O APITO ERA AMIGO SIM… MAS NÃO DO PALMEIRAS

“Uma Mentira contada mil vezes, torna-se uma verdade.” –  Joseph Goebbels, chefe da propaganda nazista de Hitler.

A picaretagem comendo solta no campeonato brasileiro 2015,  as arbitragens garfando geral,  fazendo resultados, decidindo partidas e as posições dos clubes na tabela de classificação, distribuindo muitos pontos – mais de 15 só para o S.C.Itaquera  -, e, com toda essa esbórnia,  tem “jornaleiro(s)” (me recuso a chamar de jornalista quem falta com a verdade na sua função de levar informação ao leitor, ao ouvinte) colocando sob suspeição a classificação do Palmeiras à final da Copa  do Brasil, afirmando que ele foi favorecido pelas arbitragens. Aham…

O tal de José Calil, que, para mim, é apenas um torcedor santista fanático travestido de jornalista, muito arrogante e malcriado, por sinal, e  que usa o seu espaço num veículo de comunicação e nas mídias sociais para falar um monte de asneiras e agir como se estivesse na arquibancada do “Aquário”, no começo do ano achou por bem atacar o Palmeiras, insana e diariamente, por ele ter contratado Arouca, QUE NÃO RECEBIA SALÁRIOS NO SANTOS. “Viúva do Arouca” (pensei que só existissem viúvas do Pelé), e parecendo muito despeitado, o “jornaleiro” falou os diabos do Palmeiras e do jogador – será que ele não achou nada errado no fato de seu clube de coração dar calote em Arouca, Aranha e tantos outros atletas? Será que ele gostaria de trabalhar sem receber?

Um tempo depois, veio a final do Paulistão entre Palmeiras e Santos. O Palmeiras foi prejudicado nas duas partidas. Todo mundo viu, menos o “Zé Caiu”. Você lembra como foi?

Foram dois pênaltis favoráveis ao Palmeiras, e não marcados pela arbitragem, mais duas expulsões palmeirenses mandrakes. A arbitragem interferiu no resultado do jogo e decidiu o campeonato.

O “jornaleiro esperteeeenho” não achou nada errado nas arbitragens, e nem na maneira como o time dele foi campeão. Essa moral seletiva medra como grama no pasto aqui no Brasil.

No entanto, até os que costumam fazer vistas grossas quando o Palmeiras é prejudicado, noticiaram a garfada na final – num programa esportivo da rgt, o apresentador  diria, ao vivo,  para o “árbitro melhor do Paulistão” (foi considerado o melhor) que ele TINHA OPERADO O PALMEIRAS.

Algumas das noticias sobre a “apitada”:

Final-Paulistão-lancenet0

Final-Paulistão-lancenet1

Final-Paulistão-lancenet2

Final-Paulistão-lancenet3

Veja a imagem abaixo. Gabriel, na direita, tocou para Lucas lá no meio da área, e quando Lucas ia iniciar uma nova jogada, Chiquinho, em lance sem bola, atropelou Valdivia dentro da área. Pênalti, mas o “melhor do Paulistão” (Aham) nada marcou.

Final-Paulistão-pênalti-em-Valdivia1

Vítor Hugo foi agarrado e derrubado na área (saca só o Leandro Pereira sendo agarrado na área também). O “melhor do Paulistão” está em cima do lance, de frente para o lance, não tem a visão encoberta, e não marcou nem uma falta e nem outra. Favorecido o Santos? Maaaagina… Será que o “jornaleiro viu isso”? Será que ele achou a arbitragem safada? Sou capaz de apostar que não.

Final-Paulistão-penalidade-em-VitorHugo2Final-Paulistão-penalidade-em-VitorHugo1Final-Paulistão-penalidade-em-VitorHugo0

Na primeira partida, vencida pelo Palmeiras, no Allianz, a arbitragem também deixara de marcar uma penalidade em Rafael Marques – deixara de marcar é ótimo. Os árbitros não  estão em campo para  marcar as infrações e fazer com que a partida tenha o resultado mais justo possível? Mas… “Senta lá, né Cláudia”?

