Porco-rindo

Nada como um dia trás do outro… 13 de Maio de 2015 foi tão divertido, tão hilário – melhor do que o melhor programa humorístico -, que jamais será esquecido… a parmerada riu um bocado.

Lembra daquele cara que dizia que “sozinho fazia mais gols que o ataque do Palmeiras” (coitado)? Aquele mesmo, do time que tem um presidente sem classe e presunçoso, cuja administração não é capaz nem de manter o pagamento dos salários em dia, e que jura que é o Palmeiras  que está se apequenando? Aquele, que tem um goleiro barrigudo (!!!) que toma cada frangaço, e consegue ser conhecido mais pelos gols que marca do que pelos que defende?

Então… no jogo valendo vaga nas quartas de final da Libertadores, entre as “Marias mineiras” e as paulistas, as “marias paulistas” foram desclassificadas, o jogador falastrão perdeu pênalti, a banana, que o Vaidar comeu numa certa coletiva, sabe-se lá onde ficou entalada… E a zoeira da rodada mais hilária dos últimos meses teve início…

I WILL… GO HOME

Memes da eliminação do São Paulo da Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Memes da eliminação do São Paulo da Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Memes da eliminação do São Paulo da Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Todo mundo ficou “triste”. Até aquele cara, tão “religioso”, que vive ajoelhado… hahahahaha

Memes da eliminação do São Paulo da Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

“Após aprovação da PEC da Bengala, Rogério Ceni decide jogar até os 75 anos” (José Simão).

E olha só a pança do M1CO, entortou até o “I WILL”… #NãoAposentaNão

Mas ainda faltava acompanharmos uma outra partida… 😈

Você lembra daquele time que não gosta de Paulistinhas, né? Aquele, que durante um período de 80 anos, desde a sua fundação, só tinha conseguido conquistar… paulistinhas? O mesmo, que “nem ligou” de ter sido eliminado pelo Palmeiras, porque gosta de campeonatos maiores, gosta de Libertadores, mas, no Paulistinha, só passou pela Ponte Preta no apito?

Então… Ele gosta tanto de Libertadores, que, reza a lenda, teria entregado um jogo para os bambis, só para poder enfrentar o time mais fácil nas quartas, pra jogar contra a “carne de pescoço”, o “presente de Deus”, como diria depois o seu diretor… para enfrentar o Guaraní, do Paraguai.

Pegaram a moleza do grupo, e em duas partidas… Porém, depois de terem sido eliminados no Paulistão, pelo Palmeiras, o seu mais indigesto rival, e dentro do Esmolão, os “canpiaum mundiau” já tinham perdido o rumo, o prumo e a confiança…  e assim foram para o mata-mata das oitavas da Libertadores.

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

E não deu outra, levaram pau no primeiro jogo e foram pra segunda partida com 2 gols de desvantagem.

Acho que o maior erro do Tite foi ter gritado: “Fica de olho no Santander! Olha o Santander aí!” Metade do time parou para ver se o pagamento tinha caído na conta… e o cara abriu o placar. É compreensível terem feito confusão, afinal, eles não veem a cor dos salários faz tempo.

Mas o jogo da volta era baba, a classificação estava no papo… a imprensinha, “mó brisa”, já dava isso como favas contadas…

IMG_20150514_182426 IMG_20150514_182436 IMG_20150514_182414

O diretor itakera agradecia o “presente de Deus” (ter que jogar contra o Guaraní)… #SabiaDeNadaOInocente

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

E além de não conseguir marcar um mísero gol na partida – precisava de 3 para passar à próxima fase -, o time que “podia jogar a Champions (hahahahaha), que estava quase pau a pau com o Bayern (liberaram a maconha?), perdeu a estribeira, sentou a botina nos adversários, teve dois jogadores muito bem expulsos, tomou um gol no final do jogo, e perdeu para o Guaraní, de novo, e em casa,  diante da sua torcida  – boa parte dos “nunca vou te abandonar”, já tinha se mandado bem antes.

E aí, já viu… Com a gambazada, uma coisa é sempre certa, A ZOEIRA NEVER ‘WENDELS’… e todo mundo se divertiu, e está se divertindo bastante, menos eles, claro.

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

A “Xanpions” foi pro brejo…

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

Resultado de imagem para Corinthians é eliminado pelo Guaraní memes

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

– Seu motorista, passa pelo Corinthians em Itaquera?
– Passa. Ô se passa!

Torcida e time no maior “love” do mundo…

E não era pra menos… Finalmente, e graças ao Palmeiras e ao Guaraní, o “Itaquerão”, “Esmolão”, “Roubalhão”, “Xerocão”, “Entulhão”, “Estádio dos Quatro Tobogãs”, passaria a ter um nome, de verdade…

Foi uma partida para fechar com chave de ouro a hilária quarta-feira de Libertadores – que estrago fez o Palmeiras na vida alvinegra, hein?

Uma diversão e tanto (não paramos de rir até agora), e com o patrocínio  do refrigerante que conquistou o Brasil…

É a Ponte Preta da Capital, divertindo os palmeirenses há mais de 100 anos…

Veja memes do Corinthians eliminado na Libertadores 2015 Foto: Facebook / Reprodução

E vamos acompanhar os próximos campeonatos…

Os entulhos do Palestra Italia estão com 100% de aproveitamento até agora… hahahahahhahahahahaha

Esperei terminar a rodada para publicar e terminar esse texto, pois eu acreditava que a imprensinha seria surpreendida, e mais gente, além do Palmeiras e do adiantadamente desclassificado São Paulo,  acabaria tendo que ver a Libertadores no sofá… Mas não imaginei que teria que fazer dois textos em um…

– PRIMEIRA PARTE

Na terça-feira, no Pacaembu, a gente, que já tava com medo de ter que encarar o Galo na rodada seguinte (torcedores são assim), teve que encarar um frango… tão indigesto, que desarranjou o time todo. Depois dele, a história do jogo mudou… pelo menos, no primeiro tempo.

Claro, que é muita leviandade e injustiça culpar um único jogador quando se tem mais dez em campo; claro que, se Bruno falhou feio naquele lance, e falhou mesmo – até agora não entendi como ele conseguiu tomar aquele gol – nossa zaga falhou antes que o mexicano chutasse a bola que Bruno aceitou; claro, que Henrique também falhou na jogada do segundo gol do Tijuana – dar rebote pro meio da área, não pode  -; claro, que, jogando o tempo todo de costas pro gol,  Kleber teria muita dificuldade para mandar alguma bola na rede; claro, que as faltas, cobradas  horrivelmente por Souza – por que o Ayrton, que mandara uma na trave, não continuou cobrando depois? -, também nos atrapalharam; claro, que todos aqueles passes errados do Palmeiras estão na conta dessa derrota; claro que a falta de raciocínio rápido de nossos jogadores, em jogadas na cara do gol, também ajudaram a trazer a desclassificação… claro, que se o Ronny estivesse no banco, poderia ter entrado no time; claro, muito claro, que as arbitragens no México e em São Paulo foram decisivas, e, praticamente, “escolheram” o time a ir para a outra fase; então, é obvio que o Bruno não pode ser responsável pelo desempenho ruim do Palmeiras e, muito menos, pela desclassificação. Isso é mérito de um monte de gente…

Mas, é claro… que o nosso mundo ficou escuro…

Até imaginávamos que, mais cedo ou mais tarde, nossa participação na competição seria abreviada… mas estava tão gostoso desafiar a Lei das Probabilidades, e nenhum daqueles milhares de torcedores, que entraram tão felizes no Pacaembu, imaginava que seria naquela noite. E o pior de tudo é sabermos que o outro time não foi superior às nossas maiores possibilidades, muito pelo contrário, o time do Tijuana é horroroso, e fomos nós que ficamos aquém das nossas menores possibilidades.

