Eu ainda não tinha escrito sobre Palmeiras x Portuguesa. Fui ao jogo, assisti à tudo de pertinho e, ainda assim, não havia quase nada a dizer. Talvez eu pudesse reclamar, mas nem eu mesma consegui identificar o que estava errado com o time.

O relógio do microondas marcava 2h40 da manhã da sexta-feira, e lá estava eu, parada, no meio da cozinha, pensando em algumas coisas, pensando no jogo à que tinha assistido, no Palestra. Só uma palavra descreve o que foi aquilo: brochante. O pessoal corre, se esforça, mas tá tão esquisito que nada funciona, nada dá certo… Cleiton não estava no time, o que já é um baita problema, porque não temos ninguém para armar o jogo como ele, e a falta de atacantes  é um problemão. Quem é que esperava ficar sem dois deles? Obina (tenho saudade),  foi impulsivamente dispensado, e Vagner Love, alguns torcedores fizeram correr daqui. Tá certo que precisamos de contratações. Mas a falta de atacantes não faz a gente tomar os gols bestas que temos tomado…

A Lusa abriu o placar, numa falta de sorte de Armero (que até estava jogando a contento), e depois tivemos que correr atrás do prejuízo. Pobre Armero! Corre, se esforça, suporta a pressão, mas a sorte anda muito madrasta nessa má fase que o jogador atravessa. A bola bateu na cara do adversário e foi cair nos pés do atacante da Lusa. Marcos nada pode fazer.E o Robert nada de marcar um gol. AI QUE SAUDADE DO OBINA! Mas ainda bem que temos um zagueiro artilheiro! Danilo, com chute forte, preciso, tratou de igualar as coisas. Diego mandou uma na trave. Foi um pecado, para uma jogada individual tão linda… E foi só.

 
Mas quando o jogo acabou, um lance chamou a atenção do torcedor. Eu só soube depois. Armero foi até a torcida e pediu desculpas pela falha e pelo gol que acabou proporcionando à Lusa, sem querer. Que dignidade tem esse colombiano, hein? E ele tem o meu respeito e a minha torcida para que consiga encontrar seu melhor futebol.

Veio o final de semana, e o Palmeiras foi à Bragança (cidade da amiga Andréia), enfrentar o time da casa. Cleiton estava de volta, para formar dupla com Diego, e aí a conversa já era outra. Armero, que pediu para não jogar, para se recuperar psicologicamente, acabou dando lugar à Wendel; Edinho, foi para a zaga, substituir Léo. E o Palmeiras precisou de apenas seis minutos, para que a dupla Cleiton e Diego “pintasse” o jogo com outras cores. Numa levantada linda e genial de Diego, Cleiton abriu o placar chutando por cima do goleiro. Passe e finalização de encantar o torcedor. Era o Verdão na frente e com pinta de arrasador!

Só que depois do gol, o Bragantino começou a reagir e, pela esquerda, criava jogadas que levavam perigo ao Palmeiras. Aos 20′, o Bragantino marcou um gol, mas o juiz já havia apitado falta no lance. O Palmeiras criava algumas  chances mas, estranhamente, se mantinha recuado. O Bragantino, por sua vez, pressionava e chegou a marcar outra vez. Para nossa sorte, houve impedimento, devidamente assinalado pelo árbitro. A gente até estranha quando o juiz apita lances capitais corretamente. Embora não vá aceitar nunca, o palmeirense já está acostumado a ser roubado.

E o primeiro tempo terminou sem brilho algum, embora estivéssemos vencendo. Destaque apenas para algumas boa jogadas da dupla Cleiton Xavier e Diego Souza. Robert esteve apático, Sacconi errava várias vezes e Figueroa e Wendel tinham problemas com a velocidade de Esquerdinha e Diego Macedo.

Veio o segundo tempo e novamente aos 6′, o Palmeiras, que voltou atacando, marcou o seu gol. Wendel cruzou da esquerda e o goleiro do Bragantino soltou nos pés de Robert que, mais esperto, tratou de guardar. 2 x 0!!! Até que enfim!!  Parecia que o destino do Bragantino estava selado. Parecia… Não sei se, pela vantangem conseguida, ou algum outro fator determinante, mas o Palmeiras, mais uma vez, repetiu o roteiro e deixou que o Bragantino viesse prá cima. Um bom chute de fora da área, exigiu de Marcos uma bela defesa. Aos 13′, não teve jeito. O Bragantino cobrou falta e Marcos, atrapalhado pelo sol (ele já reclamava antes da cobrança), nem viu onde a bola entrou. Pô Marcos, tem que usar um boné, uma viseira, né?

O Palmeiras continuava recuado e o Bragantino, depois do gol, se mostrava ainda mais motivado. Muricy colocou William no lugar de Sacconi. Eu reclamei! Dada a apatia de Robert, queria que Lenny entrasse no time. E ele entrou aos 33′. E exatamente aos 33′, o Palmeiras tomou o segundo gol. Quixadá, em jogada individual, chutou forte, de dentro da área. Marcos rebateu e o próprio Quixadá marcou. Era o empate! E o time da casa tava em cima do Verdão. O torcedor palestrino mal podia acreditar!

