A “CARTA MARCADA” DA CBF…

 

Eu achava que o jogo do Palmeiras contra o Cruzeiro seria difícil… mas, difícil, por causa do adversário.  Não imaginei que seríamos nós a facilitar a vida deles, nem que nosso zagueiro, totalmente de bobeira, faria um gol contra logo aos cinco minutos de jogo – com tantas direções possíveis para isolar a bola, Juninho chutou na direção do gol de Prass… mas nem que nosso goleiro fosse o Superman…

No entanto, mesmo com esse balde de água fria logo de cara, com essa vacilada master do Juninho, e com a retranca do Cruzeiro depois, o Palmeiras fez um bom jogo, e deu bastante trabalho para o goleiro adversário, principalmente no segundo tempo. E teria vencido a partida não fosse a “garfada” cirúrgica que o árbitro Heber Roberto “figurinha carimbada” Lopes deu no Palmeiras – que ele poderia nos prejudicar eu tinha imaginado, e imaginado muito, tão logo soube que apitaria nosso jogo.

Ainda no primeiro tempo, o árbitro anulou um gol legal de Borja assinalando falta do palmeirense em Manoel (mas só apitou a fictícia falta depois que a bola entrou). Era o segundo gol do colombiano na partida, e seria o gol da virada de jogo, feito no final do primeiro tempo, e uns cinco minutos depois de ele ter empatado a partida em 1 x 1 (Borja marcaria um terceiro gol ainda)…. Mas não houve falta de Borja no lance. E não sou a única a dizer que o gol foi legal. Com exceção do Heber, e de Arnaldo “ex-juiz picareta” Rabbit, da Rede Goebbels, todo mundo sabe que Borja não fez falta alguma.  Até Zico e Zinho, que “não entendem nada de futebol”, confirmam isso:

Além do gol legal anulado, Heber Roberto Lopes não marcou também um pênalti em Keno – puxado pela camisa e derrubado -, e um toque de mão de Manoel na área (porque não teve replay desse lance, ainda não tenho essa imagem)… quase nada, né?

………………………………..

E depois de mais um vacilo da nossa zaga, quando tomamos o segundo, e de mais um gol de Borja, que empatou de novo, o jogo terminou 2 x 2.

E os picaretas ainda dizem que existe um “Esquema Crefisa”… Se esse é o “Esquema Crefisa” que, segundo o “lava jatense” Chico Lambe, está comprando o campeonato para o Palmeiras, a Crefisa que trate de desfazer o negócio, porque foi enganada. O time que dizem ser “prejudicado” ganha com gol de mão, e o que dizem ser “favorecido” empata com gol legal anulado, pênalti não marcado (em quase todos os jogos)… é roubado escandalosamente.

Então… o campeonato aberto, o Palmeiras na disputa do título com o Lava Jato, podendo diminuir para três pontos a diferença entre eles (a vantagem é do rival), com um confronto direto entre os dois na próxima partida, e o árbitro tira o bisturi do bolso e opera o Palmeiras? Hmmmmm… Esquisito, né? E mais esquisito ainda quando a gente se lembra de algumas coisas…

Não faz muito tempo, Heber Roberto Lopes foi suspenso por ter favorecido o… time Lava Jato. Uma entrada desleal de Fagner em Ederson (Fla), uma tesoura criminosa, que causou uma lesão óssea no joelho da vítima, e que mandou o flamenguista para o hospital e o deixou por mais de 10 meses sem jogar, não foi vista por Heber Roberto Lopes, que não marcou nem falta no lance. É mole? E nas “vigarísticas” manobras tribunalescas, que sempre livram a cara de alguns, o jogador brucutu pegaria um – SÓ UM – jogo de suspensão por ter quebrado um companheiro de profissão e o deixado sem poder jogar por quase um ano (tribunal bonzinho, não?); o árbitro se valeria de recurso suspensivo e voltaria a apitar normalmente.

……………………………

……………………………

Olha só o que o Fagner fez com o joelho do Ederson. Como será que Heber não viu uma “faltinha” dessa, não?

…………….  

