Palmeiras FOI PROIBIDO DE ENTRAR EM CAMPO para preparar o Prass).

Procura também notícias que mostrem o quanto a imprensinha se dedicou e se esforçou no afã de denunciar o Tite, no alambrado do Pacaembu, atrás do banco de reservas do seu time,  passando instruções para alguém da comissão técnica, depois de ter sido expulso num jogo diante do Vasco.

Punição-do-Cuca3

Ah, só mais uma coisinha, tente encontrar as denúncias e as punições do STJD para Marcelo Fernandes, técnico do Santos  em 2015,  e para os seus auxiliares, numa ocasião em que ele estava suspenso (Maio/2015) e ficou numa cabine ao lado do banco de reservas, quando abriram até um buraco no acrílico pra ele poder se comunicar com os auxiliares.

Punição-do-Cuca1

Punição-do-Cuca2

E então? Achou alguma coisa? Não? O STJD não puniu o preparador de goleiros do Santos pelo dispositivo eletrônico em campo? Também não puniu o técnico santista e os demais profissionais da comissão técnica do Santos?  E por que será que não o fez, né?  A mesma coisa com a imprensinha e seu “repórti”? Não se empenharam em denunciar esses casos?

É…  eu sabia mesmo que você não ia encontrar nada… e sabe por que eu sabia? Porque não há denúncia, punição e “empenho jornalístico” quando os profissionais são de outros clubes; porque, aqui, no Brasil, é uma mutreta só; aqui, se pune clubes e seus profissionais com dois-pesos-e-duas-medidas. Para alguns pode tudo, para outros (para o Palmeiras) tudo é proibido; para uns (Palmeiras, Verdão, Alviverde…), as regras devem ser cumpridas à risca, enquanto que, para outros, elas podem ser burladas o tempo todo e de todas as maneiras.

Mesmo com as imagens escandalosas, com pontos visíveis e rádio na cintura, o STJD não denunciou o Tite, nem o Dorival, tampouco o fez com Marcelo Oliveira. E sabe por que? Porque esses técnicos não trabalhavam no Palmeiras.

O STJD pune quem ele quer, quando quer, com a cara de pau de inventar até punições exclusivas para alguns (remember o “mas o Valdivia sorriu”, do Schmidt?).

As TVs, por sua vez, colocam holofotes nas infrações de um, e “apagam as luzes” e “desligam microfones” nas infrações de outros.

Já os “geornalistas” e “repórtis” também sabem ser “profissionais” só quando lhes convêm. O Gambazek, que parabeniza agora o repórter pelo empenho em denunciar o Cuca, em outra ocasião, dedurou Valdivia ao STJD, instigou o tribunal contra ele,  por forçar um terceiro cartão, só que esse “jornalista” NUNCA dedurou nenhum outro jogador, dos muitos  que fizeram e continuam fazendo o mesmo, principalmente, os do time para o qual ele torce – algumas semanas antes do cartão forçado pelo Mago, teve um cartão forçado por Paulinho, do COR, e pergunta se o jornalista falou algo contra isso? Quer mais prova de que ele não agiu com profissionalismo com o jogador do Palmeiras e foi apenas um torcedor rival?

A mesma coisa acontece com  o tal “repórti”, que, em suas entrevistas, abusa de provocar e ironizar os jogadores de alguns times (os do Palmeiras principalmente) enquanto banca o camarada com os demais, mesmo que tenha assunto mais polêmico pipocando na ocasião. No caso do ponto usado por Cuca, ele fez questão de dizer, todo orgulhoso,  que “fez uma espécie de força tarefa para denunciar”. Veja bem, ele não se preocupou em apenas reportar os fatos, ele se esforçou, fez uma força-tarefa para denunciar. Mas não fez o mesmo , não fez uma força-tarefa para denunciar o Tite, por exemplo, ou Dorival, Marcelo Oliveira. Que grande “profiçionau” ele é, você não acha?

Não me importo nem um pouco com as punições, desde que elas sejam aplicadas igualmente para todos os clubes e profissionais. Só que não é isso o que acontece aqui. O STJD prejudica quem ele bem entende e alivia pra quem ele bem entende também. Já passou da hora de acabarem com ele.

Espero que o Departamento Jurídico do Palmeiras não aceite essa denúncia e punição seletiva do STJD, esse vergonhoso “minha mãe mandou punir esse daqui” do tribunal, que não se cansa de prejudicar o Palmeiras, enquanto é bonzinho com os demais. Que o Palmeiras acione a Fifa, se preciso for, para provar que o STJD é um atraso. Só serve aos interesses da CBF, e de justiça ele não tem nada.

Ah, e quanto à emissora… ASSINA LOGO COM O ESPORTE INTERATIVO, PALMEIRAS! CORRA O RISCO, E MANDA ESSA RGT E SEUS “PROFIÇIONAIS” PRA PONTE QUE CAIU!!

Nós vamos aplaudir… de pé!

SEGUNDA PARTE – Perseguição e Xenofobia

A picaretagem contra o Palmeiras é constante… E a perseguição a Valdivia também! Sim, há perseguição a Valdivia; por parte das arbitragens, da imprensa, dos “Arnaldos” todos, e parece, que do tribunal também. E ela é tão exagerada, que fica com um baita ‘carão’ de xenofobia, xenofobia a estrangeiros palestrinos (se fosse um estrangeiro que jogasse em outro clube, seria endeusado)…

O chileno (a imprensinha o chama assim; Guerrero, por exemplo, não é chamado de peruano), que leva PUNIÇÃO INÉDITA NO BRASIL (inventada pelo tribunal), por forçar um terceiro cartão amarelo e, pasme, por sorrir, pode apanhar de todas as maneiras possíveis, com a permissão dos árbitros, e com o silêncio da imprensinha. Ele pode sair de campo de nariz quebrado, de olho roxo e boca cortada, sem que nenhum jogador adversário seja punido, ele pode apanhar em campo, de tudo quanto é jeito, ser caçado, e a imprensinha diz que ele é culpado, provoca, é cai-cai (essa, inventaram isso na Platinada) e o STJD NÃO FAZ P%@#RRA NENHUMA com os seus agressores, muito pelo contrário.

 valdivia_pe1

WilliamAgrideValdivia

Ceni-tapa-em-Valdivia

AgressãoEmValdivia-SandroGoiano

AgressãoAoMago

Valdivia-carrinho-de-Ibson

JorgeVagner-agride-Valdivia

Veja  o vídeo dessa agressão de Jorge Wagner em Valdivia, que o STJD NUNCA VIU (vê aí, Ximit):

Agressão de Gavillan (GRE) em Valdivia:

Agressão de Lúcio (SPO) em Valdivia:

AgressãoEmValdivia-RCeniChuta

Rogério Ceni tenta chutar Valdivia e acerta Alan Kardec:

 

E Valdivia é sempre punido por infrações que deixam (o STJD deixa) outros jogadores impunes:

gancho-Valdivia

A súmula do árbitro Wilton Pereira Sampaio continha xingamentos do Mago depois da expulsão: “Você é um filho da p…”, repetido por três vezes. Ele poderia pegar um gancho de até 18 jogos e pegou 2.

POR QUE SERÁ QUE, NA VISÃO DO STJD, DEPENDENDO DA CAMISA DO JOGADOR, OUTROS XINGAMENTOS, MAIS GRAVES, NÃO FORAM PASSÍVEIS DE GANCHO?

Sheik-pena-social

LuísFabiano-pena-social

“Porra, marca uma só, seu merda. Tá inventando desde o início, é muito fraco. Seu filho da puta. Você é um viado. Dá vontade de meter um soco na tua cara, seu vagabundo. Te encher de pancada.” Essas foram as palavras que Luís Fabiano disse a Elmo Resende Cunha. Ele recebeu pena social, e Valdivia gancho de duas partidas. O São Paulo não perdeu o seu jogador, e o Palmeiras sim.

Um “Você é um filho da puta” resulta em dois jogos de gancho, e um “… seu merda… Seu filho da puta. Você é um viado, Dá vontade de meter um soco na tua cara seu vagabundo. Te encher de pancada”, resulta em pena social. É impressão minha ou o tribunal tá com picaretagem pra cima do Palmeiras, pra cima do Valdivia?

O STJD pode julgar e punir Valdivia, e quaisquer jogadores palestrinos, em todas as vezes em que eles merecerem, claro, imagina se íamos querer ter algum tipo de privilégio? MAS O STJD DEVE JULGAR E PUNIR VALDIVIA, E QUALQUER OUTRO JOGADOR DO PALMEIRAS, COM ISENÇÃO, E COM AS MESMAS REGRAS QUE JULGA E PUNE OS JOGADORES DOS OUTROS CLUBES. Assim é honesto, assim se faz justiça. Qualquer coisa diferente disso vai ficar parecendo arranjo de bastidores, acertos por fora, parcialidade, falta de honestidade… E eu acho que os promotores  não são desonestos, são, Ximit?

Vejamos alguns exemplos – existem muitos outros – de como é que o STJD pune as agressões cometidas pelos jogadores de outros times, que têm trancinhas nas cores que os promotores gostam, e da diferença que ele faz quando é jogador do Palmeiras, quando é o Valdivia (o favorito dos ‘justiceiros’).