Mas sabe como é, né? A gente fica bravo, reclama, mas deixar de torcer, de acreditar… NEM PENSAR! Eu, que já queria o Lenny no time, depois de vê-lo entrar, torcia muito para que se saísse bem. O garoto é raçudo, sabe jogar e só precisa de sequência.  Cinco minutos depois do empate do Bragantino, enquanto na Arena Barueri, Rogério Ceni brincava de “Onde está Wally” com a bola e Robinho … Uhauhauhauha, Maestro Xavier cruzou da direita e o menino, iluminado, só escorou para fechar o placar!!  A torcida explodiu de alegria! Lenny comemorava com a felicidade do garoto que é. Garoto que sabe jogar que nem gente grande (melhor que Robert)!  Garoto que veste a camisa verde-esmeralda mais linda do mundo e sabe disso!

BOOORA, VERDÃO! CONTRATA AÍ, BELLUZZONE! VAI SER SÓ APERITIVO, EU SEI, MAS VAMOS GANHAR ESSA PORRA!!!

O palestrino está muito bravo depois da derrota de ontem. Mas se engana quem pensa que foi por ter sido para o time da Marginal sem nº. Imagina se vamos reclamar de uma derrota bissexta. Bissexta, sim! Desde 2006! Acontece de quatro em quatro anos. Iniciei o Blog em 2007, e esta é a primeira vez que escrevo sobre uma derrota do Palmeiras para os gambás. Nem existia o Twitter quando perdemos pela última vez. E, se o mundo for mesmo acabar em 2012 (rsrs), os gambás que comemorem bastante a façanha de ontem, porque não terão outra oportunidade…

Mas o jogo foi uma coisa!! Que os gambás têm um time bem ruinzinho, até o Mirassol sabe… Que eles jogaram contra o Palmeiras, encolhidos, com todo mundo na defesa, como se fossem o Taquaritinga, todo mundo viu. E por 80 minutos!!! E, por isso mesmo, o Palmeiras não poderia ter jogado tão mal. Mas o Verdão jogou muito bem, dirão alguns. Com um jogador a mais (já que O Máscara, antes dos 10 inciais, foi expulso), o Palmeiras teve a posse de bola praticamente o jogo todo. Posse de bola ilusória, uma vez que os gambás acuados e cagões não se aventuravam ao ataque a não ser em raríssimas vezes. E, mesmo com o domínio das ações, um time sem atacantes, poucas vezes leva perigo ao goleiro adversário. Eu diria que o goleiro nos parou apenas em duas reais oportunidades; uma, com Danilo e outra, com William. Sem Diego Souza não dá, né? E tem gente que acha que ele não joga sério… Fez e, sempre que não joga faz, uma falta desgraçada!!!

Eu já não tinha gostado da escalação de Gualberto, João Arthur (por serem inexperientes) e Armero. Se Armero está em má fase, teria sido melhor ser poupado da “fritura” e ter ficado no banco.  Além do mais, se Eduardo não serve como suplente, porque cargas d’água faz parte do elenco? E podemos ainda contar com Wendel, que quebra bem o galho por ali.

Começo de jogo (6′) e o juiz marcou uma falta de Armero; daquelas cometidas por tantos jogadores, em todas as partidas. A bola foi alçada quase da entrada da área, bem próxima à linha de fundo. Bola besta para ser aliviada pela defesa. Edinho (que foi bem no restante da partida) falhou no lance, deixando Jorge Henrique (quase um anão) subir mais do que ele e marcar de cabeça. Achei que Marcos, indeciso, também falhou. Dois minutos depois, o picareta do Roberto Carlos, resolveu “dar um aviso” ao jovem e bom jogador, João Arthur. O vagabundo, num carrinho criminoso, por trás, entrou para quebrar o moleque e foi expulso. E as “putas” da transmissão da TV reclamaram até não querer mais. Na Globo, Arnaldo César Coelho, dizia que era falta para expulsão, mas que pena ter acontecido com RC. Se fosse com outro, tava tudo bem, Arnaldo? Na Band, mais enlouquecidas ainda, as “putas” diziam que a expulsão não era justa. Não acredito que  seja espontâneo, viu? Tem alguma coisa por trá$$$ di$$o…

Com um  a menos, Mano Menezes colocou Danilo na esquerda, e os gambás ficaram encolhidinhos atrás, de onde não sairam mais. Tivéssemos atacantes e teria sido uma festa, outra vez. Numa falha de Chicão, Edinho, dentro da área, chutou fraco nas mãos do goleiro. Aos 33′, Robert, também na área, recebeu em condições de marcar mas se atrapalhou e tocou para Daniel tocar pro gol, em impedimento. Muricy, por sua vez, tratou de mudar o time e o que eu tinha entendido como uma escalação errada. Mas cá entre nós, sem opções, vai colocar quem??? Sacou Gualberto e colocou Daniel, que não jogou nada! Armero, muito nervoso, cometia muitas faltas e tava na cara que o juiz logo ia querer compensar a expulsão do Sr. Meião.Deu lugar a Wendel e saiu chorando. Chorando porque, mesmo em má fase, tem consciência do que é vestir a nossa camisa. Chorando, porque tem brios e para ele é, sim, importante ser jogador do Palmeiras. Merece ser respeitado!  É jovem e deve ser melhor trabalhado, orientado. Ano passado, pouquíssimas pessoas o queriam fora do time.

