WILTON PEREIRA SAMPAIO 1 x 0 PALMEIRAS

Não pude escrever no dia, mas não deixaria de falar sobre o jogo do Verdão contra o Santos…

O Palmeiras não anda nada bem no campeonato brasileiro, nós sabemos muito bem… Cuca ainda não acertou a mão (está quase), às vezes, inventa umas coisas estranhas, que  não dão  muito certo – quando fez o simples diante do Fluminense, foi uma beleza. Além disso, tenho a impressão que em boa parte dos jogos, nossos jogadores parecem marcar a bola, e ficam correndo pra lá e pra cá, esquecendo de marcar os atacantes adversários. Foi assim no gol de D’Alessandro, para o Inter; foi assim no gol de Henrique, para o Fluminense… mas não foi por nenhuma dessas coisas que ele foi derrotado pelo Santos na rodada passada. Na verdade, lá no Aquário , as coisas ocorreram  de maneira bem diversa. O  Palmeiras foi bem, mas, como tem sido usual a cada vez que o Palmeiras vai jogar lá, quem decidiu a partida foi o árbitro, Wilton Pereira Sampaio (aquele mesmo, que num outro Palmeiras x Santos, marcou um toque de Barrios, o amarelou por isso, mas  ignorou o pênalti cometido por Zeca, que dominou uma bola como braço… o mesmo  árbitro de Palmeiras  x Internacional, pela Copa do Brasil-2015, que permitiu que o Inter fizesse dois gols irregulares e, por pouco, não nos tira a classificação)…

Ao contrário do que muita gente poderia ter esperado, o Palmeiras não deixou que o Santos desse as cartas em seus  domínios. Apesar de um primeiro tempo não muito movimentado, meio morno, com erros de passe dos dois lados, e de uma boa defesa de Prass nos primeiros minutos, o Palmeiras levou mais perigo ao gol santista. Tche Tche  arriscou de fora da área e a bola passou raspando… Guedes chutou de longe, e a bola pegou a trave. Que lance! Por pouco ele não abriu o placar…

O Santos fazia muitas faltas e Wilton Pereira Sampaio, nosso velho e costumeiro ‘conhecido’, esquecia o cartão dos santistas algumas vezes, como fez com Lucas Lima, depois de ele fazer uma falta muito dura em Roger Guedes… mas, para os palmeirenses, ele  não esqueceria de tirar o cartão do bolso.

Thiago Santos arriscou de longe, a bola desviou e saiu em escanteio… Aos 46′,  Guerra cruzou na área e Willian apareceu para cabecear forte… o goleiro santista fez uma grande defesa e salvou o Santos de tomar o gol.

Na segunda etapa, nos primeiros minutinhos, Guerra chutou perigosamente de fora da área, mas um Vanderlei em noite inspirada fez uma baita defesa e impediu o gol do Verdão… Guerra lançou Guedes, mas o goleiro chegou primeiro  e ficou com a bola…

E então, aos 5′, o Santos abriu o placar… Kayke, que tinha Dracena pela frente, recebeu de Jean Mota, fez falta em Dracena, o empurrou, o jogador do Palmeiras foi pro chão. Árbitro, bandeira e auxiliar de linha de fundo (pra que servem esses p%rras?) nada marcaram, e o atacante ficou livre para abrir o placar. Prass  nada pôde fazer. Um monte de gente, cara de pau pra caramba, diria que Dracena tropeçara na própria perna.

Eis aqui o momento em que Dracena “tropeçou” na própria perna…

…………………….

…………………….

Um horror esse “tropeção”, não é mesmo? Ele empurra Dracena com o braço, mas repara na perna e no pé do santista… Me lembrou até do Barrios “tropeçando na própria perna”, na final da Copa do Brasil/2015…

…………………….

Como “tropeçam” esses parmeras… Estão sempre tropeçando em árbitros picaretas (Wilton Pereira Sampaio sempre faz dessas com o Palmeiras)… Os palmeirenses reclamaram, mas não adiantou (a picaretagem na CBF é tanta, que árbitros com  acesso à imagens de  vídeo para corrigir erros do apito, só estão disponíveis em jogos do vice de 87)…

O dono da casa se animou com o gol que Wilton Pereira Sampaio lhe dera de presente, e, por duas vezes, Prass precisou aparecer. Numa das vezes, com uma defesa linda, depois da cabeçada de David Braz.

Guerra driblou o santista e finalizou… o goleiro conseguiu se esticar todo e desviar…

Troca de bola do Palmeiras, Guedes finaliza de fora da área e o Vanderlei espalma…

O Palmeiras era melhor que o Santos em campo.

Ataque do Palmeiras,  a bola sobra para Willian na pequena área. Ele chuta pro gol, mas Vanderlei se estica todo e faz verdadeiro milagre…

45′, Raphael Veiga manda uma bomba de fora da área,  Vanderlei consegue tirar lá no cantinho – como os goleiros adoram crescer pra cima do Palmeiras; dá uma exposição danada pra eles.Vanderlei está até pedindo chance na seleção.

49’… finalzinho dos acréscimos… Raphael Veiga faz lançamento na área, Edu Dracena se adianta ao zagueiro santista, vai pra bola, mas é puxado… De novo, nem árbitro, nem bandeira e muito menos o auxiliar de linha de fundo (não prestam pra nada esses espantalhos) viram o pênalti – devem ter fechado os olhos na hora, só assim para não verem (teve também uma botinada, dentro da área, no Mayke,  num momento anterior da partida, mas não encontrei as imagens para conferir o lance)…

……………………. ……………………. …………………….

 

E, mesmo com o Palmeiras mais acertado, jogando muito mais do que o Santos, fazendo, talvez, a sua melhor partida sob o comando de Cuca neste ano, graças à ‘partidaça’ que Wilton Pereira Sampaio, o árbitro, fez pelo Santos (ele fez o resultado do  jogo), o Verdão saiu do Aquário derrotado.

E como nada aconteceu depois desses “erros” absurdos em lances importantes, como nenhuma punição foi dada ao apitador, como a maioria dos jornalistas fez parecer que não aconteceu nada demais no jogo e camuflou a roubalheira com performance de Vanderlei (só falaram disso depois do jogo), como os responsáveis pela arbitragem nada viram de errado nessa garfada, como a CF não se importa com nada disso, nós podemos acreditar que o resultado feito no apito foi de encontro ao que todos eles queriam que acontecesse, não é mesmo? Ficamos com a impressão que foi uma (mais uma) prestação de serviço…

Ah, esse ‘esquema Crefisa’, que os rivais juram que compra os resultados para o Palmeiras…

  • Marco

    Erros cometidos sob plena visão do árbitro e do auxiliar de linha de fundo.

    Citando lances com plena visão do apitador, que não foram marcados porque esse árbitro não quis, lembro dessa agressão que ele viu na primeira partida da final da Copa do Brasil 2012:

    Fica a pergunta, quando a situação é tão clara e não deixa dúvidas, esse tipo de não marcação deve ser considerado como erro ou como dolo?

    • taniaclorofila

      Se for contra o Palmeiras, a imprensa dirá que é erro. Mas é óbvio, se o árbitro teve totais condições de ver, se viu e não assinalou… é dolo.