ESTÁ ABERTA A TEMPORADA DE GARFAR O PALMEIRAS (desde 1914)

Sinto muito, imprensinha, não foi dessa vez… e não será da próxima também…

Mimimi… o “Lava-jato” é líder até  que o Palmeiras jogue (aham. ‘Jornaleiro’ mal informado ou mal intencionado?)… mimimi… o Palmeiras não ganha fora de casa (e tem mais pontos que todo mundo)… mimimi… Os times que têm menos pontos jogam mais bonito (por isso é que o Palmeiras é o que faz mais gols, né?)… mimimi… Gabriel Jesus não é tudo isso (10 gols e 4 assistências em 13 jogos do Brasileirão)… mimimi… O Palmeiras só pegou time fácil (jogou com 5 dos que ocupam as oito primeiras posições)… mimimi… o Palmeiras vai cair da liderança na 12ª rodada (Mãe Dinah, é você?)… mimimi… a torcida tá cantando música de campeão, ainda é muito cedo pra isso (música que ela canta há ‘trocentos’ anos e só a imprensinha não ouviu)… que choradeira dos torcedores (rivais) profissionais de imprensa (e continuaram chorando nesses dias de paralisação do Brasileiro)…

Choraram tanto, que lá em Recife estava até chovendo na hora do jogo do Verdão contra o Sport.

O adversário era/é fraco, mas costuma ser uma carniça quando joga contra o Palmeiras, aliás, repare, todo mundo quer virar Godzilla contra o Verdão. Conhecem o tamanho da fera.

E não importa se o adversário é mais fraco ou mais forte, todo jogo vale três pontos, e temos que buscá-los, vencendo adversários e arbitragens também… Por isso, Cuca, mesmo com vários jogadores importantes pendurados (quem não sabia o que o juiz faria com eles?), colocou força máxima em campo, ou quase. Duduzinho, acabou vetado; CX começou no banco; Barrios, que está voltando de contusão, também estava no banco; Egídio ainda não voltara; Dracena, não tinha sido relacionado – Yerri Mina faria a sua estreia na zaga -, e Erik seria titular no ataque.

E o Palmeiras, para tristeza da imprensinha chorona, dos adversários e de alguns “profissionais” de arbitragem, venceu, convenceu, e saiu de campo mais líder do que nunca. 28 pontos em 13 jogos, 9 vitórias, o melhor ataque (29 gols), 16 gols de saldo, 71.8% de aproveitamento, o artilheiro do campeonato, e na liderança desde a 9ª rodada. Tá bem o Palmeiras, hein?

O jogo foi tranquilo, um pouco mais disputado em alguns momentos, mas no geral bastante administrável para o Palmeiras.

Mesmo desfalcado de Dudu, o Palmeiras se manteve totalmente ofensivo, e desde o começo, como tem sido peculiar ao time de Cuca.

O relógio ainda ia marcar 10 minutos de jogo, quando Jesus, o artilheiro do campeonato, generoso como ele só, serviu Erik com um belo cruzamento, e ele, na cara do goleiro, apenas teve que desviar pra guardar. E dá-lhe festa palestrina na casa do inimigo.

Seguro, com Thiago Santos no meio, o Palmeiras, sempre ofensivo, levando perigo com Jesus, Guedes, Erik, Tche Tche, Moisés, não facilitava a vida do Sport; eles, atrás no placar, querendo tirar o prejuízo, tentavam com chutões, parecendo até o time do MO e não do “Oshvaldo”… A única chance inimiga, realmente perigosa, no primeiro tempo, foi uma cobrança de falta do falastrão Diego Souza, que Prass, seguro, mandou pra fora – DS pisa em adversário, não toma cartão vermelho e nem amarelo, mas tem a cara de pau de reclamar do árbitro depois do jogo.

No segundo tempo, o dono da casa veio determinado a buscar a reação. Numa disputa de bola dentro da área, Mina se atrapalhou e se enroscou com Rogério, e a bola sobrou para Gabriel Xavier empatar a partida.

