O ÓBVIO, ESSA VERDADE QUE NÃO ENXERGAMOS…

“O óbvio é a verdade mais difícil de se enxergar” – Clarice Lispector
 …..
…..
Eu não entendo muito (quase nada) de esquemas e táticas, mas tem gente que parece entender bem menos do que eu… e acha que qualquer vitória é sinônimo de raça e comprometimento de todos, que todo jogador é “monstro” quando ganhamos um jogo, e que qualquer derrota é o inverso… jogadores “vagabundos”, “lixos”, sem vontade de vencer, fazendo corpo mole, querendo mandar técnico embora… Isso acontece também, é verdade, mas esquema tático ruim, escalações e substituições pavorosas,  jogadores fora de suas posições, jogador em má fase que não vai pro banco, deficiência técnica de alguns atletas, árbitros fazendo resultado… são sempre os motivos mais comuns. E não é preciso muito esforço pra se enxergar isso. 
… 
Cuca, em 2017, armava mal o time inúmeras vezes, escalava e substituía sem priorizar o melhor rendimento da equipe, e sim colocando em campo somente os jogadores que seu ego permitia, e excluindo outros que seu ego, por algum motivo, não tolerava.  A bola que o sujeito poderia ou não jogar,  não parecia ser a prioridade. Muita gente em má fase nunca ia para o banco, e muita gente com mais bala na agulha continuava assistindo o jogo sentado no banco de reservas. Isso, e o chuveirinho incessante e irritante, mais alguns “erros” do apito, nos custaram muitos pontos e  eliminações.
Valentim assumiu, mudou algumas peças – Keno, jogado pras traças lá no banco, virou titular e fez toda a diferença nas 3 vitórias seguidas que o Palmeiras conquistou; Borja, voltando a ter chances no time, também nos ajudou a vencer – a moçada colocou a bola no chão e o futebol reapareceu, a ofensividade também. Valentim mudou apenas dois jogadores e, com praticamente o mesmo time do técnico anterior, fez diferente.
O Palmeiras então, com essas três vitórias e com as derrotas do líder, voltou a brigar pelo título. E o que aconteceu? Foi GARFADO nos dois jogos seguintes diante do Cru, no Allianz, e contra o Lava Jato, no Itaquerão. Ainda que parecesse nos ter faltado sangue no zóio, no derby, foi só  PELA OBRA DO APITO, que o Palmeiras não conquistou mais duas vitórias e assumiu a liderança da competição – esquecer isso é ser conivente com a trapaça e com os trapaceiros que, talvez, possam estar por trás desses “erros” do apito. 
Culparmos nossos jogadores pelo resultado que não veio nas partidas em que tivemos que jogar contra 16, é jogarmos contra nós mesmos – Daronco, o juiz do derby, pra se ter uma ideia, vai ser julgado por ter jogado a regra no lixo e não ter dado o segundo amarelo para Gabriel,  não ter expulsado o jogador, que voltou a campo sem autorização – um árbitro, experiente (árbitro FIFA desde 2015), desconhece a regra? Um árbitro Fifa “esquecer a regra”, “esquecer” que SÓ ELE poderia autorizar a entrada do jogador e passar a responsabilidade para o bandeira – que também sabe que não poderia autorizar a entrada – foi muito significativo, não é mesmo? E isso é um erro de direito, bem mais grave que o erro de fato do gol impedido que foi validado, por exemplo. Mas, depois que o ‘serviço’ está feito, eles nos dão um “enganation” com um julgamento que certamente não dará em nada.
 ….
E eu até entendo que o Palmeiras tenha desanimado depois dessa “apitada” dupla e descarada que sofreu. Entendo que, depois de ser tirado, no apito, da briga pelo título,  pela armação de sabe-se lá quem, o Palmeiras desse uma “brochada” na partida seguinte diante do Vitória, lá na Bahia, e nem podia ser muito diferente. Era previsível esse desânimo, mas, ainda que todo mundo estivesse desanimado pelas garfadas de Heber e Daronco,  dava pra termos  nos saído bem melhor nessa partida…
 …
Valentim armou  mal o time, não escalou os jogadores que poderiam fazê-lo render mais, nem mesmo quando fez as substituições (colocou em campo, como primeira substituição, um garoto da base, de 18 anos, que nunca tinha jogado  com o principal antes, deixando um Guerra no banco, um Felipe Melo, um Thiago Santos) não trocou algumas peças que não vinham funcionando bem (e ainda tirou o Keno)… e, apático, jogando mal, o Palmeiras perdeu o jogo (nos afanaram um gol legítimo nessa partida também, mas não foi por isso que perdemos). 
E então, com parte da torcida surtando – e esquecendo que, das seis partidas sob o comando de Valentim, o Palmeiras tinha ido mal em apenas uma delas -, caçando todas as bruxas, e fazendo lista de dispensas que incluíam até Dudu e Prass (pode?), fomos enfrentar o Flamengo no último domingo,  no Allianz Parque (temos todo o direito de reclamar,  era pra ter sido bem melhor o nosso ano; temos todo o direito de protestar pelo “presente de grego” que nos deram, mas sem gerarmos uma crise monstruosa para o clube que ganhou o BRA 2016 e, apesar de todos os vacilos e tropeços no ano, ainda ocupa as primeiras posições do campeonato 2017)…


