“Quem não sabia que quando eles começassem a patinar no campeonato a juizada iria entrar em ação para ajudar ?  Essa bola estava sendo cantada faz tempo.” – Confucio

Lembra do Jô, aquele mesmo, que elogiou o jogador do SPFW por ter tido fair play num clássico contra o ‘Lava-jato’, e depois pegou carona nisso para se promover? Sim, esse mesmo, o ‘poço de honestidade’, “rei do fair play”, “defensor do jogo limpo”, o ditador de regras sobre comportamento dos jogadores. O mesmo que, arrotando virtudes e, transpirando uma moralidade que não possui, criticou jogadores do Palmeiras por induzirem o árbitro ao erro? O que pediu honestidade aos jogadores do Palmeiras e de outros times?

…………………………

………………………… O

…………………………

…………………………

…………………………

Então… esse jogador ‘corretíssimo’, “poço de honestidade”, “arauto da moralização no futebol”, que quer mudança no esporte, mudança que, segundo ele, tem que vir do comportamento dos jogadores… esse indivíduo, que diz que “tem que prevalecer a honestidade”, porque “árbitros irão errar menos quando jogadores forem mais honestos“, que  diz que jogadores servem de exemplo para as crianças… que só falta dar palestra sobre o assunto… esse mesmo sujeito, que pegou carona – para se promover – na atitude honesta de Rodrigo Caio  (se tinha alguém, que poderia falar em honestidade era o Rodrigo Caio) não é capaz de ter a honestidade que cobra dos outros quando é a vez dele ser honesto… Que coisa, não?

…………………………

 

O poço de “honestidade” cava pênaltis, ou seja, induz o árbitro ao erro… faz gol impedido… e nada da tal honestidade da qual tanto fala…  Para o Jô, ao que parece, jogo limpo é uma beleza, mas só para jogadores e times adversários.

…………………………

E, na rodada desse domingo, o Jô teve mais uma oportunidade de provar que “a honestidade deve prevalecer”,  que “é errado induzir o árbitro ao erro”… teve mais uma oportunidade de mostrar que “o futebol precisa de mudanças, e que elas precisam vir através do comportamento dos jogadores”… teve uma grande oportunidade de ser um bom exemplo para as crianças…

……….

E o que ele fez? Mostrou o seu lado B para o Brasil todo, mostrou que ele a tal da Dona Honestidade nem se conhecem, que fair-play  bom é só o dos adversários, que jogo limpo só é legal quando ele se favorece com isso, e que ter culhão pra dizer a verdade é coisa de homens e não para moleques… Na hora de ter que admitir que faz o que critica nos outros, ele, hipócrita até não querer mais,  põe Deus e os filhos no meio, mas continua faltando com a verdade, com a tal honestidade…

Fez um gol com o braço, e o juiz validou. Um gol com o braço do jogador e com a mãozinha do juiz…

E o jogador jura que “não sabe se foi com o braço”, diz que “não sentiu”… Mente mais, Jô, porque tá pouco.

Eu só condeno o Jô pela hipocrisia, por tentar parecer mais ético e mais honesto do que os demais, mesmo sendo muuuito menos. Os jogadores sempre tentam fazer os gols do jeito que dá e  cabe à arbitragem assinalar as infrações, ela está lá pra isso, e o árbitro conta com a ajuda de vários auxiliares.  Mas acontece que os árbitros raramente marcam contra o time do Jô (isso é de praxe), e ele sabe muito bem disso (o auxiliar de linha de fundo, podemos ver na imagem, está ali, pertinho, olhando o lance. Mas, quando pressionado pelos vascaínos, disse que não viu nada. Então… Muito difícil acreditar que ele não tenha visto, e por que, vendo, ele diria que não viu? (Será que vai ter punição do STJD para o jogador? E onde estão as punições para o auxiliar “ceguinho” e para o árbitro? Quando interessa aos piratas dos bastidores, a punição sai no mesmo dia. As arbitragens andam servindo a outros interesses).

E pra acentuar a vergonha de posar de honestão e não ser nada disso,  vieram as declarações pós jogo do Jô…

“Só Deus pode julgar”… Oi??

“Se o juiz deu o gol, não foi de mão”. Maoeeee! Nessa, ele se afundou… Sendo assim, usando a mesma régua torta do Jô… se no derby o juiz tinha expulsado o Gabriel, então não foi outro que fez a falta. Não é mesmo?

“Se eu tocar o braço na bola, vou dizer para o juiz que toquei, porque tenho que dar exemplo para os meus filhos”

Para o mundo, que eu quero descer! É esse o sujeito que clama por  honestidade e jogo limpo?  Foi por causa das declarações desse sujeito contra adversários que esses mesmos adversários foram tão questionados a respeito de caráter?

Que vergonha esse Jô… tão crescidinho e ainda não aprendeu a ser grande, a ser homem.

Pelo visto, apareceu a segunda “alma viva mais honesta deste mundo”. Ela só perde para aquela outra, “a mais honesta de todas” que, por “coincidência”, é da família ‘lava-jato’ também.