Apesar de não termos saído com a vitória do México graças à uma garfada da arbitragem, a partida aqui nos era favorável e já tínhamos mandado até uma bola na trave. O Tijuana não jogava p…. nenhuma, e, às vezes, tinha os seus onze jogadores dentro da área, defendendo. Mas o Palmeiras não conseguia furar a retranca mexicana.  Além disso, o Tijuana fazia muitas faltas, algumas bastante violentas, fazia uma cera absurda, que ia muito além do que chamamos ‘catimba’, e o juiz, que tem a obrigação de coibir esse tipo de coisa, nada fazia.

Mas o fato é que aquele  frango que Bruno tomou – senti tanta pena dele por isso -, acabou com o moral do time, deixou todo mundo meio perdido, inclusive a torcida. Ninguém contava com aquele gol, acho que nem mesmo os mexicanos. Até agora não entendemos como uma bola, fraquinha, ‘facinha’, que parecia já estar nas mãos do goleiro, acabou entrando no gol. Que cacetada! Com o gol tomado, teríamos que fazer dois. E tudo mudou a partir dali…

Mas, ainda assim, nada desculpa o fato de termos ficado tão desestabilizados diante de um adversário tão ridículo. Com frango ou não, era para termos assimilado o golpe, ido pra cima dos mexicanos  e aproveitado o tempo que restava, que era muito. Mas a primeira etapa foi irritante, pela cera exagerada; pelo  nosso time, atordoado; pela arbitragem, parcial,  que encerrou o primeiro tempo quando o Palmeiras tinha um escanteio a ser cobrado; arbitragem que, mais tarde, ia fazer coisa pior…

Durante o intervalo, os torcedores já tinham olhos pisados, já evitavam encarar uns aos outros… Era uma sensação tão ruim a que eu tinha comigo e eu não conseguia aliviar aquele peso no coração…

Foi então, que vi o goleiro Bruno voltando do intervalo, sozinho, antes do time… E enquanto ele caminhava pelo gramado, de cabeça erguida, em direção ao gol das arquibancadas, em direção à torcida, desapontada por uma falha sua, o peso no meu coração se transformou em lágrimas. Era triste pelo que tinha nos acontecido, triste pelo Bruno, que, até ali, devia estar se sentindo o responsável pela desclassificação do seu time de coração. Era injusto pra ele e pra nós, mas, por outro lado, aquela atitude do Bruno me pareceu linda, de uma grandeza tocante; grandeza, tão peculiar aos palmeirenses.

Acho que eu não teria tido a coragem dele. A torcida entendeu o que aquilo representava, ou então, apenas tentava lhe incentivar para o segundo tempo, mas o fato é que ela gritou seu nome, lhe deu o seu apoio. Eu só conseguia chorar…

No segundo tempo, o Palmeiras voltou com Souza em lugar de Wesley; já o Tijuana voltou com a caixa de ferramentas mais aberta ainda e fazendo cera escandalosamente. Se o piso do Pacaembu fosse de madeira, teria ficado brilhando com tanta cera. O juiz, que já poderia ter expulsado uns dois mexicanos, se contentava apenas em amarelá-los. A torcida, por sua vez, ‘voltou’ cheia de esperanças.

Mas uma falha de Henrique (grandes zagueiros também falham), que rebateu uma bola para o meio da área, facilitou o segundo gol mexicano e chacoalhou as nossas estruturas. Se com 1 x 0 já era difícil… Os torcedores, incrédulos, se olhavam como a se perguntar: O que é isso que estamos vendo?

O Palmeiras procurava a reação e quase marcou com Henrique (ele tava no ataque!), minutos depois, aos 16′, o jogador mexicano colocou a mão na bola dentro da área e o juiz marcou o pênalti.

Confesso que não vi a cobrança, fiz a mesma coisa da final da Copa do Brasil, quando Valdivia ia cobrar a penalidade. Com o coração apertado, olhei pra cima e fiquei só esperando a torcida gritar, rezando para que ela gritasse…e ela explodiu em alegria! O Tijuana sentiu o gol,  o Verdão ainda tinha tempo suficiente para buscar o empate e  até a virada. A alegria voltava, a torcida inflamava! Meu coração queria tanto acreditar, que acreditava!

Três minutos depois, a história da partida teria mudado completamente. Kleber recebeu cruzamento na marca do pênalti e cabeceou para o gol. Era o empate do Palmeiras, o segundo gol em 3 minutos, e ainda faltavam 20 para fazermos o terceiro. Era a festa no coração do torcedor! Que alegria imensa a gente sentiu naquela pequena fração de tempo em que a bola tocou a rede… O Tijuana, que já não passava mais do meio de campo, não iria aguentar. Mas, acreditem, a arbitragem, alegando impedimento, QUE NÃO EXISTIU, anulou o gol do Palmeiras, minou a nossa chance de reagir, interferiu no resultado da partida, como já havia acontecido no México. E o jogo acabou 2 x 1 pros mexicanos, e eles ficaram com a vaga. Mais uma vez, o apito tinha um papel importantíssimo num mau resultado do Palmeiras.

Pretendia incluir os resultados dos jogos dos dois dias seguintes e terminar o texto aqui. Mas não fui capaz de deixar tantas coisas por dizer…

– SEGUNDA PARTE – LA JUSTICIA ES AMARILLA

Naquela noite de terça-feira, e durante o dia seguinte, todo mundo (jornais, rádio e TV) só falava na desclassificação do Palmeiras, que, segundo a imprensa se devia à falha de Bruno. Ninguém, MAS NINGUÉM MESMO, atribuía a desclassificação do Verdão aos dois grandes prejuízos que as arbitragens lhe impuseram na partida do México e na de São Paulo. “Libertadores é isso”, diziam alguns.

Na noite de quarta-feira, o time que a mídia considerava favorito ao título, aquele, que conseguiu mudar o árbitro que tinha sido escalado para a partida, e agora reclama dele, se estrepou diante do Boca, fechando a conta dos clubes paulistas fora da Libertadores. Bambis e gambás saíram na mesma fase que o time da segunda divisão, mas que coisa, hein?  O Corinthians, dono do Apito-amigo por uso capião, e que tomou um golaço de Riquelme numa falha do adiantado Cássio (valeu, hermano!), teve um pênalti a seu favor, não marcado, e um gol legítimo anulado – isso não te lembra algo, não te lembra uma uma outra disputa às quartas-de-final no dia anterior? Mas a do dia anterior, todo mundo esqueceu, a imprensa “não viu”, as TVs não mostravam mais, só os lunáticos palmeirenses é que se lembravam dela.

E foi um escarcéu porque os gambás foram prejudicados! Prejudicados uma vez entre ‘trocentas’ em que são ajudados! A Rede Globo, esquecida dos muitos campeonatos que o Corinthians já ganhou no apito, “esquecida” da lavagem de dinheiro que comprou o Brasileirão de 2005, esquecida do Castrilli, do Dulcídio, do Rui Rei, das escutas telefônicas, das últimas colocações nos campeonatos e os arranjos para permanecer na série A, do tira-teima editado, do Márcio Rezende de Freitas, do Simon, do PCO e tantos outros… esquecida do ex-árbitro Gutemberg, que acusou a Comissão de Arbitragem de induzir os árbitros ao favorecimento aos gambás…  A Globo, esquecida de tudo, até mesmo da ética e da conduta jornalística isenta, esqueceu também para qual time fora criada a expressão “apito-amigo” e porquê… e alçou o time à condição de vítima única das arbitragens no país e o juiz, Amarilla, à condição de vilão (como pode o Corinthians brigar com um árbitro, se, há muitos anos, têm sido os árbitros os seus melhores jogadores?)