EMERSON SHEIK (CORINTHIANS)

Esse pisão de Emerson (ou seria Márcio?) Sheik no pescoço do jogador do Avaí foi punido com um jogo de gancho. Os “justiceiros desportivos” decidiram que essa agressão não era agressão, era ato hostil… hmmmm… Mas que caras-de-pau!

Sheik-pena-agressão

__________________________________________________________

MICHEL BASTOS (SÃO PAULO)

Michel-BastosMichelBastos-chuta-rosto-adversário

MichelBastos-chuta-rosto-adversário1

Michel-Bastos-liberado

Michel-Bastos-pena

Mais um que agrediu o seu adversário, chutou o seu rosto (já tinha chutado o peito antes) , e os promotores o julgaram em “ato hostil”. E a imprensinha diz que foi uma “suposta” agressão… ah, tá!

__________________________________________________________

WALLACE (CORINTHIANS)

Wallace-pisa-Barcos

 

Wallace-denunciado

Veja que “bonzinho” (vigarista?) o STJD… adiou o julgamento do agressor para que ele pudesse jogar  contra o Sport.

Wallace-absolvido

 

O mais “sensacional” é o parecer do relator. Leia com atenção.

Wallace-parecer-relatorWallace-parecer-relator

Barcos estava no chão, o tempo todo. Wallace, nem estava no lance, não disputava a bola com Barcos, o que é um agravante, e precisou dar alguns passos até chegar onde estava o palmeirense caído e pisá-lo. Foi até lá pra isso, para pisar o jogador do Palmeiras! E ainda assim foi absolvido pelo STJD. O mesmo STJD que quer condenar Valdivia e lhe dar vários jogos de gancho.  Não faz sentido, tem algo estranho nisso tudo. Se é passível de absolvição pra uns, tem que ser para o outro.

Wallace1

Wallace2

 

________________________________________________________________

E o caso mais significativo de todos, prova cabal de que se Valdivia for julgado no artigo de agressão e for punido… aí teeem!

 

DAGOBERTO (SÃO PAULO)

Pisar adversário é agressão, né Ximit? E você disse que a pena é de 4 a 12 jogos. Então, o Dagoberto, na melhor das hipóteses, pegou quatro jogos, certo?

Dagoberto-sequência4

 

Errado!! Ele foi absolvido pelo STJD (em dois julgamentos), e POR UNANIMIDADE! E a denúncia só ocorreu, uns sessenta dias depois, porque houve uma grande manifestação na internet… senão, nem denunciado ele seria. Mas que coisa, hein Ximit? “Ceis” não tem vergonha na cara não?

E vejam a sequência do lance. Ele fez uma falta dura, por trás, o cara caiu e Dagoberto foi até ele, para pisá-lo.

Dagoberto-pisa-adversário

 

Dagoberto-Absolvido

E a única diferença entre os casos mostrados por mim aqui, além da maior quantidade de maldade e de intenção de machucar dos outros, é a camisa que Valdivia veste, e é o fato dele não ser brasileiro (essa é a impressão que tenho)…

Os campeonatos se tornam disputas de cartas cada vez mais marcadas.

Ou o Palmeiras toma providência urgentes para acabar com isso, ainda que seja preciso ir à FIFA, à Justiça Comum, ou a coisa vai ficar cada vez pior para o Palmeiras, enquanto melhora consideravelmente para os outros.

STJD-vergonha

PRIMEIRA PARTE – A perseguição ao Palmeiras

Já não bastam as arbitragens, prejudicando o Palmeiras em muitas partidas, lhe tomando pontos importantes e posições melhores na tabela – contra FluminenC e Flamengo foi um abuso – e ainda vem, SEMPRE VEM, o Sacana Tribunal de Justiceiros Desportivos querer lhe prejudicar ainda mais?

Dois dias após a partida contra o Flamengo, quando o árbitro Anderson Daronco – “sorteado” para dois jogos seguidos do time carioca, hmmm – operou o Palmeiras, sem anestesia, Valdivia, expulso na partida por ter pisado um adversário após uma disputa de bola, foi denunciado pelo STJD por agressão (agora, você  pode fazer a denúncia, né, Ximit? Mas a do Petros irregular…).

Não tenho reclamação sobre a expulsão, que foi justa, Valdivia cometeu uma estupidez tremenda; também não reclamo da denúncia, ainda que ache uma picaretagem do tribunal querer punir de novo jogadores que foram expulsos e, portanto, já foram punidos – principalmente quando isso é feito de maneira tão “seletiva”.

Um julgamento só deveria acontecer nos casos em que uma expulsão não é punição suficiente, quando a infração foi cometida com muita violência e maldade, quando trouxe um prejuízo físico ao adversário, o impediu de continuar na partida… e isso não aconteceu. O vídeo mostra com clareza que Valdivia não quis realmente machucar, e não machucou, o adversário, e que ele, adversário, fez uma encenação absurda, encenação, que, segundo a Fifa, também tem que ser punida – Rivaldo fez isso na Copa de 2002 e até se livrou da punição, só que  o Brasil não se livrou de uma multa.  Mas já que o  STJD alega que é preciso julgar  todas as faltas que possam ser enquadradas em ato hostil ou agressão, que seja – pena que, dentre todas as infrações, ele decida no “minha mãe mandou bater nesse daqui” quem será denunciado e/ou punido.

E já pensou se o STJD trabalhasse em todos os casos com a mesma rapidez, disposição e rigor com que trabalha quando há possibilidade de se punir o Palmeiras e os seus atletas? Certamente o Corinthians já teria sido denunciado pela utilização do Petros em condição irregular (o tribunal tá enrolando, descaradamente)… o segundo julgamento do Fred (já aconteceu?), que tá de “efeito suspensivo” faz tempo, já teria acontecido… E outros “agressores” famosos teriam recebido pesadas punições…

Já pensou também se a imprensinha fizesse o mesmo “massacre”, que faz agora – e sempre – com Valdivia (e todos os jogadores mais talentosos do Palmeiras), com todos os outros protagonistas de lances hostis e agressões? O que seria do Fred, Petros, Guerrero, Sheik, Luís Fabiano, Chicão (até o Neymar em outros tempos)…? Mas, assim como o STJD, a imprensinha também faz vistas grossas pra muita coisa. Acho isso uma sacanagem.

E acho sacanagem também, quando nem todas as agressões são denunciadas pelo tribunal, ou quando nem todas as agressões denunciadas recebem punições… quando até o gandula palmeirense é denunciado, e ameaçado com 180 dias de suspensão,  por  “tentar favorecer o clube” ao repor a bola rapidamente – como se nenhum outro gandula do país fizesse o mesmo -, e a denúncia do Petros, irregular, que é muito mais grave, Paulo Schmitt não faz.   Essa, é mais uma prova da perseguição que fazem com o Palmeiras. Nem o gandula escapa.

É sacanagem também, quando você vê que duas agressões a um árbitro, como ocorreu com Petros e Guerrero (COR), viram “trombadas”, “choque inevitável”, e acabam em uma punição de três partidas para o primeiro e absolvição para o segundo (e o Mendieta, por muito menos, já pegou 4 jogos de gancho), é sacanagem quando um monte de outras agressões, ainda piores, “viram” ato hostil e dão em nada no tribunal.

E a sacanagem salta aos nossos olhos quando vemos que Valdivia foi denunciado dois dias depois do jogo em que foi expulso, e o mesmo STJD que alivia pra um monte de gente que agride árbitros, pisa pescoço, pisa mão, pisa perna… o ameaça com doze jogos de punição ou, no mínimo, quatro (agredir árbitro pode, STJD?). Ah, essa camisa do Palmeiras, tão detestada pelos justiceiros desportivos… ah, esse Valdivia, que joga no Palmeiras, e é estrangeiro…

Lembra dessa agressão aqui, na final da Copa do Brasil 2012?  O país inteiro viu! Menos a imprensinha, os torcedores do Choritiba e o STJD. E o que aconteceu? NADA! Não houve expulsão – o juiz nem marcou falta -, a imprensa se omitiu, e, dois anos depois, O TRIBUNAL AINDA NÃO DENUNCIOU WILLIAM DO CORITIBA… Por que, para o STJD, Valdivia pode ser agredido?

WilliamAgrideValdivia

Pelo que estamos acompanhando nos últimos anos, no futebol brasileiro o critério para se julgar e punir não segue o livro de regras, mas sim a vontade dos ‘justiceiros desportivos’ de punir determinados clubes e jogadores, ou a vontade imensa de deixar de fazê-lo quando bem entendem, quando as “cores das trancinhas” são as do clube de coração dos ‘justiceiros’.

Um jogador do Palmeiras tem a sua mão pisada (o outro pé do ‘pisador’ está no ar, portanto, o peso dele está todo na mão do jogador que está no chão).  E o STJD fez o quê?  Tente imaginar um palmeirense, Valdivia, por exemplo, fazendo o mesmo…

pisão-na-mão

E essa cabeçada o que deu?  E se fosse um palmeirense atingindo o adversário?