Final-Paulistão-pênalti-Rafael-MarquesFinal-Paulistão-pênalti-Rafael-Marques1Final-Paulistão-pênalti-Rafael-Marques2Final-Paulistão-pênalti-Rafael-Marques3

Não vi/li nada do tal “torcedor jornaleiro” sobre ter sido suspeita ou imoral a maneira como o Santos, às custas do apito, conseguiu levar a partida para os pênaltis  – o árbitro da ocasião, o santista Guilherme Ceretta de Lima, recebeu R$ 200 mil da FPF depois que o campeonato acabou, como prêmio por ter sido o “melhor do Paulistão”(Aham). Só que, no Campeonato Brasileiro, o “melhor do Paulistão” foi escalado para uma partida apenas. Esquisito, né?

Mas o torcedor jornaleiro resolveu atacar o Palmeiras (de novo), e tão logo ele se classificou à final da Copa do Brasil para jogar contra o…   Vai ganhar um doce quem adivinhar o clube… Isso mesmo, contra o … Santos! O time do coração do “torcedor jornaleiro”. E olha as asneiras que ele diz:

Tweets-ZéCalil-sorteio

Até entendo que ele seja torcedor doente e, por não conseguir ser imparcial, queira puxar a brasa para a sua sardinha, mas deveria haver um limite para o  ridículo e a estupidez. UM PROFISSIONAL DA IMPRENSA ESPORTIVA insinua que o torneio foi armado e AFIRMA (pay attention lawyers) que o Palmeiras “armou” no Paulistão, mas perdeu assim mesmo? Confere, produção?

Só que na primeira fase da Copa do Brasil, quando o Santos enfrentou o Londrina, o “torcedor jornaleiro” não achou a arbitragem safada quando ela “achou” um pênalti num lance em que a bola bateu no ombro do jogador do Londrina, não é mesmo? Nem nas muitas vezes em que o Santos foi ajudado neste Brasileirão com pênaltis “achados” (aposto que na partida de ontem, ele também não achou nada imoral que o tal “pastor” pudesse distribuir cotoveladas impunemente, enquanto Cristaldo era expulso por… reclamação!?!) Tão bipolar o senso de moral de algumas pessoas…

Londrina-pênalti-inventado

Na ESPN, um outro ‘jornaleiro’ santista –  que também não deve ter visto nada de errado nas finais  do Paulistão 2015 -, teve como convidado do seu programa o zagueiro palestrino Vitor Hugo. Entre outras coisas, meio distantes do profissionalismo, e da ética que o profissionalismo exige, ele, levianamente, e insinuando que o Palmeiras chegou  à final com a ajuda das arbitragens, perguntou ao jogador se o Palmeiras vai convidar os árbitros para a festa, caso vença a competição, algo assim, (mas não perguntou ao David Braz, que também estava lá, se o Santos convidou o Ceretta para a festa do título do Paulistão, ou se o Santos iria fazer pressão para tê-lo apitando a final). E o tal apresentador, cujo nome no Twitter é “JACcanalha” (falo nada desse nome), ao se despedir de Vitor Hugo, ironicamente  o chamou de vice-campeão… Será que vão garfar o Palmeiras outra vez e a ESPN já foi informada? Hmmmm…

Olha o nível desses formadores de opinião, responsáveis por levar a informação até os torcedores! A maior bandalheira nas arbitragens do Brasileiro e ‘nego’ vem achar benefício ao Palmeiras em jogos da Copa do Brasil onde ele foi garfado? Como assim?

Como pode um apresentador de TV, torcedor do time que disputa um título com o Palmeiras, não conseguir ser capaz de tratar com isenção e gentileza um de seus convidados no programa, tentando conspurcar um possível título  do Palmeiras na Copa do Brasil?  É o fim da picada (tudo isso é medo do Verdão?). E isso porque o Palmeiras chegou à final passando por Cruzeiro, Inter e FluminenC (de respeito essa trajetória, né não?), e foi prejudicado pelo apito nas últimas quatro partidas que disputou na competição. Imagina se ele  tivesse sido mesmo favorecido como o cagaço de alguns tenta fazer parecer?

E eu pergunto, que país é esse em que você precisa se municiar de imagens, informações – até mesmo regras(!?!) – para que a verdade não  vire mentira, e a mentira não acabe virando verdade na boca de alguns “profissionais de imprensa”?  Como é possível que nós, torcedores, precisemos provar para profissionais de imprensa que um pênalti foi pênalti mesmo? Deveria ser o contrário.

