E agora? O que é que a gente faz com essa dor? Depois de uma noite insone, um dormir e acordar incessantes, coração despedaçado, remoendo os fragmentos de um pesadelo,  sentindo uma inquietação e um pesar imenso, acordei como se tivesse morrido um pouquinho. E agora, lá vai a torcida palestrina (em sua maioria), fingir uma indiferença que, na verdade não sente,  e apenas usa como defesa, para essa dor que não para de doer…

Indiferença, que nos ajuda a a “fazer de conta” que não percebemos que a mentalidade e incapacidade de nossa diretoria, o  seu ‘não delegar funções’, ‘não abrir espaços’ para que outros nomes surjam, têm levado o Palmeiras à mesmice das escolhas erradas, à falta de títulos, já por tantos anos. Os torcedores, há muito desorientados, nem se dão conta que não conseguem mais ver com clareza. Cada hora é um, o vilão  escolhido. Luxemburgo (prá mim, era vilão, sim!), Alex Mineiro, Elder Granja, Martinez, Leandro, Keirrison, Muricy, Vágner Love, Armero, Diego Souza… E eles vão saindo do time, impregnados da raiva do torcedor e nada muda… Porque não são (não eram) eles os nossos reais problemas. Diego (que vai embora) não estava ontem. Será que ele teria perdido o pênalti? Sem ele, jogamos melhor?  Mudou alguma coisa? Quem assistiu à partida sabe que a resposta é não! Jogamos como sempre… SEM FIBRA, SEM ALMA!

O juiz tinha acabado de apitar o final de jogo e as lágrimas, que eu tanto segurei, surgiram num repente. Pobre Marcos… Depois de ter feito uma partida e tanto, lá ia ele, mais uma vez, ter que ‘segurar a bucha’ da incompetência de tantas pessoas e da incapacidade de outras… E nós, torcedores, quanto mais teríamos que aguentar??

O jogo até que começara bem. O Palmeiras, que foi a Goiás, jogar como time pequeno e com o regulamento debaixo do braço, parecia estar tranquilo. Não sofria muitas investidas no primeiro tempo e, mesmo perdendo alguns gols (como é de praxe nos dias atuais), se mantinha com o comando da partida. Se é que um time “incompreensível” como o nosso, possa realmente estar no comando de algo. Marcos estava lá, seguro, e honrando a camisa. Outro que honrava o manto era Armero… que espírito de luta ele tem! E como o Atlético não vinha prá cima buscar a vitória e o Palmeiras, não era capaz de fazer um único gol e matar a partida (né Robert?), o primeiro tempo terminou no 0 x 0.

Veio o segundo tempo  e dois fatos mudaram  o ritmo da partida: a expulsão de Pierre e a entrada de Elias, no Atlético. O time da casa veio prá cima. E o nosso ininteligível Palmeiras, de tática e estratégia  confusas, deixou o Atlético gostar do jogo e começou a ficar acuado. Nossa defesa começou a ter um trabalhão! Ainda bem que a gente tem Marcos…  Ele pegou muito! Mas o Santo, pego no contra-pé, não pode evitar o gol do dono da casa. E o Palmeiras não teve competência para deixar o seu na rede adversária.. E a decisão foi para os pênaltis…

O palestrino ficou esperançoso; embaixo das traves a gente tinha Marcos. E ele não decepcionou. Pegou três penalidades!!! Mas os incompetentes Danilo, Ivo, Figueroa e Cleiton perderam 4!!! Só Ewerthon conseguiu converter! Nosso “ilustre”, incapaz e burro técnico, tinha tirado (WHY?) Lincoln e Marcos Assunção (bons cobradores), para a entrada de Ivo e Figueroa, que desperdiçaram os seus. A cada erro nosso, Marcos nos salvava com uma defesa.  Até pênalti com paradinha ele pegou!  Tava 1 x 1 quando Cleiton  foi para a última cobrança. Pensei comigo, “agora ele guarda, Marcos pega de novo, e fim de papo”. Mas não é que ele cobrou com a maior displicência e nas mãos do goleiro, como se ainda jogasse no Figueirense?   ( É… quem nasceu prá coadjuvante…) Elias então, marcou o dele e matou o Palmeiras, na Copa do Brasil! Matou o palestrino (que não pode fazer mais, a não ser que calce chuteiras e entre em campo) de tristeza e vergonha! 4 penaltis desperdiçados, é demais!! Desapontado, ferido, abandonado, o torcedor se pergunta:  “O QUE FIZERAM COM O MEU PALMEIRAS? QUANDO O TRARÃO DE VOLTA??” A resposta é apenas silêncio…

Em meio à essa catástrofe, enquanto enxugávamos as nossas lágrimas,  os gambás entravam em campo (Graças a Deus!) para enfrentar o Flamengo e buscar o que sabiam que não iriam encontrar… Para fazerem com que por algumas horas, ou mesmo um por dia,  o palestrino pudesse voltar a rir. E Libertadores e Gambás são coisas que  simplesmente não combinam. Até que eles deram a impressão que podiam mudar a escrita.;fizeram 2 x 0, mas Vagner Love (EIS AÍ O MOTIVO PARA BELLUZZO TRAZÊ-LO DE VOLTA AO BRASIL!!) deixou o seu na rede gambá e acabou com o sonho  da galinhada!   Eles estão tão acostumados com as desclassificações, que nem quebraram o Pacaembu dessa vez…  E já diz o velho ditado: P….. Q….. P……..! LIBERTADORES O CU RINTIA NUNCA VIU! E NEM VAI VER!! hahahaha

Eu sei que perder uma Libertadores é humano, e perder todas é…. CORINTIANO!!  E  como diria Valdivia: TCHUUUPA GAMBÁ!!

Mas eles não desistem! Com a camisa “loteada”, sem Copinha, sem Carnaval, sem Paulistão, sem César Cielo, sem Vagner Love (hahaha), sem Riquelme, sem Stock Car, sem “istádio” e sem Libertadores, o alvo agora é outro:

marcelinhodanadosfamoso

E como dizem que rir é o melhor remédio…  NUNCA VAMOS PARAR DE RIR!!!  UHAUAHUAHAUAHUH

ATT373726

agenda


cHORAGAMBÁ

 

Livrodocentenário



porco_clo1

Eu tenho quase certeza que num tempo remoto, há mais de 2000 anos atrás, formávamos as legiões de soldados romanos. Também erámos parte do povo que absolveu Barrabás…  Jogamos pedra na cruz e, mais do que isso, nós ajudamos a crucificar o dono do espírito mais iluminado que por aqui caminhou. Deve ser isso!! Estamos pagando agora, os pecados cometidos em todas as outras encarnações. Como não pensei nisso antes?
 