Cabeçada-Guerrero

 

E esse “chutinho” do Cícero na cabeça do jogador do Cruzeiro? Pro STJD… foi nada! (Lembra o Thiago Alves, DO PALMEIRAS, que foi pego pelo STJD por uma entrada semelhante?)

Essa cotovelada deu em quê?

cotovelada-no-palmeirense

 

E essa agressão aqui, Sr. Paulo Schmitt ?  Você não viu nada errado aqui, ou não viu a imagem até hoje? (A imprensinha também fez que não viu…)

Liedson-solada-em-Deola

 

Olha aqui o Fred distribuindo porrada na cara do adversário!! Pegou 4 jogos, 12 ou nenhum? Quem dá mais??

STJD-Fred-cotovelada

 

Para o STJD, Fred pode pintar e bordar…  Até esganar o jogador do Grêmio…

Fred-esgana-jogador-Grêmio

Olha o Fred, de novo, agora brincando de UFC em campo, e na cara do juiz!! Quantos 12 jogos ele pegou? Ele é da tchurma dos “amigos do rei”, né Ximit? E não é estrangeiro…

Até o Neymar, a “joia nacional”, pisou o jogador do Grêmio… e pegou gancho por agressão?

Neymar-pisa-jogador-Grêmio

Essa pisada  nada teve a ver com o STJD, uma vez que não era uma partida de um campeonato nacional. Mas a imprensa fritou o Neymar por isso? Teve jornalista da ESPN descendo a boca nele no twitter? Não, né? Hmmmmm… Ele é “joia nacional“…

E nem por isso ele virou um “facínora”, né?

Neymar-cotovelada3

Esse “”chutinho” aqui, também não serviu para a mídia fazer Luís Fabiano virar bandido…

Quantos 12 jogos pegou Roger, por agredir Danilinho?

Roger-suspenso Roger-PuniçãoAnulada

Nem o Google sabe quando, e se,  esse segundo julgamento aconteceu…

E essa agressão aqui, que tirou um jogador do Palmeiras de uma semifinal de campeonato, deu quantos jogos de gancho pro agressor? NENHUM? Como assim, Ximit? Você não fez a denúncia?  Só porque ele não joga no Palmeiras?

Jogador dá joelhada no adversário e não leva nem amarelo

Jogador dá joelhada no adversário e não leva nem amarelo

 

“Quando eu era criança pequena lá em Barbacena”, as pessoas diziam que jogador que esquece a bola e entra de sola na canela do outro, quando o pé do outro está apoiado, entra mesmo para quebrar. Querer quebrar a perna é agressão! E por qual motivo o STJD não denunciou e não puniu o Chicão(COR) por tentar quebrar a perna de Barcos(PAL)?

Chicão-solando-Barcos

 

E essa cotovelada na cara do Eguren? Foi denunciado o infrator? Pegou 4 jogos pelo menos?

Eguren sofre agressão e o árbitro nada marca

Eguren sofre agressão e o árbitro nada marca

 

E essa patada na cabeça de Mouche? O STJD também não viu? Como assim, ele vê só quando quer?

Mouche-atingido

E essa pisada/tentativa de quebrar o tornozelo de Henrique? Nos jogadores do Palmeiras pode tudo, né Ximit? Os ‘justiceiros’ não punem seus agressores!

pênalti-em-henrique2

Você vê, que “lindo”? O Palmeiras sendo prejudicado, sim, por arbitragens e, pelo que estamos vendo, até pelo tribunal. Seus jogadores podem sofrer as faltas mais escabrosas, mas não podem cometer infração alguma, que logo conhecem os rigores “mais rigorosos” da lei. E o STJD vai pegá-los do jeito que der, até mesmo inventando uma punição por forçar um terceiro amarelo, por sorrir… Um clube, perde seus jogadores por gancho, fica enfraquecido; outros, não perdem, são beneficiados. Isso é influir nos resultados dos campeonatos, ou não?

E se é sempre o mesmo – o Palmeiras – o muito prejudicado… isso é perseguição!

Tá todo mundo fazendo de conta que não está vendo o que acontece no futebol brasileiro, tem muita gente fingindo não perceber as maquiavélicas ligações e manobras entre a CBF, STJD, arbitragens e TV, os favorecimentos “eternos” pra uns, os prejuízos pra outros… Todo mundo deixa pra lá as mutretas e armações que estão sendo levadas a cabo de maneira cada vez mais descarada…

Com raríssimas e profissionalíssimas exceções, a imprensa se finge de morta, e obscenamente legitima as armações, com notícias que blindam e valorizam determinados clubes e jogadores, ou que atacam/denigrem outros determinados clubes e jogadores; somem  com imagens, legitimam “erros” do apito, do tribunal, com comentários ridículos, idiotas e sem noção, nos programas de TV e nas transmissões dos jogos, como aconteceu  no SporTV, no jogo entre FluminenC e Palmeiras. De maneira nojenta, narrador e comentarista – ex-jogador do FluminenC – só enxergavam aquilo que o árbitro marcava, desmentiam o óbvio das imagens e só viam o que lhes era conveniente ver. O juiz garfando o Palmeiras na cara dura, e “osh cariocaish” avalizando o seu serviço. E assim faz a maioria dos tais profissionais de imprensa…

E o futebol brasileiro mergulha numa lata de lixo sem fim, comandado pelo  cartel dos “donos da bola”, e com a ajuda de uma boa parte da mídia, que nunca mostra o que realmente acontece em campo e nos bastidores do futebol, vai se atolando na sujeira. A imoralidade é muito grande e está além dos limites aceitáveis – se é que há algum limite aceitável para a imoralidade.

O árbitro de FluminenC x Palmeiras, inventou essa penalidade abaixo, fez 2 x 0 para o time da casa, e praticamente matou as chances do Palmeiras reagir, ainda mais na difícil situação em que ele se encontra. O jogador já está caindo, de braços abertos – ninguém consegue cair com os braços colados ao corpo – antes mesmo do adversário chutar a bola; na sequência, a bola é chutada em sua direção. E isso é pênalti??

Pênalti-RoubadoParaOFlu1

Pênalti-RoubadoParaOFlu3

Pênalti-RoubadoParaOFlu4

Pênalti-RoubadoParaOFlu-braço-braço-atrás

O árbitro marcou? Então, “osh cariocaish” afirmam que é pênalti sim.

E uma arbitragem que considera pênalti o que você viu nas imagens acima, não reconhece a penalidade nesse lance abaixo? (Repare que ele tem sim a mão aberta, carregando a bola) Estranhíssimo, não é mesmo?

pênalti-Flu-nãomarcado1

A mesma arbitragem (fizeram curso de árbitro onde? Nas Laranjeiras?) também não é capaz de identificar essa penalidade em Cristaldo? Olha só a pinta do árbitro e do auxiliar de linha de fundo…

Cristaldo-camisapuxada

“Osh cariocaish” não viram esses lances (vai ver tinham ido ao banheiro ou dormiam), também não viram as inúmeras vezes em que a arbitragem invertia faltas, marcava outras inexistentes, nem os impedimentos mandrakes marcados em ataques do Palmeiras, nem as “providenciais” paralisações de lances que poderiam originar ataques ou contra-ataques do time “paulishta”…

Com todas as suas falhas, com dois gols que deu de presente ao adversário, com todos os gols que perdeu, o Palmeiras, que não jogou bem – o FluminenC jogou pior ainda – jamais sairia derrotado do RJ se a arbitragem tivesse sido imparcial (falarei sobre o jogo ruim do Palmeiras em outra postagem).

E a “cariocada” é contínua – como são contínuos os favorecimentos ao time paulista do “istádio” doado pelo governo federal às custas de 1,2 bi do dinheiro público.

O Flamengo consegue passar de fase na Copa do Brasil 2014, graças à duas penalidades inventadas pela arbitragem – ganhou o campeonato carioca no apito também -, e a imprensa faz que não viu o que aconteceu, e, no dia seguinte, noticia que houve “um milagre” em campo. Uma garfada master do apito vira “milagre”, e o outro clube que se dane, não é mesmo? Um viva para os “amigos do rei”!

Flamengo-milagre

Mas o “milagre”, tinha um único “santo”:

Flamengo-milagre1

 

 

Será que o mesmo aconteceu para que ele saísse da zona de rebaixamento?

Mutreta-Flamengo

O link original dessa postagem está aqui:

https://www.facebook.com/leonardo.ribeiro.3363334/posts/733959486670085

Por coisas assim, os resultados de jogos, as arbitragens, os julgamentos e punições do futebol brasileiro, os campeonatos, parecem cada vez mais suspeitos…

Eles (CBF, STJD, Comissão de Arbitragem, TV, parte da Mídia e os clubes “amigos do rei”, os sempre favorecidos) pensam que são os “espeRtoish” e que todo o resto do país é idiota…

O futebol brasileiro sempre foi cheio de maracutaias e de armações, mas, desde 2005, a coisa está escancarada. 2005 foi o ano em que o Corinthians lavou dinheiro da Máfia Russa no Brasil (e não foi punido por isso), crime devidamente comprovado em escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal. Ano em que Márcio Resende de Freitas expulsou Tinga (Inter) de campo porque ele sofrera um pênalti de Fábio Costa (Cor); ano em que o título do campeonato brasileiro foi tirado do Inter e “coincidentemente” caiu no colo do time da “lavanderia”, graças à uma manobra pra lá de suspeita.