E imoral mesmo é uma pessoa, por conveniência, falar inverdades, distorcer os fatos, esquecer a ética, a imparcialidade, esquecer as regras…

Vejamos quão “imoral” foi a classificação do Palmeiras e o quanto ele “se favoreceu” com as arbitragens…

Quartas de Final
Inter 1 x 1 Palmeiras – 1ª partida – Beira Rio

O jogo estava 0 x 0, Barrios cobrou uma penalidade e o  goleiro rebateu. Houve invasão na hora da cobrança, e o invasor se favorecendo com a invasão, conseguiu chegar, antes de qualquer outro jogador,  a tempo de mandar pra fora a bola que ia ficar “vivinha” para Barrios não fosse ele, o invasor, estar ali (já vimos voltarem cobrança de pênalti do Verdão por causa de invasão, não é mesmo?). Confira:

invasão-Interinvasão-Inter1invasão-Inter3

 

Teve também uma penalidade, não marcada, em Gabriel Jesus. O goleiro Allison, esquecendo a bola,  passou  o pé no jogador do Palmeiras. Isso é falta, e dentro da área é pênalti. E o goleiro deveria ter levado vermelho também. Palmeiras prejudicado, de novo. Foi o Inter quem se beneficiou com a invasão, não assinalada pelo árbitro, com a não marcação do pênalti em Gabriel Jesus e com a não expulsão do goleiro, viu “Zé Caiu”?

Inter-pênalti-em-GabrielJesus

Quando árbitros, usando  o poder de validar ou invalidar jogadas que lhes é conferido, passam a fazê-lo de maneira diferente do que ditam as regras,  eles estão fazendo o resultado das partidas, não é mesmo? E isso não deveria acontecer.

Quartas de Final
Palmeiras 3 x 2 Inter – 2ª Partida – Allianz Parque

O Palmeiras vencia por 2 x 0 quando o Inter, que ficaria com a vaga caso conseguisse um empate por mais de um gol, marcou duas vezes, em duas situações onde houve “falha” da arbitragem.

O primeiro gol surgiu da continuação de um lance de pé alto, uma falta muito clara,  e não marcada (a imagem mostra que o juiz viu muito bem o lance). A jogada continuou e nasceu o primeiro gol do Inter. O Inter foi beneficiado, certo?

Inter-pé-alto-não-marcado

O segundo gol, que daria a vaga ao Inter, estava impedido, mas a arbitragem validou. Inter beneficiado mais uma vez. Ainda bem que Girotto fez o terceiro do Palmeiras logo depois, senão, a vaga na semifinal teria mudado de dono…  graças à arbitragem.

Inter-gol-impedido-no-Allianz

Semifinal
Fluminense 2 x 1 Palmeiras – 1ª partida – Maracanã

O FluminenC vencia por 2 x 0, Zé Roberto sofreu pênalti, o juiz assinalou, e o Palmeiras descontou. Depois, Amaral  empatou, mas a arbitragem anulou o gol alegando impedimento… que não existiu.

Logo após a partida, o presidente do time carioca, que deveria lavar a boca com sabão e creolina para reclamar de arbitragem, surtou. O liMdo “esqueceu” do gol legal de Amaral, anulado pela arbitragem e tentou convencer todo mundo que não tinha sido pênalti em Zé Roberto. Falou um monte de asneiras à imprensa, afirmando que o Palmeiras fora ajudado pela arbitragem.

E logo ele, do time trambiqueiro, que por três vezes voltou à série A na mutreta, no tapetão – em 96, o presidente da época apareceu até tomando champanhe pra comemorar; em 99 conseguiu sair da série C de maneira pouco honrosa já que se favoreceu do fato de o STJD tirar pontos do São Raimundo. E não bastasse a tapetada, saiu da série C direto para a série A -, sem jogar a segundona; caiu de novo em 2013 e voltou logo depois, num teatro dos absurdos encenado no STJD,  ocupando a vaga que a Lusa deixara (as investigações concluíram que a vaga foi vendida). E isso sem contar naquela operada master que Simon deu no Palmeiras em 2009, ajudando o mesmo FluminenC a fugir do rebaixamento.

Parte da imprensinha, que sempre nega o óbvio das imagens, e que adora perseguir o Palmeiras, fez coro com a hipocrisia e cara de pau do presidente: “O FluminenC foi prejudicado” (logo o “santo” do FluminenC, né?).

A imagem é indiscutível. Foi pênalti sim! Uma pessoa precisa ser muito tapada ou muito mal intencionada para dizer que não houve a penalidade máxima. Por sorte, a Fox tinha imagem e ângulo melhores do que os que estavam sendo mostrados na doutrinação de  “Palmeiras beneficiado”.

