CAPRICHA NOS PARANAUÊS, CUCA! E VAMOS BUSCAR, PORCOOO!

Deveria ser proibido ao Palmeiras jogar em sua casa, diante da sua torcida, sem o time principal, sem a formação com mais condições de buscar uma vitória…

Numa ótima sequência, tínhamos conquistado 13 pontos, de 15 possíveis, nas últimas 5 rodadas do Brasileirão, E não precisávamos ter ido com o time tão reserva assim no jogo de ontem, diante do Atlético-PR.  Cuca errou (de novo) ao fazê-lo. E perdemos pontos por isso.

Quem costuma me ler aqui sabe o que penso, títulos são consequência de trabalho, de time que “encaixa”, de planejamento, de arbitragens corretas (no Brasil, isso é um problemão), de um monte de fatores, e não espero que o Palmeiras ganhe todos os títulos… o que eu espero mesmo do Palmeiras, o que eu quero, é que ele tenha condições de disputar os títulos (quero poder sonhar com eles), sem que ele seja apenas um mero coadjuvante nos campeonatos. É isso o que o Palmeiras vem fazendo nos últimos tempos, era isso que  Maurício Galiotte dizia – numa reunião da qual participei, antes da sua eleição – que poderíamos esperar do Palmeiras campeão brasileiro que ele assumiria. Então, temos que nos manter na trilha…

E nem se fossemos jogar contra o Barcelona de Messi, e não contra o Barcelona genérico, eu acharia legal darmos adeus ao Brasileiro 2017 antes mesmo do início do segundo turno, com 19 rodadas pela frente (matematicamente é possível ainda, porém, improvável). Mesmo porque, na Libertadores, estamos ainda nas oitavas de final, disputando uma vaga contra um adversário que todos comemoramos quando foi sorteado para o nosso time.

A Libertadores não é a minha obsessão. No entanto, como o Palmeiras é o atual campeão brasileiro, é natural que as atenções se voltem para a Libertadores, é natural que o foco do torcedor seja o torneio que gostaríamos de conquistar pela segunda vez. Mas não precisamos abdicar da disputa de um campeonato importante, que dura praticamente o ano todo (e enche os cofres do clube com as rendas desse ano todo), ainda no primeiro turno, não é mesmo?  Para o Palmeiras essa roupa não serve, não cai bem, e não me agrada.

Resultado ruim o 0 x 1 de ontem. Tomamos um gol besta num vacilo gigante do nosso zagueiro. Após a cobrança de escanteio do Atlético-PR, Juninho conseguiu perder para um “Tchagueleno”, gordão, que estava atrás dele, e que mesmo sem sair do chão, levou a melhor e mandou pro gol. E não fizemos quase nada para mudarmos isso no jogo. Tivemos duas boas chances, mas, em uma delas, o Erik se embananou na frente da bola e na cara do gol; e, na outra, depois de um bom passe de Borja, Antonio Carlos desperdiçou e mandou por cima (do seu lado esquerdo havia 3 palmeirenses). O goleiro deles ainda fez uma defesa excelente, Prass também fez duas defesaças. E aí surgem as desculpas mil para justificar a derrota em casa e a opção – errada – de se colocar em campo um time todo reserva…

“Mas o X errou, depois o Y errou também e proporcionamos o escanteio para o adversário”… O time do Atlético também nos proporcionou vários escanteios e não fizemos nada com eles. Escanteios não são certeza de gol e, em muitas ocasiões, nem perigosos são. Nós tomamos o gol por causa da falha do nosso zagueiro.

“Mas time reserva é isso mesmo,  não tem entrosamento, não funciona”… Se nós sabemos disso, o técnico também sabe. E se sabe, como manda a campo um time que não vai funcionar – e o pior, deixando um reserva como Keno no banco e optando pelo Erik, sendo que o que ficou no banco é melhor?

“Mas nenhum clube ganha brasileiro e Libertadores no mesmo ano”, me disse um amigo – outras pessoas também me disseram algo parecido.  Isso costuma ser verdade. E eu gostaria que já tivéssemos conquistado a Libertadores para podermos fazer essa afirmação, mas isso ainda não aconteceu. Só depois de a conquistarmos, SE a conquistarmos, é que esse argumento nos servirá.