Até mesmo o presidente alvinegro na época, Alberto Dualibi, confirmaria isso num telefonema, cuja escuta foi amplamente divulgada. Em suas próprias palavras, eles “ganharam o título ROUBADO, porque o campeão deveria ter sido o Inter”, “se não tivesse a anulação, o Corinthians não teria sido campeão”, “porque campeão de fato e de direito teria sido o Internacional”. Ele mesmo confirma que foi roubado, e o que fizeram os responsáveis pelo futebol brasileiro? Nada! Que vergonha, não? Se houve manipulação dos resultados – esse foi o “motivo” alegado (inventado?) pelo tribunal para fazer voltar 11 partidas que beneficiavam o Corinthians -, porque o agora ex-árbitro e demais responsáveis não foram presos?

CBF e STJD – quiçá patrocinadores de alguns clubes também – promovem o acesso e o descenso das equipes que bem entenderem. Rebaixaram a Portuguesa em 2013, pelo uso de um jogador irregular, e, com a perda de pontos da Lusa, como prevê a regra em caso de jogadores irregulares, salvaram o Fluminense (time do coração de João Havelange), que havia caído para a segunda divisão (todas as vezes que esse time é rebaixado, ele volta à série A sem jogar a série B).

No entanto, a mesma CBF e STJD, não fazem absolutamente nada a respeito do Corinthians, que neste brasileirão, colocou Petros em campo em situação irregular. Ele jogou seis partidas (continua jogando) de maneira irregular! Os clubes são os responsáveis por colocar os jogadores em campo (a CBF e STJD afirmaram isso quando da punição da Lusa), e a regra que prevê que o Corinthians, por se utilizar de um jogador irregular, deva perder 21 pontos no campeonato e a vaga na Copa do Brasil, é completamente ignorada agora. E como é que a regra pode valer só para alguns clubes, Sr. Paulo Schmitt? 

O promotor alega que é preciso haver uma denúncia para que o tribunal possa agir no caso do Corinthians (o que os demais clubes estão esperando?), que se utilizou de um jogador irregular, igualzinho fez a Lusa. E perguntamos: QUEM DENUNCIOU A LUSA EM 2013? A CBF? E POR QUE ELA NÃO FAZ O MESMO AGORA? E SE NÃO HOUVE DENÚNCIA NO CASO DA LUSA, SE O STJD FOI QUEM DENUNCIOU, POR QUE ELE SE RECUSA A DENUNCIAR O CORINTHIANS AGORA ? Onde estão a ética e os escrúpulos desse tribunal? Os “homens” do tribunal, serviçais que são da CBF, utilizam as regras, as distorcem, de acordo com as suas conveniências. Quem é da “tchurma dos amigos do rei” está livre de ser punido, faça o que fizer. E livrar um clube de uma punição, pela mesma irregularidade que serviu de punição a outro, é trambique, é armação.

Os torcedores pagam para assistir jogos de campeonatos com cartas marcadas.

Advogado-BlogDoPaulinho

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/09/03/caso-petros-stjd-nao-julga-a-culpa-mas-a-irregularidade-corinthians-tem-que-ser-punido-diz-advogado/

 

Rebaixaram o Palmeiras em 2012, com mais de 12 pontos subtraídos por erros absurdos de arbitragem – de tão absurdos, não poderiam ser erros -, e se valendo de recursos inéditos, inclusive de imagens de TV, utilizadas durante uma partida (RECURSO PROIBIDO PELA FIFA), para anular um gol do Palmeiras num lance em que seu jogador cometera uma irregularidade, que ninguém da arbitragem vira; lance onde o jogador também havia sofrido uma penalidade e, por isso, acabara se utilizando da mão para marcar o gol (nas imagens da TV, ilicitamente utilizadas durante a partida, a mão na bola – que aconteceu depois e por causa da penalidade -, todo mundo viu; a penalidade claríssima em Barcos, foi ignorada). Na ocasião, a jornalista, que confirmara ter havido a consulta das imagens, foi proibida por sua emissora de testemunhar no caso. A TV compactuando com a ilegalidade na anulação de um gol… E, novamente, uma maneira inédita de se prejudicar um mesmo clube.

PenaltiIndio-BlogClorofila

E os gols de mão continuam a acontecer impunemente no futebol, sem que sejam anulados por imagens de TV, sem que apareçam “delegados balutas” :

Gol de mão de Luís Fabiano, validado pelo árbitro

Um jogador agride um árbitro durante uma partida (a imprensa transforma a agressão em “trombada – importante o “serviço” que ela presta, não é? ) e ele é absolvido, como aconteceu com Guerrero, do Corinthians; outro, pela mesma infração (que a imprensa também transformou em “trombada”), pega seis meses de gancho, e depois, magicamente, os mesmos promotores que acharam um horror a agressão e lhe deram a severa punição, mudam de ideia, e, com suas varinhas mágicas, fazem “plim-plim” e transformam a punição em apenas três partidas de suspensão, como fizeram com Petros, do mesmo Corinthians (interessante esse detalhe, né?).

Veja o vídeo e repare como Petros muda até de direção para ir ao encontro do árbitro e lhe dar uma “trombada”:

Até na terra do Guerrero o pessoal achou que ele receberia uma dura punição pela agressão ao árbitro (repare, ele dá uma cotovelada, usa força, sabendo que vai atingir alguém, né?). Mas o “corretíssimo” STJD o absolveu.

Teve também uma agressão de Renato Augusto, do Corinthians (olha o Curintia de novo), que também ficou por isso mesmo; o juiz não expulsou o jogador, e o STJD não o pegou pelas imagens, como costuma fazer com jogadores de outros clubes, os do Palmeiras, por exemplo.

Renato Augusto-agride

No entanto, um jogador força um terceiro cartão amarelo para poder servir a seleção do seu país – como fazem jogadores do mundo todo -, e o tribunal, como se ele fosse um bandido infrator, o pune, de maneira inédita, com dois jogos de gancho, porque ele sorriu, como aconteceu com Valdivia, do Palmeiras. NUNCA, ANTES OU DEPOIS DISSO, UM JOGADOR NO BRASIL FOI PUNIDO POR FORÇAR UM TERCEIRO CARTÃO OU POR TER SORRIDO – nem existe uma regra para isso. Para o STJD, dependendo das cores da camisa do jogador, forçar um terceiro cartão e sorrir é praticamente a mesma coisa que agredir um árbitro pelas costas.

O TRIBUNAL NÃO TEM O DIREITO DE FAZER AS SUAS PRÓPRIAS REGRAS, OU DE USAR AS QUE EXISTEM À SUA CONVENIÊNCIA OU À CONVENIÊNCIA DOS “AMIGOS DO REI”!!  Mas ele faz isso…

Thiago Alves, do Palmeiras, agrediu um adversário, e, graças ao uso das imagens, foi denunciado e punido pelo STJD com dois jogos de suspensão.

tiago-alves

Mas esse jogador do FluminenC aqui, o STJD não quis denunciar e nem punir. E esse é só um exemplo, dos muitos outros que ficaram e ficam sem punição alguma.

Cícero-voadora1

E, assim,  vamos chegando à conclusão que o tribunal trabalha apenas pelos interesses de alguns clubes, que são interesses da CBF – a famigerada entidade, mergulhada em corrupção até o pescoço. Seu presidente anterior,  investigado por lavagem de dinheiro, por recebimento de propinas (até a Globo é citada nisso) – tinha até mudado do país por isso -, é suspeito de participar de várias falcatruas, inclusive a de fazer parte do grupo que vendeu ao Qtar o direito de sediar uma Copa.

Em sua gestão na CBF, parte do dinheiro de amistosos da seleção brasileira ia parar na conta de Sandro Rosell, na época presidente do Barcelona,  que, “por acaso” tinha sido o representante da Nike no Brasil que, por acaso, é patrocinadora da seleção, do Corinthians, do Neymar… O mesmo Rosell que teve que renunciar à presidência do Barcelona, depois do escândalo dos milhões “desaparecidos” na contratação de Neymar. Sujeira… sujeira… sujeira… Um polvo de tentáculos imensos a tomar conta do futebol brasileiro.