Do jogo mal dá para falar, tamanha lambança que se viu em pleno Palestra Itália. O público era tanto que dava para lotar os… banheiros! Apenas 3 mil corajosos e apaixonados torcedores estiveram no Palestra. O Palmeiras começou o jogo com ofensividade, e logo no comecinho, Cleiton sofreu penalti. Robert foi para cobrança e abriu o placar. Hoje vai, pensou o palestrino. Pensou errado!! Não demorou muito e o time apagou e emburreceu, mais uma vez… É como disse um torcedor,”foi a apresentação da trupe Palmeiras, no picadeiro de Palestra Itália”. Uma palhaçada!! Pena que os palhaços sejamos nós! Fase ruim é uma coisa, mas esse marasmo, esse apagão (será que era colaboração antecipada com a Hora do Planeta?), não dá para engolir. O juiz, era uma desgraça, ou era cego! Cada puta falta, na cara dele e nada do sacana marcar. Penalti claro em Ivo, ele fez que nem viu… O time no fundo do poço e o cara ainda joga mais água em cima da gente…

Se o primeiro tempo já tinha sido ruim, no segundo o Palmeiras foi ainda pior. Não criava nada e deixou o “Real” Mirassol crescer na partida. Nós torcedores já sabíamos muito bem o que aconteceria. A desgraça é tamanha que pode ser o time completo, time misto, ou mesmo os reservas, que os erros de sempre são repetidos à exaustão. Se tivesse um campeonato de passes errados, o Palmeiras seria campeão ‘facinho’. Nunca vi tantos erros, como os que temos visto nas últimas (faz teeempo, hein?) partidas. Não bastasse isso, Zago faz cada substituição de envergonhar até a Frida, minha cachorra. Em pleno Palestra, ele tira um atacante para colocar um zagueiro, querendo segurar o resultado. EM CASA, CONTRA O MIRASSOL ELE QUIS SEGURAR O 1 X 0 E LEVOU O EMPATE!! Do Pablo Escobar!! A polícia nem fez nada… A estratégia do nosso técnico foi de uma burrice tamanha que, quando o time tentou ir prá cima, ele tirou mais um atacante (Robert) e colocou Joãozinho. E o jogo,de um Palmeiras afobado, sem  organização tática, ficou mesmo no empate. Zago terminou a partida no inédito esquema 4-6-0 (quatro defensores, seis no meio de campo e nenhum homem de frente).E pensar que uns “profetas” palestrinos zombavam dos torcedores que queriam o técnico Jorginho o qual, eles diziam, não sabia nada. Pelo visto, quem não sabia nada, eram eles, os “profetas”!!

E as lesões?? Para um time que não joga nada e se esforça bem menos do que deveria, tantas contusões são, no mínimo, estranhas. A cada partida o Depto Médico recebe novos “hóspedes’. No jogo anterior tinha sido Lenny; Lincoln e Ewerthon, também sentiram e viraram desfalques. Hoje foi a vez de Cleiton Xavier ter um estiramento. Tô ‘começando’ a desconfiar que até fora das quatro linhas o trabalho está todo errado.

Estamos quase no  fundo do poço! Belluzzo já admitiu que fracassou como presidente. Pois é… Preferiu fracassar do que ter que fazer o que deveria ter sido feito; do que ter trocado as pessoas que estavam à sua volta… Quando dispensou Muricy (eu nem gostava tanto dele), Belluzzo sabia que estava errado, sabia que precisávamos mesmo era de jogadores mas, para não contrariar Cipullo e nem a Traffic, fez aquilo que ele mesmo não queria (isto é o que ‘eu’ acho) e dispensou o técnico. E lá veio o Cipullo, com a sua cara de pau, dizer que o time era bom. Lá veio ele, nas entrelinhas, jogar a culpa em Muricy… Agora, depois da partida de hoje, ele teve a desfaçatez de dizer que o jogo foi bom pela experiência. EXPERIÊNCIA, O CATZO!! Por que querem que o torcedor se contente com esse ‘palmeiras” que não é o nosso PALMEIRAS? EU QUERO MEU TIME DE VOLTA, PORRA!!

É galera, no Paulistão é “GAME OVER”…  Outros campeonatos vem aí… Lógico que nunca deixaremos de torcer e amar nosso time. Esse amor é maior que tudo e transcende o universo, o tempo e o espaço. Mas você acredita que o time vai se acertar para a Copa do Brasil, que, por sinal, já começou? Vamos nos sair bem no Brasileiro? Será que diretoria, comissão técnica e jogadores vão acordar? Será que já pagamos os nossos “pecados” e vamos sair desse poço sem fundo ou, mais uma vez, vamos ficar só no RECLAMATION??

A resposta, só o tempo vai nos trazer… 

REAGE, PALMEIRAS!!  A GENTE TE AMA E VAI ESTAR COM VOCÊ, SEMPRE!!!

FORÇA BELLUZZONE, NÃO DEU CERTO ATÉ AGORA, MAS VOCÊ TAMBÉM PODE DAR A VOLTA POR CIMA!

Tem umas coisas que a gente vai deixando,vai deixando,vai deixando de ser e nem percebe. Quando viu, babau, já não é mais.  – Caio F. Abreu

É duro admitir, mas este time do Palmeiras, à exceção de Marcos, Pierre, e uns poucos,  não vale nada. De que adianta termos alguns jogadores considerados habilidosos, acima da média se eles simplesmente não funcionam? Acho que o “ranço” de pensar pequeno das nossas diretorias (atual e anteriores) estendeu as suas venenosas garras e penetrou todas as frestas, todos os vãos do Palestra Itália. Nossos jogadores pensam pequeno, também!! Tiveram que se esforçar, e muito, para empatar com o megahiperultra”Real” Rio Branco (lanterna do campeonato), depois de estar vencendo e, num piscar de olhos, tomar a virada. É triste, mas é verdade…

Diego Souza deve pensar que ainda joga no Benfica; Cleiton, que continua no Figueirense, e por aí vai… Até o nosso guerreiro Pierre, pareceu “contaminado” ontem, diante do Rio Branco… Trocamos três vezes de técnico, nos ultimos meses. Foram 4, em dois anos. Eram eles os culpados?? Tirando Luxemburgo que usava o Palmeiras para legitimar as péssimas contratações da Traffic, acho que os outros não têm culpa ou, pelo menos, têm a menor parte dela.

Como pode a zaga que, antes de Muricy, era a menos vazada, ser agora essa peneira que estamos vendo? Pobre Marcos… Os jogadores são os mesmos, e não podem ter esquecido o que sabiam… E como podemos ter bons (ELES SÃO BONS?) jogadores lá na  frente e penarmos para marcar gols em times pequenos do campeonato Paulista? Não há comprometimento! Até o preparo físico parece estar muito ruim. Tem jogador com a língua arrastando já no primeiro tempo. O departamento médico é incapaz de nos devolver Maurício Ramos!! Nosso time tão amado está à deriva…

Cipullo vive dizendo que o time é bom. ENTÃO POR QUE É QUE ELE NÃO VIRA TÉCNICO E FAZ ESSA ‘MARAVILHA’ DE TIME JOGAR?? Quanto tempo mais a nossa diretoria vai nos enganar, com declarações como essa, e notícias que mascaram a realidade do time?  Homenagem para Diego, que fez um gol histórico, mas não é capaz de decidir quando a gente mais precisa… Notícias sobre a porcentagem de assistências de Cleiton, que não chama a responsabilidade nunca; Robert, o artilheiro do time, que não marca gols, contra ‘poderosíssimos anões’ do futebol paulista; novamente Diego, segundo maior artilheiro na década,  que não traduz o ‘feito’ em conquistas… O torcedor está de saco cheio!! Abusam do amor que sentimos pelo Palmeiras. Sabem que ele é imenso e nada, nem ninguém vai mudar isso. Mas as nossas lágrimas, tiraram a “maquiagem” com que o Palmeiras foi pintado.