 

Mais recentemente, há menos de duas semanas, antes de um jogo contra o Lava Jato, o presidente do Grêmio reclamou de  Heber Roberto Lopes ter sido escalado para apitar seu jogo no Itaquerão…

……………………………

Mas eu disse que o Heber é figurinha carimbada, não disse? E isso vem de longe…  Lembra da Máfia do Apito de 2005? O esquemão arranjado para fazer algumas partidas serem jogadas de novo (foi preciso meterem a mão no Santos em uma delas para o esquemão dar certo), mesmo aquelas sobre as quais nenhuma suspeita havia, e surrupiarem o título do Internacional? Lembra do árbitro Edílson Pereira de Carvalho, acusado de fabricar resultados, e do empresário Nagib Fayad, apontado como o chefe da Máfia do Apito que ganhava dinheiro com apostas nesses jogos de resultados fabricados? Lembra que outros árbitros tiveram seus nomes envolvidos? Então…

Heber Roberto Lopes era um deles… foi dedurado indiretamente por Nagib Fayad  – em depoimento na CPI dos Bingos. Ele afirmou ter sido aconselhado por Edílson Pereira de Carvalho a apostar no time carioca na partida entre Botafogo e Juventude – que seria apitada por Heber -,  porque o Botafogo seria protegido (segundo ele, Heber sempre protegia os times cariocas)…

…………………

Isso foi praticamente esquecido logo depois,  sem que investigassem a denúncia e a coincidência que havia entre o que Edilson falou que aconteceria no jogo do Botafogo, apitado por Heber, e o que aconteceu de fato.

Nesse mesmo ano, 2005, o apito “equivocado” de Heber fabricou a vitória do COR diante do CRU assinalando um pênalti inexistente contra o clube mineiro e deixando de marcar um outro, escandaloso, em cima do lateral Maurinho. Tevez, que teria sofrido a penalidade inexistente, saiu de campo dizendo “não saber” se de fato a tinha sofrido.

Também em 2005, no jogo BOT x SAN, um outro empate (3 x 3) acabaria sendo produzido pelo apito de Heber… Ele deixou de assinalar um pênalti a favor do time paulista, inventou um pênalti para o time carioca aos 44′ do segundo tempo. O goleiro Saulo defendeu, mas Heber Roberto Lopes fez voltar a cobrança. Na ocasião, ele foi até processado por um advogado que se sentiu lesado ao deixar de ganhar R$ 1,4 milhão na Loteria Esportiva com o resultado.

No Brasileiro 2010, teve mais um empate fabricado em uma partida arbitrada por Heber… empate, que tiraria 2 pontos do CRU no jogo diante do BOT, no Engenhão. Um gol legal do time mineiro foi anulado (gol legal anulado te lembra alguma coisa?),  e um pênalti, a favor do Botafogo, foi marcado em uma falta ocorrida  FORA da área.

Na 35ª rodada do Campeonato Brasileiro 2014, Heber Roberto Lopes “apitou” o empate entre São Paulo e Internacional ao validar um gol  irregular do Colorado – marcado pelo zagueiro Paulão, em completa posição de impedimento.

Um árbitro, com nome envolvido na Máfia do Apito, acusado por duas pessoas condenadas por manipulação de resultados… árbitro, que já cometeu “erros” absurdos, que já fez vários resultados de jogos… árbitro, que já foi suspenso por ter claramente beneficiado  o time Lava Jato, deixando de expulsar o autor de uma falta criminosa que mandaria um atleta para o hospital… Na melhor das hipóteses, ele seria um árbitro muito ruim. E nem poderia/deveria continuar apitando, não é mesmo? Principalmente, jogos importantes, de times que disputam um título…

E ainda tem mais uma cerejinha nesse bolo de “erros” aí…

……………………………

http://esportes.r7.com/futebol/fotos/influenciaveis-veja-para-que-times-torcem-os-arbitros-de-futebol-20130417-10.html#fotos

https://doentesporfutebol.com.br/2014/03/time-de-coracao-dos-arbitros/

Aí a coisa fica pior, e mais esquisita… principalmente em relação ao último empate que o apito “equivocado” do Heber produziu…