No segundo tempo o quadro foi o mesmo, os “ratones” encolhidos e o Palmeiras dominando a partida, só que sem poder de fogo. Falta cobrada por Cleiton que o goleiro defendeu; uma outra oportunidade que Robert concluiu rasteiro para defesa fácil de Felipe… Joãozinho deu lugar a William. Nos minutos finais, nosso time aumentou a pressão, mas sem competência nas finalizações, o gol não saía de jeito nenhum. Uma bola de Wiliam tinha endereço certo, mas o zagueiro gambá tirou. O juiz ainda expulsou Cleiton Xavier, por reclamação. Imaginem se um nosso não seria expulso… Antes do apito final, Danilo recebeu e, ao invés de matar no peito e chutar (é zagueiro, né?), cabeceou nas mãos do goleiro.

A torcida culpa o Armero… Caramba, isso é mascarar os reais problemas que o Palmeiras enfrenta. O time não tem atacantes, não tem zagueiros suficientes para a maratona dos campeonatos, precisa de laterais e tampouco tem banco. Quando, finalmente, perceberam que Sacconi poderia jogar e nos ajudar e o colocaram no time, a diretoria vende o cara, às vésperas do clássico. E o pior, vendem de qualquer jeito, sem o bendito passaporte da Comunidade Européia, e o negócio é desfeito. E, quanto aos atacantes, tudo bem que a diretoria não esperava o que aconteceu com a Emília, mas esses homens dirigem o Palmeiras, porra!! Têm que ter soluções na manga, e prá ontem!

Estamos em Fevereiro e o time não está pronto! E nós perguntamos: CADÊ OS REFORÇOS, BELLUZZO? E as declarações  ‘mandrakes’  de Cipullo e Toninho: “Estamos satisfeitos com o time” CUMA??? Estamos quem?? Eu não estou. Não é porque amo o Palmeiras e admiro muitos jogadores que temos no elenco, que estou satisfeita. QUERO VER MEU TIME JOGAR UM FUTEBOL DIGNO DA GRANDEZA QUE O PALMEIRAS POSSUI. E, para que isso aconteça, é preciso contratar!! Léo, Edinho e Márcio Araújo foram belíssimas contratações. Mas não resolvem o nosso problema. Onde vamos chegar só com esses jogadores que temos? Cada vez que um zagueiro se contundir ou levar o terceiro amarelo, a gente faz o quê? Reza? E quando Diego não jogar? Ou Cleiton? Rezamos outra vez? Armero não está bem, Figueroa está mais ou menos, precisamos de laterais. O ataque não existe. Não tem como fugir disso. Tem que contratar, Belluzzo!! Sabemos do seu empenho, e de todas as dificuldades que você enfrentou, até agora, em prol do Palmeiras e já te agradecemos por isso. Agora, não! Agora é hora de você ser cobrado!

Costumam chamar de “corneta” aquele torcedor que reclama, após as derrotas. Mas eu escolho ser a pessoa que  reclama por querer ver o meu time bem montado, jogando bem e ganhando títulos,  a ser uma “Alice” do País das Maravilhas, alienada,  que vive correndo atrás do “utópico” Coelho Branco…  

Era para ter sido uma fácil vitória, mas o Palmeiras, e Armero, em especial, fizeram questão de complicar as coisas…

O Verdão, com dois zagueiros machucados, promoveu a entrada do jovem Gualberto e  começou o jogo com tanta ofensividade que espantou até mesmo o torcedor palestrino. Teria sido a melhor partida do Palmeiras, mas o resultado, infelizmente, não nos deixará lembrar disso. O Palestra dominava o jogo. Logo aos 2, Diego Souza mandou uma bomba de longa distância e a bola, ingrata, foi bater no travessão. Era o Verdão mostrando que tinha ‘bala na agulha’! E se seguiu uma cabeçada perigosa de Robert; e mais outra dele, que foi encontrar o travessão. O Ituano, numa colaboração da zaga palestrina, quase marca, numa tentativa de encobrir Marcos. O goleirão fez uma bela defesa. No mesmo minuto, contragolpe do Palmeiras, com velocidade; Cleiton encontrou Diego que, na entrada da área, cortou o marcador e chutou. Um lindo gol do nosso artilheiro (quem é que precisa da
“Emília” ?).

Veio o segundo tempo e, com 1′ de jogo, depois de uma furada de Gualberto, Juninho Paulista ainda chutou duas vezes para igualar o placar. Que vacilada… DO JUIZ!! Um jogador em flagrante impedimento, participa da jogada e o homem do apito, prá variar, nada marca. Mas o Palmeiras era soberano na partida.  Aos 5′, o goleiro do Ituano faz duas defesas. Uma, num chute de Sacconi e a outra, depois de arremate de Cleiton Xavier. A torcida estava confiante! O segundo gol tava madurinho… E não demorou muito. Cleiton Xavier cruzou na cabeça de Robert e ele guardou o segundo!!! O Palmeiras ia pressionando e perdendo também, muitas oportunidades de ampliar. Armero, que até tinha começado bem, estava perdidinho em campo. E o Muricy deixava Eduardo no banco… Para piorar, Gualberto deu um carrinho e foi expulso por  jogada violenta. E a gente sem zagueiro no banco, né diretoria?A expulsão foi justa, mas o mesmo critério não foi usado com o jogador do Ituano que bateu o jogo todo, tampouco o carrinho de Roberto Carlos, no jogo dos gambás, outro dia, foi punido como manda a regra.