“Mas era para poupar, nós estamos disputando duas competições”…

O Grêmio disputa três torneios, está na semifinal da Copa do Brasil, poupou apenas alguns jogadores para o jogo desse final de semana e venceu; nem mesmo o Atlético-PR, que também disputa a Libertadores, veio com time reserva jogar contra o Palmeiras. Por que precisaríamos “poupar” todo mundo? Por que alguns jogadores titulares não poderiam jogar meio tempo? Por que a defesa, para ficar afiada, não poderia ter o Luan, por exemplo? Cada um tem uma opinião, não sou a dona da verdade, mas eu não concordo com isso de poupar todo mundo. Ontem, não era necessário…

No entanto, vamos ter que esperar o final da história (a nossa parte na história) para sabermos se esses aborrecimentos que estamos tendo agora vão valer a pena. Embora a Libertadores não seja a minha obsessão, se estivéssemos fora dela, se não tivéssemos obtido uma das vagas na competição (nosso título de campeão brasileiro nos deu a vaga), estaríamos certamente nos lamentando por isso… e, não tenho dúvida alguma,  se conquistarmos esse título, se o Palmeiras vier a ser o Campeão da América, eu, você e todos os palmeirenses do planeta não daremos a mínima para o que acontece agora… nenhum de nós ligará pra isso, e esses tropeços todos, esses vacilos do nosso time, do nosso técnico, os pontos que deixamos de conquistar,  perderão completamente a importância.

Portanto, as reclamações acabam aqui, vamos focar na partida de quarta, no passo que precisamos dar para conquistarmos a vaga e seguirmos em frente na competição. E que não seja por falta de apoio, de incentivo e carinho nosso, não é mesmo?

Que o Allianz seja pequeno para toda a boa energia que levaremos pra lá na quarta-feira… E que os parmeras de todos os cantos do planeta estejam juntos em nossa casa… de alma e coração, porque vamos cantar, vamos fazer festa, vamos todos “entrar em campo”.

CAPRICHA NOS PARANAUÊS, CUCA! E VAMOS BUSCAR, PORCOOO!

 

  • greensemstress

    Eu também não sou partidário do “obsessão”, “obrigação” e outros adjetivos. A EQUIPE (plantel) precisa sim ter técnica e entrosamento. Penso que os campeonatos ou torneios que tem a regra de rebaixamento precisam ser priorizados sim e a Libertadores ser objetivo principal mirando a título mundial. Não concordo em colocar praticamente o time todo reserva para disputar 3 pontos importantes no brasileirão mesmo porque, o time reserva do nosso VERDÃO se comporta como tal quando a atitude correta é ser peça fundamental para substituir qquer outro atleta em casa de necessidade. Vejo o caso do Rafael Veiga que ACHEI que merecia uns jogos para ter continuidade mas ACHO que errei. Ele as vezes entra em alguns jogos por 15/20 minutos e mostra até alguns lampejos mas contra o CAP “jogou” o 1º tempo inteiro e pouco produziu. Posso estar errado mas parece que o time “reserva” e o time “titular” são treinados em padrão de jogo diferente. Só torço e muito para passarmos pelo Barça (fake) e antes do jogo os atletas saibam entender que esse jogo é o começo da volta por cima do ano ou o começo das lamentações e desculpas inaceitáveis. Espero que o retorno de Moisés não seja a última alegria deste ano. Mas não abro mão de acreditar e torcer muito! Avanti VERDÃO!!!

    • taniaclorofila

      Mas aí é que está, Greensemstress, O Raphael Veiga, por exemplo, entra em alguns jogos, com time titular, e mostra lampejos de que sabe jogar, mas aí, quando vai jogar um tempo inteiro, está no time todo reserva… está num time desentrosado. Não vai dar conta mesmo. Só Valdivia fazia a diferença assim. Jogar ao lado de companheiros mais gabaritados faz o futebol do cara crescer. O fato é que o time todo pouco produziu, nosso técnico também pouco produziu. Achei que ele ia mudar nossa forma de jogar no segundo tempo, mas continuamos na mesma batida, toca pra cá, toca pra lá, atrasa a bola pra um, atrasa a bola pra outro… e nas vezes em que a bola foi no pé, era o pé do Erik, do Antonio Carlos… Por mais que pudéssemos torcer – e torcemos muito-, ficava ligado aquele sinal de “não vai sair nada hoje”.
      Mas não acredito em outro resultado que não seja uma boa vitória do Verdão amanhã. E com gol de Dudu e outro de Borja, com passe de Moisés. #ClorofilaVidente rsrs
      Segundo soube, os atletas estão sim com a cabeça totalmente nesse jogo de amanhã. Estão querendo muito vencer e conquistar a vaga.
      Nossa parte é torcer, muito. Então, vamos fazer o Allianz ferver amanhã, e vamos jogar também!
      DÁ-LHE, PORCO!!

      • greensemstress

        Concordo em gênero, número e grau! E não desistiremos nunca de torcer e muito pelo nosso VERDÃO.