O Palmeiras continuou ofensivo e nos minutos seguintes ao gol tomado teve duas oportunidades com Jesus – numa delas, a bola passou pertinho; em outra, a zaga tirou.

E então, em 6 minutinhos o Palmeiras mostraria que tinha ido à Recife buscar 3 pontos e ratificar a liderança que já era dele mesmo sem jogar…

Aos 20′, Thiago Santos roubou uma bola quase no meio do campo, deu um passe lindo pra Jesus lá na frente (passe com cara do Mago), e o artilheiro do campeonato, entrando na área em velocidade, fuzilou pro gol. Ah, menino Jesus, seu lindo (Xô, Barça, Bayern, Juve, Internazionale…)!

A parmerada enlouquecia na Ilha do Retiro…

Não tinha nem acabado a comemoração da galera, quando Jesus, meteu uma bola por cima do adversário e ele deixou o braço e derrubou nosso atacante… Pênalti! Cleiton Xavier, que entrara aos 18′ em lugar de Jean, foi lá, bateu no canto direito alto e fechou a conta. DÁ-LHE, PORCO! DÁ-LHE, LÍDER!

O Sport até tentou descontar, mas Prass estava esperto, e o Palmeiras, sem deixar de ser ofensivo (Jesus quase marcou mais um), administrava a vantagem que construíra, e com gritos de “Olé” da sua torcida, manteve a vantagem até o juiz apitar o final de jogo. Que maravilha! O líder, cada vez mais líder…

Tudo certinho para o Palmeiras… pena que as arbitragens estejam fazendo de tudo para atrapalhar o seu caminho…

E o Daronco, o árbitro da partida, não escapou do que tem sido usual em nossos jogos, garfou o Palmeiras também.

Pra começar, esse negócio de juiz marcar faltas pra um time e ignorar as que o outro sofre, esse negócio de deixar um bater e amarelar quem toma porrada, esse negócio de inverter escanteio em tiro de meta, ainda que não sejam “erros” capitais, mudam completamente a dinâmica de uma partida… O favorecido pelo apito, sentindo-se mais “protegido”, digamos assim, se enche de vontade, enquanto que o prejudicado vai se irritando, enervando, começa a reclamar…

O mesmo juiz que deixou passar batido essa agressão aqui (você se lembra quando Valdivia, por muito menos, foi expulso e depois denunciado pelo STJD?), de Diego Souza sobre Thiago Santos, logo depois mostrou amarelo para o Erik… não que o Erik não merecesse o amarelo, mas o Diego Souza merecia o vermelho e o Daronco nem falta marcou…

Diego-Souza-pisa-ThiagoSantos-blog

22:40 min -Tche Tche, na bandeirinha de escanteio, protegia a bola; o jogador do Sport, que tentava tomá-la dele, o agarrava, então, chegou mais um adversário, que deu um tranco e levantou o Tche Tche, uma falta dura, clara, uma “puta” falta, e o Daronco deu… tiro de meta (o vídeo com as imagens está no final dessa postagem). Tava fácil a vida dos jogadores do Sport, o juiz não assinalava nem as faltas que eles cometiam, que dirá mostrar cartão pra eles.

23:15 min – Roger Guedes desce em velocidade até a linha de fundo, cruza e o goleiro manda pra escanteio… o bandeira assinala que a bola saiu e Daronco dá tiro de meta. Só que a bola não tinha saído coisa nenhuma (em jogos do Palmeiras, árbitros e bandeiras parecem que nunca atuaram numa partida sequer, porque “desconhecem” as regrinhas mais básicas de arbitragem).

No segundo tempo, logo aos 10:05 min, Gabriel Jesus tenta dar uma “caneta” em Samuel e leva cotovelada no queixo. Daronco dá amarelo para Samuel e para Jesus. ‘Canetas’, são permitidas no futebol; cotoveladas, não, mas Daronco tirou G. Jesus, o artilheiro do campeonato, do próximo jogo do Palmeiras (ele estava pendurado), de um clássico, sem que ele tivesse feito absolutamente nada para levar cartão.