E não tem como fazer de conta que não se sabe e não se viu o Palmeiras ainda ter sido impedido, pela arbitragem, de empatar o jogo no RJ, com a anulação do gol legal de Amaral. O FluminenC foi beneficiado pelo apito e saiu da partida com uma vitória que, na verdade, não conquistara. Está acompanhando aí, “Zé Caiu”?

Amaral-gol-legal-anulado

 

SEMIFINAL
PALMEIRAS 2 X 1 FLUMINEN’C’ (4 x 2)- Allianz Parque

O Palmeiras tinha acabado de abrir o placar  e, no minuto seguinte, Gabriel Jesus foi derrubado na área. O árbitro acertadamente marcou pênalti, mas errou  ao não expulsar o jogador carioca, como prevê a regra. Minutos depois, com 2 x 0 no placar, Barrios iria marcar o terceiro e foi derrubado na área, quase embaixo das traves, no momento em que ia chutar. A arbitragem nada marcou, e a imprensinha pouco falou disso depois. Uma penalidade cometida e não marcada e dois jogadores que não foram expulsos… o que fez com que a partida fosse decidida nos pênaltis.  Nossa,  como as arbitragens “ajudaram” o Palmeiras a chegar na final, né “Zé Caiu”?

Depois do jogo e da conquista da vaga pelo Verdão, a choradeira “pó de arroish” lavou os microfones e câmeras da imprensa… “Ladrãozinho”… “Não foi pênalti em Jesus”… “O FluminenC foi prejudicado”… “Alguém precisa tomar uma providência”… (estão acostumados a se favorecerem com as mutretas, e quando não têm isso…) e o mimimi de alguns portais (ESPN principalmente), e de santistas jornaleiros, de fraldas cheias por medo do Palmeiras, teve início. “Não foi pênalti em Jesus”, “a falta aconteceu fora da área”, “ele começou a ser puxado fora da área e, portanto , o juiz  errou”… “o Palmeiras foi ajudado”… “a classificação do Palmeiras é imoral, fruto das arbitragens safadas”…

Como essas pessoas conseguem emprego na imprensa esportiva? Desconhecem completamente as regras, ou é de propósito que se portam apenas como torcedores e informam os  telespectadores e os leitores de maneira equivocada e distorcida?

A regra é clara, e não tem essa de que se puxou fora primeiro, tem que considerar falta fora da área. Se puxou dentro da área, pode ter começado a puxar lá no vestiário, no estacionamento, na Palestra Italia/Turiaçu, que vai ser pênalti do mesmo jeito. Qualquer coisa diferente disso é querer mudar a regra à sua própria conveniência.

 

Regras-faltas-na-área1

A regra é clara, as imagens são claras e e as opiniões também… Confira no vídeo abaixo o pênalti em Gabriel Jesus, o pênalti em Barrios e os dois jogadores cariocas, que deveriam ter sido expulsos, mas que continuaram em campo.

O que mais queria o FluminenC? Um teatrinho no STJD para trazer de volta a vaga perdida, como aconteceu quando eles caíram em 2013? PAGUEM A B, SEUS HIPÓCRITAS!!

E onde tem imoralidade nessa classificação, “Zé Caiu”?  Onde tem favorecimentos, para o Palmeiras ter que convidar árbtros para a festa, caso seja campeão,  seu “JACcanalha”? É fácil insinuar e distorcer os fatos à própria conveniência…. Tem muita gente precisando se reciclar na imprensa esportiva, gente ultrapassada, que precisa trocar os óculos e dar uma lidinha nos livros de regras também. Pelo menos, de vez em quando. Já está ficando muito feio esse tipo de comportamento.

E agora basta desse mimimi todo. Mais do que isso só se eu desenhar.

E ABRE O OLHO, PALMEIRAS!! SENÃO, NA  FINAL, TE GARFAM OUTRA VEZ, E COM AS BENÇÃOS DA IMPRENSINHA!

(Meus agradecimentos ao Arthur Carvalho pela ajuda com as imagens e vídeos)

  • Fagner Pereira

    Se a comissão técnica for esperta e utilizar tudo isso que foi falado com certeza mexerá com o brio dos atletas, algo que fará que entrem com sangue nos olhos e faça com que os jornaleiros e essas sardinhas metidas a tubarão baixar a bola e ver quem de fato será o campeão.