A Vênus Platinada ficou tão indignada, que, enquanto mostrava imagens da torcida, tão ‘ordeira’, dentro do estádio (para uma TV que levanta bandeiras contra o preconceito, é estranho que sejam feitas tomadas só de torcedores brancos), “esquecia” de mostrar as brigas e selvagerias da torcida corintiana do lado de fora do Pacaembu – ela simplesmente fez que não aconteceu. Não fosse a Record mostrar, ninguém saberia que elas existiram, porque a Globo  escondeu as brigas, como esconde os erros de arbitragem sofridos pelo Palmeiras, por exemplo – os lances somem dos vídeos.   Ela manipula a informação de acordo com os seus interesses e só mostra aquilo que ela quer mostrar. Divide uma verdade ao meio, ou em muitas outras partes e apresenta ao telespectador a que melhor lhe convier.

Ao final do jogo, enquanto a Globo te mostrava isso…

GambáEliminado-Globo1

… ela deixava de te informar que, lá fora, na praça em frente aos portões de entrada do Pacaembu, acontecia isso:

GambáEliminado-briga-BlogClorofila

GambáEliminado-briga-BlogClorofila1

E foi um festival de informação sobre todas as “celebridades” que se ‘sentiam insultadas’ com o que tinha sido feito ao pobre time do BolsaApito. Só não foram pedir o apoio e um depoimento do Papa sobre o “escândalo da arbitragem”, porque ele é argentino.

E qual a diferença dos erros que prejudicaram o Corinthians e dos que prejudicaram o Palmeiras, ou dos que prejudicam tantos outros clubes? Resposta: A HIPOCRISIA DA MÍDIA!

Confira o pênalti que possibilitaria ao Palmeiras sair com a vitória do México e jogar por um empate em São Paulo:

Confira o impedimento sem-vergonha, mandrake, que impediu o Palmeiras de empatar a partida, três minutos depois de ter feito o seu primeiro gol; que impediu o Palmeiras de jogar os 20 minutos restantes, com mais tranquilidade, contra um adversário já encolhido, com a sua torcida inflamada, e com amplas possibilidades de marcar o terceiro e até o quarto gol, suplantando assim, o prejuízo no apito, que tivera lá no México.

Kleber, que fez o gol, está atrás do defensor do Tijuana, e nunca esteve impedido, e Henrique, que está mais à frente, EM MOMENTO ALGUM PARTICIPOU DA JOGADA. Além disso, NÃO HAVIA NADA QUE IMPEDISSE O BANDEIRINHA DE VER QUE NÃO HAVIA IMPEDIMENTO. Ele não viu porque NÃO QUIS VER!

ImpedimentoMalMarcado-Kleber

ImpedimentoMalMarcado-Kleber1

E NENHUMA REDE GLOBO FEZ ESCÂNDALO POR ISSO! Não houve cartinha da Brahma… Não houve o SBT levando ao ar um editorial (vejam só!) para dizer que a Libertadores tinha sido manchada, fazendo um desagravo à Conmebol em favor da “nação gambá”; não houve o Sportv mostrando a partida e os erros da arbitragem, durante uma tarde inteira…

Não houve dirigente dizendo que o juiz estava encomendado, que precisava levar uns tapas na cara. Belluzzo, em 2009, pegou um gancho enorme por chamar Simon de safado. Agora chamam o juiz de Corinthians e Boca de desonesto, (quem aceita uma encomenda para favorecer um time, é o quê?), e quer apostar que nada vai acontecer?

Não houve nenhuma indignação que o time mais vencedor do Brasil, fosse alijado de uma competição graças ao apito; assim como esse mesmo clube teve a omissão da mídia quando o apito foi fator preponderante ao seu descenso…

A mídia não se indignou e nem saiu em sua defesa em 2012… nos programinhas de TV ninguém falou nada sobre a injustiça de um time ser prejudicado em tantas partidas num mesmo campeonato. Ninguém o defendeu do erro de direito, nem do delegado da CBF, torcedor do Coritiba, influenciando na anulação de um gol seu…

Assim como ninguém defendeu o Palmeiras na Libertadores de 2000 e de 2001, quando ele foi roubado escandalosamente. Quem não se lembra de Ubaldo Aquino? Nenhuma emissora de TV, nenhum jornal, nenhum programinha esportivo se sentiu indignado por isso. Aí, não estava a Libertadores sendo manchada… POR QUÊ? Qual a diferença? De novo eu respondo: A hipocrisia de um bocado de pessoas, a falta de profissionalismo de um bom número de “profissionais” da informação é que fazem a diferença. MA$ $ERÁ QUE É $Ó I$$O ME$$$MO?

É como se, para o Palmeiras, fosse legítimo o direito de ser roubado. Um pênalti não marcado e um gol anulado ‘são coisas do futebol’, dizem os “jornaleirosh”. Como já disse aquele o escroto do Tite, quando seu time foi favorecido, “os árbitros erram pros dois lados”. Mas só quando seu time é ajudado, que esse clichê é válido, não é Tite?

No Brasil de hoje, está instituída a mentira. A TV faz o mau político parecer bom, em troca de polpudas propagandas feitas pelo governo; a mídia decide qual é o time que vai fazer parecer maior do que é, e qual vai parecer menor, decide o número de torcedores que cada clube possui; faz você pensar que a contusão do seu jogador é falta de caráter, enquanto a do jogador do outro time é um só um desconforto e que ele é uma vítima de zagueiros carniceiros; os comentaristas desmentem imagens, desmentem o óbvio; e, enquanto isso, as novelas mostram à população que é muito bacana morar na favela, não ter educação, nem instrução… que o modelo “biscatinha” é o que é mais engraçadinho e divertido para uma mocinha adotar; que as diferenças entre as pessoas devem ser resolvidas no tapa, nos puxões de cabelo, na baixaria, berrando no meio da rua; que é legal trapacear para se dar bem…

Onde isso tudo vai parar eu não sei, mas nós não podemos aceitar passivamente que pensem por nós, que pensem por nossos filhos, que enfiem em nossas cabeças que é certo o que é errado… Lá na frente, as pessoas descobrirão que o tamanho do prejuízo é muito maior que uma desclassificação num campeonato de futebol, do que ter baixos índices de audiência…

Pense nisso…

Ah, e antes que eu me esqueça! Parabéns, Tamoxunto! Você conseguiu mesmo o seu intento de ir mais longe na Libertadores e de ter mas visibilidade no falecido “imortal”. Teve uma quarta e quinta-feira inteirinhas para isso… TCHUUUPA!

Eu sempre digo que não há um rival melhor que o Cu rintia! Nenhum outro nos diverte tanto!

Quando o Palmeiras decidiu reformar o seu estádio, para transformá-lo na Arena Palestra, a gambazada, despeitadíssima, não se cansou de dizer que o Palmeiras não ia ser dono da Arena, que ia ter que pagar aluguel – esquecem que o Palmeiras, há quase 100 anos, já é o dono do estádio, que está sendo apenas reformado. Postaram inúmeras vezes aqui, fazendo gozações, baseadas na sua falta de conhecimento e informação.

Pois bem… os nossos divertidos rivais, só vão poder ser donos do “istádio” (se conseguirem ser os donos) depois de 30 anos!! EM 2043!! Toda a receita dos jogos do Cu rintia no Fielzão nesses 30 anos vai ser destinada automaticamente ao fundo imobiliário. Uma renda como a obtida na final da Libertadores deste ano, contra o Boca, de R$ 2,5 milhões, não chegaria aos cofres do time alvinegro nesse período. Legal, né gente? Só que não… hahahah

E a cereja do bolo: depois desses 30 anos, lá em 2043, o Cu rintia só vai ser dono do estádio SE conseguir arcar com toda a dívida gerada pela sua construção. O valor estimado da obra é cerca de R$ 820 milhões, QUE, AGORA,  ESTÃO SENDO TIRADOS DOS COFRES PÚBLICOS, não se esqueçam disso!

O que será que os gambás têm a dizer sobre isso agora? Algo me diz que 2043 promete boas risadas palestrinas…

Até o Google sabe que a gambazada conseguiu empatar, nada heroicamente, como tentaram fazer parecer, com o fraco time do Deportivo Táchira, às custas do apito amigo… Um gol legítimo do Táchira, anulado e uma falta ‘mandrake’ marcada, que propiciou o empate do time da Marginal sem nº.