Nesta semana, ganha um ingresso para Palmeiras x Mirassol, quem comprar uma camisa. NÃO QUEREMOS GANHAR INGRESSOS PARA VER O PALMEIRAS PERDER!! Montem um time vencedor, de jogadores raçudos, sem medo de timinhos, e teremos o prazer de disputar cada centímetro das calçadas do Palestra Itália para conseguirmos os nossos ingressos.Não dá mais para blindar você Belluzzo!! Você é um homem honesto (eu ainda penso assim), mas está sendo um presidente ruim. Não teve e não tem peito para quebrar essa aliança maligna que afunda o meu Verdão a cada dia. O QUE CIPULLO E SEU EGO IMENSO, FIZERAM DE BOM PARA O PALMEIRAS ATÉ AGORA?? E POR QUE ELE CONTINUA AÍ?  O que a sua administração trouxe de bom para o Palmeiras, Belluzzo? Patrocínios melhores? Mais dinheiro? E por que não podemos contratar? Por que estamos sempre quebrados? CADÊ A ARENA, CUJAS OBRAS MUDAM DE DATA ASSIM COMO MUDAMOS DE ROUPA? ONDE ESTÃO OS GAROTOS DA BASE? ‘SUMIRAM’ OUTRA VEZ? Estamos pagando os salários de Wendel, no Goiás, enquanto utilizamos Eduardo (lateral-esquerdo), improvisadamente na lateral direita para ele cruzar com a… perna  esquerda!! Não temos jogadores para todas as posições!!!  PARA QUE PRECISAMOS DA TRAFFIC? Só nós somos parceiros? Ajudamos a valorizar esses jogadores meia boca e ela nos ajuda… EM NADA! Ela não veio ao Palmeiras para nos ajudar a conquistar títulos e, em consequência, ganhar dinheiro com a natural valorização de jogadores campeões. Veio só “lotear a nossa camisa”. E VAMOS FICAR REFÉNS DESSA PORRA DE PARCEIRA ATÉ QUANDO?

Querem que acreditemos que vamos ganhar a Copa do Brasil e o Brasileiro. DE QUE JEITO? Quem não consegue se impor diante de São Caetano, Rio Claro, Rio Branco… vai ganhar o quê, de quem??? Ou a diretoria acorda, deixa a porra da política de lado, arregaça as mangas e começa a trabalhar direito, senta quem tem que sentar, ou vão fazer companhia a Mustafá, nos levando mais uma vez para a segundona. Não adianta trazer novo gerente de futebol, se não há dinheiro para contratar. E basta de viver apenas das glórias passadas. Em onze anos GANHAMOS APENAS UM PAULISTA!! Quem merece homenagens e placas, somos nós, torcedores. Por todos os títulos que estamos vendo  escorrer de nossas mãos, por todas as desculpas que temos aceitados, por pagarmos os ingressos mais caros, pela falta de conforto que encontramos até mesmo nos banheiros do Palestra Itália,  por todos os times ruins que temos suportado, por todos os sapos que temos engolido…  E não pensem que nós, que vivenciamos os períodos de glórias, vamos aceitar e nos contentar com esse “nada” que vocês hoje nos dão. Só tenho pena dos muito jovens que infelizmente só conhecem o Palmeiras Imponente nas histórias contadas pelos mais velhos, nos vídeos aos quais podem assistir. E quando ousam querer ver o time campeão, são taxados de bambis, de modinha. Pobres torcedores que estão sendo doutrinados a pensar pequeno também. Eu me pergunto: até quando essas histórias conseguirão manter acesa a chama, no peito das crianças palestrinas, dos adolescentes?? Até quando o nosso hino vai arrepiar os jovens palestrinos?? VAMOS COLHER MUITO EM BREVE  TUDO O QUE PLANTAMOS AGORA, NÃO SE ESQUEÇAM DISSO…

VAI, BELLUZZO! NÃO NOS DECEPCIONE ASSIM!! VOCÊ SABE O GIGANTE QUE  É O PALMEIRAS! FAÇA O QUE TEM QUE FAZER!! TENHA CORAGEM PARA MUDAR ESSE ROTEIRO MALDITO, ESSA MENTALIDADE ULTRAPASSADA E VENENOSA! ABRA AS JANELAS, DEIXE O SOL ENTRAR  E TROQUE ESSE AR PESADO, VICIADO, PELO AR PURO DE UM NOVO TEMPO, DE VERDADE, COMO VOCÊ SABE QUE DEVE SER!! PELO AMOR DO NOSSO PALESTRA…

Belluzzo, esta música é para você… Presta atenção no refrão…

“Continuo a pensar que quando tudo parece sem saída, sempre se pode cantar. Por essa razão escrevo.” –   Caio Fernando Abreu

 

Saí do Palestra num desânimo total.  Nem muito brava com o time, eu consegui ficar. Durante a volta, uma sensação tão estranha me acompanhava…  Qual um caramujo, que  carrega a casa nas costas, a minha “casa” estava pesada demais.  Meus olhos ardiam, raspavam,  como se eu estivesse morrendo de sono; e não estava.   Cansada de todos os “quases” do Palmeiras e de outros tantos, da vida, me fechei na minha “concha” e a única vontade era a de nunca mais falar com ninguém.  Acho que a derrota para a Ponte Preta, em casa, coincidiu com aquele dia crucial da TPM. Ia ser difícil chegar em casa…

Queria não pensar, mas era impossível… Pediram a presença da torcida e ela estava lá! No começo da partida, quanta esperança, o Palmeiras parecia que ia ganhar de ’20 x o’. Mas, mesmo tendo o jogo nas mãos,  nosso time não soube decidir  em nenhuma, das muitas, oportunidades surgidas. A Ponte, inofensiva, a não ser quando, por vacilos nossos, ganhava algumas chances, decidiu e matou a partida, em duas, das três boas oportunidades que teve.

Não consigo entender como os nossos jogadores se recusam a brilhar.  Estão na maioria da vezes, dando muito menos do que podem. Alguns, com mais futebol para mostrar, dificilmente ultrapassam a linha que põe de lados opostos protagonistas e coadjuvantes. Em algumas ocasiões se comportam como meros figurantes.  De nada adianta fazer dois clássicos com brilhantes atuações e tropeçar em todos os pequenos que encontrar pela frente.Todos sabemos que  a Ponte Preta nunca ganhou nada, e  é por isso mesmo que não dá para aceitar numa boa essa derrota.