RT-contasecreta   RT-suborno

O João Havelange, sogro de Ricardo Teixeira, e citado na notícia acima, é um “ilustre” torcedor do FluminenC,  o time que vive se servindo da “bondade” da CBF de não deixá-lo jogar a segundona todas as vezes em que é rebaixado.

http://limpinhoecheiroso.com/2013/07/03/a-globo-esta-envolvida-no-suborno-de-havelange-e-ricardo-teixeira/ As suspeitas estão em todos “os cantinhos” do futebol brasileiro…

Mas o que seria do futebol  brasileiro e suas armações não fossem os “erros” das arbitragens? Pênaltis inexistentes assinalados, pênaltis legítimos não marcados, impedimentos mandrakes, gols irregulares validados, gols legítimos anulados, expulsões e cartões intimidatórios pra uns, benevolência com as infrações de outros, conivência com a caçada a determinados jogadores, campeonatos decididos no apito…

A comissão de arbitragem, agora/outra vez capitaneada por Sérgio Correa, que, segundo dizem, foi trazido de volta por Marco Polo del Nero, manda a campo árbitros que mais parecem vassalos de alguns clubes, apitando em seu benefício e em prejuízo aos seus adversários, e das maneiras mais inimagináveis possíveis.

E aí a gente lembra do ex-árbitro Gutemberg, que acusou a Comissão de Arbitragem de telefonar para os árbitros antes das partidas (você vai apitar o jogo do timão, hein?), para lembrá-los do clube que estaria jogando sob a sua arbitragem. Num claro “olha lá o que você vai fazer, hein?”. Acusação que foi ignorada e “esquecida” pelo tribunal e pela imprensa, o que fez que a opinião pública também esquecesse…

Depois da volta desse senhor ao posto, as arbitragens passaram a “errar” ainda mais…

Há algumas rodadas, o Palmeiras abriu o placar diante do Atlético-MG, com uma cobrança de pênalti, mas o árbitro fez voltar a cobrança, alegando invasão na área. Antes e depois desse jogo, todas as cobranças de penalidades do país foram/são feitas com invasão de jogadores e os gols são validados. Como aconteceu ontem mesmo, na partida do Palmeiras diante do FluminenC (que se não fosse a CBF e o STJD estaria disputando a série B e não a série A). As regras continuam valendo só para um, ou, na melhor das hipóteses, para alguns poucos.

Veja outras imagens de penalidades validadas, mesmo com invasão de jogadores:

http://blogdaclorofila.sopalmeiras.com/2014/08/29/se-e-jogo-palmeiras-quem-joga-e-o-juiz/

Diante do Coritiba, o Palmeiras teve uma penalidade marcada pelo árbitro, e desmarcada depois, sob a alegação que o bandeira vira impedimento de Lúcio. O bandeira nada viu ou assinalou, e as imagens são claras. Então, de onde veio a “instrução” para desmarcar a penalidade? Por que os árbitros não foram avisados para desmarcarem as penalidades que não existiram em tantos outros jogos – o do Flamengo, por exemplo? Por que nunca desmarcam penalidades de outros clubes, mesmo quando elas foram marcadas equivocadamente? As regras existem sim, mas apenas para alguns…

bandeira-safado2

Eu poderia escrever mil páginas, poderia printar mil imagens, citar centenas de outros exemplos e ainda assim ficaria muita coisa por dizer, por mostrar…

Está tudo aí, o tempo todo batendo na cara da gente…

O futebol brasileiro, do fundo da lata de lixo onde se encontra,  vai perdendo o seu restinho de brilho e encantamento, vai morrendo; os clubes, perdem a capacidade de tomar providências; os jogadores, a de se indignar…  e os torcedores… esses, já mal percebem o dolo ao seu clube de coração.

Quando todo mundo acordar, poderá ser tarde demais…

VAMOS BOTAR A BOCA NO TROMBONE AÍ, FAZ FAVOR? (Você também, Palmeiras. Todo clube tem que ter o direito de ganhar, empatar e perder  por seus próprios méritos. Não há futebol ruim que justifique que um time seja prejudicado pela arbitragem e aceite isso.)

Jogando fora, e melhor do que o dono da casa, com um jogador a menos, um pênalti em Marcelo Oliveira, não marcado por Leandro Vuaden, e outro em Henrique, também não marcado pela arbitragem – é brincadeira (sacanagem?) o que fazem as arbitragens nos jogos do Verdão -, e o Palmeiras não perdeu!!!! GLÓRIA A DEUS!!!

Parece que Dorival vai conseguir dar mais tranquilidade ao elenco  parece que, com um esquema mais defensivo, os jogadores se sentem mais seguros e o time fica menos desarvorado (custava Gareca ter sido menos cabeçudo e ter montado o time mais defensivo, pelo menos, até ‘desafogar’?).

Mas não foi fácil conseguir trazer um ponto pra Sampa. O time já foi pra lá sem Prass, Valdivia, Lúcio, Allione, Wesley (com “gastrite” na coxa), entre outros, e, nem bem o jogo começou, nos primeiros minutos, já perdeu o zagueiro Wellington, que sentiu o tendão de Aquiles. Foi exatamente esse, o momento em que comecei assistir à partida (soube depois que Leandro já tinha obrigado o goleiro a espalmar uma bola); Wellington saía chorando de campo, dando lugar a Victorino. Tem momentos que parece que tudo conspira contra você…

E a “conspiração” continuava… Fábio saiu (muito bem) numa bola no alto e foi atingido por uma cabeçada do adversário, e ficou lá no chão com a cabeça rachada, sangrando… Mais um?

Depois dos atendimentos, Fábio continuou no gol, mas com uma touca por causa do ferimento, e o jogador do Atlético, que acabou permanecendo em campo por quase 10 minutos mais, deixou a partida com o rosto inchado e meio arroxeado.

Fábio-cabeçadaFábio-cabeçada1

Bastante diferente da rodada anterior, o Palmeiras se portava direitinho na partida, se movimentava bem, dificultando a vida do Atlético, e tinha mais chances de gol. E eu pensava – você também pensava, aposto -: “Será que hoje quebraremos a maldita sequência de derrotas”?

Mas as oportunidades (o árbitro também) ainda conspiravam contra nós… Leandro saiu na cara do gol, chutou tentando tirar do goleiro, mas parou na trave. Na continuação da jogada, Juninho ajeitou pra Henrique, que foi derrubado na área pelo jogador atleticano. Você lerá nos portais (vai lá na Globo ver) que Henrique escorregou (são tão convenientemente cegos os narradores, comentaristas e “jornaleiros”), mas passaram o pé nele e o derrubaram, e as imagens são claras:

  Henrique-sofre-pênalti-PalxAtl

 

No vídeo abaixo, aos 2:40, você pode conferir a penalidade cometida em Henrique. E os caras de pau da transmissão e dos portais “juram” que ele escorregou… estranho que ninguém, além dos palmeirenses, tenha visto que  “escorregaram ele”.

Assim é difícil mesmo sair da parte de baixo da tabela… Ainda mais quando tudo, até o juiz, conspira contra você…

Depois do pênalti não marcado em Henrique, o Atlético foi ao ataque, Fábio espalmou direitinho, para o lado, o chute de Marcos Guilherme, mas,  na sequência, Delatorre, de calcanhar (mais um que nunca mais repetirá a façanha), mandou pro gol.

Que raiva! O Palmeiras jogando melhor, na casa do adversário, o juiz mete a mão no pênalti que talvez pudesse colocá-lo à frente do placar, e, pra piorar, quem acaba fazendo gol é o Atlético…

Mas, ao contrário do que temos visto acontecer em muitas partidas,  o Palmeiras foi à luta, jogando direito, querendo empatar, e sem aquelas bizarrices (só algumas) de outras oportunidades. Ah, e sem deixar de se defender também (Victorino tava jogando um bolão).

Eu torcia para que os jogadores tivessem paciência, não se desesperassem… Não me conformava que o Palmeiras estivesse atrás no placar, sem merecer estar.

E embora tivesse criado mais algumas chances, o Palmeiras foi para o intervalo com a sombra da derrota a lhe amendrontar… e nós, torcedores, imersos na bipolaridade da situação que vivemos atualmente, mesmo percebendo que o Palmeiras já tinha uma outra cara, mesmo acreditando que o nosso gol iria sair, nos sentíamos um pouquinho ameaçados pela “escuridão” de mais um resultado negativo… Claro e escuro dentro de um mesmo coração… Difícil…

O Palmeiras “chegou chegando” no segundo tempo. O goleiro adversário tirou uma, a defesa tirou outra… A torcida se animava. O coração esperava…

Cobrança de falta para o Palmeiras, a bola ficou com Diogo na área, ele deu uma pedalada e o jogador do Atlético o derrubou. Pênalti! Esse, o juiz marcou. Restava saber se ele não iria inventar uma nova cobrança, caso o Palmeiras convertesse…

Eu nem consegui olhar. Nem vi com que categoria o Henrique cobrou… só esperei os meus fones de ouvido serem invadidos pelo grito da torcida… E, finalmente, a escuridão perdia para a luz que invadia o meu (nosso) coração…

Há quanto tempo não víamos o Palmeiras reagir depois de tomar um gol… era pra glorificarmos de pé! O oitavo gol de Henrique, lindo, no campeonato, o décimo na temporada – já alcançou o “Travec”.

O dia parecia mesmo diferente. E então, Josimar, que tinha entrado no lugar de Weldinho no segundo tempo, cometeu uma falta violenta – sem intenção, diga-se de passagem, uma vez que visava/olhava apenas a bola – e foi expulso. Tá certo ele ter sido expulso, quer dizer, estaria certo se os todos os árbitros apitassem todos os jogos com o mesmo livro de regras, com o mesmo critério.