Brasileirão sendo disputado em suas últimas rodadas, alguns clubes com chances de conquistá-lo… O líder vindo de derrotas e caindo vertiginosamente de produção… o Palmeiras, segundo colocado na tabela, vindo de 3 vitórias e bom futebol, se aproximando do líder na pontuação…

E, então, no jogo em que o Palmeiras poderia – caso vencesse – encostar no líder, e ir para o derby em condições até de assumir a liderança do campeonato (caso vencesse também)… a CBF manda a campo um árbitro que é torcedor do time com o qual o Palmeiras disputa o título?  Um árbitro que já teve seu nome envolvido na Máfia do Apito, em muitos resultados produzidos por seus “erros”, e portanto, com a sua credibilidade e isenção bastante arranhadas? Um árbitro que já foi até punido por favorecer o time para o qual ele  torce – e que já favoreceu esse time em outras oportunidades e campeonatos com “erros” em jogos de seus concorrentes diretos?

E esse árbitro anula um gol legal do Palmeiras (e só apitou a falta quando viu a bola entrar no gol), deixa de marcar pênalti a seu favor (o toque do Manuel até poderia ter passado despercebido, mas o puxão no Keno não), impedindo-o de ganhar o jogo e tirando dele dois pontos? Maoeeee!

O empate do Palmeiras diante do Cruzeiro, os dois pontos que lhe foram subtraídos nessa partida, têm a assinatura de Heber Roberto Lopes, foram desenhados por ele. No entanto, ele estar em campo fazendo o resultado de uma partida, decidindo o placar de um jogo, é de responsabilidade total da CBF (será que o Estatuto do Torcedor nos permite processá-la por prejuízos e danos?).  Na dúvida, esse árbitro, com tantos senões em seu curriculum, não deveria entrar no sorteio para apitar esse jogo.

Não dá para acreditarmos na seriedade da CBF… Na rodada passada, e como já ocorreu conosco em outras oportunidades igualmente importantes, decisivas, ela mandou outra “carta marcada” para um jogo do Palmeiras.

E a diretoria alviverde assiste calada… #VoltaPauloNobre

 

  • Marco

    A imprensa esportiva tem papel fundamental em todo esse processo

    As TVs não repetem imagens que contariam seus interesses;
    Comentaristas justificam ou escondem os erros:
    Agressões são ignoradas, como a de Jô sobre o zagueiro Rodrigo da Ponte;
    Erros capitais contra o mesmo time e no mesmo jogo não se tornam polêmica;
    Busca de pelo em ovo para atacar concorrentes do time favorito;
    Explicações e justificativas opostas para os mesmos lances dependendo da camisa envolvida.

    Tivéssemos uma imprensa profissional e séria, aberrações como a desta última segunda feira jamais aconteceriam. A imprensa é conivente e cúmplice em toda essa situação.

    • taniaclorofila

      Sim, a imprensa é canalha. Alivia pra uns e reforça pra outros.
      Vítor Hugo deu uma cotovelada num adversário e foi crucificado pela imprensinha… Fagner não é crucificado nunca, não foi perseguido e escrachado nem quando quase aleijou o Ederson (Fla). O Jô chutou o Rodrigo, logo depois de tentar induzir o árbitro ao erro (como eles dizem quando é outro jogador tentando cavar um pênalti) e a imprensa faz de conta que não sabe e que não viu.
      Não teve crítica alguma à arbitragem que não puniu o jogador, não teve críticas ao jogador, não teve Gambazek nenhum telefonando para o tribunal e pedindo punição pra ele.
      Por aí, a gente vê de que tipo é a massa com que são feitos esse “jornaleiros”…

      E o Palmeiras não reclama… Isso é ainda pior.

  • Marco

    Depois de tudo o que ele fez, Héber Roberto Lopes foi escalado para apitar Vasco x Vitória, na rodada seguinte ao jogo Palmeiras x Cruzeiro.
    CBF e Comissão de arbitragem aprovaram a atuação do referido cidadão na última partida.