No primeiro tempo mandamos na partida, mas o gol nada de sair.  Já era sinal que algo precisava ser mudado.   Fazíamos tudo certinho até chegar lá na frente  e então a bola parecia queimar os pés dos nossos atletas. Ewerthon, estava sempre de costas e, ao receber não conseguia girar; então passava… Diego recebia e também passava… Robert e Cleiton, idem. Quando chutávamos, a ansiedade, ou o goleiro da Ponte, atrapalhavam a finalização. Nosso mais ofensivo atacante parecia ser o zagueiro Danilo, sempre aparecendo com perigo diante do goleiro da Macaca.

Mas parece que o Palmeiras traz um peso a mais, sei lá… Esses anos sem títulos, essa cobrança toda, essa pressão. Parece que a camisa quando é dada a um novo jogador, já vem “imantada” com essa “nhaca” de não se tocar que É O PALMEIRAS, PORRA! De não entender que o time pequeno vem, sim, com medo ao Palestra, e nós é que os permitimos ficar mais ousados.  O torcedor que não é bobo já adivinhava o que estava por vir e, antes dos quinze do segundo tempo, pedia Lincoln, que nem relacionado fora. Alguns, na verdade,  não sabiam que ele não estava no banco, outros, gritavam seu nome como uma forma de protesto por ele não ter sido relacionado. O torcedor já percebeu que Lincoln pensa e joga ao mesmo tempo, coisa que outros acham difícil fazer.  QUE FALTA FAZ UM CAMISA DEZ…

Zago continuou sem perceber que a Ponte tava chegando e cometeu o mesmo erro que Muricy tantas vezes cometera; ficou esperando que o time (que dava mostras de não funcionar) resolvesse. Mais da metade da segunda etapa se passara e nenhuma mudança tinha sido feita. Aos 32′, a Ponte fez o seu seu gol. Custei a acreditar! Só então nosso técnico resolveu substituir. Edinho deu lugar a Lenny. Só que esse Palmeiras atual se desequilibra absurdamente quando é ele quem toma o primeiro gol na partida. E não foi diferente dessa vez…  Nós, na bancada, já sentíamos que o Palmeiras não reagiria. Aos 38′,  o veterano(!!) Finazzi marcou o segundo.  Estranho que Finazzi estivesse sem um zagueiro em sua marcação, e somente Armero estivesse na área dando combate…

O que já era insuficiente, ficou ainda pior… Nossos jogadores, tão melhores que os da Ponte, faziam questão de parecerem piores. Que desequilíbrio é esse?? A Macaca,  com o time todo atrás, só se aventurava em contra-ataques. E foi num deles que Danilo cometeu penalti em Marcos Rocha. O Santo defendeu!!! A torcida, triste, machucada, por mais um campeonato a esquecer, comemorou muito. A defesa de Marcos (que agarrou a bola!) foi o único bálsamo para as dores que aquela noite nos trazia… Para mais um “quase” que teríamos que digerir…  O maior prejuízo é o de nos acostumarmos (torcida, jogadores, diretoria) a  isso, de aceitarmos todas as desculpas, de fabricarmos outras tantas…

Quando desci na estação próxima a minha casa, a chuva caía… Todo mundo se protegia e a rua estava deserta.  Saí caminhando, lentamente, para ser engolida pela escuridão e pela água que caía do céu…  Hoje, está escuro e chove no meu mundo, mas eu sempre vou esperar pelo sol…

REAGE, PALMEIRAS!!!  

gifrobertLATION

Se nem Pelé parou o Palmeiras, não seriam as foquinhas amestradas da Vila,  com seus cabelinhos ‘moicano’, camisa de gola levantada (prá quê, Neymar?) e  firulas dignas do Cirque du Soleil, que iriam segurar o Verdão, né? Robinho surgiu, foi, voltou, e continua sem saber o que é vencer o time de Palestra Itália.

Durante a semana, a imprensinha enchia a bola do Santos “melhor do Brasil”, e insinuava que levaríamos uma goleada, como ocorrera no meio de semana com o Naviraiense. O imbecil do Flávio Prado, chegou a dizer que o Palmeiras era o Naviraiense verde. Esse cara, já tá velho, barrigudo e vai morrer assim, tendencioso, leviano e burro, sem aprender a ser um jornalista de verdade. Quem compara o Campeão do Século ao Naviraiense, não conhece nada de futebol, isso é fato! Para a impren$inha vendida, parecia que éramos a Itália contra o Brasil, porque tava todo mundo torcendo contra. E não é que fizemos, mesmo, como a Itália? De 82!! Nosso “Paolo Robert”, tão desacreditado (até por nós mesmos), acabou com a farra da molecada e decidiu a partida.

O Palmeiras começou nervoso. Embora tenha tido as primeiras oportunidades, errava muitos passes,cruzamentos,  desperdiçava escanteios, com aquela repetida cobrança no primeiro pau… Os jogadores santistas, se jogavam, encenavam, e saíam rolando a cada trombada ou falta sofrida. Ridículo! O Palmeiras, ao invés de fazer o seu jogo, ficava correndo atrás dos jogadores santistas. Não ia dar certo assim… Aos 9′, Pará recebeu na lateral da área, cortou Eduardo facilmente e cruzou. Na sorte, a bola acabou entrando no ângulo esquerdo de Marcos. 1 x 0. E dá-lhe a molecada dançando, rebolando… O Palmeiras, muito intranquilo, permitiu que o Santos passasse a dominar a partida .  Aos 30, depois de Danilo errar o passe ao tentar sair jogando, Neymar recebeu na área e tocou por cima de Marcos.  Não era possível que fossemos perder, apenas por estarmos nervosos, errando muito e termos dado duas bolas para o ataque do Santos. As “hienas” da TV se lambuzavam de alegria com o placar, e com os jogadores santistas que faziam a sua “dancinha” para as câmeras de TV, outra vez. Só que ninguém imaginava quão eletrizante e verde seria o restante da partida…

Não sei se as fraldas da molecada santista já estavam molhadas, ou se os jogadores do Palmeiras ficaram com vontade de dançar também, mas o fato é que o Verdão foi colocando os nervos no lugar. Aos 41′, Cleiton cobrou falta (sofrida por Diego) na lateral da área, o goleiro saiu mal e Robert só teve o trabalho de guardar.  GOOOOL, PORRA!!! Mal deu tempo da gente comemorar e, aos 43′, Diego tocou de calcanhar para Armero (quem diria!) cruzar na área e Robert, no contra pé do goleiro, mandar prá rede! O PALMEIRAS EMPATOU!! Eu, quando dei por mim, estava em pé, gritando feito uma louca, pulando no meio da sala. QUE ALEGRIA!!!!!! E lá foram os jogadores alviverdes dançar também! Armero e Diego eram os mais animados! Podemos dizer que Armero EN-LOU-QUE-CEU de alegria!! uhauahuah A partida, seria outra, depois desse gol. Eu tinha absoluta certeza!

No segundo tempo, Marcio Araújo entrou jogando no lugar de Eduardo. O Palmeiras que terminara o primeiro tempo, pressionando o Santos, jogava agora um futebol de gente grande!! Aos 4′, quase que o Ewerthon faz o dele! A bola passou raspando… Mas aos 11′, Cleiton cobrou falta prá área, Léo cabeceou e ela bateu na trave, no rebote, Diego, quase de peixinho, virou a partida! Pensei que fosse enlouquecer de alegria!!! E os jogadores cairam na dança, outra vez!!!!