Ninguém pode receber cartão por ter levado uma cotovelada. É para imaginarmos que esse cartão tava encomendado, ou não? Diego Souza pisou Thiago Santos e o juiz nem falta marcou, Tche Tche foi levantado com um tranco e ele também não marcou nem falta, mas para G.Jesus teve cartão? Me  engana  que eu gosto, “seo” Daronco (o Palmeiras que fique bem esperto na próxima partida. As “forças ocultas” estão agindo…).

18 min – De novo, Roger Guedes  corre até a linha de fundo, se estica todo e cruza, mas o auxiliar dá a saída de bola e o árbitro marca tiro de meta. Só  que, de novo, a bola não tinha saído.

Veja os lances:

No final da história, Jesus, Roger Guedes e Thiago Santos, todos pendurados, tinham levado cartão amarelo (quem não sabia que eles seriam amarelados, não é mesmo?).

Tá difícil a vida do Palmeiras tendo que vencer adversários e arbitragens. Não acredito que todos esses erros, que prejudicam o Palmeiras – já tiraram uns 5 pontinhos dele nesse Brasileirão – e favorecem os seus adversários sejam apenas erros, afinal, árbitro nenhum erra a nosso favor, não é mesmo? Não queremos ser favorecidos de maneira alguma, mas já estamos com o saco cheio de sermos roubados.

E eu continuo achando que isso tem um(ns) mandante(s)…

O mimimi continua, tá todo mundo de cotovelo doendo com o Palmeiras na liderança… vamos acompanhar o que a arbitragem fará no jogo contra as sardinhas…

ABRE O OLHO, PALMEIRAS! ESTÃO QUERENDO LHE TOMAR A LIDERANÇA, MAS NÃO É NA BOLA, É NO APITO!

  • Marco

    INVERSÃO DE PAPEIS

    Os problemas e prejuízos com arbitragens sofridos pelo Palmeiras têm alguns componentes que não são analisados pela sua direção e por boa parte da sua torcida. Eles ocorrem porque são validados por uma conduta nada profissional dos meios de comunicação e muito bem explorados pelos rivais.
    Trata-se da inversão de papeis que transforma o vilão em vítima, o beneficiado em prejudicado. Para não estender a explicação, vou utilizar exemplos reais da prática da inversão de valores citando competições recentes onde essa estratégia foi largamente utilizada pelos rivais com ampla condescendência, incentivo, auxílio e apoio do jornalismo esportivo.

    Copa do Brasil 2012

    Após ter sido muito prejudicado pelas arbitragens nos confrontos contra Atlético PR e Grêmio, o Coritiba, (caso necessário, posso descrever as situações que justificam essa afirmação) adversário da final conseguiu firmar pela imprensa a imagem de que foi prejudicado e que perdeu o título no apito.
    Tanto a direção palmeirense, como grande parte da sua torcida e a imprensa em geral não se manifestaram sobre a verdade dos fatos:

    Primeiro jogo Palmeiras 2×0

    Agressão a Valdívia, na metade do primeiro tempo, vista e ignorada pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio. Willian Farias, o agressor nem foi advertido, quando deveria ter levado o vermelho, beneficiando o Coritiba para o restante do jogo e para a segunda partida. Imagens da Band, vistas só pela internet e nunca mais exibidas pela emissora.

    Na penalidade cometida sobre o atacante Betinho, o lateral Jonas não recebeu cartão vermelho por fazer a falta em situação clara de gol. O segundo jogador do Coritiba deixou de ser expulso.
    A polêmica acontece a favor do Coritiba em função de uma penalidade reclamada sobre o jogador Tcheco, que não estaria em campo naquele momento, caso o Coritiba estivesse com dez ou nove em campo. Tcheco foi a última opção de substituição, estava em final de carreira.