E bastou o Valentim voltar a escalar melhor o time (eu ainda gostaria que Guerra fosse titular), bastou ele colocar o  Michel Bastos (outro esquecido)  na lateral esquerda, onde vínhamos tendo problemas; bastou ele dar uma reforçada no meio escalando Felipe Melo e deixando a defesa mais protegida;  bastou apenas alguns ajustes para a bola não ficar voltando para nossa área o tempo todo, de qualquer jeito, e pegando nossos zagueiros de “calças curtas”, que a coisa funcionou. Com o time menos vulnerável
, dando menos espaços, os jogadores ficaram mais tranquilos, renderam mais (ou erraram menos), o futebol  melhorou de novo  – não foi uma ‘Brastemp’, mas foi bem melhor -, fomos mais ofensivos, objetivos e, com dois gols de Deyverson, ganhamos por 2 x 0 – poderia até ter sido por um placar maior. Vitória tranquila, sem sustos e, mais importante, uma vitória no estilo Palmeiras… sem a ajuda do apito.

Então… quando o técnico acerta o “desenho na prancheta”, e quando a arbitragem não parece incumbida de fazer o resultado de um jogo,  o futebol melhora e aparece… e isso é tão óbvio, não é mesmo?

“Ainnn, mas o X não tá comprometido… Ainnn, mas o Y ganha não sei quanto… Ainnn, mas o W foi na balada e pegou umas p#tas 2 dias antes do jogo… Ainnn, mas  o Z pintou o cabelo…” 

  • Gaetano

    Que formos garfados, não tenho dúvidas. Ainda que, para alguns, possa se justificar a enorme pressão que sofre a arbitragem da mídia e dos torcedores, muito apropriadamente chamados “bando de loucos”, a arbitragem manchou o campeonato.
    Gostaria de montar uma defesa em favor do Valentim. A não entrada de Felipe Melo, creio que se deu em razão da busca do resultado, jogando o time no ataque. Não poderia entrar desde o começo em razão da sua condição física. Keno saiu esgotado, fisicamente e Michel Bastos vinha de seguidas complicações.Eu acompanhei isso na mídia. Concordo que Guerra deveria ter entrado e eu jamais escalaria Bruno Henrique, mas, se foram erros,nada se compara a teimosia e estrelismo do Cuca.
    Acho injusta o posicionamento da Mancha e muito prejudicial ao trabalho. Acredito muito no Valentim e acho que deve ser promovido, bipolaridade a parte.

    • taniaclorofila

      Sim, os erros do Valentim não se comparam ao estrelismo do Cuca e à sua vontade de fritar jogadores que poderiam nos ajudar. Mas ele errou, e é justo que seja dito.

  • Roberio Queiroz De Almeida

    Tânia, vc deveria ter um cargo de acessora no Palmeiras, vc é fera, enxerga o futebol nas entrelinhas, no extra campo, onde a maioria dos jogos se decidem e campeonatos por consequência, infelizmente ou felizmente nós palmeirenses somos extraclasse, não admitimos ganhar roubado e tão pouco reclamar quando o somos, más isso precisa mudar, não é possível tolerar tanta injustiça e permanecer inerte, assistindo aos jogos dos nojentos de Itaquera é perceptível o quanto são ajudados desde lances bobos a lances decisivos, eu jamais torceria pra um clube tão imundo, até mesmo seus torcedores da mídia são incoerentes, tendenciosos e desonestos, utilizam de toda artimanha para se beneficiarem e prejudicar adversários, com a denúncia contra a mamãe globo este provavelmente será o seu último título…

    • taniaclorofila

      E como se não bastasse a imundície de conquistarem campeonatos pegando atalhos escusos… eles se vangloriam disso. É digno de muita vergonha. E contam com a importantíssima ajuda da imprensinha… ela, com seus torcedores travestidos de jornalistas (a maioria esqueceu o que é jornalismo faz tempo) é quem ajuda a disfarçar a sujeira, a fazê-la parecer normal…
      Não é a toa que dizem que esse time é “a cara do Brasil”… e é mesmo. Corrupto e cínico.
      É por isso que tenho um orgulho imenso do Palmeiras.