Todo mundo viu que não houve impedimento algum. Menos o bandeira e os “profissionaish” da “Bobo” (Arnaldo era outro “mestre do apito”). Que bandalheira essa de tentar enganar o telespectador! Os tais “profissionaish” ficam brigando com as imagens, ficam brigando com o óbvio e, você, que está assistindo, se sente um idiota por ter visto algo totalmente diferente do que o que eles querem enfiar na sua cabeça, na marra!

É como se te dissessem: “Você não viu o que viu, tá? É fruto da sua imaginação!” Isso é quase uma tentativa de lavagem cerebral, caramba! Porque tem gente que se deixa convencer de que não viu o que viu, que não entendeu o que entendeu… O Ronaldo não é gordo, o Luan Santana e a Débora Secco não são vesgos, o estádio gambá é uma maravilha e não vai ser construído com o dinheiro do povo, a Xuxa é cantora, os BBBs são heróis, a emissora carioca leva qualidade ao seu lar… A Vênus Platinada conseguiu inventar a “maquiagem” cerebral!

Mas, como não curto muito maquiagem, muito menos a cerebral, vou continuar acreditando no que veem meus olhos. E, por falar em ver, veja você também:

 

Sem comentários, não é mesmo? Se não for no apito não é o Cu rintia! A cara de pau dos “comentaristash exportivosh” é imensa! Infelizmente, as imagens da suposta falta, que originou o gol gambá, sumiram! Em nenhum vídeo você as encontra. E se elas sumiram, a gente já imagina porquê…

Mas o que eu não podia imaginar aconteceu hoje, quando tentei postar essa imagem no Facebook…

Fiz várias tentativas, sem sucesso. E, a cada tentativa, recebia a mesma mensagem de que havia ocorrido um erro com o arquivo. Quando consegui, finalmente postar, o conteúdo ficou indisponível, até mesmo para mim. Então, mudei a foto e nada de conseguir postar. Me toquei de que poderia ser a frase que eu postava com a imagem. Ela tinha um palavrão, talvez fosse por isso. Se bem que as pessoas (eu também) escrevem tantos palavrões lá e não dá nada. E, se fosse por isso, seria censura na rede social. Muito estranho… Fiquei desconfiada. Em todo caso, tirei o palavrão, adaptei a frase e a postei novamente, e também não foi…

Só então me dei conta do que poderia estar pegando… Pasmem! Talvez fosse o nome da emissora carioca que era mencionado por mim, pelo menos foi a conclusão a qual eu cheguei. Ou então, foi muita coincidência. Porque depois de escrever uma legenda completamente diferente, a segunda foto foi publicada sem problema algum. Então, colei a legenda anterior e a postei como um comentário qualquer na foto. E não foi!!! Vejam só:

E não é que não se pode falar da Globo no Facebook? A princípio, pensei q fosse pelo "putaria"...

Eu já andava meio desconfiada que havia algum tipo de censura nas redes sociais. Como vocês podem ver, algo ocorreu e, se não foi censura, foi uma baita coincidência… Depois de algum tempo, um pouco mais de uma hora, a primeira postagem que tentei colocar, reapareceu na minha página. Mas, os comentários printados e postados aqui, não…

Vai ver que, assim como “imaginei” não ter visto impedimento algum no segundo gol do Táchira, imaginei ter sido censurada também. Vai saber… Palestrinos são tão “lunáticos”…

“O cão não ladra por valentia e sim por medo” – Provérbio chinês (minha homenagem à ridícula coletiva do técnico Tite)

Eu nem sei dizer com que espírito fui ao Pacaembu para Palmeiras x Bambis. Com tantas coisas em jogo, preferi não investigar o que ia no meu coração. Mas, se o Palmeiras vai jogar, eu vou! A partida que, em relação ao campeonato para nós nada valia, era importantíssima para a nossa auto estima, para o fortalecimento do grupo, para quebrar a sequência de 9 partidas sem vencê-los no Brasileiro, para tirar (who knows?) as gazelas da Libertadores e para umas deliciosas coisinhas mais… E tão certo era isso, que quase 20 mil torcedores estavam no estádio. Fiquei arrepiada e com o coração feliz quando anunciaram a escalação do Palmeiras, e a torcida exultou ao ouvir o nome de Valdivia…

Sem esquecer das nossas deficiências, eu achava que podíamos ganhar, mas não fazia ideia do tipo de espetáculo que encontraria. É claro que, com Valdivia no time (que pavor eu tinha que ele levasse amarelo), o papo é outro. Tinha estado com ele antes do jogo contra o Bahia, e o senti muito disposto a jogar tudo o que sabe. E, só pela maneira que o Mago se cuidou o jogo todo para não levar cartão, a gente sabe QUE ELE ESTÁ DOIDINHO PARA PEGAR OS GAMBÁS! Tirar o título deles então, pode vir a ser a cereja do nosso bolo de Natal.

Eu não sei se era mesmo por causa do Kleber que nos andou faltando aquele algo mais; não sei se é coincidência, ou se aquele episódio serviu para todo mundo colocar as barbas de molho; o fato é que o Palmeiras que vi em campo contra o Bahia, e que vi diante do São Paulo, está cheio de pegada e muito mais unido.

E o jogo diante dos bambis foi sensacional! Foi nervoso, é verdade (eles deram algum trabalho), mas teve momentos deliciosos. Teve o Palmeiras indo pra cima dos bambis, logo de cara. (Aos 2′, Marcos Assunção levantou a bola na área e Henrique deu o primeiro susto em Rogério Ceni); teve Valdivia colocando os companheiros na cara do gol do farsante (Ah, se tivéssemos um Evair no time…) e, contrariando todas as expectativas, espertíssimo para não levar o tão temido amarelo. Infelizmente, teve o juiz, ‘Oliveirando’, como sempre (Ô família desgraçada essa, de juízes gatunos). Mas a tarde era nossa, e teve Assunção, que fez uma partidaça, utilizando com muito mais propriedade a nossa única jogada; teve Leandro Amaro, Henrique, Cicinho e Gerley jogando muito; teve o Palmeiras esbanjando garra e vontade de vencer; teve o time abraçado comemorando gol; teve a torcida cantando, sem medo de ser feliz…

Os bambis faziam muitas faltas; Fernandinho no Cicinho, no Mago; Dagoberto em Henrique… cada hora um, mas, para o juiz Metralha, que amarelava os palmeirenses por qualquer motivo, errado era o Felipão por reclamar. O tal Luís Flávio de Oliveira, tão criterioso com o Palmeiras, “esquecia” de amarelar os bambis em muitas das faltas duras que cometiam.

O Verdão continuava assustando o eterno terceiro reserva do Marcão, que passava apertado e fazia boas defesas. Luís Fabiano, Fernandinho e Dagoberto levavam perigo, é verdade, e as chances se sucediam para ambos os times, mas o domínio de jogo era nosso. O Mago, que deve ser de titânio, apanhava como sempre. Nas cobranças das faltas, Assunção dava uma dor de cabeça danada para os bambis. Ora Rodolfo aliviava, ora o cara de rato tirava de soco…

O tempo passava e nada do nosso gol sair. Aos 38′, Valdivia (como eu gritava pra ele sair de perto do juiz, para não bater em ninguém, não reclamar…) fez uma bela jogada individual e chutou forte de fora da área, mas a borboleta mor defendeu no canto. Aos 46′, a jogada mais sensacional da primeira etapa; Luan recebeu na esquerda, cruzou fechado e o goleiro espalmou; na sobra, Assunção chutou pro gol e o goleiro tocou na bola mandando-a na trave; ela foi parar com Valdivia que, numa quase bicicleta, mandou pro gol. Ela passou pertinho… Se sai aquele gol do meu ídolo, eu teria ido parar no Incor. Então, o juiz apitou o final da primeira etapa. O goleiro de hóquei, que já dá na cara essa paixão que tem pelo Mago, foi provocá-lo, foi dizer para ele parar de encenar, foi empurrá-lo… QUEM É VOCÊ SEU FARSANTE, INVENTOR DE PROPOSTA DE TIME INGLÊS, PARA COBRAR QUALQUER COISA DE UM JOGADOR DO PALMEIRAS? Vá cobrar isso do seu time, do Dagoberto, seu frangueiro, e deixe as suas mãos bem longe do Mago!