O Santos veio prá cima,mas o Palmeiras estava bem postado e esperto. Sempre tinha um pé ou uma cabeça palestrina para tirar a bola. Aos 17′, Lincoln entrou no lugar de Ewerthon. Inteligente, lúcido, Lincoln fazia boas  jogadas . Aos 25′, o Santos assustou. A bola passou raspando. O jogo era eletrizante e podíamos sentir que para os jogadores a disputa era feroz. O time do Palmeiras não estava para brincadeiras e defendia o seu espaço com garra e determinação. Eu tremia e mal conseguia me manter sentada. Estava à beira de um infarto…  Aos 35′, num vacilo nosso, Madson entrou na área,livre de marcação e empatou.   Ele, pelo visto, não sabe dançar, mas achei bacana ele comemorar o gol homenageando a própria família…  A molecadinha do Peixe, acostumada com jogos e adversários mais fáceis, ia perdendo a cabeça com a disposição do Palmeiras. Neymar, numa mesma jogada, deu uma botinada em Léo e em seguida entrou violentamente em Pierre. Foi expulso e, como criança que perdeu a chupeta, fez o maior escândalo, para depois sair chorando…

Em campo, o Palmeiras era um gigante em raça, vontade e determinação! Zago colocou Ivo no time, e o Palmeiras atacava e se defendia do jeito que dava. Aos 44′, ROBERT METEU UM TORPEDO DE FORA DA ÁREA E GUARDOU NO ÂNGULO!! PUTA GOLAÇO!! E DÁ-LHE DANÇA!!! Léo ainda foi expulso, por falta dura no anão Madson (‘coitado’ do Madson… uhauauha). Na cobrança, Marcos salvou o Verdão! O PALMEIRAS VENCEU E CONVENCEU! Essa molecadinha e suas bicicletinhas e chapéus, que vá arranjar outro ‘coleguinha para brincar’, porque no Palmeiras se joga futebol de gente grande!!!!

VALEU ROBERT!!! VOCÊ É O CARA!!  ENSINOU AS MOÇAS E AS CRIANCINHAS A DANÇAREM UM NOVO RITMO: “ROBERTATION, TION…  ROBERTATION, TION!!!!”

Nada funcionou na partida diante do Rio Claro (era rio, mesmo!). Prá começar, o estádio e o gramado eram péssimos. Chovia muito e as poças d’água pareciam jogar também. Uma hora a favor, outra, contra o Palmeiras. Sem contar que parecia um circo, com arquibancadas improvisadas. Os vestiários do Palmeiras estavam alagados!! San Genaro tava de colete salva-vidas. A   Federação Paulista, que nos enche o saco a cada vez que queremos mandar um clássico no Palestra, é a mesma que habilita e aprova um estádio como esse? Eu, hein? Um time grande não pode ir ao Palestra, mas pode ir jogar na “casa” do Rio Claro?

Mas a chuva é democrática, dirão alguns. Choveu para os dois times. As dificuldades também foram para os dois. Talvez o Rio Claro tenha levado vantagem, por não ser uma equipe técnica e sempre treinar ali, mas  a verdade é que o Palmeiras não jogou nadinha… do que esperávamos. E, ao me lembrar disso, me lembro também que NÃO TEMOS TIME E NEM TÉCNICO DE POLO AQUÁTICO… Culpa da diretoria, rsrsrs

Começo de partida e o Palmeiras, sem Pierre, veio pressionando. Com 4 minutos,Diego recuperou uma bola no meio de campo e lançou Robert que, ganhou na dividida, e bateu cruzado. Aos 7′, Lenny recebeu na área, quase embaixo da trave e, por estar de costas, tentou de calcanhar, mas a zaga tirou. Aos 25′, Wendel cruzou para Robert cabecear à “queima roupa” e o goleiro fazer uma defesaça. Aos 29′, Souza mandou um canhão que acertou o travessão e, no rebote, Cleiton isolou a bola. Até então, Marcos tinha feito apenas uma grande defesa.O Palmeiras era mais perigoso, mas não tinha ainda conseguido se adaptar às condições do gramado. E um gramado naquele estado, é lógico que beneficia o time menos técnico. Aos 34′, demos um vacilo. Osni foi lançado; Souza perdeu o tempo de bola e a jogada, Osni bateu forte e marcou. Eu achei que Marcos poderia ter defendido. Mas acho que, com aquela água toda, mesmo as defesas mais fáceis se tornam difíceis.

Eu bem que acreditava na virada no segundo tempo, mas lá no fundo, sabia que ia ser um ‘parto’ o restante da partida… Ao Palmeiras restariam as jogadas aéreas, uma vez que, pelo chão, não ia dar. E não somos muito produtivos nesse tipo de jogada. Tivemos a prova, nos tempos de Muricy e sua única jogada. Na ‘lagoa’ de Rio Claro, as nossas cobranças de faltas eram todas desperdiçadas. Compreendo que Zago queira um time que toque com rapidez e jogue com a bola no chão, mas ouvi-lo dizer que não treinou ainda a tal “bola parada”, me assusta. Quero crer que tenha sido apenas pela falta de tempo, porque nem sempre as condições nos serão favoráveis, né belo?

No segundo tempo, o Palmeiras veio desatento, e por pouco o dono da casa não ampliou o placar no primeiro minuto. Marcos salvou com um ‘milagre’. Aos 5, Lenny, por puro capricho da bola, não igualou. A “mardita” passou raspando a trave… Zago chamou Ivo e Marquinhos, para a saída de Souza e Lenny. Mas a coisa não ia… Para se jogar nas condições que encontramos em Rio Claro, é preciso muita determinação, vontade e, sobretudo, criatividade. E isso nos faltou… Diego (principalmente) e Cleiton, de quem sempre esperamos mais, deixaram muito a desejar. Como o resultado não vinha, o desânimo, a apatia e os erros (a mim parecia que fosse assim) tomavam conta do time. E o Rio Claro tratou de suportar a pressão de um Palmeiras  que   queria, sim, empatar, mas errava muito. Zago ainda tentou Willian em lugar de Wendel, mas continuávamos apenas no “quaaaase”… 45′, e Robert cabeceou pro gol, mas o goleiro Sidney faz a defesa. E terminou assim. O Palmeiras conseguiu a façanha de perder do Rio Claro. Que m….!!!

Foi só a chuva e o gramado ruim, os responsáveis? Eu acredito que não. Com todos os problemas, ainda assim, somos, ou deveríamos ter sido, melhores que o lanterna do campeonato. Mas temos  muitas coisas a acertar, muitos fundamentos a treinar. A equipe não está pronta, como equivocadamente afirma Cipullo. Temos um bom time, mas precisamos de um bom elenco, também. Já vimos o “filme” de não termos um banco à altura do time e não queremos ver de novo. Mas, da mesma forma que a vitória contra os bambis não ofuscou os problemas que ainda temos, essa derrota para o lanterna do campeonato, não é parâmetro para dizermos que está tudo perdido. Pelo contrário, estamos caminhando, e o trabalho do Zago, apenas começando. A classificação é difícil, sim. O próximo jogo é contra o embalado Santo André. Eu sei que estamos muito mais próximos da parte de baixo da tabela do que da de cima. Tenso! Mas, com 24 pontos a disputar, ainda não é hora de jogarmos a toalha, né Zago? Né diretoria? Sem esse papinho furado que já estamos ouvindo por aí…  Tem que buscar até o fim!! AQUI É PALMEIRAS, PORRA!