    • taniaclorofila

      Fagner, o Palmeiras precisará entrar muito determinado, ir pra cima, e não dar bola e nem cair nas firulas de alguns adversários de caráter questionável. Tem que jogar com determinação e inteligência.

      • Fagner Pereira

        Concordo! Ontem vi alguns programas e todos falam o Santos campeão, sem jogar. Isso acho legal mostrar para os atletas. Mudando o foco, tem uma fonte quente onde trabalho que o elenco esteja rachado por conta do treinador. Haverá algo verdadeiro sobre isso?

        • Adilton

          Isso não existe! Nada a ver

  • Emanuel Campana

    Tania, sempre leio as matérias aqui no blog, por serem muito bem escritas e com fundamentos.

    Concordo totalmente com o texto e apontamentos.

    É de tão canalha essa imprensa que o sardinha jornaleiro que VC citou tantas vezes nessa matéria no rádio uma vez foi questionado por um ouvinte com a seguinte pergunta. “O que esse senhor quis dizer que isso é prova de que Deus existe, se referindo à lesão do Arouca?” o ouvinte se referia à lesão que Arouca sofrera no primeiro tempo do primeiro jogo da final do campeonato paulista 2015……

    Engraçado eles deveriam falar sempre a verdade, mas……..

    Diferente deles temos vergonha se o Palmeiras for campeão comi foi o sardinhas esse ano e como serão os gambás

    • taniaclorofila

      Emanuel, eu acompanhei as “pragas” que ele rogava no Arouca, e cheguei a ler isso que você citou aqui.
      Como pode uma pessoa desse tipo trabalhar na imprensa esportiva não é mesmo?

      O Palmeiras, e os palmeirenses, são diferentes. Podemos passar um tempão sem títulos (e os demais não nos alcançam, nem comprando títulos) mas quando os ganhamos, eles são legítimos e inquestionáveis. E se esse vier agora, vai ser assim também.

      Um abraço.

      • Emanuel Campana

        É Tânia, tomara q eles tenham muito que chorar após o apito final do dia 02/12

  • Adilton

    Sensacional texto! Esclarecedor!!! Essa imprensa era cada vez mais ridículo

  • Marco

    Esse texto com essas imagens precisam chegar ao elenco do Palmeiras, à Comissão Técnica e a direção do clube. Nossos jogadores e nossa comissão técnica são muito mal assessorados e não sabem passar nas entrevistas o que ocorre com o time em campo. Isso permite que picaretas como o presidente do tapentense e pilantras como esse tal zé caiu façam circo pela imprensa.
    A Mídia Palestrina precisa ajudar na divulgação, pois dependermos da imprensa (inclusive dos chamados jornalistas que se dizem palmeirenses) estaremos roubados.
    Os fatos foram claros com a comprovação de imagens e mesmo assim, conseguem deturpá-los em prejuízo do Palmeiras.
    Não podemos esquecer de que tudo isso é feito com o objetivo de pressionar as arbitragens dos futuros jogos e o silêncio palmeirense frente ao circo armado pelo tapetense interferiu na arbitragem do Daronco, no segundo jogo. A classificação poderia ter sido perdida, caso Prass não fizesse aquela defesa no final da partida. A não expulsão do zagueiro Wellington Silva e a não marcação da penalidade sobre Lucas Barrios com a consequente expulsão de outro zagueiro teriam definido a classificação.
    Em relação a expulsões, uma prova da má fé dos jornaleiros foi a não observação da entrada do lateral Marlon sobre Prass logo no início do primeiro jogo. Caso a arbitragem estivesse pré disposta a ajudar o Palmeiras bastaria ter aplicado a regra e dado o cartão vermelho para o jogador que aplicou um carrinho por trás no goleiro palmeirense. O FluminenC teria jogado toda a primeira partida com dez jogadores. Faria o 2×1? Isso o jornaleiro picareta não percebeu!
    Em relação às finais, o Palmeiras deve ficar muito esperto, pois a bancada santista dos jornaleiros vai pegar pesado e qualquer arbitragem paulista será de risco. Os amigos do Cereta não são confiáveis e terão toda a retaguarda dos pilantras de plantão no jornaleiro esportivo.
    Quanto ao termo IMORAL
    IMORAL é receber salário para exercer a função profissional de jornalista e atuar como torcedor, fazendo papel de moleque de recado.