Na segunda etapa o Palmeiras já chegou, chegando. Nosso ataque, com velocidade, ia encontrando espaços. Marcos Assunção achou Luan na área, mas ele tocou por cima do gol. Depois foi a vez de Luan achar o Mago, que bateu colocado e a bola, caprichosa, passou perto. A gente com o coração e olhos no Pacaembu, mas de antena ligada  nas outras partidas. Meu medo de o Mago tomar um cartão amarelo era cada vez maior. Mas ele conduzia a situação admiravelmente.

Aos 10′, o momento de catarse… Marcos Assunção, pela esquerda, e muito longe da área, cobrou falta. Ela foi em direção ao gol, quicou na frente de Rogério e entrou  (ainda tenho a sensação que Luan desviou)! O Pacaembu explodiu no grito de gol! Que felicidade enorme eu sentia naquele momento! O Palmeiras, ainda que tardiamente, mostrava a sua força. O Palmeiras, finalmente, compreendia que, ao invés de temer os adversários, pode ser um dos seus maiores pesadelos. Como se estivéssemos ligados por fios invisíveis, todos nós torcedores sentíamos a mesma coisa, todos passávamos a ter a  mesma venenosa intuição…

O jogo ficou aberto, mas tivemos muitas oportunidades. Gerley quase marcou de fora da área. Rogério teve que trabalhar. Assunção levantou na área para Henrique cabecear por cima; Assunção (que partidaça) da entrada da área, chutou muito forte e a bola passou raspando a trave… Aos 24′, Felipão tirou Patrik e colocou Chico. Achei que era muito cedo. Sorte que as coisas deram certo pra gente…

Felipão sacou Ricardo Bueno e Cicinho para as entradas de Fernandão e João Vítor. Perdemos muito da nossa ofensividade, mas João Vítor até que corrigiu os erros que, naquele momento, aconteciam lá pros lados do Cicinho. Eu quase morria de nervoso… Com as três substituições, Valdivia, que estava jogando muito, diga-se de passagem, não poderia ser sacado para ser preservado para o Derby. Os bambis se aventuravam mais ao ataque e davam trabalho. Só que foi o Palmeiras, com Fernandão, que desperdiçou o gol mais feito da partida. Luan avançou pelo lado esquerdo, tocou para Valdivia que deu passe perfeito deixando Fernandão na cara do goleiro bambi. Mas ele desperdiçou a chance… Até agora não entendo como ele perdeu aquele gol, que eu podia jurar que tinha entrado.

Enquanto isso, os gambás ganhavam a sua partida e o Vasco empatava a dele. Enquanto isso, Emerson, dos gambás, ainda não foi julgado (acho que o tribunal espera o campeonato acabar). Finalzinho de jogo… Os palestrinos esperavam o apito final para comemorar a vitória do Verdão… Finalzinho de jogo no Rio… vascaínos, palestrinos e todas as pessoas de bem do Brasil, contrárias às mutretas da CBF com o dirigente gambá, contrárias aos 88% de chance de titulo para a bandidagem, esperavam um gol do Vasco…

De repente, sem mais, o Pacaembu explodiu de vez! Enquanto os gambás davam volta olímpica em SC, no Rio de Janeiro o Vasco marcava o seu segundo gol e deixava a decisão do título para a última rodada. Quem é que diz que campeonatos de pontos corridos não têm final? TÊM SIM! E SERÁ ENTRE PALMEIRAS X GAMBÁS!!!

Não falei que íamos nos transformar no maior pesadelo gambá? No seu medo de se transformar na segunda maior piada do ano (ser desclassificado na pré Libertadores, foi a maior piada de todas)?

E você vê que o futebol está uma m… e as pessoas sem caráter, quando Valdivia diz que quer vencer por honra, e isso vira polêmica, causa o maior escarcéu. Mas se disser que é pelo “prêmio”, aí tá certo?

Como podem ver, a “reclamabilidade” e a “chorabilidade” já começaram! E olha que o empate é deles. Mas a “paurabilidade” é tanta que nem se lembram disso. E afinal, não eram os jogadores, não era o Tite, que diziam que tínhamos que ganhar do Vasco, pelo profissionalismo? Então… vamos ser profissionais.

Vamos lá Tirone, Palmeiras de camisa listrada e meião branco para o jogo de domingo! E, se for possível, coloca o Evair no banco, para assistir a partida ao lado do Marcão. É FATALITY NA GALINHADA!

 

SE SEGURA, GAMBAZADA! O SEU PESADELO COMEÇA AGORA!!!!! Mas vocês não vivem de títulos mesmo, né? hahahahahah

Quem diria, hein? Depois de termos sido alvos de chacotas e desdém de torcedores corintianos (crentes que levariam o caneco do brasileirão) e  de torcedores jornaleiristas da imprensinha, pela desclassificação na Sulamericana, para o rebaixado time do Goiás, não é que o  “Todo Poderoso” (Poderoso? Venceu o primeiro Brasileiro 80 anos depois de sua fundação e não esteve em uma final de Libertadores em um século inteirinho) SCCP Esporte Clube Cavalo Paraguaio, PERDEU O CAMPEONATO BRASILEIRO POR NÃO TER SIDO CAPAZ DE VENCER OS RESERVAS (dos reservas) DO… GOIÁS?? Em plena comemoração do Centenário e disputando o título do Brasileiro!! Uhauhauahuahuah Como diria a minha avó: “Melhor que isso, só dois disso”. hahahahah

E, por pouco, muito pouco,  o time do Cruzeiro, que jogou os gambás para a terceira colocação, não acabou ficando com o título, porque o Fluminense cansou de errar em campo e o Guarani, algumas vezes, passou muito perto de balançar as redes cariocas. Mas o time de Muricy (será que Belluzzo e Cipullo lembram dele?) ficou com o título e, aos prepotentes e pouco competentes corintianos, sobrou apenas choro, né Elias?? O falastrão jogador de time pequeno que, ao ganhar alguma projeção, não soube o que fazer com ela, cansou de provocar torcedores rivais e falar bobagens. Dizia ele que o Goiás – por ter vencido o Palmeiras – era o time B do Corinthians. A piada ficou melhor do que o esperado. Perderam o título, por não conseguir vencer os reservas de “seu time B” (ou seria C)… Só com gambás, mesmo! hahahahah

Mas eles nem podem reclamar; a arbitragem, ao longo do campeonato, lhes “deu” pontos valiosíssimos, uns 20 no total. Sem eles, onde estariam os gambás agora? (Dizem as más línguas que os gambás compraram o campeonato com cheques do Banco Panamericano e, por isso, não levaram. É caso para o Procon! kkkkkk) Mas eu também sei que o “gol” do título do Fluminense aconteceu em 2009 quando Simon anulou um tento legítimo de Obina. Não fosse a anulação desse gol, o Flu só poderia ter sido Campeão da Série B, e olha lá.