Repare bem na falta – violenta, eu sei -, que Josimar, com a intenção ou sem, cometeu:

Josimar-lance-expulsão

 

E me diga, em quê ela é diferente dessa falta em Mouche, cometida pelo jogador do Inter, que nem amarelo levou?

Mouche-atingido

Em quê ela é diferente dessa outra aqui, ainda mais violenta, cometida pelo jogador Cícero, do FluminenC (aquele mesmo FluminenC que voltou à série A, graças à punição dada à Lusa pelo uso de um jogador irregular. Punição dada pelo mesmo STJD, que agora ignora – tá com rabo preso/faz que não sabe – o jogador irregular do Corinthians)?

Cícero-voadora1

Cícero

Viu só? O jogador do FluminenC não tem nem a desculpa de que “visava a bola”.

Você se lembra dessa outra falta aqui? Por causa dela, e com o uso das imagens, Thiago Alves, do Palmeiras, foi denunciado e punido pelo STJD. Vamos ver se o STJD vai fazer com o Cícero(FLU) o mesmo que  fez com o palmeirense.

tiago-alves

Aos amigos do rei, tudo (impunidade, favores, benefícios); aos demais, as leis, as regras.

Difícil disputar campeonatos nessas condições… Revoltante perceber que as arbitragens parecem prestar serviços para determinados clubes – de onde viriam essas instruções, no caso disso ser verdade? Do mesmo lugar denunciado pelo ex-árbitro Gutemberg? Complicado imaginarmos – e temos imaginado cada vez mais – que talvez o STJD aja em função de outros interesses que não os da Justiça Desportiva…

A cada partida, o Palmeiras tem que lutar contra os adversários que vê e os que não vê…

E lá íamos nós lutar para não perder o jogo, na casa do adversário, com um jogador a menos, com um juiz “meio cego”, com todos os nossos receios… e por trinta longos minutos restantes.

Eu esperava apenas que o Palmeiras lutasse dali pra frente, e que não tomasse gol de jeito nenhum. A cada tentativa do Atlético, mesmo aquelas quase sem perigo, a espinha gelava. Era  como estar numa montanha-russa…

Mas a “sorte”, tendo como instrumento o árbitro da partida, ainda queria conspirar contra o Palmeiras.

Marcelo Oliveira sofreu penalidade clara, indiscutível – o jogador do Atlético deixa a perna para derrubar o palmeirense -, e Leandro Vuaden mandou o jogo seguir.

MarceloOliveira-pênalti1

 

Até a imprensa, que sempre ignora os prejuízos sofridos pelo Palmeiras, que fez que nem viu a penalidade sofrida por Henrique, concordou:

MarceloOliveira-pênalti2

O Palmeiras sofre três penalidades, e o árbitro, que está em campo para marcar todas as que forem cometidas, marca uma só. Acho que, para o Palmeiras,  de cada duas ou três penalidades sofridas, a arbitragem pode marcar só uma. Deve ser por cota. E a cota do Palmeiras diante do Atlético foi de 1/3.

Por nossos méritos, poderíamos ter saído com a vitória, mas por méritos do apito, tivemos que dar graças a Deus por sairmos com o empate. Na conta de quem fica isso?

Os guerreiros palestrinos – sim, eles foram guerreiros -, mais equilibrados psicologicamente, seguraram o seu pontinho, não deixaram que o adversário e nem o juiz o tomassem, e o trouxeram para casa.

E é assim que tem que ser de hoje em diante, Verdão, na raça!

Valeu, Dorival! Quebramos a maldita sequência de derrotas! Esse “sangue de Dudu” tem poder!!

100Anos-Brasão

Você se lembra da Lusa, que, no final de 2013, foi punida pelo STJD, por colocar em campo um jogador em situação irregular?

Lembra que ela foi rebaixada à segunda divisão por causa dos pontos perdidos com essa punição? E que essa punição serviu para que o FluminenC, REBAIXADO mais uma vez, voltasse à série A, e, mais uma vez também, usando as portas dos fundos?

Lembra do circo armado pelo STJD para julgar a Lusa, que alegava não saber que o jogador ainda estava sem condição de jogo quando o mandou a campo, porque no site da CBF nada havia sido publicado? E que mesmo com a falha da/na CBF, a Lusa foi punida, porque, segundo o tribunal, cabe ao clube a responsabilidade por colocar em campo um jogador irregular?

Jogador-irregular-LusaPunição1

Na ocasião, Paulo Schmidt, o procurador-geral do STJD, afirmou que a CBF havia denunciado a Lusa para o tribunal (devia estar bem intere$$ada nisso a dona CBF, não é mesmo?), mas, oficialmente, a CBF preferiu se manter distante do problema, por entender que o caso era uma tarefa que cabia única e exclusivamente ao STJD (preste atenção à essa informação) .

Jogador-irregular-CBF

Todo mundo achou um horror que a punição à Lusa servisse para içar o Fluminense à série A; todo mundo se perguntava por que não davam o acesso ao Icasa; todo mundo ficou suspeitando que o dirigente da Lusa tivesse vendido para a CBF – supostamente intermediária do FluminenC e de seu patrocinador – a vaga do time na primeira divisão;  todo mundo imaginou que haviam outros interesses nessa história. Mas estava/está na regra, jogador irregular não pode entrar em campo, e o clube que colocar um jogador irregular em campo tinha/tem que ser punido, e isso era/é irrefutável.

O STJD, representado pelo seu procurador, Paulo Schmitt dizia:

“Se clubes não puderem perder pontos quando culpados, passa a ideia de que se faz julgamento político, e não técnico. Se houver interesses clubísticos em julgamentos e as normas não forem aplicadas de acordo com o Direito, é a falência das nossas instituições.” (Será que ele ainda pensa assim, ou já mudou de ideia? Esse, muda de discurso como quem muda de roupa).

Jogador-irregular-LusaPunição2

E não foi só a Lusa que foi punida pela ‘objetiva’ Justiça Desportiva (que tem de prezar pela efetividade da pena) por usar um jogador irregular:

Em 2010, o Prudente perdeu pontos em situação parecida com a da Lusa.

Também em 2010, o Joinville herdou vaga do suspenso América-AM (que utilizou um jogador irregular por apenas 5 minutos na partida)

http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/noticia/2013/12/portuguesa-escala-jogador-irregular-e-pode-ser-rebaixada-no-brasileirao.html http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/noticia/2013/12/portuguesa-perde-quatro-pontos-e-rebaixada-e-fluminense-se-salva.html

E então, depois da polêmica toda, depois da punição para a Lusa, depois de se aproveitar a punição da Lusa para o FluminenC voltar, depois da “moralização do futebol e do cumprimento das regras, sem politicagem”, como afirmavam os “arautos da justiça” do STJD, e como afirmava a imprensa também… depois de alguns meses da ocorrência desses fatos… eis que surge um outro caso de atleta irregular, e muito irregular, diga-se de passagem:

  Jogador-irregular-Petros

Olha só! A CBF dando condição de jogo para um jogador que ainda não assinou o seu contrato. E o jogador entra no BID  da CBF, sem ter assinado o contrato e não há nada errado nisso, “itakeras”? Que o futebol brasileiro é a “Casa da Mãe Joana”, a gente sabe (a Alemanha também), mas estão exagerando nos favores pros “amigos do rei”. Não demora muito vão começar a aceitar contratos assinados em guardanapos de papel…

Nós, palmeirenses, por tantas vezes, ficamos esperando um tempão pela regularização de novos atletas do Verdão, para que seus nomes apareçam no BID, e a CBF regulariza um jogador do Corinthians, antes mesmo dele assinar o contrato? Hmmmm… Mas que “parceria” boa essa do clube com a manda-chuva do futebol brasileiro, hein?

E com a imprensa também parece haver uma parceria, afinal, ela até se finge de morta agora e mal fala sobre o caso do Petros, e, quando fala, é para fazer parecer vítima o clube infrator – os corintianos das bancadas televisivas tentam defender o seu time de coração, e o profissionalismo que se dane -, no Globo Esporte, por exemplo, continua parecendo que desconhecem esse caso.

Jogador-irregular-Petros2a

Jogador-irregular-Petros2

Mas que embrulhada, não? A inscrição não poderia ter sido feita nem no dia 2, porque era um sábado. E, uma vez que apareceu no BID um contrato que não estava em vigor – não tinha sido assinado, não existia, juridicamente falando -, a operação ficou invalidada, e, por isso, Petros atuou de maneira irregular em seis partidas. E isso é fato.

jogador-irregular-Petros-jogos

Jogador-irregular-Petros3AA

http://www.lancenet.com.br/corinthians/Registro-controverso-Petros-problema-STJD_0_1204079761.html

Essa é a imprensa, querendo fazer parecer que não é, o que, na verdade, é… “Se” o Corinthians for considerado responsável… SE?? Não eram responsáveis  os outros clubes punidos por se utilizaram de jogadores irregulares? Não foi dito que os clubes são responsáveis pelos atletas que colocam em campo? Por que seria diferente agora? Ou está todo mundo achando/imaginando/tendo certeza que o STJD vai “esquecer” a regra, a lisura e a honestidade e dar um jeitinho?Hmmmmm…

A regra é clara, e não fui eu que a elaborei:

Jogador-irregular-Regra

Ta aí… Agora, vamos ver se a Capitania Hereditária tem rabo preso ou não; se é vendida, como suspeitam alguns, ou não.