Quer dizer que, segundo alguns jornalistas, a culpa de o juiz ter amarelado o ‘lava-jato’ errado e tê-lo expulsado (no momento errado), ontem, é do Palmeiras, por ele não ter alertado o juiz sobre o engano que ele cometera ao expulsar Gabriel? Nossos jogadores não foram honestos porque ajudaram a ludibriar o juiz?

É fato que Gabriel não era o jogador que fez a falta em Keno, portanto, naquele momento, ele não tinha que tomar cartão amarelo nenhum, mas também é fato que o juiz já tinha errado ao deixar de amarelar Gabriel muito antes de ele tomar o primeiro cartão, e, na verdade, tivesse o juiz apitado direito, Gabriel teria sido expulso bem antes. O juiz errou ao não amarelá-lo e expulsá-lo antes, e errou ao amarelá-lo e expulsá-lo quando ocorreu a falta em Keno.

Mas o Palmeiras foi desonesto porque deveria ter avisado o juiz…

Oi??? Como dizia a minha avó, “vê se no céu tem festa”

Por acaso a gambazada, em 2015, avisou ao juiz que o David Braz(SAN), tinha sido expulso, por engano, porque o juiz confundiu os jogadores?

Será que avisaram ao juiz que o pênalti, sem vergonha, que marcaram outro dia no Jô, não tinha sido nada? Que o jogador se jogou simulando ter sido empurrado?

SERÁ QUE OS ‘HONESTÍSSIMOS’ GAMBÁS AVISARAM AO JUIZ QUE ELE TINHA EXPULSADO O CARA ERRADO QUANDO TINGA FOI EXPULSO POR LEVAR UMA VOADORA DE FÁBIO COSTA? (Isso mudou uma taça de campeão de endereço e quem acusou o beneficiado de desonestidade? Onde estavam esses hipócritas que agora chamam o Palmeiras de desonesto?)

Será que algum jogador lava-jato avisou ao juiz, ontem, no derby, que o Gabriel tinha que ter levado amarelo quando pegou o Dudu?

Será que a gambazada avisou ao juiz que aquele gol anulado do Alecsandro, na Libertadores, tinha sido legal?

Os jogadores ‘lava-jato’ avisaram ao árbitro que tinha sido o Petros quem o empurrara?

Será que avisaram aos árbitros todos, em 2015, que tinham cometido todos os pênaltis que as arbitragens deixaram de marcar?

Será que o ‘Lava-jato” avisou ao árbitro que, em 93, o Tonhão tinha sido expulso injustamente porque fora o goleiro Ronaldo quem ludibriara o juiz simulando ter levado uma cabeçada do palmeirense?

Será que a gambazada avisou ao juiz que o gol de Luisão, no Torneio de Verão, não foi gol porque a bola não entrou?

NÃO?????

Será que o Fluminense avisou ao juiz que o Obina não tinha feito falta nenhuma e, na verdade, tinha sofrido um pênalti no momento em que marcava um gol?

Será que o Santos avisou ao juiz que, na final com o Palmeiras, o Barrios não tinha tropeçado nas próprias pernas – como afirmaram os que quantificam a honestidade alheia agora -, e tinha sido atingido, sim, por trás, pelo jogador sardinha?

Será que o Santos avisou ao árbitro que ele errou ao validar um gol seu, nesse Paulistão 2017, porque a bola não entrou?

Será que o São Paulo avisou ao árbitro que o Adriano tinha feito o gol com a mão?  Será que o clube e os jogadores avisaram ao árbitro e a imprensa que a “farsa da pilha” era só isso mesmo, uma farsa?

Será que, na final da Copa do Brasil, o Coritiba avisou ao árbitro que era o Willian Farias quem tinha que ter sido expulso e não Valdivia, porque ele dera um chute no palmeirense primeiro?

Será que a seleção brasileira avisou ao árbitro que o gol de Túlio, que balançou a rede argentina e eliminou os hermanos da Copa América, tinha sido feito com a mão?

Será que os jogadores canarinhos avisaram ao árbitro que Luís Fabiano, na Copa do Mundo 2010, fez um gol com o braço na partida contra a Costa do Marfim?

Será que o Flamengo avisou ao árbitro que o gol de Márcio Araújo, que tirou um título do Vasco, no último minuto de jogo, tinha sido escandalosamente impedido?

Será que o Flamengo, no Brasileiro 2016, avisou ao juiz que não era só o gol irregular do Flu que tinha que ter sido anulado, porque, ele, Flamengo, também fizera um gol ilegal no mesmo jogo?

NÃO????

Nenhum desses clubes e jogadores, beneficiados com os muitos erros e “erros” das arbitragens, avisou aos árbitros que eles cometiam um engano? Ninguém falou a verdade pra eles?

NÃO??

E algum jornalista tirou o senso de honestidade seletivo do bolso, desceu do muro, cobrou honestidade desses clubes e jogadores? Os adjetivou de “desonestos” por terem se omitido nessas ocasiões, e em todas as outras vezes que as arbitragens erraram e “erraram” feio? Pautaram as suas notícias falando na desonestidade e falta de caráter dos clubes e jogadores beneficiados com esses erros e “erros”?