Tantas bobagens foram ditas… Questionaram o caráter de Felipão, dos jogadores do Palmeiras. Dos jogadores e técnicos de São Paulo e Vasco, ninguém falou nadinha… Sobre mala-branca, até mesmo Ronaldo falou livremente. Por que Caio Junior teve que depor na FPF e Ronaldo não tem que responder em lugar nenhum? Quai$ São O$ Motivo$ de agirem tão diferentemente com duas declarações quase idênticas? Se não é da alçada da FPP, não dá nada? Se Caio Junior disse achar normal que se premie um time para ganhar, Ronaldo não só fez o mesmo, como disse que até pagaria. A imprensa cansou de alardear que Ronaldo e Roberto Carlos – que agora, hipócrita, reclama que o Goiás correu demais –  dariam o dinheiro ao Guarani. E não deu nadinha, nadinha… Nem no STJD… Acho que Paulo Schmitt não “leu”, não “ouviu” e tampouco ficou sabendo disso lá no Planeta Marte, onde, provavelmente  se encontra. O que mais me irrita é que não tenha um puto de um repórter que vá perguntar isso a ele.

E, no dia de hoje, não tinha foto de garotinho chorando… Só tinha os programinhas esportivos achando o máximo a bola na trave de Ronaldo, ainda que tenha sido a única coisa, que o “avantajado” e cansado jogador tenha feito, durante todo o tempo em que esteve em campo. Tinham os mais renitentes, procurando a culpa no Guarani, no Palmeiras, no Goiás que correu demais… sem se dar conta que, apesar de toda a ajuda recebida ao longo do campeonato, o time de Ronaldo, Roberto Carlos, Dentinho, Willian (que pensa ser o Sócrates), Elias e Cia tropeçaram na própria incompetência!

Mas o mais divertido – e como esses gambás nos divertem – aconteceu na premiação da CBF. O sempre nada educado e muito menos elegante Andres Sanchez, com uma dor de cotovelo do tamanho da fila do Corinthians na Libertadores, ao subir ao palco para as homenagens dos 100 anos do Corinthians, pediu a palavra, e mostrou que é uma besta! Com um português sofrível,  Andres Sanchez, reles, deselegante ao extremo, ao parabenizar o atual campeão brasileiro, relembrou o episódio do descenso tricolor e a volta à série A sem passar pela Série B. Ainda que o Fluminense mereça, foi um vergonhoso e desnecessário constrangimento para a ocasião. E Andres Sanchez se esquece que em 2000 (se não estou enganada), o seu time também permaneceu na Série A, às custas de uma “providencial” mudança nas regras;  esquece que se considera Campeão Mundial sem jamais ter conquistado a América, né? Se esquece de 2005… Claro que foi vaiado e ainda teve que ouvir uns gritos de Uh-Centenada! Uh-Centenada!!!  Veja que grandessíssimo idiota!

E agora, eles que tratem de curtir o fato de terem sido o grande Fail, o grande mico do campeonato brasileiro, com uma voltinha no Shopping que acabaram de inaugurar: O SHOPPING CENTER NADA! O único em que você faz compras “centernada” no bolso. kkkkkk

VALEU, GAMBAZADA! NUNCA VAMOS PARAR DE RIR!!!

A vingança é um prato que se come frio, às vezes até um ano depois de começar  a ser preparado…

Pois é amigos, o nosso time pipocou no Brasileiro. A gente até que aceitou razoavelmente bem, porque tinha a Sulamericana. Mas nossos rapazes fizeram questão de perder a vaga na final da competição com  a proeza de  serem derrotados, em “casa”, de virada, para o rebaixado time do Goiás. Ao torcedor palestrino só sobrou tristeza e a falta de preparo de seus dirigentes…

E, nas voltas que o mundo dá, a penúltima rodada do campeonato seria entre Palmeiras e Fluminense…  E vejam só a ironia do destino. Agora era a vez do Palmeiras “decidir”, ainda que involuntariamente, o campeonato. O campeão do  Brasileiro,  praticamente sendo decidido pelo 10º colocado na tabela. Embora Corinthians e Fluminense tenham tido no passado algumas conquistas indignas,  na história do Palmeiras, o grande rival é o sujo time dos gambás, dos árbitros e campeonatos comprados. Uma derrota a mais, uma derrota a menos… faria muita diferença!

A torcida do Palmeiras se dividiu e entrou em rota de colisão. A maioria querendo a derrota para prejudicar o arqui-rival Corinthians e uma parte querendo que o time jogasse com toda a vontade do mundo.

Voltemos no tempo…

NOV/ 2009 – 37ª rodada do Campeonato Brasileiro; Palmeiras, São Paulo, Inter e Flamengo brigavam pelo título. Em campo, o “ético” time do Corinthians e o Flamengo. A imprensa não cobrou ética antes da partida, não pressionou o técnico e os jogadores dos gambás, não falou em dignidade…  Tampouco percebeu a farsa da contusão de Ronaldo, aos 15 minutos de jogo e nem o seu sorriso irônico ao deixar o campo…  A torcida  usou bandeiras do Flamengo… Foi uma felicidade só, poder prejudicar o Palmeiras e os bambis ao mesmo tempo. As imagens dizem tudo. Vejam a alegria de Felipe na marcação da penalidade, vejam sua vergonhosa ‘tentativa’ de defesa, na cobrança:

No dia seguinte, no jornaleco dos gambás (jornal esse, que faliu e cujos jornalistas estão sem receber até hoje) a manchete era uma ironia aos rivais…

A imprensa não se indignou, muito pelo contrário; não criticou jogadores, nem o técnico, tampouco a torcida. E não se indignou também, neste ano, quando o São Paulo,  na rodada anterior, nitidamente entregando o jogo (Rogério soltava as bolas todas nos pés dos tricolores cariocas), perdeu de 4 para o mesmo Fluminense…

Mas ao Palmeiras era preciso falar em dignidade. Esse time que é prejudicado tantas vezes pelas armações das arbitragens, tinha que ser pressionado. O caráter de seu técnico e jogadores tinha que ser colocado em dúvida. As provocações a Felipão eram inúmeras nas páginas de jornais e nos programinhas esportivos. Até mesmo Tite, esquecendo que em 2008, para prejudicar o Grêmio, colocara o Inter em campo com seu time reserva, exigia, publicamente, dignidade de Felipão.

E, contrariando a maioria dos torcedores, que queriam um time reserva, Felipão mandou a campo uma equipe com 9 titulares.  Nas manchetes de jornais só se falava  da “mala-branca” que os gambás teriam oferecido aos jogadores do Palmeiras. E o STJD, que em 2007, levou Caio Junior ao seu tribunal, por falar em mala-branca, agora se fingia de cego e surdo e permitia que o assunto fosse tratado livremente…

Em campo, o Palmeiras foi prá cima do Flu e abriu o placar com um golaço de Dinei. Deola fazia defesas magistrais e deixou o Brasil estupefato com tanto profissionalismo. Tanto é verdade que ele foi até mesmo hostilizado e agredido (com copos de água) por uma parte da torcida organizada, envenenada com as notícias da tal mala-branca. Por mais que quiséssemos o Palmeiras jogando sem vontade nenhuma, não iríamos querer que ele fizesse como Felipe em 2009.  E não dá para pensar em agredir  e ofender, alguém que joga no seu time, né? Querer que o time entregue (eu queria muito), que jogue sem vontade de ganhar, é polêmico e discutível, mas agressão e ofensa é imperdoável. A revolta desses  torcedores deixou bem claro que o Palmeiras não foi a campo para entregar. Mas é óbvio que, depois da derrota de quarta feira, e sem almejar mais nada no Brasileiro, esse time não tinha mais motivação alguma e, por isso,  correu menos, tocou mais pro lado. E o Fluminense virou o jogo , saiu com a vitória e, a não ser que vejamos um roubo histórico na próxima rodada, está perto de ser campeão.