E a CBF não faz a denúncia, como fez no caso da Lusa, como não fez no caso do Figueirense com o Icasa (ela só denuncia quando é do seu interesse)… E o STJD afirma que é preciso que a CBF faça a denúncia (quando puniram Valdivia por forçar o terceiro cartão amarelo, além do “jornaleiro telefonista”, que não tem autonomia para denunciar nada, quem mais fez a denúncia, STJD?)…

O promotor, que muda de discurso como quem muda de roupa, falando sobre o caso de Petros, disse: “vou esperar que a CBF ou um clube interessado envie uma notícia de infração para me posicionar”.  Repare, ele já “mudou de roupa”.

O fato é que está todo mundo “mudando de roupa” e discurso, “fazendo a egípcia”, “empurrando o ‘caso Petros’ com a barriga”, para não ter que fazer o que deve ser feito, que a regra seja cumprida, para não ter que punir o clube que nunca querem (não podem?) punir.

A Gazeta não apresenta matérias a respeito do assunto… o blog do Godói tenta transformar o clube infrator em vítima… Na Globo, GloboEsporte.com, SporTV, o caso não merece destaque (why?)… os clubes, que deveriam estar muito interessados, parecem paralisados (medo de represálias?)… os torcedores, de maneira geral, parecem conformados com o destino, com o fato de que alguns clubes recebem proteção, descarada, da CBF, do STJD e da mídia, e, por isso, podem burlar o regulamento da maneira que desejarem… os palmeirenses da imprensa, que não perdem uma chance de menosprezar o próprio clube por qualquer motivo, palmeirenses, que deveriam estar carecas de ver o quanto as regras são usadas de maneira rígida, e até mesmo distorcida, apenas contra o Palmeiras, e que deveriam se indignar com essa situação, parecem até que saíram de férias agora…

E, peneirando tudo isso, a gente fica com a nítida impressão que o STJD, com a colaboração de um monte de gente, só existe para trabalhar em favor dos interesses da CBF e de alguns clubes,  nada mais.

E ficamos nós com a lembrança do ilustre advogado do FluminenC no julgamento do caso da Lusa, ao citar “O Pequeno Príncipe”, de Saint-Exupéry: CUMPRA-SE O REGULAMENTO!

Faz muito tempo que eu digo que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva julga clubes e jogadores com as regras que melhor lhe convier… algumas vezes, com regras próprias, ou distorções das regras  existentes, que parecem novas regras, recém inventadas pelos famigerados torcedores promotores da nossa detestável “Capitania Hereditária” – quem não se lembra da pena exclusiva para Valdivia, por forçar um terceiro cartão? Quem não se lembra do jogador do Flamengo forçando um cartão também, e admitindo isso logo depois da punição do Mago, sem receber pena alguma? Quem não se lembra do Se Vagner Love tivesse as trancinhas rubronegras…”?

Faz tempo também, que reclamo da conivência da imprensa esportiva, e dos servicinhos prestados por alguns de seus veículos e profissionais, para legitimar esse dois-pesos-e-duas-medidas do tribunal – das arbitragens também -, sempre em favorecimento de 2 ou 3 clubes. Punições descabidas e inventadas para o Palmeiras e para os jogadores do Palmeiras, a imprensa faz parecer que foram merecidíssimas, enquanto que punições para outros clubes e seus jogadores, pelas mesmas infrações, a imprensa faz parecer  que são crimes contra a humanidade.

Na Copa do Mundo, a mordida(agressão) que Suárez deu no jogador italiano foi considerada crime por aqui e rendeu os mais condenáveis comentários. E foi uma coisa condenável mesmo. No entanto, Emerson Sheik ter mordido um jogador do Boca Juniors na Libertadores de 2012, mereceu o comentário de que “ele sabe jogar contra argentinos” (que liMdo, não?). A hipocrisia é imensa.

“Trocentas” garfadas do apito no Palmeiras – como aconteceu escandalosa e obscenamente em 2012 – são apenas erros de arbitragem nas profissionais bocas da imprensa, e a maioria das imagens desses “erros” somem dos vídeos de melhores momentos; um raríssimo erro de arbitragem beneficiando o Palmeiras, mesmo que seja numa partida em que ele é prejudicado em vários outros lances, é um absurdo inaceitável, condenado, mostrado,  e comentado à exaustão em todos os programas esportivos.

Como aconteceu diante do Criciúma em 2013. Bruno César sofreu pênalti de Escudero, que o juiz não marcou, e, quando ele estava no chão, foi chutado com bola e tudo pelo mesmo Escudero. O juiz, de novo, nada marcou, a imprensa fez que não viu, o STJD nem “tchum”.

pênalti-em-Bruno-Cesar

Mas essa penalidade, a favor do Criciúma e não assinalada pelo árbitro, foi o ‘apocalipse’; fizeram um escarcéu imenso e o STJD não perdeu tempo em denunciar, julgar e punir o jogador palmeirense. Dois-pesos-e-duas-medidas na sua versão clássica.

tiago-alves

Essa cotovelada abaixo, que ocorreu numa outra partida (eu poderia mostrar inúmeras outras imagens de agressões e lances violentos sofridos por jogadores do Palmeiras, e que não foram marcados pelas arbitragens, mas nem precisa), também foi ignorada nos programas esportivos e nas pautas do tribunal:

Eguren sofre agressão e o árbitro nada marca

Eguren sofre agressão e o árbitro nada marca

 

Valdivia é expulso num Derby por deixar a mão na cara do adversário. E a imprensa, justificando o cartão vermelho dado a ele, o “frita”… ele é o “esquentadinho”, “prejudica o time”, “irresponsável”…

Expulsão-ValdiviaA

Mas, numa partida mais recente, o “esquentadinho” leva uma cotovelada,  o juiz nada marca, e a mesma imprensa diz que ele é “cai-cai”, que ele “provoca”, e o tribunal… nem aí, se faz de ceguinho da silva.

AgressãoAoMago

Um “trabalho” tão bem feito, que tem até palmeirenses aceitando a lavagem cerebral de que os árbitros erram para todos os times, tem palmeirenses culpando seus jogadores quando eles tomam cartões, ou achando correto que o Palmeiras seja prejudicado pelas arbitragens caso não tenha jogado bem, como se uma coisa legitimasse a outra. E nem se dão conta que, na nossa balança, o prato dos benefícios está praticamente vazio, enquanto que o dos prejuízos, repleto, arrasta no chão.

O mesmo acontece com o tribunal em relação às infrações cometidas por jogadores. Se são jogadores do Palmeiras os infratores, eles são denunciados e julgados por imagens, são punidos – até mesmo por sorrisos -, e muitas vezes são julgados de novo pela mesma infração – Diego Souza era uma grande vítima de rejulgamentos quando estava no Palmeiras. O juiz pune em campo, o tribunal resolve punir um pouco mais; o juiz não pune em campo, vem o tribunal fazer “justiça”. Só que o mesmo não acontece com vários outros jogadores e clubes.

E nos perguntamos: por que alguns são denunciados e punidos e outros não? Por que para uns servem as imagens para se fazer a denúncia, e,  para outros, a infração tem que estar relatada na súmula? A mando de quem se utilizam desse “método” tão discrepante? Qual o livro de regras que usam para o Palmeiras, que nunca é igual ao que usam para os outros clubes?

O “dois-pesos-e-duas-medidas” é jogado na nossa cara todos os dias. Depois de todo blá bla blá da Copa por causa da agressão do Suárez, que o juiz não viu, e a sua consequente e pesada punição, aconteceu algo meio inédito aqui no campeonato brasileiro; o jogador Petros, do Corinthians, agrediu o árbitro Raphael Claus durante a partida entre Santos e Corinthians. E não foi por acaso, não foi sem querer, foi de propósito mesmo. Acompanhe…

Fica tão claro que ele muda até de direção para ir de encontro ao árbitro e atingi-lo, não é mesmo? Mas teve gente que fez de conta que não viu isso, e a parte muito/bastante/tremendamente cara-de-pau da imprensa saiu em defesa do… jogador?? Teve quem dissesse que ele deu uma trombada no árbitro, que não o viu, que foi sem querer… (??) Qual a possibilidade de um jogador do Palmeiras, Valdivia por exemplo, agredir um árbitro e não pegar “duzentos” jogos de gancho? Quais as chances de vermos profissionais de imprensa e ex-árbitros saírem em sua defesa?

O árbitro nada marcou na súmula, mesmo tendo levado uma pancada nas costas que quase o derrubou,  mesmo tendo visto as imagens depois do jogo. E porque nada havia na súmula, alguns “imprenseiros” diziam que o STJD não poderia denunciá-lo (mas quando denunciou o jogador do Palmeiras só pelas imagens podia?). Arnaldo César Coelho gastou o seu latim na defesa do jogador (por que o defendem se ele está errado?)