  • Marco

    O PALMEIRAS NÃO PODE ACEITAR ÁRBITROS
    PAULISTAS NAS DECISÕES COM O SANTOS!
    TEXTO DO OAV – 03/11/2015

    FIQUEM SABENDO, MATTOS E NOBRE:

    Decidir a CdB com árbitro paulista, é atirar contra a própria cabeça!

    O Palmeiras precisa se cuidar -muito- para que não seja novamente vítima de árbitros malandros ou da políticalha rasteira da arbitragem (principalmente a paulista) nas finais Copa do Brasil/2015.

    Eu sei, você sabe, todo mundo sabe, só a mídia paulistana garante que não sabe (Não sabe?) que há muitos anos o Palmeiras vem sendo uma vítima constante e indefesa de erros crassos de arbitragem.

    Em razão da frequência com que ocorrem esses eventos, as pessoas inteligentes desconfiam que tem caroço demais nesse angu. Quem tiver argúcia para entender,
    entenda!

    Embora os dois jogos Santos x Palmeiras (4ª Feira, 25/11) e Palmeiras x Santos (4ª Feira, 02/12) sejam, num primeiro momento, regionais, pode-se dizer que, pelo tamanho dos clubes e pela dimensão macro da Copa do Brasil, os jogos, além de serem de suma importância para o futebol brasileiro, repercutem nacionalmente.

    É instigante e interessante que a mídia, ainda a 22 dias do primeiro Santos x Palmeiras, com o Curica festejando o título, com os bambis e o próprio Santos perto da classificação para a Libertadores, tenha aberto espaço para defender intransigentemente a escalação de um árbitro paulista para os jogos da Copa do Brasil. Que interesses existem por trás disto?

    O Santos ainda não saboreou completamente a vitória de domingo sobre o Palmeiras, tanto e quanto o Verdão sequer juntou os cacos da derrota que o
    quebrou, e já estão no ar os primeiros balões de ensaio, na tentativa de impor
    um árbitro paulista para os dois jogos mais importantes deste final de temporada.

    É evidente que se fosse a mídia paulistana (registre-se as exceções) que escalasse o árbitro para Santos x Palmeiras e Ceretta de Lima estaria, mais uma vez no
    comando do jogo, vestindo a camiseta do Santos, digo, da CBF, empunhando o apito e fazendo, novamente, tudo o que fez na decisão do Paulistão.

    Entretanto, diante da impossibilidade moral da reescalação desse arrivista, (o Palmeiras, com certeza, relutaria em aceitar-lhe a indicação) muitos profissionais da imprensa já fazem campanha aberta para que o jogo seja apitado por Luiz Flávio de
    Oliveira, o segundo irmão (bom árbitro desde que não apite os jogos do Palmeiras) ou por Rafael Clauss, outro árbitro que, da mesma forma, não consegue sair-se bem comandando nos jogos do Verdão.

    É interessante que nenhum cronista paulistano, entre todos que ouvi abordando o tema, cogita a escalação de Flávio Rodrigues Guerra, excelente apitador e, acima de tudo, corajoso. Qual seria a razão de semelhante esquecimento?

    Este bloguista, porém, tem um pensamento muito particular acerca da indicação dos árbitros para os dois jogos.

    Do meu ponto de vista, os árbitros deveriam ser provenientes de outros estados, a fim de que não sofressem qualquer tipo de ingerência, influência, pressão ou coerção da parte do departamento (in) competente da FPF, tanto e quanto da mídia paulistana, flagrantemente anti palmeirense.

    Árbitros e bandeiras experientes de outros estados, distanciados, completamente, do ambiente do jogo teriam, ao meu sentir, todas as condições para atuar com total imparcialidade e isenção, a fim de que possa vencer, sempre, o melhor entre os dois protagonistas.

    Portanto, dois nomes já estão na berlinda, precocemente lançados, acompanhados de comentários duros e fortes que defendem arbitragens caseiras, e exigem a indicação de árbitros do estado de São Paulo, historicamente deletérios na vida do Verdão.

    Os árbitros paulistas – já faz tanto tempo- aprenderam que se erram contra o Palmeiras, nada lhes acontece, mas ai deles se errarem contra o Santos ou contra qualquer dos grandes.