A falta de um zagueiro desestruturou a zaga e o time do Palmeiras, uma vez que Pierre foi cobrir a ausência. E a conivência do juiz em certos lances nos prejudicou ainda mais. Mas, aos 24′, Cleiton, (de novo ele!), iluminado, deu um lindo passe para Sacconi que só teve o trabalho de mandar pro fundo do gol. Palmeiras 3 x 1 Ituano!! Hoje tá fácil, pensava o feliz torcedor palestrino… Mas não estava… Se o Ituano não estava conseguindo dificultar para o Palmeiras, que tal o próprio Palmeiras dar um jeitinho nas coisas?

Aos 36′, nosso lateral esquerdo foi tirar uma bola da área, naquele seu jeitinho Armero de ser; a bola bateu no rosto de Danilo e enganou Marcos. Por essa ninguém esperava. A fase não é boa mas ele deu azar no lance, viu? A gente já tava com um a menos; Pierre teve que cobrir a falta do zagueiro; fizemos um gol contra… Chega, né? Pois sim… Depois de  ser presenteado com dois gols (pelo juiz e por Armero), claro que o Ituano se encheu de vontade, né? 40’… cobrança de escanteio para o Ituano que virou um bate e rebate na área; a bola sobrou para o zagueiro Rodrigão que empatou a partida.  Achei que o Marcos saiu meio estranho na jogada. Mas foi um baita vacilo dos nossos jogadores… E por pouco o Palmeiras não faz o gol da virada, mas Éder fez uma importante defesa…

Moral da história: Não podemos mais perder pontos para times pequenos, dentro da nossa casa! Precisamos de banco, prá ontem, diretoria!! Precisamos que jogue quem estiver melhor e que vá para o banco quem estiver em má fase! Simples assim, Muricy!  E que tal o Gabriel fazer a sua estreia no time titular enquanto Armero é melhor ‘trabalhado e orientado’? Ah, e acho bom o Palmeiras começar a pagar os juízes… Mas não é para nos favorecerem  e sim,  para QUE APITEM DIREITO, PELO MENOS!

E O MAGO, QUANDO É QUE VEM, BELLUZZO???

Como eu já tinha dito anteriormente, não há vida sem Palmeiras. Pois hoje o Verdão voltou, e com ele a vida, a alegria e as ruas cheias de parmeras. Milhares de camisas verdes, brancas, limão, circulando felizes pelo entorno do Palestra Itália. Acho que até as ruas e calçadas ficam tristes quando não tem o Palmeiras em campo.

O dia também era o de encontrar os amigos e de conhecer outros.  Graças a um gentil convite da Samsung, fui assistir à partida no camarote. Nem preciso dizer que foi bom demais, né? Vários amigos da mídia palestrina estavam lá. E fomos muito bem tratados por todo o pessoal da patrocinadora. A Giovanna merece um destaque. Beleza, gentileza e simpatia combinadas em uma mesma pessoa. O mundo virtual que, de repente, se mistura com o real. O Palmeiras, com a ajuda da internet, estreitando laços de amizade e afeto  na imensidão que é a nossa ‘família”. E a Família Palmeiras se reuniu!! Como só ela sabe fazer!
 
A impren$inha que não se cansou de publicar que a nossa torcida seria um problema para o time, mais uma vez deu com ‘os burros n’água’. Eram dezessete mil pessoas (!!!), num jogo de estreia de Paulistão e com a tarde prometendo uma chuva imensa. Será que não entenderam ainda que somos loucamente apaixonados pelo Palmeiras?? E que nada, nem ninguém jamais vai mudar isso? E quando nos pintou de “patinho feio” da competição, por não termos contratado a baciada de abacaxis (passados) que outros contrataram, a impren$inha errou de novo!!!

O Palmeiras entrou em campo (num 4-4-2 !!) com algumas caras novas. Márcio Araújo,  Léo…  Tinha também o William, que estava de volta, após uma passagem pelo Vitória.  Primeiros minutos e o Palmeiras, apesar do domínio, não conseguia passar pelo goleiro do Mogi. A mim, parecia faltar uma jogada, individual que fosse, para chegarmos com mais perigo ao gol.  O time estava bem, defesa boa, o meio também. O torcedor, apesar de ressabiado em relação ao ataque, parecia aliviado com a saída do canastrão de tranças.

E se o Palmeiras, só por detalhes (roubos, desfalques…) não levou o Brasileiro, é claro que não deveria sofrer uma reformulação total no elenco. É claro que precisava apenas de alguns ajustes. E as duas contratações feitas, nos mostraram isso. Léo, muito seguro e desenvolto, nem parecia estar fazendo a primeira partida pelo Palmeiras. A mesma coisa se dava com Márcio Araujo que me pareceu ser o companheiro ideal para  Pierre. Já estavam bem entrosados, roubando bolas e fazendo belas jogadas. Os novos jogadores  já deram mais consistência ao time. E  era Palmeiras e Mogi Mirim, né? Com todo respeito ao adversárioi, mas não há comparação. Com uma defesa fraca, querer jogar na retranca contra o Palmeiras, de Diego Souza, é brincar de gato e rato. O Verdão mostrou quem era o dono da casa e da bola…  E matou a pau!!!