    Segundo jogo Coritiba 1×1 Palmeiras

    Novamente a direção do Coritiba tenta causar polêmica. Tinha pressionado a arbitragem a semana toda objetivando ter vantagens na partida decisiva. No jogo reclama da falta dupla sobre o jogador palmeirense, que ocasionou o gol de Betinho. Todos ignoram também, especialmente a imprensa, o golpe de sumô recebido pelo zagueiro Henrique, dentro da área Curitibana. Se perguntar para jornalistas, dirão que não se lembram do lance, que não deve ter acontecido.
    Palmeiras x Coritiba, um exemplo claro de parcialidade, de má vontade da cobertura esportiva com a nítida intenção de inverter os fatos. Mesmo depois de muito tempo, muitos jornalistas para fazer média não respeitam a conquista palmeirense ( Insistem na mentira repetida mil vezes – Ouvi vários “jornalistas” dizerem que a arbitragem ajudou o Palmeiras naquela final – Diriam isso de novo vendo essas imagens do meio do primeiro tempo? Árbitro que queria ajudar iria expulsar o não o volante do Coritiba? E mais, árbitro de má fé com o Coritiba iria expulsar o melhor jogador do Palmeiras ou iria contemporizar? ).

    Copa do Brasil 2015

    Palmeiras x Internacional – erros em lances capitais nos dois jogos e o Inter colocado como prejudicado, quando nos dois jogos foi beneficiado.
    – Não voltar a penalidade cobrada por Barrios. O atacante iria pegar o rebote que foi evitado pelo zagueiro que correu junto com o atacante na cobrança. Invasão de área, no melhor estilo Rogério Ceni se adiantando em cobranças de penalidade. (Já imaginaram se acontecesse do lado oposto, o carnaval que seria feito?)
    – Penalidade do goleiro Alisson sobre Gabriel Jesus. Como sempre, para o Palmeiras, foram só desculpas e justificativas na imprensa para a não marcação.
    – Segundo jogo, primeiro gol do Inter, Novamente no apito Wilton Pereira Sampaio. – Disputa de bola entre o lateral palmeirense que vai com a cabeça (sem se abaixar) e a chuteira do jogador do Inter. O árbitro vê e a poucos metros dá sequência à jogada. Não é falta, afinal chutar a cabeça do adversário que está em posição vertical é perfeitamente normal no futebol!!!!
    – Segundo gol do Inter, Rodrigo Dourado em impedimento cabeceia a bola para o completo do atacante colorado. Novamente nenhuma polêmica. Contra o Palmeiras, é sempre gol legal.

    A polêmica ficou para a penalidade sobre o lateral Lucas, marcada, mas sem a expulsão do jogador do Inter. Novamente situação clara de gol (ainda não tinha a nova orientação). Penalidade antes, durante e depois. Depois de vencer a primeira infração, ao tentar seguir na jogada, Lucas é impedido de seguir e mesmo assim a reclamação que tem destaque é a dos colorados.

    Palmeiras x Fluminense – o confronto do “chilique” do presidente pó de arroz

    Primeiro jogo, logo no minuto primeiro minuto. Entrada por trás, criminosa, do lateral do fluminense no goleiro Fernando Prass, próximo à bandeira de escanteio. Para qualquer outro time, seria vermelho direto.
    Gol legal do volante Amaral, anulado por impedimento. O jogador palmeirense estava na mesma linha, assim como o auxiliar que tinha total condição de visão no lance.
    Aqui a polêmica ficou para a penalidade cometida sobre Zé Roberto, deslocado no ar. Todo mundo sabe, pelo menos quem não fugiu da escola nas aulas de física, que a ausência de atrito (jogador no ar, mudando o passo) faz com o esforço para deslocá-lo seja mínimo.