A imprensinha ficou furiosa! Os gambás dos programas esportivos, caras-de-pau e desmemoriados que são, bradam absurdos!  E os jogadores? Roberto Carlos clama até por rebaixamento para o clube que, supostamente, entrega! MAS QUE CARA DE PAU! Essa persona non grata, que f…… o Brasil na Copa do Mundo, permitindo que tomássemos um gol, enquanto arrumava o meião; ESSE JOGADOR HIPÓCRITA E MERCENÁRIO, SE ESQUECE QUE SE AS REGRAS AQUI NO BRASIL FOSSEM IGUAIS ÀS EUROPÉIAS, ELE, MUITO PROVAVELMENTE, ESTARIA DISPUTANDO A SÉRIE C, PORQUE O SEU TIME, ALÉM DE ENTREGAR JOGO ANO PASSADO, LAVOU DINHEIRO DE MÁFIA RUSSA (as escutas telefônicas estão aí) E COMPROU UM CAMPEONATO EM 2005.  Isso também não é permitido na Europa!

E eu não estou vendo ninguém criticar o Felipe do Vasco que disse que não jogaria para ganhar. VAMOS LÁ, SEUS “IMPARCIAIS”, FALEM DISSO TAMBÉM!!!  POR QUE A IMPRENSINHA  “ÉTICA” E “PROFISSIONAL” NÃO FALA NADA DA ENTREGADA DO “VAIXCO”, da entregada dos bambis?

Os gambás, que neste campeonato já ganharam quase 20 pontos no apito, no cambalacho (imaginem onde estariam sem esses pontos); que venceram a partida diante do Vasco porque ele facilitou o quanto pode, para prejudicar o rival Fluminense; que comemoraram a entregada para o Flamengo em 2009, com desdém, escárnio; que usaram camisa do Boca e do Manchester em 1999 e 2000 e, pior que isso, fizeram camisas Boca Jrs/Pano de Chão, Manchester/Pano de Chão, agora vão falar em dignidade, profissionalismo? Compraram o campeonato e acham que não vão levar? CHAMEM O PROCON!

Que se contentem com todos os pontos conquistados no apito , com a vitória facilitada pelo time do Vasco, porque, como brincam os torcedores, foi a única vitória do ‘crime organizado’ no final de semana.

Ah, e aprendam de uma vez por todas, este é o ano do CENTENADA! hahahahhaha

Falar sobre a derrota no clássico é chato, e é chover no molhado. Mas não dá para pular essa parte. Não jogamos para ganhar… Mas acontece que o adversário também não. Fizemos dois jogos contra eles, neste brasileirão; no primeiro turno, deu empate, com o juiz ajudando os gambás, numa partida em que o Palmeiras jogou muita bola; no último domingo, o Palmeiras perdeu, com um gol contra, que tinha as mãos de Deola como endereço certo. Haja saco!
Antes do jogo vivemos uma situação inédita… Tínhamos passado para pegar uma amiga que mora pertinho do Pacaembu. Éramos 5 parmeras pelas ruas e tínhamos feito a besteira de descer até a Av. Pacaembu, para dar de cara com a galinhada devidamente escoltada pela polícia, chegando também. Teria sido apenas engraçado se não soubéssemos o perigo que estaríamos correndo caso fossemos identificados. Claro que estávamos à paisana, ou quase… A Flávia tinha a blusa que escondia o manto, mais curta e, portanto, não escondia muito. Ainda bem que a Núbia tirou a blusa de lã e emprestou prá elaamarrar na cintura… rsrs Meu anel, feito de pedra, verde, eu escondi com a manga do agasalho que vestia, mas não pude fazer o mesmo com os brincos… hahaha Duas belas e verdinhas araras… uhauhauah De vez em quando eu percebia um olhar meio torto para os meus brincos e tratava de ficar perto do Custódio para buscar proteção… kkkkkk
Agora eu rio, mas na hora foi tenso demais. Aquelas centenas, ou milhares (não sei) de torcedores adversários rumando para o Pacaembu e nós, 5 parmeras (Núbia, Flavinha, Nathy, Custódio e eu), andando no meio deles. Meu telefone tocou e imagina se eu ia atender. O aparelho é verde e traz uma bela foto do Mago… Era morte certa! hahahah E sorte que não foi o da Flavinha que tocou, porque teria sido preciso correr um bocado caso o hino do Verdão começasse a tocar ali, no meio da galinhada. Depois de passarmos pela praça, subimos a rua lateral e tava cheio de gambá ali também. O vendedor me ofereceu uma camisa; respondi que já tinha uma e murmurei entredentes: no rodo lá em casa! uhauhauah A PM fazia a divisão na rua com grades que foram abertas para que passássemos. Tão logo cruzamos a “fronteira” e chegamos em território amistoso começamos a tirar as camisas das bolsas e gritar: Palmeiras!  A adrenalina tava a milhão e a gente ria até não querer mais… Haja amor ao Palmeiras!
Pena que o time não correspondeu nadinha no primeiro tempo. Com o Mago no banco, graças à “bendita” fibrose, e Lincoln em tarde de nenhuma inspiração, ficou  difícil a bola chegar no ataque. E se chegava, Luan tratava de estragar. Ele e Rivaldo (que até se esforçou e conseguiu fazer uma jogadinha ou outra), em alguns momentos, faziam do nosso lado esquerdo, um parque de diversões. Faltava o Mago, Gabriel, Maurício Ramos e até mesmo o Márcio Araújo.  Achei que os gambás estavam mais voluntariosos e o Palmeiras, como não conseguia criar, tratava apenas de se defender e tentar na bola parada. Um primeiro tempo de torrar a paciência do mais calmo dos torcedores. Ainda mais depois do gol contra de Fabrício, aos 22’… Uma bola que ia direto às mãos de Deola, acabou nas redes, com o desvio do nosso zagueiro. Que raiva!!!
No segundo tempo as esperanças se reacenderam com a entrada do Mago, no lugar do inexpressivo Lincoln. Até a galinhada ficou mais silenciosa, preocupada… Ficamos bem mais ofensivos. A situação se inverteu. O Corínthians se defendia e o Palmeiras ameaçava. As faltas aconteciam e a torcida verde se enchia de esperanças mas, Júlio César, estava num bom dia. Pela comemoração da gambazada nas intervenções de seu goleiro, podíamos avaliar o medo que as cobranças de Marcos Assunção causavam… Mas, quando a pressão do Palmeiras aumentou, perdemos o Mago que, sentiu a coxa e, por precaução, saiu do jogo. Um erro de Felipão, ter tirado Lincoln,  já que o Mago era dúvida o tempo todo… E, por mais que o Palmeiras, tivesse tentado, o jogo terminou com a vitória dos gambás por 1 x 0. Que raiva! Nosso gol contra fez a diferença… A ausência do Mago, o elenco reduzido, e a falta de qualidade no banco do Palmeiras, também. ESTAMOS ESPERANDO QUE AS PROVIDÊNCIAS SEJAM TOMADAS, VIU PALAIA? TORCEDOR NENHUM ACHA NORMAL O TIME PERDER CLÁSSICOS, NÃO TER RESERVAS NA LATERAL E, PRINCIPALMENTE NÃO TER UM CAMISA 9 QUE PRESTE!
Não bastasse isso, a imprensinha tratou de inventar mil e uma coisas para a saída do Mago aos 35′ do segundo tempo. Por mais que se diga que ele tem uma fibrose, que isso às vezes dói, às vezes não, os jornalistas e repórteres cismam de inventar outros “diagnósticos”, outras lesões. Felipão foi taxativo com um deles: “Não tem lesão merda nenhuma!”, “Não coloquem palavras na boca dos médicos”!  E Felipão está certíssimo! (da Vila Belmiro penhorada, ninguém fala, né?)
E hoje, temos uma partida diante do Galo, lá em Minas, pela Sulamericana. É o campeonato que estamos privilegiando e que o torcedor tanto quer. Diz o técnico do Atlético que vai mandar um time misto a campo. Claro que é melhor, mas nem por isso garantia de jogo fácil; reservas, em sua maioria, costumam se esforçar bastante para ganhar as posições titulares. Felipão que não se fie nisso, abra o olho e escale o time direitinho. Tomara o Mago possa jogar e não sinta nenhuma dor (precisaremos muito dele); tomara o Gladiador faça uma bela partida; tomara a defesa e Deola não deixem passar nada; tomara Felipão continue copeiro, especialista em mata-matas; tomara possamos dormir felizes… Caso o Palmeiras consiga um bom resultado -vitória ou empate-, na casa do adversário, ficará mais fácil passar à outra fase  na partida de volta, no Pacaembu!
TÁ VALENDO VAGA NAS SEMIFINAIS DA SULAMERICANA, PALESTRINOS!! Vão preparando o vinho e a cerveja aí, porque  VAMOS GANHAR ESSE TÍTULO!
E SE O PALMEIRAS VAI JOGAR, NÓS VAMOS!! EM PENSAMENTO, COM A FORÇA DA ALMA, LEVAREMOS PARA MINAS, A ENERGIA E O AMOR DE 20 MILHÕES DE CORAÇÕES!!
ÔÔÔ  VAMOS GANHAR, PORCOOOOO!!!