  • greensemstress

    O brasileirão está resolvido com os gambás campeões, paciência! Toda a mídia adora não falar em erros dos juízes (ou favorecimento explícito) e sim em impedimento que “só pode ser visto pela risca do slow motion da tv” (???), pênalti (marcado ou não marcado) por questão “interpretativa” só que convenientemente sempre pra lucro deles e pra prejuízo nosso. Ontem estava assistindo jogo do sub-17 entre os gambás x chapecoense e o jogo estava 1 x 0 pra eles. A Chape estava pressionando e num ataque pela esquerda, o atacante fintou o defensor que caiu (já dentro da área) e tocou com o cotovelo na bola e em seguida ao tentar se levantar, voltou a tocar com o braço na bola e ora vejam o “juíz” como que prevendo o perigo de gol, ficou parado a uns 5 m do lance quando vinha acompanhando de perto a uns 2 metros e …. segue o jogo.
    Mas tudo bem, vamos ver como vai se desenrolar daqui pra frente visto que a poderosa (rgt) foi denunciada como “propineira” por um delator só que a coisa não é aqui no Brasil e sim nos EUA e rapidinho estão soltando notas se dizendo “inocentes”. Mesmo assim convenhamos, perdemos o campeonato para nós mesmos, acreditamos que lutaríamos só pelo G4, por isso penso, entrar em campeonatos/torneios priorizando este ou aquele título só pode dar m….! Então 2018 tá aí e não vou reclamar de jeito nenhum, desde que sejamos campeões Paulista, Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e Mundial.

    • taniaclorofila

      Então… e aí a gente pensa… se a emissora paga propina pelos direitos de transmissão, imagina o que ela não fará pelos times para os quais ela faz um lobby exagerado?
      E olha que coincidência, uma das denúncias do tal Alejandro fala em pagamento de propina da emissora pelos direitos de transmissão da Libertadores 2012… O MESMO ANO EM QUE A EMISSORA FOI ACUSADA DE TER EDITADO UM TIRA TEIMA (todo mundo viu a diferença entre as imagens dela e as da Fox) PARA LEGITIMAR UM GOL MAL ANULADO DO VASCO CONTRA O LAVA JATO…
      Então, né?

      • greensemstress

        Não tenho dúvida alguma que ela molha a mão dos “mandatários” do futebol! Por que cargas d’agua os jogos começam as 21:45 h? Antigamente os jogos começavam as 21:00. Hoje com a “certeza da insegurança”, sair do Allianz Parque por volta de 0:00 h. é andar no fio da navalha, imagina sair nesse horário do itaquerão! O pior é que os baba-ovo das outras emissoras ou a mídia fica caladinha e se submete e qdo se trata do VERDÃO, ficam arrotando azedume. Teve um idiota (mesmo) que disse que o VERDÃO é “predador no bom sentido” no meio futebolístico. Até onde me entendo por gente, a palavra “predador” significa “nocivo”.
        A verdade é que, nenhum clube tem o patrocínio que o VERDÃO tem, fruto do famoso “juntar a fome com a vontade de comer” ou seja FAM/CREFISA com proprietários Palmeirenses apoiando o time do coração. Avanti VERDÃO!!!

        • taniaclorofila

          Você se lembra da declaração do jogador Alex (o craque, nosso ex- jogador)? Mais ou menos isso: A Rede Goebbels manda no futebol brasileiro, e a CBF é apenas um escritório dela.
          Mas, no Brasil, existe tanta gente patife, na imprensa, inclusive, que um clube ter um bom patrocinador, pagar salários em dia, ter um Centro de excelência de primeiro mundo, ter a melhor e mais bem localizada arena do país é motivo para críticas, chacotas mil (eles inventam argumentos até não querer mais). E bons são os times que lavam dinheiro, não pagam as contas , não pagam salários em dia, que tem diretor em delação de recebimento de propina, diretor que saiu do clube algemado pela PF… que lava dinheiro de crimes de máfia… essas coisas.
          Pelo bem do futebol, da imprensa esportiva, dos índices de audiência, dos patrocinadores de volta ao futebol, deveria ser o contrário, não é mesmo? Os clubes todos deveriam copiar o exemplo que funciona, que dá certo… Mas os ‘torcedores jornaleiros’, formadores de opinião que são, patifes (tá cheio de patifes nesse meio) até não querer mais, com a desonestidade no DNA. fazem exatamente o contrário. São movidos pelo despeito e mais nada. E alguns, vão até além do despeito.
          Vi uma matéria ontem que, por acaso, citava o Jumento Falante e uns trambique$$$ que ele faz no/com os lava jato.
          Então, né?

  • greensemstress

    E ontem acompanhei o jogo entre Goiás x Internacional e pasmem, o “juiz”, aquele que apitou um certo jogo nosso, não deu um gol legítimo do Goiás. Os próprios jogadores do Inter não entenderam o que o analfabeto de apito marcou. Ah, mas o Inter venceu por 2X0. Só se esquecem os “analistas de boteco (com todo respeito aos botecos)” que o jogo estava 0X0 e um gol faz sim diferença no desenrolar do jogo. Certamente o “juiz” está com a instrução entranhada na consciência de que se tiver camisa verde em campo, mete a mão que tá tudo em casa, coitado do Goiás! rgt, se cuida que o “car wash” do tio sam achou o fio da meada e lá o buraco é muito, mas muito mais embaixo!

  • Marco

    Hoje, os programas de TV comentando o jogo de ontem como se tivesse sido um jogo normal. Não sei se o nome do que foi disputado era futebol ou “vale tudo”.