    O Palmeiras, também por isto, não pode, definitivamente, aceitar árbitros locais e se o fizer tem de estar bem firme e consciente da atitude que está tomando, pois pode estar atirando contra o próprio peito ou cabeça.

    • taniaclorofila

      Não tem motivo algum para que o árbitro seja paulista. Se são dois times paulistas que vão decidir a Copa do Brasil, é muito salutar que o trio de arbitragem seja de qualquer outro estado, menos de São Paulo, né? Principalmente, porque os nomes mais cogitados são useiros e vezeiros em prejudicar o Palmeiras.
      A não ser que a intenção seja a de fazer outra “cerettada”, como aconteceu na final do Paulistão 2015, quando colocaram um árbitro santista para apitar a final . E não deu outra, ele “jogou” pra caramba para o time dele.
      O Palmeiras que fique bem esperto, porque, depois, não adianta reclamar ao final da partida.

  • Cassio fraccari

    Boa noite Tania.
    Ótimo artigo como sempre. O “Zé Caiu” é patético, fora a “modéstia” que ele demonstra ao afirmar que “procura compartilhar um pouco do muito que sabe sobre futebol com os outros.
    O pior é que ele fala essas besteiras e quando alguém contesta, fica nervosinho e bloqueia.
    A diretoria do Palmeiras deveria tomar alguma providência quanto a esses comentários maldosos dos Zé Caiu, Kfoury, JCanalha (com um nome desses….), Neto, Milton Neves, Rizek, Hernan, etc.

    • taniaclorofila

      Boa noite, Cassio.

      Eu tive o desprazer de ler isso uma vez ” compartilha o muito que sabe sobre futebol” (Aham) kkkk Que pessoa mais sem noção, né?
      Ele fala uns absurdos, muitas vezes ofensivos à demais torcidas, e ameaça até de processo os torcedores quando eles reclamam. Já fez isso comigo, e a troco de nada.
      Falou que Valdivia simulava ter recebido falta, algo assim, que se fosse juiz já o expulsaria logo de cara mesmo que ele não fizesse nada correto o distinto, né?). Então, chamei o Neymar de cai-cai. Ele ficou uma fera. rsrsrsr Ele é patético. Ridículo.
      Mas na imprensa esportiva tem gente patética e ridícula demais. Alguns fazem a gente sentir até vergonha por eles.
      E, concordo com você, o Palmeiras deveria tomar providências mesmo. Quando pegar um desses, os outros ficarão espertos.
      Abs

      • Cassio fraccari

        Bom dia Tania

        Imagine como ele vai ficar depois do nosso título da Copa do Brasil. No mínimo enfarte.
        A diretoria devia processar esse sujeito, mas existem outros bem piores do que ele, como o kfoury e o Milton neves.
        O Zé Caiu me bloqueou no twitter porque fiz um comentário sobre um tuíte dele quando do julgamento do Dudu, sem nenhuma ofensa. Fiquei muito “triste” por não poder mais acompanhar a suprema sabedoria futebolística dele (kkk).
        Enfim, como dizia minha avó: não se gasta vela com defunto ruim, já que a diretoria não toma providências, o melhor é ignorar esses caras.
        Abs.

        • taniaclorofila

          Boa noite, Cassio.

          A sua avó estava certa, não se gasta vela com defunto ruim mesmo. A gente diz o que tem que dizer (quando é caso de dizer algo) e depois ignora completamente. Faço isso.

          E quanto ao tresloucado jornaleiro, quero mais que o Palmeiras seja campeão e que ele moooooorra de inveja e raiva. rsrs

          Abs.

  • Fernando São José do Rio Preto

    Tania, parabéns novamente pelo texto, um verdadeiro documento que deveria ser utilizado pelo clube. Assisti ao ESPN qdo da ida do Vitor Hugo, este JoãoCanalha é a escória da imprensa esportiva, foi questionado na ocasião por torcedores pela sua atitude, disse a época que era brincadeira…será? Dia seguinte falou que chamaria o atleta novamente para participar do programa, se eu fosse este jamais retornaria a um programa deste nível, foi sinceramente humilhante.

    • taniaclorofila

      Obrigada, Fernando.

      Conhece a frase: “Brincando a gente pode dizer qualquer coisa”? Então… Por que é que ele não “brincou” assim com o David Braz, que estava lá também, né?
      Se eu fosse dirigente do Palmeiras, o Vitor Hugo não iria outra vez àquele programa por nada desse mundo. Nem ele e nenhum outro jogador do Palmeiras.