Diego  acabou com o Mogi. Aos 30′ do primeiro tempo  Cleiton em cobrança de falta, achou Diego que, sozinho, cabeceou forte e guardou. Era o Palmeiras merecidamente na frente!! O Palestra gritava: “Diego, Diego…” Minutos depois, nosso novo Animal, que  estava bastante inspirado (tomara esteja sempre),  meteu um chapéu em Baraka, que fez a falta e foi expulso. O que já era certo veio ainda mais fácil. Quando o primeiro tempo estava por acabar, numa jogada ensaiada, de velocidade e bom toque de bola, Cleiton levou a bola até a linha de fundo e rolou para trás; Léo, de perna esquerda, marcou o segundo. Um gol de atacante que o nosso zagueiro comemorou demais. No camarote da Samsung era só alegria…

A superioridade do Verdão era evidente. Na segunda etapa, como o Palmeiras cadenciava a partida, o Mogi tentou chegar, mas o Santo fez uma defesaça.  Só que, aos 13′, num erro de marcação, o Mogi fez o seu gol. A torcida nem ligou  e continuou cantando. Quatro minutos depois, Cleiton cobrou falta e a bola espirrou no travessão. Da linha de fundo, o oportunista Robert, de cabeça, tirou do goleiro e guardou o terceiro. “É FESTA NO CHIQUEIRO!!” cantava o Palestra. Tinha mais! Cinco minutinhos depois numa bela jogada, a bola passou de Sacconi para Márcio Araújo, depois para Pierre que tocou na área para Diego; o artista da tarde deu uma entortada no marcador e meteu o terceiro na rede!! E calou aqueles poucos que lhe mandaram um ‘recadinho’ no começo da partida. Era o show do Palmeiras, comandado por Diego Souza!!! E foi ele quem recebeu na área, driblou e foi derrubado. Penalti!! E, merecidamente, foi Cleiton Xavier quem cobrou e guardou o quinto gol do bom time do Palmeiras.

“Mas o Mogi é fraco”, dirão alguns…  “O Palmeiras não trouxe quase ninguém, os adversários contrataram muito melhor”, diz a impren$inha… Pois é… perguntem aos jogadores do Monte Azul(que foi roubado e levou um gol de braço) e da Lusa (que também foi roubada)  o que eles acharam das contratações dos rivais… uhauhauhauhauah

É só alegria nas Perdizes!  Verdão deu show e o Verdãozinho aumentou a nossa felicidade. Ganhou do time do Desportivo e segue rumo ao tão sonhado título da Copinha. Que a sorte os acompanhe, porque futebol essa garotada já mostrou que tem de sobra!!

2010 SE PREPARA! O VERDÃO VEM COM TUDO!!!

 

Agora vai ser assim até o final… Adrenalina pura! Fácil não é, mas já são 14 rodadas que o Palmeiras dorme e acorda líder. Por acaso, também não é.

Com os nervos em frangalhos, quase sem voz, e a certeza de que é ruim esse time perder… o torcedor palmeirense saiu do Palestra Itália. Um jogo de arrepiar! Palestra cheio, apesar de chover o dia inteiro,apesar do frio, apesar dos desfalques… Engraçado que se os gambás jogam sem um, a impren$inha não secansa de “martelar” que o time é misto; os bambis ganham do Náutico com a ajuda do juiz e as manchetes anunciam que a vitória foi heróica… Agora, o Palmeiras, que é o líder do campeonato, o Campeão doSéculo, é tratado como coadjuvante e, na narração, parece que o ‘grande’ é o Avaí, e a manchete diz: no sufoco Palmeiras arranca empate do Avaí. Ninguém cita que, contra o líder, todo mundo quer mostrar muito mais serviço, afinal o Palmeiras é o time a ser batido… por todos.

Não foi essa tragédia toda, apesar do nosso primeiro tempo ruim. Tomamos dois gols em vacilos absurdos na bola aérea. No primeiro, aos 7′, incrédulos palmeirenses viram uma cobrança de escanteio,ir para dentro das redes depois da falha da zaga e do último toque de Marcão. Ninguém merece… Além de ruim ele é azarado… O Palmeiras, sentindo as ausências de Armero, de Maurício Ramos, Maurício Nascimento, de Pierre e do craque do campeonato, Diego Souza, foi a campo com os herdeiros de Luxemburgo: o “melhor volante do Brasil” Jumar, Marcão e Jefferson, aí já é entrar com três a menos. Ao tomar o gol, deu uma desarrumada e só aos 18 tivemos uma boa chance com Love. Mas, aos 32′, o Avaí ampliou outra vez na bola aérea.  Aí já era demais!