Só que, na terça-feira, dois dias depois da partida, o árbitro foi obrigado a fazer um adendo na súmula e relatar a ocorrência, sob o risco de ser ele o punido (não fosse isso, ele não relataria?).

raphael-claus-agressão-súmula

E então, o STJD resolveu denunciar o jogador – teria sido inaceitável ele não ser denunciado -, e aí surgiu mais polêmica…

Arnaldo César Coelho (é advogado de defesa do Petros?) declarou no programa “Bem Amigos” que vê o adendo à súmula como precedente perigoso…

Leonardo, no mesmo  programa, defendeu o direito que o árbitro tem de escrever na súmula no dia seguinte…

Por que tanta falação, tanta polêmica para se punir, ou deixar de punir – como querem muitos –  um jogador que merece ser punido por agressão? Agressão é agressão, e não importa a “cor das trancinhas” dele.

Petros agrediu o árbitro, sim, e o árbitro, atingido pelas costas, não viu o lance, portanto o STJD pode agir à vontade, sem precisar do adendo na súmula. Afinal, a regra deve ser a que a Fifa estabelece, não é mesmo?

E se deve, vejamos o que declarou o presidente da Comissão Disciplinar da Fifa, durante a Copa do Mundo no Brasil (preste atenção a isso palestrino, e faça um “remember” das inúmeras vezes que o tribunal descumpriu essa norma para punir jogadores do Palmeiras):

Comitê-Disciplinar-Fifa1Se a Comissão Disciplinar  só pode agir em caso de expulsão ou em caso de o árbitro aparentemente não ter visto o lance, então, não precisava de súmula e tampouco de adendo para se denunciar o Petros , não é mesmo? O árbitro não viu nada na hora e tampouco puniu o jogador… portanto, o caso é todo do STJD! O julgamento será nessa segunda (amanhã), e o tribunal só não vai aplicar as regras e dar um belo gancho para o jogador que agrediu o árbitro (como faria se o jogador, por acaso, fosse do Palmeiras), se ele não quiser, ou se alguns dos promotores gostarem da cor das trancinhas do Petros… Vamos observar…

 

No momento em que escrevo essa postagem, está a todo vapor o julgamento de Palmeiras e Corinthians no famigerado Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), a nossa conhecida “Capitania Hereditária” (quando você me ler, por certo já existirá uma punição para o Palmeiras, e só pra ele), por conta das 258 cadeiras do Itaquerão que a torcida do Palmeiras danificou. Os clubes (os? Tem certeza, Ximit?), pasmem, correm o risco de perder até 10 mandos de campo (Oi?? Esperar o quê de um julgamento, quando o promotor já ameaça o time ao fazer a denúncia?) e ainda receber uma multa que pode chegar a R$ 100 mil.

Os dois clubes foram enquadrados no artigo 213 do CBJD, por “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto”. Porém, o primeiro parágrafo do mesmo artigo prevê que, preste atenção nisso, “caso a desordem seja feita pela torcida da entidade adversária, tanto a entidade mandante como a entidade adversária serão puníveis, mas somente quando comprovado que também contribuíram para o fato” (“enrolation”, para muito provavelmente punir só o Palmeiras, como sempre, e, como sempre também, por coisas que as torcidas de todos os outros times fazem, inclusive a do Corinthians, e que não servem de motivo de punição para os seus clubes).

Como não houve gravidade na ocorrência, e, segundo o promotor que adora encher o saco do Palmeiras, é provável que a punição seja apenas uma multa (o que não teria cabimento, uma vez que não houve contribuição alguma dos clubes, principalmente do clube visitante, para que as cadeiras fossem quebradas). Eu não questiono haver punição para o absurdo que é torcedores quebrarem cadeiras, depredarem arenas, sejam elas de adversários ou dos seus próprios clubes. No entanto, como não houve grande desordem, violência, e a depredação de algumas cadeiras não interferiu no andamento da partida, penso que a punição deveria ser para as torcidas responsáveis pela infração (a torcida do “dono” também danificou cadeiras no estádio).

Também não vou questionar a quantidade de cadeiras danificadas… as imagens mostram um número pequeno; logo após a partida disseram que eram 25 cadeiras danificadas, e, de repente, viraram 258. Imagino que o Palmeiras tenha ido lá conferir se foram 258 mesmo – eu teria ido -, que tenha visto as imagens das câmeras de segurança do Itaquerão mostrando o vandalismo…

Outra coisa que nem vou questionar também é a péssima qualidade das tais cadeiras. A arena, construída com 1, 2 bi de dinheiro público, foi inaugurada em Junho, e até hoje, menos de dois meses depois, já foram danificadas mais de 800 cadeiras por lá. A própria torcida do “dono” do Itaquerão danificou cadeiras na partida de estreia da arena, e também na partida diante do Palmeiras. Parecem cadeiras feitas de papelão ou isopor – um amigo que esteve lá, durante a Copa, me disse que elas são muito frágeis e de qualidade bem inferior.

Também não vou questionar o fato de que a torcida do “dono” do Itaquerão já danificou cadeiras de vários estádios, botou abaixo as grades do Pacaembu, fez arruaça e depredação em aeroporto, meteu fogo em carro alegórico de escola de samba… e eu nunca soube que o Corinthians tenha pagado coisa alguma, tenha ressarcido os muitos prejuízos causados por seus “fiéis”. Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço, não é mesmo?

Nem vou dar muito destaque ao fato de que o “Cara de Areia” cantou a bola sobre cadeiras quebradas durante toda a semana que antecedeu o Derby. Já falava em cobrar o prejuízo (que ele nunca pagou quando foi a sua torcida a depredar patrimônio alheio) antes mesmo dele existir, e, ainda assim, nossos “muy espertos” torcedores fizeram exatamente o que ele esperava (queria?) que fosse feito.

O que questiono aqui, e que precisa ser questionado sempre, é a maneira dúbia de se fazer justiça no STJD. O Palmeiras se encarregou de cobrir os prejuízos no Itaquerão e mesmo assim ainda vai ser julgado. Se há regras para se denunciar, julgar e punir os clubes, quando os seus torcedores brigam, depredam… como é que não me lembro de ver outros clubes ressarcindo prejuízos alheios? Também não me lembro de ver seus atos de vandalismo e violência serem denunciados multados e punidos pelo tribunal, por promoverem desordens, depredações e até mesmo incêndios como esses, mostrados nas imagens abaixo (existem muitos outros casos, inclusive com torcedores feridos gravemente)?

Para não cometer nenhuma injustiça, já que não me lembro muito bem se houve ou não denúncia e punição para alguns casos, vou passar a bola pra você, amigo leitor. Por favor, me ajude a lembrar, quais foram as punições para os clubes dessas torcidas cujo vandalismo e violência causaram o que as imagens mostram? Quanto eles pagaram de multa, quanto pagaram para ressarcir os clubes prejudicados, e quantos mandos perderam?

Depredação-gambazada-no-Morumbi

Depredação-MORUMBI ARQUIBANCADA VISITANTES VANDALISMO (3)

Depredação-Pacaembu-2006

Depredação-Pacaembu-20061

Depredação-Confronto-2006

Depredação-torcida-corinthians-incendio-morumbi-2005

Depredação-aeroporto1

Depredação-Cumbica-ae18

Depredação-Vasco-Flamengo

Tão logo fiz essa postagem, a “Capitania Hereditária” já tinha dado o seu veredito: Corinthians, o responsável pela segurança do/no estádio, absolvido, e multa no valor de R$ 50 mil para o Palmeiras. O Verdão concordou em pagar o prejuízo, e, ainda assim, foi multado?

Estou começando a achar que precisamos de uma Justiça Desportiva com promotores que venham da Alemanha… Afinal, lá, o futebol é conduzido com muito mais seriedade do que aqui.

É HOJE!!

A 40ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE 2013 VAI COMEÇAR (já começou)!!

STJD, Unimed, Flu, CBF, Globo x Lusa.

E a ‘rodada extra’, que será jogada no STJD (só eu tenho vergonha desse tribunal?) será cinematográfica. O Brasil todo vai acompanhar a exibição de:

MARACUTAIA 2 – O resgate final

Eles estão dispostos a tudo para salvar os ‘cariocaish’. 

Estrelando: Paulo Schmitt, Szveiter, todos os promoAtores do STJD, o advogado do Fluminense e grande elenco.

Patrocínio: UNIMED, CBF E GLOBO

E por falar em Paulo Schmitt… você lembra do Sestário, o advogado que “avisou” a Lusa por telefone, né?

Então…

Choppinho

choppinho-maracutaia

Dá uma olhadinha na imagem e veja no link abaixo o vídeo desse encontro. E depois me responda:

Você acha que fica difícil confiar na isenção de Paulo Schmitt? Fica difícil confiar na credibilidade do STJD?

http://extra.globo.com/esporte/brasileiro/era-so-um-choppinho-paulo-schmitt-osvaldo-sestario-protagonistas-do-caso-heverton-sao-flagrados-em-restaurante-11161588.html