1994… 2016… E algumas coisas continuam iguais

Com o Palmeiras na iminência de conquistar um campeonato brasileiro – tem 98% de chances; falta só 1 ponto, que precisa ser conquistado para o Verdão ser campeão -, o pessoal perde um pouco a noção do que escrever nas redações por aí. O braço fica pesado por causa do cotovelo inchado, a articulação fica travada, e a escrita fica um tanto quanto comprometida…

A (falta de) pauta da vez é saber como era o mundo em 1994, ou o que mudou de 94 pra cá, é falar em “fila”… Por um acaso você leu algo parecido com isso em 1990, por exemplo, quando um time conseguiu conquistar um campeonato nacional pela primeira vez, 31 anos depois do campeonato começar a ser disputado? Leu algo parecido quando o Galo – sem ganhar o campeonato há 45 anos –  liderava o Brasileirão ano passado (antes de ser tirado da liderança no apito), ou quando o Santos ganhou o Brasileiro em 2002, depois de 34 anos da sua última conquista na competição? Não, né? Então…

E teve muito clube aí com jejuns consideráveis de campeonatos brasileiros…

Santos – 34 anos – de 1968 à 2002
Corinthians – 31 anos –  de 1959 à 1990 (quando conquistou seu primeiro título nacional)
São Paulo – 18 anos – de 1959 à 1977
Flamengo – 21 anos – de 1959 à 1980
Fluminense – 17 anos – de 1992 à 2009
Vasco – 16 anos – a última conquista foi em 2000
Botafogo – 27 anos – de 1968 à 1995
Inter – 37 anos – a última conquista foi em 1979
Grêmio – 22 anos – de 1959 à 1981 (atualmente, está há 20 anos sem conquistar o campeonato)
Cruzeiro – 37 anos – de 1966 à 2003
Atlético-MG – 45 anos – ganhou seu único título em 1971

No entanto, ‘estar na fila’ é outra coisa, é estar na seca, sem conquistar nada, nem um par ou ímpar. Não tem fila nenhuma para o Palmeiras, afinal, nesses 22 anos, ele conquistou 9 títulos: 1996 (Paulistão), 1998 (Copa do Brasil), 1998 (Copa Mercosul), 1999 (Libertadores), 2000 (Copa dos Campeões), 2000 (Copa Rio-SP), 2008 (Paulistão), 2012 (Copa do Brasil), 2015 (Copa do Brasil).

Mas ele ficou 22 anos sem conquistar um campeonato brasileiro, é verdade, e a press quer saber o que mudou nesses 22 anos…

Embora muita coisa tenha mudado no mundo desde o último campeonato brasileiro conquistado pelo Palmeiras em 1994, no futebol algumas coisas parecem estar exatamente iguais hoje, em 2016…

– Em 1994, o clube mais bem estruturado e mais bem administrado do Brasil era o Palmeiras. Em 2016, o clube mais bem estruturado e mais bem administrado do Brasil é o… Palmeiras.

– Em 1994, o clube que tinha mais receitas, o que faturava mais, era o Palmeiras. Em 2016…… é o Palmeiras também.

– Em 1994, a camisa de time mais valiosa do país era a do Palmeiras; em 2016, a camisa mais valiosa do Brasil é a do Palmeiras.

– Em 1994, o clube onde os jogadores todos preferiam jogar era o Palmeiras. Em 2016, eles continuam preferindo jogar no Palmeiras.

– Em 1994, o clube com mais títulos nacionais era o Palmeiras; em 2016, o clube com mais títulos nacionais continua sendo o Palmeiras (nenhum clube conseguiu a façanha de ultrapassá-lo nesses 22 anos).

– Em 1994, o grande freguês do Palmeiras era o ‘Cu rintia’; em 2016, o freguês continua o mesmo.

– Em 94, a torcida mais apaixonada e diferenciada do Brasil era a do Palmeiras; em 2016, continua sendo a do Palmeiras.

Agora, tem uma coisinha que não mudou, mas aumentou assustadoramente… a inveja dos rivais, principalmente os da imprensinha – que pareciam mais profissionais e isentos em 1994. Não tem jeito, gente. Entra pra seita… a “seita” que dói menos!

  • Arnaldo

    Parabéns, Tânia.

    Vamos circular este texto e calar a boca dos invejosos e despeitados.

    • taniaclorofila

      Gente doida, né? O Palmeiras, matematicamente, ainda não é campeão, mas já estão com tanta inveja que perdem até a memória. rsrs

  • Anderson

    Clap, clap, clap. Ilustrou bem o desespero da seita.

  • Marco

    Terminado o campeonato, com o título conquistado, o trabalho feito sobre as arbitragens precisa ser finalizado. O momento será excelente. Não haverá qualquer justificativa para atribuir ao Palmeiras a condição de reclamação.

    Ganhamos o campeonato fazendo hora extra, sofrendo com erros de arbitragem e sendo acusados do oposto por um mídia sensacionalista e oportunista. Não haverá ocasião melhor para comprovar o jogo sujo do jornaleiros.

    • taniaclorofila

      Marco, só preciso pegar os lances do jogo contra o Galo, e esperar pelas duas últimas partidas. Aí vou finalizar a última postagem que fiz sobre o assunto, e uma que fiz lá na 10ª rodada também.
      Tenho outras coisinhas guardadas aqui também.
      Vc tem razão, a mídia, que já joga sujo normalmente, caprichou na sujeira neste ano. Deve ter sido porque (claro) sentiu que o Palmeiras brigaria pelo título e, mais à frente, porque o viu com totais condições de conquistá-lo.

      QUE VENHA ESSE 1 PONTO BENDITO!!! #VeeeeeeeeemENEAseuLindo

      • Marco

        Tânia, sobre o jogo contra o galo, tem a dificuldade de achar o lance da penalidade na defesa de goleiro do zagueiro mineiro. Tiraram das edições de matérias.
        Esse é outro ponto para ser abordado após o final do campeonato. Além de manipular os fatos, escondem situações que prejudicam o Palmeiras.

  • Paulo Rogério Almeida

    “Entra pra seita… a “seita” que dói menos!”

    HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA!

    • taniaclorofila

      Né, Paulinho? hahahahahahahaha