    Segundo jogo – Daronco marca a penalidade sobre Gabriel Jesus porque o auxiliar indicou. Tudo indica que não marcaria. Não expulsou o zagueiro Welligton do Fluminense por cometer a infração em situação clara de gol.
    Pouco tempo depois, penalidade sobre Lucas Barrios, dentro da pequena área. Lance que ninguém se lembra e não aparece em nenhum resumo sobre o jogo, quando o assunto volta a tema. Marcada a penalidade, como deveria ter acontecido, o defensor carioca teria que ter sido expulso.
    No final da partida, Fernando Prass faz defesa milagrosa e classifica o Palmeiras. Por pouco, a pressão sobre a arbitragem feita pelo time carioca como enorme apoio e incentivo da imprensa esportiva não tira o Palmeiras da Copa do Brasil. Daronco apitou pressionado e teve a sorte que deve agradecer ao Prass.

    Palmeiras x Santos – Copa do Brasil e Campeonato Paulista.

    Aqui o texto pode se transformar em livro. Vinicius Furlan na primeira partida da final de 2015, Guilherme Santista de Lima no segundo jogo operando o Palmeiras sem anestesia e Luís Flávio de Oliveira, irmão daquele, só faltaram entram em campo armados e apontar para o rosto dos jogadores do Palmeiras. Para a imprensa, tudo normal e “se teve erros” foram normais de jogo e não podem ser crucificados. Guilherme Santista ainda ganhou o prêmio de 200 mil como melhor árbitro do Paulistão!!!!!!!!!!!

    Por que isso acontece? A resposta é simples:
    • Direção do clube que somente se manifesta em casos de calamidade pública, quando a vaca já foi para o brejo;
    • Parte da torcida que ainda acredita que futebol é disputado apenas dentro de campo e adota a linha do politicamente ingênuo;
    • Imprensa esportiva que há muito tempo deixou de ser profissional e está mais envolvida na atuação parcial a favor de seus clubes escolhidos;
    • Jornalistas palmeirenses que não precisam nos ajudar, não precisam fazer o papel de nossos advogados, poderiam apenas ser profissionais e relatar os fatos, mas preferem a política da média com outras torcidas e com suas chefias para manter o rótulo de imparciais.

    ================

    Para concluir com chave de ouro: Lance com o jogador em impedimento, fazendo falta no goleiro adversário cabeceando seu braço, com o lance parado é concluído para o gol com uma solada é colocado como duvidoso, como motivo de reclamação para o time oficial da imprensa esportiva paulista. Essa é para fechar para balanço e o melhor exemplo didático da total inversão de valores que norteia a imprensa esportiva paulista.

  • Marco

    Tânia, o blog fica desatualizado em todas as rodadas em relação ao que está acontecendo com o Palmeiras. Nesse ritmo de sacanagens de arbitragens você vai ter que escrever um texto por dia. Tem esse texto do jogo do Sport e já está superado, veio o jogo com o Santos e mais palhaçada ainda.
    Sobre o jogo contra os sardinhas, vou esperar você publicar. É prejuízo demais para o Palmeiras e carga redobrada de trabalho para você.

    • taniaclorofila

      Marco, infelizmente, não tá dando para eu escrever um texto por dia, como a demanda de prejuízos ao Palmeiras exige, mas o mais importante é que fique registrado, porque, não demora muito, a turma do “os árbitros erram para todos”, “a força não foi desproporcional”, “eu não daria”, “eu também não marcaria”, mas é discutível”, ou seja, a turma dos patifes e covardes, fará de conta que esses roubos nunca aconteceram.

  • Marco

    Tânia, desculpe a terceira mensagem, mas esqueci a pergunta principal:
    O que está acontecendo de verdade? Tem coisa muita estranha por trás de tudo isso que está acontecendo no campeonato. Essa é a impressão que muita gente está tendo. Não pode ser só problema de arbitragem. Deve ter algo que nossa vã filosofia não sabe. E a imprensa continua no seu papel de acobertar e arrumar justificativas!