  • Fernando São José do Rio Preto

    Hoje a maioria dos programas esportivos trazem como assunto a dispensa e futuras contratações na equipe do Palmeiras. É desumano ver as atitudes de uma imprensa tendenciosa e com tão somente a intenção de conturbar o ambiente numa reta final de brasileirão e disputa pela copa do brasil é uma vergonha!! Enquanto isto no blog do observatórioverde um texto bem esclarecedor referente aos erros de arbitragens e omissão da mídia. Diz Sr.Alcides:”Em vez de apontar e denunciar os dois pesos e duas medidas adotados pelos subservientíssimos e convenientes sopradores de apito em relação à interpretação de lances idênticos dos jogos do Curica e de seus adversários, a mídia prefere elogia-los e hipervalorizá-los.
    Assim Tite e os jogadores são superdimensionados e colocados na condição de super-heróis por uma conquistaque só alcançam em face da tolerância, permissividade e da concessão especial daqueles que, em campo, deveriam ter a chamada “postura de magistrado”.

    Às futuras gerações será entregue o legado da mentira e da impostura através de estatísticas falsas e que não correspondem, de forma nenhuma e de modo algum, à veracidade dos fatos”.

    • taniaclorofila

      Temos que denunciar, porque ninguém mais o faz. Tenho um texto no forno, há semanas, sobre o Brasileirão. Por esses dias, ele vai estar no blog.

  • Fernando São José do Rio Preto

    Nossa melhor resposta seria a comemoração em alto estilo o campeonato da copa do brasil, com vaga assegurada para liberta e um cala boca sem igual numa imprensa provida de maus-caracteres e de torcedores disfarçados de narradores e comentarístas. Fico aqui imaginado a cara destes pilantras, canalhas e cretinos!!
    Aff….como seria bom!!!!

  • Fernando São José do Rio Preto

    Só uma pergunta ao Mattos: Cadê o substituto do Valdívia? Até hoje não vimos a estreia de CX e Fellype Gabriel, estamos no final do ano, como pode? Mattos, você é um pilantra, safado e mentiroso, um verdadeiro hipócrita. A mídia fez de inúmeros torcedores massa de manobra para conseguir a saída do Mago, que beleza está nosso meio de campo não é verdade? Como esquecer do passado se o presente nos remete a ele? Mago poderia ser inúmeras coisas, más era e é craque, o verdão com este em campo era outro time, como pode ter sido desprezado como foi? Diz aí Mattos!!

  • Marco

    Tânia,
    É possível que o excelente, necessário e esclarecedor material produzido por você chegue até aos jogadores do Palmeiras, à comissão técnica, à direção do clube e à ASSESSORIA DE IMPRENSA?
    Também é possível que chegue aos conhecidos jornalistas que se dizem palmeirenses?
    Pelo que notamos, todas essas pessoas têm demosntrado total desconhecimento dos fatos e distanciamento da realidade e esse comportamento quase nos custou a classificação para a final. A pressão exercida sobre a arbitragem do segundo jogo interferiu no trabalho do árbitro que deixou de expulsar Wellington Silva e não deu a penalidade sobre Lucas Barrios. Não fosse Fernando Prass, Fred teria feito o gol da classificação carioca e hoje o prejuízo seria gigantesco.
    No Palmeiras, ninguém se manifesta. As entrevistas dos nosso jogadores são nulas nesse aspecto. Não sabem relatar o que acontece em campo e ficam mais preocupados em trocar camisas com quem dá risada da cara deles. A direção mantém o estilo calado que nos caracteriza há muitos anos e nossa Assessoria de Imprensa nos envergonha pela total falta malícia para o futebol.
    Quanto a esperar profissionalismo dos jornalistas, incluindo os ditos palmeirenses, é a mesma coisa que acreditar em Papai Noel e Coelho da Páscoa.

  • Fernando São José do Rio Preto

    Momento de inquietação e apreensão, não temos como ser diferentes. Time muito abaixo do que suponhamos e desejávamos, será que está sem liderança? Na minha opinião falta sabem quem? VALDÍVIA, o único que chamava a responsabilidade.

    Polêêêmica!!!Polêêêmica!!!Polêêêmica!!!Polêêêmica!!!Polêêêmica!!!Polêêêmica!!!

    • taniaclorofila

      Eu concordo com você, Valdivia seria a peça perfeita para acertar esse time.