Não sei você, amigo leitor, mas eu não desisti… E vou continuar ‘jogando junto’ com Zago e os nossos rapazes. Tô botando fé no trabalho que está sendo feito e vou ‘pagar’ prá ver.

FORÇA, VERDÃO!!! ESTAMOS JUNTOS NESSA!!

Eu ainda não tinha escrito sobre Palmeiras x Portuguesa. Fui ao jogo, assisti à tudo de pertinho e, ainda assim, não havia quase nada a dizer. Talvez eu pudesse reclamar, mas nem eu mesma consegui identificar o que estava errado com o time.

O relógio do microondas marcava 2h40 da manhã da sexta-feira, e lá estava eu, parada, no meio da cozinha, pensando em algumas coisas, pensando no jogo à que tinha assistido, no Palestra. Só uma palavra descreve o que foi aquilo: brochante. O pessoal corre, se esforça, mas tá tão esquisito que nada funciona, nada dá certo… Cleiton não estava no time, o que já é um baita problema, porque não temos ninguém para armar o jogo como ele, e a falta de atacantes  é um problemão. Quem é que esperava ficar sem dois deles? Obina (tenho saudade),  foi impulsivamente dispensado, e Vagner Love, alguns torcedores fizeram correr daqui. Tá certo que precisamos de contratações. Mas a falta de atacantes não faz a gente tomar os gols bestas que temos tomado…

A Lusa abriu o placar, numa falta de sorte de Armero (que até estava jogando a contento), e depois tivemos que correr atrás do prejuízo. Pobre Armero! Corre, se esforça, suporta a pressão, mas a sorte anda muito madrasta nessa má fase que o jogador atravessa. A bola bateu na cara do adversário e foi cair nos pés do atacante da Lusa. Marcos nada pode fazer.E o Robert nada de marcar um gol. AI QUE SAUDADE DO OBINA! Mas ainda bem que temos um zagueiro artilheiro! Danilo, com chute forte, preciso, tratou de igualar as coisas. Diego mandou uma na trave. Foi um pecado, para uma jogada individual tão linda… E foi só.

 
Mas quando o jogo acabou, um lance chamou a atenção do torcedor. Eu só soube depois. Armero foi até a torcida e pediu desculpas pela falha e pelo gol que acabou proporcionando à Lusa, sem querer. Que dignidade tem esse colombiano, hein? E ele tem o meu respeito e a minha torcida para que consiga encontrar seu melhor futebol.

Veio o final de semana, e o Palmeiras foi à Bragança (cidade da amiga Andréia), enfrentar o time da casa. Cleiton estava de volta, para formar dupla com Diego, e aí a conversa já era outra. Armero, que pediu para não jogar, para se recuperar psicologicamente, acabou dando lugar à Wendel; Edinho, foi para a zaga, substituir Léo. E o Palmeiras precisou de apenas seis minutos, para que a dupla Cleiton e Diego “pintasse” o jogo com outras cores. Numa levantada linda e genial de Diego, Cleiton abriu o placar chutando por cima do goleiro. Passe e finalização de encantar o torcedor. Era o Verdão na frente e com pinta de arrasador!

Só que depois do gol, o Bragantino começou a reagir e, pela esquerda, criava jogadas que levavam perigo ao Palmeiras. Aos 20′, o Bragantino marcou um gol, mas o juiz já havia apitado falta no lance. O Palmeiras criava algumas  chances mas, estranhamente, se mantinha recuado. O Bragantino, por sua vez, pressionava e chegou a marcar outra vez. Para nossa sorte, houve impedimento, devidamente assinalado pelo árbitro. A gente até estranha quando o juiz apita lances capitais corretamente. Embora não vá aceitar nunca, o palmeirense já está acostumado a ser roubado.

E o primeiro tempo terminou sem brilho algum, embora estivéssemos vencendo. Destaque apenas para algumas boa jogadas da dupla Cleiton Xavier e Diego Souza. Robert esteve apático, Sacconi errava várias vezes e Figueroa e Wendel tinham problemas com a velocidade de Esquerdinha e Diego Macedo.

Veio o segundo tempo e novamente aos 6′, o Palmeiras, que voltou atacando, marcou o seu gol. Wendel cruzou da esquerda e o goleiro do Bragantino soltou nos pés de Robert que, mais esperto, tratou de guardar. 2 x 0!!! Até que enfim!!  Parecia que o destino do Bragantino estava selado. Parecia… Não sei se, pela vantangem conseguida, ou algum outro fator determinante, mas o Palmeiras, mais uma vez, repetiu o roteiro e deixou que o Bragantino viesse prá cima. Um bom chute de fora da área, exigiu de Marcos uma bela defesa. Aos 13′, não teve jeito. O Bragantino cobrou falta e Marcos, atrapalhado pelo sol (ele já reclamava antes da cobrança), nem viu onde a bola entrou. Pô Marcos, tem que usar um boné, uma viseira, né?

O Palmeiras continuava recuado e o Bragantino, depois do gol, se mostrava ainda mais motivado. Muricy colocou William no lugar de Sacconi. Eu reclamei! Dada a apatia de Robert, queria que Lenny entrasse no time. E ele entrou aos 33′. E exatamente aos 33′, o Palmeiras tomou o segundo gol. Quixadá, em jogada individual, chutou forte, de dentro da área. Marcos rebateu e o próprio Quixadá marcou. Era o empate! E o time da casa tava em cima do Verdão. O torcedor palestrino mal podia acreditar!

Mas sabe como é, né? A gente fica bravo, reclama, mas deixar de torcer, de acreditar… NEM PENSAR! Eu, que já queria o Lenny no time, depois de vê-lo entrar, torcia muito para que se saísse bem. O garoto é raçudo, sabe jogar e só precisa de sequência.  Cinco minutos depois do empate do Bragantino, enquanto na Arena Barueri, Rogério Ceni brincava de “Onde está Wally” com a bola e Robinho … Uhauhauhauha, Maestro Xavier cruzou da direita e o menino, iluminado, só escorou para fechar o placar!!  A torcida explodiu de alegria! Lenny comemorava com a felicidade do garoto que é. Garoto que sabe jogar que nem gente grande (melhor que Robert)!  Garoto que veste a camisa verde-esmeralda mais linda do mundo e sabe disso!

BOOORA, VERDÃO! CONTRATA AÍ, BELLUZZONE! VAI SER SÓ APERITIVO, EU SEI, MAS VAMOS GANHAR ESSA PORRA!!!

