ENQUANTO ISSO, NA RGT…

Jornalismo de informação é para “os fracos”, a moda agora é jornalismo de alienação… com boas doses de meias verdades, informações distorcidas, para, nas entrelinhas, levar o leitor à comprar uma ideia que, algumas pessoas, em algumas redações, querem vender.

O Palmeiras perdeu do Coritiba, o Santos perdeu do Vasco…

Os dois com os seus times reservas, e, claro, os dois de olho na final da Copa do Brasil, que acontecerá na próxima quarta-feira no Allianz Parque. Mas com uma diferençazinha: enquanto o Palmeiras nada mais aspira no Brasileiro, o Santos ainda brigava pelo G4… e acabou com as suas chances de classificação.

Mas olha só como a rgt, tendenciosa x 1000, publicou a derrota de um e de outro.

O Palmeiras, “travado”; para o Santos, “É quarta-feira”; o Palmeiras, “sem vencer”, e com “pior público” (19 mil pessoas, mais do que cabe na Vila Belmiro); o Santos, “com reservas, concentrado na final da Copa do Brasil”… Como se o Palmeiras também não tivesse jogado com reservas, e como se ele também não estivesse concentrado e de olho na final da Copa do Brasil.

Pra um, uma derrota é significado de time que vai muito mal; pra outro, uma derrota, e o adeus ao G4, é como se fosse nada, e a notícia ruim é minimizada pela lembrança da final próxima…

Isso não é por acaso… Quem escreve sabe escolher as palavras, cirurgicamente. Está clara a preferência da rgt, não é mesmo? E, com tanta preferência (a gente sabe bem o que acontece com os preferidos da platinada), o Palmeiras que abra o olho com o árbitro que for “sorteado”.

No entanto, a rgt e mais um monte de gente por aí, fazem que esquecem de um detalhe: o Santos precisou que, entre outras coisas, o juiz garfasse o Palmeiras, lhe subtraísse uma penalidade máxima e a consequente expulsão do zagueiro santista, para que ele o vencesse pelo placar mínimo. E isso porque o Palmeiras jogou mal, senão, nem com juiz tinha dado…

Todas essas bobagens que estão sendo ditas por alguns jogadores do Santos, por alguns de seus torcedores jornaleiros deixam claro que eles têm medo do Palmeiras sim.

Fosse o contrário, nem se dariam ao trabalho…

Não vai ser mole no Allianz, como pensam alguns… mas não vai mesmo.

Prepare-se, rgt, preparem-se haters, o Caldeirão do Porco vai ferver!!

MOSTRA PRA ELES, VERDÃO!

  • Marco

    Héber Roberto Lopes, torcedor confesso dos gambás, apitará a final da Copa do Brasil. Outro gambá na decisão, depois de Luis Flávio de Oliveira.
    Definitivamente o Sr. Sérgio Correa prova que não tem respeito algum pelo Palmeiras e a direção do clube mostra mais uma vez que a malícia para o futebol é ZERO dentro do Palmeiras.

    • taniaclorofila

      É lamentável que o Palmeiras aceite esse cara, Marco. Quando teve seu nome envolvido na Máfia do Apito em 2005, esse mesmo Heber tinha operado o Palmeiras em alguns jogos do Paulistão. E só não voltaram essas partidas porque “o SPFW já tinha sido campeão” (o interesse do cartel do futebol era mesmo no campeonato brasileiro, o Edilsão 2005).
      E depois disso, nunca gostei das arbitragens dele em nossos jogos.
      Engraçado que Daronco tenha apitado tantas partidas ultimamente e, segundo dizem, tenha sido tirado do “sorteio”…
      Falta malícia mesmo, e como falta.

  • Luiz Antonio

    Realmente, tenho visto e ouvido muita coisa., em geral depreciando o Palmeiras. Sinceramente, não entendo os motivos disso. Porque tanto ódio e preconceito. O Palmeiras, hoje, é um modelo a ser seguido, deveria ser citado como exemplo na imprensa. Exemplo de equilibrio financeiro, pioneirismo, respeito aos direitos trabalhistas, seriedade. Exemplo de como se evolui, de como se constrói um patrimonio sem depender de ajuda de presidentes da republica, de dinheiro público, de rgts da vida com sua propaganda enganosa. Mas esse modelo não serve para a imprensa demagoga e hipócrita. O modelo que venceu o camp. brasileiro, modelo este fundamentado no calote, na arrogancia, na mentira, no populismo é o que é bom para essa imprensa que, além de tudo, semeia a violência, como foi o caso dos comentários quando do assassinato do cidadão que vestia a camisa do Santos há alguns dias atrás. Não podemos obrigar o Palmeiras a tomar atitudes, mas podemos, nós, tomar atitudes. Sugiro que todos os Palmeirenses, sócios torcedores, captem mais 2 sócios torcedores. Assim, com a receita, o clube não dependerá mais de verba de TV. Assim, poderá impor suas condições na renovação de contrato com a TV. Outra sugestão é não dar audiência. A pior punição a um órgão da imprensa é ausência de público. Pelo menos as besteiras que falam não nos influenciarão. Eu, há dois anos, não assisto nada na globo e quando assisto futebol (por falta de opção), é sem som. Saudações alvi-verdes!