Eu bem que tinha avisado para levarem um camburão pro Pacaembu… E teria que ter sido esse, o transporte do Sr. Paulo César Oliveira, depois do que ele fez no Derby. Mas a nossa diretoria sempre peca em relação aos bastidores, né? Não consigo entender do que têm medo. Colocaram esse pilantra (que sempre nos prejudica) no sorteio e o Palmeiras aceitou, sem sequer reclamar. Todos os clubes vetam árbitros e só nós é que não podemos? De que adianta estarmos sempre reclamando do prejuízo? AS PROVIDÊNCIAS TÊM QUE SER TOMADAS PARA QUE NÃO TENHAMOS PREJUÍZO ALGUM! PORRA BELLUZZO, O TORCEDOR ESTÁ DE SACO CHEIO!!

Quase vinte e cinco mil  pagantes, foram assistir ao clássico. Embora o Neto, da Band, insista em dizer o contrário, sobraram muitos lugares, dos dez mil, destinados aos corintianos. O tobogã não encheu, nem com o Indulto do Dia dos Pais…  Do jogo, propriamente dito, não podemos falar muita coisa, porque a atuação do juiz foi tão determinante, tão preponderante, que teria sido impossível que o resultado fosse o empate, caso um juiz honesto arbitrasse a partida. E ele tinha um companheiro de “trabalho”: o bandeira Marcelo Van Gasse.

Ontem, ficou muito claro, que bambis e gambás (até agora, já são 10 pontos no apito, para o time da Marginal sem nº) sempre terão seu gols ilegais validados, e o Palmeiras, por sua vez, pode fazer duzentos deles que a arbitragem seguirá a regra à risca e anulará todos!

Início de jogo e, até os 15 minutos, mais ou menos, os gambás tiveram o domínio das ações, uma vez que o Palmeiras, bem postado na defesa, começara o jogo muito recuado. Aos 4′, Deola espalmou uma bola de Bruno César; aos 16′, Lincoln, após jogada linda de Kleber, mandou pro fundo das redes, mas o juiz assinalou, corretamente, o impedimento. O Palmeiras começou a sair mais nos contra-ataques. O juiz já mostrava a que tinha vindo, deixando de marcar algumas faltas pro Palmeiras e, fazendo que não via, as que os nossos jogadores sofriam.  Aos 21′, o Palmeiras deu um vacilo e a senha para o juiz “trabalhar”. Num impedimento claríssimo (juiz e bandeira “não viram” que o jogador alvinegro estava mais de 1 metro à frente, porque não quiseram), os gambás marcaram, com Jorge Henrique. O Palmeiras então foi prá cima e começou a dominar a partida. Aos 34′, Danilo levantou para Kleber, na área. O Gladiador mandou de cabeça e Júlio Cesar espalmou, no rebote, Edinho enfiou na rede! GOL MUITO MAIS DO QUE MERECIDO DO PALMEIRAS!! A Que Canta e Vibra explodiu!! Era de arrepiar! Time e torcida “foram prá cima” buscar a virada. Nossos jogadores só eram parados na falta, mas os gambás tratavam de retardar todas as nossas cobranças, ficando em cima da bola. Isso é passível de amarelo, seu juiz! Tá na regra! Mas que regra, quando o árbitro é Paulo César de Oliveira (aquele mesmo juiz, que viu Adriano fazer um gol de mão e ainda assim validou, lembram?) ??

Lincoln procurava  os espaços, Márcio Araújo, com uma baita vontade, fazia uma partidaça! Ewerthon se movimentava bem, ao lado de Kleber (POR QUE NÃO MARCAM AS FALTAS QUE ELE SOFRE?) e era o Gladiador, sozinho, quem ia destruindo a defesa dos gambás. Chicão e o Alessandro, abriram as caixas de ferramentas e só paravam Kleber na porrada, mas o juiz estava ali ‘a trabalho’, não é mesmo? E “trabalhava tão bem” que já tinha deixado de ver um penalti claríssimo, cometido em Ewerthon.  O time alvinegro jogava com 13 homens… Dois deles, os que usavam amarelo, eram decisivos.

O Palmeiras no abafa, mas o juiz era adversário e, por isso mesmo, Chicão (que já tinha levado amarelo) aproveitou e deu mais um pontapé em Kleber. O árbitro assinalou a falta, mas cartão vermelho que é bom…  Paulo César Oliveira ‘afinou’ para não ter que expulsar Chicão. “Trabalhava” direitinho, mas tão direitinho que, no último lance da primeira etapa, a falta a favor do Palmeiras nem foi cobrada porque o minuto que ele havia dado como acréscimo, foi gasto com os gambás tentando nos impedir de cobrá-la. Nas arquibancadas o torcedor palmeirense, nervoso e enfurecido, não podia acreditar que mais uma vez esse juiz fabricava um resultado desfavorável ao Palmeiras.!!

Na segunda etapa o Verdão voltou como terminou a primeira, em cima dos gambás!!Com velocidade, o ataque palmeirense azucrinava os violentos zagueiros adversários  Aos 3′, em cobrança de falta de Lincoln, Ewerthon marcou o segundo gol do Palmeiras, mas o juiz assinalou impedimento. Em seguida, Kleber quase faz o dele. O Palmeiras perdia alguns gols, o jogo era truncado e cheio de entradas duras, com total consentimento de Paulo César Oliveira. Kleber que o diga! E o juiz abusava do direito de nos prejudicar. Uma falta cometida por Pierre (eu achei que nem falta foi), o árbitro marcou “no grito” dos jogadores corintianos, e amarelou o Guerreiro. SE ELE NÃO TINHA DADO A FALTA, NA HORA QUE ACONTECEU, E SÓ MARCOU DEPOIS, NO GRITO, COMO É QUE PODE DAR CARTÃO AMARELO PARA PIERRE?

Felipão sacou Lincoln e colocou Tinga no time. Mas o jogo continuava do mesmo jeito; várias oportunidades para o Verdão, poucas para os gambás e o juiz “jogando” muito!! Paulo César Oliveira, que permitiu o jogo todo, que nossas cobranças de faltas fossem retardadas de todas as maneiras possíveis e, depois deu amarelo para Armero porque ele teria se adiantado, numa cobrançados gambás. Que cara-de-pau!  Ele, que deixou de marcar mais um pênalti claro, desta vez em cima de Kleber;  fez que não viu Jorge Henrique (numa disputa de bola que já tinha saído em lateral) empurrar Armero, propositalmente, prá cima do banco de reservas do Palmeiras. Como jogar assim? Felipão ainda colocou Patric, aos 42′, mas o jogo terminou mesmo empatado. Que raiva! Se querem coibir a violência nos estádios, precisam começar a dar um jeito nessa roubalheira toda! Paulo César Oliveira conseguiu, mais uma vez, impedir o Palmeiras de vencer. E o torcedor palestrino pagou ingresso para ser assaltado…

Vejam se eu não tenho razão…