Mas vá dizer isso para a Que Canta e Vibra… De arrepiar a participação dessa apaixonada torcida! Perdendo ou não, ela não parou de cantar nem um minuto. Enlouqueceu o Palestra e incendiou o time, que passou a buscar o seu gol. Mas tem dia que nem tudo dá certo. Souza não jogava bem, Cleiton também não, Edmílson oscilante, ora acertando, ora cometendo erros inaceitáveis. Mas o Palmeiras lutava. Vagner Love que o diga. Jogou muito! E aos 38′, cobrança de falta de Figueroa e a bola sobrou para o matador, receber, virar e fuzilar o gol do Avaí. O Palestra explodiu! Agora era só buscar a virada… que não veio mas podia muito bem ter vindo, dado o volume de jogo que o Palmeiras apresentou no segundo tempo. Sairam Obina e Jefferson; entraram Willians e Robert. O tempo passava e o gol não vinha… O Avaí ainda perdeu duas chances. Muricy colocou Ortigoza. Que nervoso! Meu coração, à essa altura, tava lá no Palestra Itália (ele sempre está), mas eu acreditava. O Palmeiras não merecia perder.

Cleiton sofreu penalti que o bandeira deu, mas o juiz não… ai meu Deus! Em outro momento, o goleiro do Avaí espalmou e tirou. Madona mia, será que esse gol não sai? Claro que sai! 41′, Ortigoza rouba uma bola e faz um cruzamento, cruzamento não, ele “colocou com a mão” a bola na cabeça do, mais uma vez ILUMINADO, Robert. E ele mandou prás redes. Era o empate. O torcedor, que acreditou o tempo todo, soltou o grito da garganta. O Palestra era só alegria!

Conquistamos 1 ponto heroicamente! Mesmo com o placar adverso, o Palmeiras, desfalcadíssimo, foi à luta e igualou. Por pouco não virou… Pena que Vagner Love, ajudando a marcar lá atrás (até isso ele faz), tenha sido expulso e Obina e Edmilson tenham levado o terceiro cartão. Lá vem mais desfalques. Mas não importa. Agora vamos do jeito que der, com a raça de sempre. Maurício Nascimento estará de volta e no ataque vamos de Ortigoza e Robert. Essa dupla me agrada.

Demos uma tropeçada na hora em que podíamos, quando outros deram também. Tá certo que queríamos a folga que uma vitória hoje poderia ter nos dado. Mas é muuuuito melhor estar 5 pontos à frente do que atrás. Pergunte aos bambis e aos outros que vêm atrás (que quando podiam encostar não encostaram, podiam passar, não passaram), o que eles acham disso… O Porco tá gordinho, no rumo certo. O time nunca para de lutar e a torcida, que nunca para de cantar, sabe que é só uma questão de tempo…

VAMOS LÁ, VERDÃO! FORÇA! FALTAM 10 JOGOS PARA O BRASIL E O MUNDO FICAREM VERDES!!

P.S. Eu estou extenuada… Parece até que quem jogou e  marcou o Muriqui fui eu…uhauahahuahuahuahuah  

 
“…Y cuando vengan los dias 
         Que nosotros esperamos 
             Con todas las melodias  
                  Haremos un solo canto…” – Mercedes Sosa
 

QUEM VAI SER CAMPEÃO BRASILEIRO, LEVANTA A MÃO! Eu não tenho dúvidas de que o Palmeiras vai levar esse título. Meu Deus! Em onze minutinhos, o Verdão, deixou  Luxemburgo procurando Nemo. E com que categoria mostramos ao Brasil que o Campeão Brasileiro de 2009 tem nome: Palmeiras! Tá  com pinta, futebol e jeitão de campeão, o nosso “Parmera”. Foi tão convicente que o Cleber Machado, que narrou nossos gols com a alegria de quem perdeu a carteira, terminou a transmissão como se estivesse em um velório. Combinava com a cara de FAIL do Pofexô…

E alguém viu o Hugo (WHO?)? Ficamos com tanto medo e tão pressionados depois da “ameaça” que ele nos fez… uhauha Os bambis se mataram para ganhar do ultramegasuper Náutico, para continuar cinco pontos atrás do Palmeiras. Nós, enfrentaríamos o time do Vanderlei “eu sou bom” Luxemburgo, na Vila Belmiro. E, pelo visto, o Psicopata tá querendo participação no nosso título, sim. Depois do que vimos hoje, ele está querendo que o Palmeiras seja campeão. uhauhauhauhaua AQUI É TRABALHO, MEU FILHO!

O jogo começou na correria e marcação cerrada por parte do Santos. O Palmeiras aos poucos ia achando os espaços. E embora tivesse problemas de posicionamento (muito distanciados uns dos outros) e finalização, jogava melhor que o adversário. Tava na cara que ia acabar marcando. No primeiro tempo houve um certo equilíbrio. No segundo, Muricy acertou as coisas, mas quem abriu o placar foi o time da Baixada. Um vacilo, mas nem foi nada. O Palmeiras, que conduz as partidas à sua conveniência, se manteve tranquilo e empatou com Diego Souza, num perfeito cruzamento de Figueroa. Eu tinha até reclamado que Diego andava em campo, mas a fera é assim mesmo, fica à espreita da melhor oportunidade, vai lá e decide. É o craque do time. O craque do campeonato! Só Luxemburgo não sabia disso quando aqui esteve.

