ATÉ QUANDO VÃO ROUBAR O PALMEIRAS?

“E a gente tem que ser bem boboca pra achar que esses árbitros todos decidem assim, do nada, garfar e esfolar um mesmo time, né? Pra não imaginar que tenha um mandante por trás desse prejuízo (perseguição) constante”. – Rita Hayworth

 

Palmeiras 4 x 0 Atlético-PR

– Pênalti do goleiro do Atlético-PR sobre Jesus, e não marcado pelo árbitro.
– Cartão amarelo para Barrios – que sofreu  falta – quando o cartão deveria ser vermelho e para o jogador do Atlético-PR.

Ponte Preta 2 x 1 Palmeiras

– Gol de Jesus, legítimo, anulado pela arbitragem.
– Cuca, expulso por reclamação (reclamou sozinho, sem se  dirigir ao árbitro) após a marcação de falta inexistente em Tche Tche.

Palmeiras 2 x 0 FluminenC

– Entrada criminosa em Egídio, no campo de visão do juiz (do auxiliar também), que deixou de mostrar cartão (vermelho) e marcou apenas a falta.

São Paulo 1 x 0 Palmeiras

– Falta em Dudu, não marcada pela arbitragem, dando sequência à jogada de gol do  time do Panetone. (o Palmeiras não perdeu por causa disso, mas é um erro de arbitragem (mais um), importante, dentre tantos erros com o Palmeiras).

Palmeiras 4 x 3 Grêmio

Gol do Grêmio em total e claro impedimento, validado pela arbitragem – e depois dos acréscimos.
Tche Tche, pisado por Maicon, na cara do juiz, e o juiz,ao invés de assinalar a falta de Maicon, e mostrar o cartão vermelho por agressão, assinalou falta do… Tche Tche.
Pênalti de Geromel em Jesus, não marcado pela arbitragem, na sequência da jogada, gol de Roger Guedes, segundo do Palmeiras, que perdia por 2 x 1 (e se o gol não tivesse saído?).
Jesus agarrado e derrubado por Geromel, o juiz marcou apenas a falta, sem mostrar cartão, no entanto, Matheus Sales levou amarelo por ter agarrado o adversário, e Fabrício também levou amarelo por ter tentando segurar um gremista.

Muitos “erros” de arbitragem prejudicando um time só, não é mesmo?

E, depois do Grêmio, teríamos o Flamengo pela frente… aquele, que as arbitragens costumam ajudar; que ganha campeonato, no último minuto, com gol escandalosamente impedido, marcado por juiz conhecidamente flamenguista… o que escapou do descenso em 2013, aproveitando carona na manobra que rebaixou a Lusa  e subiu o FluminenC (reza a lenda que a ajuda visava mesmo salvar o time rubro-negro); um dos queridinhos da imprensinha e da emissora platinada (o outro, será o nosso próximo adversário… imagina a arbitragem?)… e que andou dando uns vexames ultimamente…

O juiz seria Dewson Fernando Freitas da Silva (PA), o árbitro FIFA, que já tinha nos operado diante do Atlético-PR, em 2015, e  que, por isso mesmo, foi chamado por Robinho de “c@*$ralho ruim”.

E quem não sabia o que ia acontecer, né?

Jogo em Brasília, mais de 54 mil pessoas (torcedores dos dois times  todos juntos e misturados. Lindo!), a maioria de palmeirenses. Palmeirenses, que faziam mais barulho, que estavam felizes por ver o time de coração de perto, e que se deslocaram de vários outros estados só pra ver o Palmeiras jogar.

E eles viram bem mais do que isso, viram o Palmeiras ser assaltado, de novo (quem estaria por trás desses “erros” todos e em todas as partidas do Palmeiras?). E, graças a Deus, viram também o Palmeiras vencer a arbitragem, de novo…

Pra variar, Jesus abriu o caminho da vitória logo no comecinho da partida. Tche Tche interceptou uma bola e, de cabeça, a colocou à frente de Jesus que entrava na área. E Jesus, matador (desculpe a heresia) finalizou com perfeição.

Tomamos o empate dois minutos depois, com um gol de Alan Patrick, num chute de longe, do canto da área. A bola fez uma curva que impossibilitou a defesa de Prass.

E, então, o c@#%ralho ruim começou a aparecer…

Dudu roubou uma bola e partiu para o ataque. Márcio Araújo o parou com falta, que o juiz não marcou. Só que o bandeira viu a falta, a assinalou e, convicto, fez até o gesto para mostrar ao juiz como a falta tinha sido feita por Márcio Araújo (era pra amarelo), mas o juiz preferiu ignorar as informações do bandeira (tem auxiliar pra quê?).

Moisés deu um lançamento lindo para Jesus, mas, ao invés de matar no peito e fuzilar o goleiro, ele tentou parar e ajeitar a bola com o pé e a jogada se perdeu. Cuca ficou bem contrariado.