Era para ter sido uma fácil vitória, mas o Palmeiras, e Armero, em especial, fizeram questão de complicar as coisas…

O Verdão, com dois zagueiros machucados, promoveu a entrada do jovem Gualberto e  começou o jogo com tanta ofensividade que espantou até mesmo o torcedor palestrino. Teria sido a melhor partida do Palmeiras, mas o resultado, infelizmente, não nos deixará lembrar disso. O Palestra dominava o jogo. Logo aos 2, Diego Souza mandou uma bomba de longa distância e a bola, ingrata, foi bater no travessão. Era o Verdão mostrando que tinha ‘bala na agulha’! E se seguiu uma cabeçada perigosa de Robert; e mais outra dele, que foi encontrar o travessão. O Ituano, numa colaboração da zaga palestrina, quase marca, numa tentativa de encobrir Marcos. O goleirão fez uma bela defesa. No mesmo minuto, contragolpe do Palmeiras, com velocidade; Cleiton encontrou Diego que, na entrada da área, cortou o marcador e chutou. Um lindo gol do nosso artilheiro (quem é que precisa da
“Emília” ?).

Veio o segundo tempo e, com 1′ de jogo, depois de uma furada de Gualberto, Juninho Paulista ainda chutou duas vezes para igualar o placar. Que vacilada… DO JUIZ!! Um jogador em flagrante impedimento, participa da jogada e o homem do apito, prá variar, nada marca. Mas o Palmeiras era soberano na partida.  Aos 5′, o goleiro do Ituano faz duas defesas. Uma, num chute de Sacconi e a outra, depois de arremate de Cleiton Xavier. A torcida estava confiante! O segundo gol tava madurinho… E não demorou muito. Cleiton Xavier cruzou na cabeça de Robert e ele guardou o segundo!!! O Palmeiras ia pressionando e perdendo também, muitas oportunidades de ampliar. Armero, que até tinha começado bem, estava perdidinho em campo. E o Muricy deixava Eduardo no banco… Para piorar, Gualberto deu um carrinho e foi expulso por  jogada violenta. E a gente sem zagueiro no banco, né diretoria?A expulsão foi justa, mas o mesmo critério não foi usado com o jogador do Ituano que bateu o jogo todo, tampouco o carrinho de Roberto Carlos, no jogo dos gambás, outro dia, foi punido como manda a regra.

A falta de um zagueiro desestruturou a zaga e o time do Palmeiras, uma vez que Pierre foi cobrir a ausência. E a conivência do juiz em certos lances nos prejudicou ainda mais. Mas, aos 24′, Cleiton, (de novo ele!), iluminado, deu um lindo passe para Sacconi que só teve o trabalho de mandar pro fundo do gol. Palmeiras 3 x 1 Ituano!! Hoje tá fácil, pensava o feliz torcedor palestrino… Mas não estava… Se o Ituano não estava conseguindo dificultar para o Palmeiras, que tal o próprio Palmeiras dar um jeitinho nas coisas?

Aos 36′, nosso lateral esquerdo foi tirar uma bola da área, naquele seu jeitinho Armero de ser; a bola bateu no rosto de Danilo e enganou Marcos. Por essa ninguém esperava. A fase não é boa mas ele deu azar no lance, viu? A gente já tava com um a menos; Pierre teve que cobrir a falta do zagueiro; fizemos um gol contra… Chega, né? Pois sim… Depois de  ser presenteado com dois gols (pelo juiz e por Armero), claro que o Ituano se encheu de vontade, né? 40’… cobrança de escanteio para o Ituano que virou um bate e rebate na área; a bola sobrou para o zagueiro Rodrigão que empatou a partida.  Achei que o Marcos saiu meio estranho na jogada. Mas foi um baita vacilo dos nossos jogadores… E por pouco o Palmeiras não faz o gol da virada, mas Éder fez uma importante defesa…

Moral da história: Não podemos mais perder pontos para times pequenos, dentro da nossa casa! Precisamos de banco, prá ontem, diretoria!! Precisamos que jogue quem estiver melhor e que vá para o banco quem estiver em má fase! Simples assim, Muricy!  E que tal o Gabriel fazer a sua estreia no time titular enquanto Armero é melhor ‘trabalhado e orientado’? Ah, e acho bom o Palmeiras começar a pagar os juízes… Mas não é para nos favorecerem  e sim,  para QUE APITEM DIREITO, PELO MENOS!

E O MAGO, QUANDO É QUE VEM, BELLUZZO???

Como eu já tinha dito anteriormente, não há vida sem Palmeiras. Pois hoje o Verdão voltou, e com ele a vida, a alegria e as ruas cheias de parmeras. Milhares de camisas verdes, brancas, limão, circulando felizes pelo entorno do Palestra Itália. Acho que até as ruas e calçadas ficam tristes quando não tem o Palmeiras em campo.

O dia também era o de encontrar os amigos e de conhecer outros.  Graças a um gentil convite da Samsung, fui assistir à partida no camarote. Nem preciso dizer que foi bom demais, né? Vários amigos da mídia palestrina estavam lá. E fomos muito bem tratados por todo o pessoal da patrocinadora. A Giovanna merece um destaque. Beleza, gentileza e simpatia combinadas em uma mesma pessoa. O mundo virtual que, de repente, se mistura com o real. O Palmeiras, com a ajuda da internet, estreitando laços de amizade e afeto  na imensidão que é a nossa ‘família”. E a Família Palmeiras se reuniu!! Como só ela sabe fazer!
 
A impren$inha que não se cansou de publicar que a nossa torcida seria um problema para o time, mais uma vez deu com ‘os burros n’água’. Eram dezessete mil pessoas (!!!), num jogo de estreia de Paulistão e com a tarde prometendo uma chuva imensa. Será que não entenderam ainda que somos loucamente apaixonados pelo Palmeiras?? E que nada, nem ninguém jamais vai mudar isso? E quando nos pintou de “patinho feio” da competição, por não termos contratado a baciada de abacaxis (passados) que outros contrataram, a impren$inha errou de novo!!!

O Palmeiras entrou em campo (num 4-4-2 !!) com algumas caras novas. Márcio Araújo,  Léo…  Tinha também o William, que estava de volta, após uma passagem pelo Vitória.  Primeiros minutos e o Palmeiras, apesar do domínio, não conseguia passar pelo goleiro do Mogi. A mim, parecia faltar uma jogada, individual que fosse, para chegarmos com mais perigo ao gol.  O time estava bem, defesa boa, o meio também. O torcedor, apesar de ressabiado em relação ao ataque, parecia aliviado com a saída do canastrão de tranças.

E se o Palmeiras, só por detalhes (roubos, desfalques…) não levou o Brasileiro, é claro que não deveria sofrer uma reformulação total no elenco. É claro que precisava apenas de alguns ajustes. E as duas contratações feitas, nos mostraram isso. Léo, muito seguro e desenvolto, nem parecia estar fazendo a primeira partida pelo Palmeiras. A mesma coisa se dava com Márcio Araujo que me pareceu ser o companheiro ideal para  Pierre. Já estavam bem entrosados, roubando bolas e fazendo belas jogadas. Os novos jogadores  já deram mais consistência ao time. E  era Palmeiras e Mogi Mirim, né? Com todo respeito ao adversárioi, mas não há comparação. Com uma defesa fraca, querer jogar na retranca contra o Palmeiras, de Diego Souza, é brincar de gato e rato. O Verdão mostrou quem era o dono da casa e da bola…  E matou a pau!!!