E o gol foi a senha para o que veio a seguir… Com autoridade de campeão, o Palmeiras foi prá cima e em dois lances, deu show, definiu o placar e acabou com as pretensões do psicopata… uahuhauah Mais um lançamento de Figueroa para Diego que driblou e chutou cruzado, rasteiro. Robert (no lugar de Obina), espertíssimo, se esticou todo e tocou pro gol. De virada é mais gostoso!! Nem parecia que a nossa torcida não tinha recebido ingressos suficientes. Como se estívéssemos todos lá, era só a nossa “voz” que se fazia ouvir. Lindo demais!

Mas quem é Palmeiras, sabe em que velocidade corre o sangue nas veias, em que ritmo bate o coração. Não desacelera nunca! Jogada de cinema, Diego levanta para Cleiton mais à frente, que tabela com Love e, magistralmente, toca para Robert ganhar de Triguinho e tocar entre as pernas do goleiro… E quem vinha lá??? Vagner Love!! GOOOOOL!! O terceiro do Verdão! Os três gols em onze minutos! Que felicidade, meu Deus! Meu time vai ser campeão! E quem é que segura as lágrimas numa hora dessas? A gente não sabe se ri, se chora, se pula, se grita, se olha a TV, se agradece aos céus e acaba fazendo tudo de uma vez. Uma doideira só…

Pintou o campeão! Inquestionavelmente. Até os abutres carniceiros da imprensinha já se rendem às evidências. Até o juiz que ia roubar, não roubou  e voltou atrás na marcação de um penalti inventado. Respeitou o futuro campeão.  São 75% de chances de levar o título. Ninguém vai poder parar o maravilhoso time do Palmeiras… Ninguém vai poder tirar a vontade de ganhar de nossos craques, nem o talento de Diego, a perfeição de Marcos, a lucidez de Cleiton e Edmilson, a competência de Danilo, Maurício e Figueroa, a velocidade de Armero…  Ninguém vai poder tirar  a garra de Souza, a vontade de Obina, a “luz” que ilumina Robert, a precisão de Vagner Love… A única coisa que poderão nos tirar é o grito de campeão, da garganta…

FALTAM 11,  PALMEIRAS!!!  TCHUUUUUUUPA, IMPREN$INHA!  TCHUUUUUUUPA, LUXEMBURGO!!

Não foi, e nem é, o fim-do-mundo. Mas eu não gostei nem um pouco do Palmeiras, ontem. Não jogamos nada! Pierre faz uma falta desgraçada, porque além de ser o nosso cão-de-guarda, o maior desarme do futebol brasileiro, faz um “extra” nas laterais, e defende cada centímetro do terreno com uma competência enorme, deixando a turma lá da frente mais folgada. Mas vamos ficar sem Pierre até o final do campeonato, não é mesmo? Então, vamos ter que achar um esquema que funcione, sem ele.

Não gostei de entrarmos com três zagueiros. Esse esquema pode até funcionar contra um time rápido, mas só se forem “os” zagueiros. Maurício Nascimento ainda está se entrosando, Marcão é o nosso frio-na-barriga, e temos Danilo (que levou o terceiro amarelo) prá segurar o rojão. Não acho que foi uma boa e, depois que perdemos Maurício, contundido, e entrou Sandro Silva, aí é que o bicho pegou. Edmílson foi recuado e jogou mal prá chuchu. Se fosse só ele…

Nossa zaga estava irreconhecível. O meio, sem Diego, não apresentava nada. Cleiton Xavier simplesmente não jogou, mas não foi por causa de tornozelo, não. E sim porque ele não é o cara que chama a responsa, que parte prá cima. Faz assistências maravilhosas mas não sabe driblar, e isso é necessário para se vencer um marcador e fazer uma jogada para um companheiro. Sem Diego, nunca temos quem faça esse papel. Somos dependentes do nosso camisa 7.  E o Santo? Marcos deve ter trauma do vitória. Foi sair socando uma bola que poderia pegar, com um jogador ‘em cima’ dele; aí a bola bate no cara e entra no gol.E isso com 19′ de jogo. Se ele já estava nervoso, depois então… Você tem crédito, São Marcos. Só não vai inventar de gastá-lo, tá?

Se não tínhamos quem criasse as jogadas, tava na cara que Vagner Love (ainda desentrosado) e Obina (que logo saiu machucado, dando lugar à Robert) não renderiam à altura. Mas e as laterais?  Wendel estava mais para desarmar do que criar; Armero fazia uma boa partida e levava perigo. Aos 40′, ele fez um cruzamento perfeito para Robert apenas escorar,de cabeça. 1 x 1.

Veio o segundo tempo e, enquanto Love perdia duas oportunidades, defendidas por Viáfara, o Palmeiras deixava Neto Berola jogar livre-leve-e-solto. E ele marcou o segundo dos baianos. Aí o time sentiu… e caiu muito de produção.Lutava, é verdade, mas não rendia o que dele se esperava. Quantos erros!! Demais, para quem quer, e vai ser campeão. E como desgraça pouca é bobagem, depois de Marcos salvar um gol olímpico a zaga se atrapalhou toda e tomamos o terceiro, com as bençãos de Marcão.