TAMBÉM NÃO?? Então, vão carpir um lote!

Estranho cobrarem do Palmeiras aquilo que nenhum dos que o cobram faz, que nenhum clube faz, aquilo que não cobram de nenhum outro clube e seus jogadores em nenhuma situação, estranho agirem assim, de maneira dúbia, seletiva, e falarem em honestidade, em caráter…

Honestidade seletiva, sazonal, não é honestidade, coisa nenhuma. É a hipocrisia – de sempre – vestida com outra roupa.

A quinta feira foi conturbada… Mas depois de um dia de reclamações ferozes de nossa parte, de uma insegurança tremenda, a gente foi dormir e acordou com uma certeza: aconteça o que acontecer, jamais daremos as costas ao Palmeiras. Não tem como não apoiar, não tem como não torcer…

Eu fiquei bastante decepcionada e acredito que algumas pessoas lá no Palestra merecem as críticas que a gora recebem. Mas não tenho raiva de Belluzzo, por exemplo. Fiquei triste dele ter que ir contra o que dizia pensar, logo após a derrota para o São Caetano. Triste, por imaginar que ele se viu “obrigado”, pelas circunstâncias, a dispensar Muricy e, manter o agora odiado por grande parte da torcida, Cipullo. Desapontada, por achar que ele era uma fortaleza, e agora se mostrar vulnerável. Mas compreendo que a sombrade Mustafá não permite certas rupturas na situação.

Eu também não queria o Antonio Carlos como novo comandante, por achar que ele ainda não é “o” técnico. Mas ele veio. Já vestiu a camisa e, até que prove não ser capaz, vai ter o meu apoio, sim! Já disse mais de uma vez que não gosto de ficar ‘de mal’ com o Palmeiras. E não vou ficar! Já apoiei Viola em outros tempos  e, depois disso, estou pronta para o que der e vier. Só espero que todas essas mudanças não sejam apenas pelo vil motivo de $$$empre… Porque é o que está parecendo… Marquinhos que já estava praticamente descartado e, por isso, bem desvalorizado, para prejuízo da Traffic, de uma hora prá outra, foi relacionado. Será que Antonio Carlos, no primeiro treino, já percebeu que ele “bate um bolão”? Será que ele mostrou em um treino o que não mostrou em um ano e muitas oportunidades em campo?? É ruim, hein? Se a gente for voltar aos tempos em que Luxemburgo enchia o time de tudo quanto é tranqueira que encontrava por aí, então vou entender quais foram os fatores extra campo (como afirmou nosso presidente) que fizeram com que o novo técnico fosse contratado. E vou ficar muito decepcionada com a nossa diretoria. Principalmente com Belluzzo. E quero ver também como vai se portar o time que me pareceu ter ‘fritado’ Muricy.

Mas agora, a página já virou e não adianta a gente reclamar. O técnico do Palmeiras é Antonio Carlos, aquele craque que por aqui passou e nos ajudou a ganhar muitos títulos. E chega desse papo de racismo, né! É verdade que Antonio Carlos, uma certa vez, teve uma atitude condenável. Mas que atire a primeira pedra aquele que não fere, ou nunca feriu,  nenhum semelhante com algum tipo de preconceito. Logo nós, que usamos e abusamos da homofobia contra o jogador Richarlyson? Se temos telhado de vidro, não dá para atirar pedras no telhado do vizinho. Aposto que se fosse um fabuloso craque contratado, ninguém reclamaria dele ser, ou não, racista.   E, ainda que eu seja contra o racismo, isso é uma questão de princípios, de valor moral, e se os de algumas pessoas são tão mais elevados que os dele, o mínimo que se espera é um pouco de complacência com aquele que ainda não conseguiu evoluir nesse aspecto.

Eu quero que Antonio Carlos faça um bom trabalho, com dedicação, competência e lealdade ao Verdão e, se possível, nos dê títulos. Os princípios dele, desde que não interfiram no trabalho aqui no Palmeiras, só a ele interessam. E é engraçado ver alguns torcedores, que chamaram Vagner Love de ‘preto safado’, “macaco”, agora se voltarem contra o racismo de Antonio Carlos. Hipocrisia pura!

Amanhã tem clássico contra os bambis e não somos os favoritos, muito pelo contrário. E é bem capaz de, por isso mesmo, o Palmeiras sair com a vitória. O time vai à campo diferente, sem os três volantes costumeiros, segundo declarações do novo técnico. Vamos ver qual Palmeiras entrará em campo diante dos leonores e como esse time vai se portar.

Meu ingresso está na mão. Ainda estou bem triste, meio sem chão e muito insegura, é verdade. Mas é hora do Palmeiras levantar, chacoalhar a poeira e dar a volta por cima. E, mesmo baqueada, ele pode contar comigo!!!

O PALMEIRAS, VAI JOGAR, EU VOOOOOOU!!!