Embora desse alguns espaços ao Flamengo, o Palmeiras tinha o controle do jogo, ficava mais com a bola, descia com velocidade e as oportunidades mais perigosas eram verdes. Novo lançamento de Moisés para Jesus, mas o nosso menino não conseguiu finalizar…

As jogadas saíam, mas estávamos pecando nas finalizações. Nosso meio de campo era melhor, Moisés ficava livre para criar.

E com dois minutos de acréscimo (cinco de acréscimo, e sem motivo algum, é só em jogo dos ‘lava-jato’) o primeiro tempo acabou com o empate no placar.

No intervalo, teve uma confusão com as torcidas organizadas dos dois times na área dos banheiros e bares;  a polícia fez uso de gás-pimenta, que se espalhou pelo estádio todo, afetando torcedores, jogadores, e fazendo com que muitas pessoas – as que estavam com crianças principalmente (elas eram muitas), tivessem que ir embora. Um horror!

Segundo uma notícia do UOL, o Flamengo, responsável pela segurança, porque era o mandante do jogo, não seguiu o que havia sido combinado e deixou as torcidas muito próximas:

TV-Mancha1

Na segunda etapa, o Flamengo começou tentando pressionar o Palmeiras, mas não levava tanto perigo, o Palmeiras me parecia que tinha tomado chá de camomila no intervalo.. mas não demorou muito e ele ficou bem acordado.

Cuca, que sempre acerta nas substituições, colocou Luan em lugar de Matheus Sales, e, ao contrário do que eu imaginara que aconteceria, Luan entrou bem na partida.

Moisés lançou Luan, que cruzou para a área, Jesus dividiu com o goleiro, que acabou soltando a bola e ela entrou  no gol. O juiz acertadamente anulou o gol.

E então, a garfada master aconteceu… Dudu tocou pra Luan, ele cruzou, e Léo Duarte, que não alcançou a bola, a desviou, intencionalmente, com a mão. Ela ainda bateu na trave antes de sair. Até as minhocas embaixo da grama e da terra viram a penalidade, menos o juiz e o bandeira.

FlaxPal-pênalti-LéoDuarte

Jogo empatado, o flamenguista mete a mão na bola, como se fosse vôlei, e a arbitragem… nem aí! Uma vergonha! Não marca o pênalti e nem expulsa o jogador pela infração cometida. Imaginem se a camisa do jogador fosse verde?

Os árbitros podem errar e “errar” à vontade e nada acontece. Deveria ser regra que árbitros e bandeiras dessem coletiva após as partidas.

Jesus entrou na área, tocou por cima do goleiro e o zagueiro, como se fosse goleiro, fez uma defesaça… com a mão . Nem se o “c@#&ralho ruim” quisesse teria como ignorar tamanha penalidade. Ele marcou e expulsou César Martins pela infração. Jean colocou na marca da cal e colocou o Palmeiras na frente de novo.

Mancuello quase quebrou a perna do Fabrício e levou amarelo… E então, o juiz deu um jeitinho de amarelar Vitor Hugo e tirá-lo do próximo jogo do Palmeiras –  quem não tinha certeza que ele seria amarelado?

Aos 41′, Jesus fez a jogada e lançou Rafa Marques, que ia sair na cara do goleiro. Márcio Araújo fez a falta e derrubou o Rafa dentro da área. Eu não achei que foi pênalti, porque Márcio Araújo o toca ainda fora da área, mas foi falta, e quando o Rafa entraria na área com bola dominada, com grande chance de marcar mais um gol para o Palmeiras; falta pra expulsão. Dewson Freitas, o “@#&ralho ruim”, ignorou a falta e o cartão vermelho que deveria mostrar a Márcio Araújo – já tinha deixado de dar um amarelo pra ele antes (mas amarelo pro VH ele deu, né?)

E, pra fechar com “chave de ouro” a péssima  atuação e desempenho do “árbitro-FIFA”, na súmula da partida ele anotou que, Jean, autor do segundo gol do Palmeiras aos 26′ do segundo tempo, havia sido substituído aos 12 minutos (14 minutos antes de fazer o gol) para a entrada de Luan, quando, na verdade, quem deixara o campo fora Matheus Sales.

Não dá pra entender como esses árbitros podem ser promovidos a “Árbitros-FIFA” ou “aspirantes-FIFA”. Parece até que andam distribuindo promoções para árbitros e auxiliares por outros motivos que não a capacidade dos promovidos…

Será que é para eles fazerem essas lambanças (e resultados) mesmo?

Abre o olho, Palmeiras!! Até quando vão nos roubar? Quanto mais vamos permitir que isso aconteça? No futebol é ao contrário, os bonzinhos, que nunca reclamam de nada, que não prestam atenção nas manobras dos bastidores, não se dão bem e nem colocam a faixa no peito.

Chega de sermos as ovelhas servindo de banquete para a festa dos lobos, né?