ARRUME AS MALAS, PARMERADA… E BOOORA PRA 2018!!

….,…………………………………                 

Último dia do ano de 2017… e, como sempre fazemos, nos despedimos do ano que se finda reclamando dele… e colocando todas as nossas expectativas no ano que está chegando…

Em parte isso é bom… começar um novo ciclo (nós é que separamos a coisa assim assim) com esperança, com energia renovada, com bons propósitos, com mais gentileza, com olhos mais amáveis para o mundo, para as pessoas e para nós mesmos, com fé na vida…

Mas será que o ano que passou, apesar dos problemas que enfrentamos, das expectativas que não foram atingidas, foi tão ruim assim? Eu sei,  não precisamos nem conhecer a história das demais pessoas para termos certeza de que cada um de nós teve, pelo menos, um grande dragão a enfrentar em 2017… cada um de nós viveu, na melhor das hipóteses, uma grande dor, ou viu uma pessoa querida vivenciar isso – o que dá na mesma, a dor também é nossa…

Mas 2017 foi só isso? O que doeu? O que não deu certo? O que a gente queria e não obteve? O dragão? A bola que não entrou? O juiz que nos meteu a mão?

Apesar de algumas tristezas, quantas alegrias tivemos… quantas risadas, impossíveis de serem contidas, nós demos… quanta ajuda recebemos, quanta ajuda pudemos dar… quantos beijos e abraços ganhamos, e quantos beijos e abraços nós demos também… a despeito de todas as noites mal dormidas, quantas noites de sono tranquilo e gostoso nós tivemos…

Quantas vezes, quando o mundo nos pareceu tão inóspito, nós pudemos voltar correndo pra casa – e por “casa” podemos entender qualquer lugar, pessoa, momento, onde nos fazemos felizes e pra onde fugimos nos momentos difíceis… pode ser o nosso lar, o teto que nos abriga, a arquibancada do Allianz Parque, pode ser uma pessoa querida, um amigo querido… pode ser um abraço, daqueles que dizem tudo em silêncio…

“Casa” pode ser uma partida de futebol, pode ser um momento… de um gol no último minuto e a sensação de que ganhamos a vida de novo….  de uma virada de jogo, no Uruguai, e nós nos sentindo (pela enésima vez na vida) como se “nunca” tivéssemos sido tão felizes antes…

Vamos para 2018 agora,  e vamos com as bagagens que preparamos em 2017…

Somos nós que escolhemos o que levar, nós decidimos se vamos levar conosco o que doeu, o que não deu certo, se vamos levar o dragão… ou se vamos levar conosco termos aprendido a rir de nossos problemas… se vamos levar conosco a esperança, a chance de fazer melhor da próxima vez, e que bom que existam próximas vezes… somos nós que levaremos os amigos que moraram em nosso coração o ano inteiro, as pessoas que temos certeza que nos querem bem, as que nós queremos bem… vamos levar o entendimento, conseguido à duras penas, de que cada um tem o seu caminho, a sua sorte… e que nem sempre as coisas serão do jeito que a gente quer, e temos que lidar com isso…

Somos nós quem decidiremos levar as vozes, os sorrisos e os olhares que já não vemos há tanto tempo… levar as nossas “roupas”, que nos mostram aos demais do jeitinho que somos, sem nenhum outro artifício…

Tá quase na hora… faça a sua “mala”. E não se esqueça de levar tudo o que te fez feliz, o que te fez melhor, te fez crescer… Leve o aprendizado que 2017 te deu, as coisas que ele colocou diante de você para aprender a ter que encarar… leve a coragem com que você enfrentou os obstáculos que a vida colocou em seu caminho… leve as lembranças dos momentos felizes com as pessoas que não estão mais por perto… as alegrias divididas com as que estão pertinho… leve a força que te fez chegar até aqui… leve a sua capacidade de trabalhar e de ir buscar o que você quer… leve a sua capacidade de sonhar… leve a esperança – ela tem certeza que você viverá muito momentos maravilhosos no novo ano… leve a paciência também – ela pode ser usada em qualquer estação do ano…  leve os amigos que continuaram amigos mesmo quando não precisavam da sua ajuda… leve as pessoas que você ama…  leve o seu melhor sorriso… leve seu coração em paz…

Leve os gols do Duduzinho, do Willian, do Keno… as defesas do Prass, do Jaílson… leve a garra do Felipe Melo, os desarmes do Mina, do Dracena, do Tche Tche,  do Thiago Santos, os lançamentos do Guerra… os gritos de gol,  a alegria e sons da Que Canta e Vibra..

Leve tudo o que deu certo, e leve também o que você aprendeu com o que deu errado… o resto, pode deixar em 2017 mesmo… você não vai precisar mais.

Ah, e não esqueça, de jeito nenhum, de levar o que aquece e faz vibrar teu coração o ano inteiro, o que te move e conduz 365 dias em cada ano… e que talvez seja a lição mais bonita que a vida nos deu… o orgulho e o amor, incondicional, ao Palmeiras!!

E boooora pra 2018, parmerada!!! Vai começar tudo outra vez!!!

UM FELIZ E VERDE ANO NOVO A TODOS!! MUITA LUZ, ALEGRIAS E PAlMEIRAS CAMPEÃO EM 2018!!.

……………         …………….