Diego  acabou com o Mogi. Aos 30′ do primeiro tempo  Cleiton em cobrança de falta, achou Diego que, sozinho, cabeceou forte e guardou. Era o Palmeiras merecidamente na frente!! O Palestra gritava: “Diego, Diego…” Minutos depois, nosso novo Animal, que  estava bastante inspirado (tomara esteja sempre),  meteu um chapéu em Baraka, que fez a falta e foi expulso. O que já era certo veio ainda mais fácil. Quando o primeiro tempo estava por acabar, numa jogada ensaiada, de velocidade e bom toque de bola, Cleiton levou a bola até a linha de fundo e rolou para trás; Léo, de perna esquerda, marcou o segundo. Um gol de atacante que o nosso zagueiro comemorou demais. No camarote da Samsung era só alegria…

A superioridade do Verdão era evidente. Na segunda etapa, como o Palmeiras cadenciava a partida, o Mogi tentou chegar, mas o Santo fez uma defesaça.  Só que, aos 13′, num erro de marcação, o Mogi fez o seu gol. A torcida nem ligou  e continuou cantando. Quatro minutos depois, Cleiton cobrou falta e a bola espirrou no travessão. Da linha de fundo, o oportunista Robert, de cabeça, tirou do goleiro e guardou o terceiro. “É FESTA NO CHIQUEIRO!!” cantava o Palestra. Tinha mais! Cinco minutinhos depois numa bela jogada, a bola passou de Sacconi para Márcio Araújo, depois para Pierre que tocou na área para Diego; o artista da tarde deu uma entortada no marcador e meteu o terceiro na rede!! E calou aqueles poucos que lhe mandaram um ‘recadinho’ no começo da partida. Era o show do Palmeiras, comandado por Diego Souza!!! E foi ele quem recebeu na área, driblou e foi derrubado. Penalti!! E, merecidamente, foi Cleiton Xavier quem cobrou e guardou o quinto gol do bom time do Palmeiras.

“Mas o Mogi é fraco”, dirão alguns…  “O Palmeiras não trouxe quase ninguém, os adversários contrataram muito melhor”, diz a impren$inha… Pois é… perguntem aos jogadores do Monte Azul(que foi roubado e levou um gol de braço) e da Lusa (que também foi roubada)  o que eles acharam das contratações dos rivais… uhauhauhauhauah

É só alegria nas Perdizes!  Verdão deu show e o Verdãozinho aumentou a nossa felicidade. Ganhou do time do Desportivo e segue rumo ao tão sonhado título da Copinha. Que a sorte os acompanhe, porque futebol essa garotada já mostrou que tem de sobra!!

2010 SE PREPARA! O VERDÃO VEM COM TUDO!!!

 

Foi uma chacoalhada! Eu sabia que os desfalques iriam fazer falta, afinal eram muitos e claro que não jogaríamos com a mesma força ofensiva. Mas não pensei que junto com os desfalques viessem umas vaciladas como as de hoje. O Náutico jogou sozinho, porque o Palmeiras não entrou em campo. Caramba, como a gente gosta de ressuscitar alguns mortos… Hoje, Muricy se perdeu… escalou o time de maneira errada, demorou para substituir e, quando o fez, foi um desastre. Me lembrou até o Psicopata. Será que só a gente sabe que alguns jogadores, do legado de Luxemburgo, não podem entrar no time? Muricy não? E para “ajudar”, alguns titulares não jogaram nadinha… né Figueroa, Souza, Cleiton…? E com Sacconi e Lenny no banco, Muriçoca só enxergou Wendel, Sandro Silva e Paulo Miranda (ai). Tomamos três gols (o terceiro, em completo impedimento, que Re Tardelli “Madonnão 2008”  não “viu”) e poderíamos ter tomado mais, não fosse nosso nervoso e competente goleiro… O Palmeiras muito pouco fez em campo e, apático, sucumbiu à vontade de ganhar do Náutico.

Marcos se desesperou, e não foi prá menos. Marcão “emoção” driblava na frente da área e perdia a bola; Jumar não roubava uma bola sequer sem falta; gol do Náutico, em contra-ataque, com a nossa ala esquerda completamente desguarnecida; do meio prá frente nada acontecia. Sem ofensividade alguma, por parte do Palmeiras,era o adversário quem não saía do ataque. O Santo sabia que hoje não ia ter milagre que salvasse o dia. E olha que ele fez cada defesa! É esperar demais do Marcos não querer que ele se descontrole,ou impingir ao seu descontrole, o baixo rendimento dos outros. Isso, é no mínimo injusto, para não dizer leviano. Cada um tem que saber e cumprir o seu papel no time. O elenco é de homens e não de moleques. Ai se o Marcos deixasse de jogar bem  e fazer o dele…

Mas nem adianta a caça às bruxas. Afinal, se o Palmeiras não esteve bem nessa rodada, os outros também não estiveram. E, perder por 3 x 0 e continuar líder com 5 pontos à frente do segundo colocado, não é para qualquerum, né bambizada?? Já estivemos com 5 pontos de vantagem, faltando 11 rodadas. Agora estamos com os mesmos 5 pontos à frente, mas faltam 8 rodadas (porque, uma partida, a diferença de 5 pontos já anula). Essa é a vantagem da tal “gordura”, que nem queimada foi. Tudo acontecendo na hora em que pode acontecer. Ficamos bravos, por que a vitória nos daria uma folga e tanto. Mas agora Inês é morta e esse jogo já passou. Graças a Deus! Isso tem que ser usado em nosso favor para que não baixemos a guarda em nenhum momento, até a última partida. No próximo jogo, teremos a volta de Diego, Armero, Love, Edmílson, Obina. Marcão levou o terceiro amarelo… Aí o papo será outro.

Que não é fácil a gente sabe. Tantas coisas acontecem… Que tal a declaração do jogador do Avaí, de que os bambis pagaram uma graninha para que eles atrapalhassem o Palmeiras? Os bambis mandaram grana pro ‘nosso’ adversário e esqueceram de pagar o deles(Flamengo)? uahuhauhauahua E como não tem show da Madonna, não tiveram com o quê comprar a arbitragem, como é de costume. Somos os líderes! Tropeçamos em duas rodadas, é verdade, mas os que vêm atrás, não tiveram competência nem para encostar. Se para nós, o tropeço não foi bom, para eles então…

Muita calma nessa hora, palestrino! Estamos na trilha. Eu também gostaria que fosse muuito mais fácil. Mas a gente sabe que não tem moleza. O Verdão tem uma semana para acertar as coisas e apagar os focos de incêndio. Amanhã é outro dia! Outro dia em que acordaremos líderes! O título está vindo aí! Eu acredito! AVANTI, PALMEIRAS!

Ah, um aviso: Esse Blog está disponível apenas para comentários de torcedores cujo time tem mais de 50 pontos no campeonato, capisci ‘cervi’??