Até agora não tenho certeza se foi Sandro Silva ou Armero, quem vacilou e permitiu o gol do Vitória. Aos 43′, Ortigoza (que entrou no lugar de Wendel) deu um belo passe para Robert, marcar o segundo, novamente de cabeça. Pena que o mesmo Ortigoza, logo a seguir, tenha perdido a chance clara do empate. Não entendi porque Muricy não colocou Sacconi, quando chamou Sandro Silva. Poderia ter melhorado a criação das jogadas.

falhamarcozagueirojpg02

 

Não é fácil, não, hein amigos? Mas quem é que pensou que seria? Teremos uma pedreira lá em Minas, diante do Cruzeiro.Mas o Palmeiras é do contra. Nos jogos mais difíceis, ele sempre ganha os 3 pontos. Espírito de luta não tem faltado ao Verdão. Somos os líderes! A rodada não foi boa prá gente mas, 24ª rodada, tinha que ser boa prá elas, né? Pois elas que tirem o bambi da chuva, esse campeonato é nosso! Daqui prá frente, nossos maiores adversários serão os árbitros, por isso, chega de vacilar, hein Verdão?

AGORA COMEÇA A BRIGA DE CACHORRO-GRANDE, PALMEIRAS!! NO PEITO E NA RAÇA, VENHA QUEM VIER!! E VAMOS BUSCAR ESSA PORRA!

Ah! Antes que eu me esqueça… Vá à PQP, Rede Globo! E você, PVC, vá TNC!

As coisas andam bem movimentadas no Verdão. Depois do dia do “Pierre fica!”, agora chegou mais um atacante para o time. Seu nome é Robert, tem 28 anos, e defendia o América do México.O jogador já foi apresentado na Academia de Futebol. Eu não me lembro dele, mesmo tendo sido revelado pelo Coritiba e tendo sido atleta do Botafogo-SP e do São Caetano-SP. A torcida ficou meio desconfiada. Primeiro, porque Belluzzo tinha dado informações totalmente diferentes (para despistar, ele disse) sobre o atacante contratado; segundo, porque com 28 anos, Robert já rodou um bocado por aí: Servette-SUI,São Caetano, Kawasaki Frontale-JAP, Spartak Moscou-RUS, Atlas-MEX, PSV-HOL, Bétis-ESP, Al-Ittihad-SAU, Monterrey-MEX e Tecos-MEX, e terceiro porque, em 2001, Robert recusou vir para o Palmeiras, quando jogava no Botafogo/SP, pooode? Agora vai conhecer o Verdão, sua estrutura, sua torcida e ver que deu um passo atrás na carreira, em 2001. Mas Muricy deu seu aval: “Conheço há algum tempo, jogou no São Caetano e a maior parte da carreira no México. É um atleta de muita força, faz muitos gols. No futebol, é preciso fazer, quando aparecem bons negócios. E esse foi. Não sei se vai dar certo porque sempre existem problemas de contratos, mas é um bom jogador. Ele é de mobilidade, muito rápido e também faz a função de pivô.” Vamos aguardar…

Mas o que está pegando mesmo, são as declarações de Belluzzo, concedidas numa entrevista para a TV UOL, que também acompanhei. E quase caí dura! Eu pensando que o Palmeiras nem pensava em repatriar o Mago, enquanto “n”clubes do Brasil adorariam fazê-lo, me surpreendi com o que declarou Il Nostro Capo:

– Se eles (Al Ain) bobearem, a gente volta à carga. Mas o Valdivia está bem lá. Não prometo nada, porque não posso prometer o que não tenho condições de cumprir. Mas não paramos de conversar com ele, de manter essa proximidade. Ele gosta muito do Palmeiras. Se ele se distrair, trazemos o Valdivia de volta – comentou o presidente do Verdão.

Tá certo que foi só um comentário, mas o torcedor palmeirense já foi dormir feliz e sonhando com a possibilidade de ter a “magia” de volta ao Palmeiras. Acredito que não seja tão difícil conseguir repatriá-lo (ele era nosso…) por empréstimo, uma vez que, segundo o que o próprio Belluzzo declarou, essa seria também a vontade do craque.Já pensaram o que seria essa volta? Valdívia, que era a alegria da Que Canta e Vibra e o terror dos nossos adversários,iria causar um rebuliço do tamanho do mundo, ao voltar. Seriam quase trinta mil dentro do Palestra e mais uns milhares do lado de fora, no afã de rever o mágico craque, seus dribles, gols e seu “chute no vácuo”. Suas camisas sumiriam das prateleiras, outra vez. As crianças voltariam a acompanhar o Palmeiras com novo interesse.As entrevistas não seriam mais a mesmice de sempre. E  Belluzzo, seria alçado à condição de “Primeiro Presidente Ídolo da Torcida”. Porque, construir a Arena, bancar a permanência dos nossos craques para o Brasileiro, e repatriar um ídolo, seriam atitudes para Mustafá nenhum botar defeito. Vocês não acham?

Se no caso do Robert, vamos aguardar; no de Valdívia, vamos rezar… e muuuito, hein amigos? Que a fada maravilhosa que anda sobrevoando as alamedas do Palestra Itália, nos trazendo tantas alegrias, toque Belluzzo com seu pó mágico e ele vá buscar o nosso Mago. Que saudade de cantar   ÊO ÊO O VALDÍVIA É UM TERROR!!