VAMOS NA FÉ… QUE DÁ!

“Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto. Porque todo aquele que pede, recebe. Quem busca, acha. A quem bate, abrir-se-á.”

 

HOJE É NA FÉ, PARMERADA! E NA FORÇA DO NOSSO AMOR!!

Com o coração apertado, sentindo uma aflição enorme, querendo que o dia termine logo para sabermos se nosso coração estará em paz ao cair da noite…
Uns(eu), choram o dia inteiro; outros, rezam, há os que procuram se distrair, não pensar… uns, apoiam incondicionalmente; outros, reclamam e xingam… uns, “enchem a cara”; outros, se entopem de chás para acalmar… uns, se sentem tranquilos; outros, se desesperam… uns, vão ao shopping; outros vão à igreja, há os que ficam quietinhos em casa… uns, tiveram o sono agitado; outros, nem dormiram…

Cada um sente de um jeito, cada um se resolve de um jeito…

Brigamos uns com os outros o ano inteiro, porque um gosta de “A” e o outro gosta de “B”, porque um faz “isso”, outro faz “aquilo”; porque um queria “assim”, o outro queria “assado”… Mas nossos corações são irmãos, e sofrem e se alegram juntos.

Não quero fazer contas… não quero combinar resultados… só quero o Allianz Parque explodindo em energia positiva, em alegria… só quero a torcida cantando sem parar, até o último minuto, e depois dele também… só quero Valdivia em campo… só quero o time com raça… só quero acreditar!

Chegamos ao final do caminho de 2014… e mesmo com todas as nossas diferenças, queremos todos chegar ao mesmo lugar, queremos todos abrir a mesma porta…

POIS ENTÃO, VAMOS NOS DAR AS MÃOS E ABRI-LA!!
AQUI É PALMEIRAS, PORRA!!

Que o dia de hoje seja maravilhoso para todos aqueles que têm um coração verde e branco dentro peito!

MUITO BOM DIA, PARMERADA!! E VAMOS GANHAR, PORCOOOO!!

  • FELIPE

    Heresia, não brinque com coisas sérias, se você não acredita, pelo menos tenha respeito com aqueles que crê no Pai. Futebol é lixo perto das coisas divinas. Sou Palmeirense, torço hoje pelo Santos e pelo Coritiba. Se nosso elenco não presta, a culpa não é dos céus. Peça perdão para o Pai. Hipocrisia nessa hora é de lascar.

    • Oi????
      Hipocrisia por quê, Felipe? Por que eu estava rezando, por que eu tinha e tenho fé?
      Vc sabe o que eu pedi a Deus, e como pedi? Não né?
      Não tenho que pedir perdão a Deus. Eu e Ele nos entendemos muito bem.

    • Armando

      Tem uma citação lá em cima, mas também não precisa ser terrorista islâmico, né? De que adianta a palavra se não pode empregá-la em sua vida? Religião serve para o bem, não para gerar picuinha.

      Voltando ao assunto, ainda bem que não caiu. Arrume as contas, contrate direito, que o clube será abençoado. Bem que podia ter vencido, mas bola pra frente, pensar num futuro melhor.

      • Verdade, Armando.
        Já deu um jeitinho nas contas, né? Agora é hora de montar um time, que dispute títulos.
        Também preferiria que tivéssemos ganhado, mas a prioridade era continuar na série A. E deu tudo certo.

  • O Palmeiras escapou, e como a “vagabond press” não pode tripudiá-lo por ter caído, ela arranja outras armas… o rebaixamento moral.

    O engraçado, e que deve ser observado, é que no passado, bambis e gambás, MUITO AJUDADOS PELAS ARBITRAGENS, acabaram pertinho, pertinho da zona de rebaixamento (4 pontos, se não estou enganada). Bambis, por acaso, passaram o campeonato inteiro com um pé lá e outro cá, e só saíram da zona, depois que o presidente da CBF fez uma visitinha ao CT purpurina… e não teve jornaleiro nenhum falando em rebaixamento moral!
    Então, agora, esses “jornaleiros” que vão caçar o que fazer, né?? Rebaixado moral é a “ponte que partiu”!!

  • Marco

    Quem há muito tempo é rebaixado moral é o jornalismo esportivo.
    Fizeram de tudo nesta última semana para atacar o Palmeiras e criar dificuldades e como o objetivo não foi alcançado, apelam de forma suja.
    Entretanto, é bom lembrar que só há espaço para o jornalismo imoral porque temos muitos “palmeirenses” que dão motivos, que adoram comprar crises.
    O momento agora é de mudar tudo no clube, principalmente a mentalidade de dirigentes e de parte da torcida, pois ai os pilantras de plantão perderão seu espaço.

    Por falar em rebaixamento moral, temos alguma novidade no caso LUSA?

  • FERNANDO S.J.RIO PRETO

    Foi demasiadamente sofrível em todos aspectos o jogo de óntem, realmente dava para se ver na face de cada palmeirense presente no campo o nervosismo e apreensão, em campo o desespero dos jogadores e a tentativa em se superar, aos novatos tiro o chapéu, aos experientes com exceção ao Mago e Prass não mostraram ser capazes em vestir a camisa do clube, hora de reformular e pensar em conquistas, formar elenco qualificado e aproveitar tão somente aqueles que fizeram e fazem por merecer, as perébas todos sabem, tem que serem dispensados, técnico ídem. Hoje é dia excelente para recomeço, com novo técnico e que paulista sirva para este fim, queremos time com qualidade e que nos façam esquecer este ano, o mais sofrível de todos meus anos palmeirenses. Sr. Paulo Nobre, vc ganhou outra oportunidade no comando, por gentileza…faça o que deva ser feito…pense tão somente no maior patrimônio do clube: “Verdadeiro torcedor palmeirense”.

    • Tem razão, Fernando, alguns jogadores não mostraram ser capazes nem de lutar, ainda que lhes faltasse competência e talento, como foi o caso do Wesley,por exemplo. Que apatia!! Valdivia, mancando, correu mais do que ele.
      E não podemos esperar e querer outra coisa pra 2015, que não seja um time capaz de brigar por títulos.

  • Boa tarde Tania, nunca comentei aqui antes, mas volta e meia leio seu blog, gostaria de pedir sua licença pra postar um link aqui pois é uma Alegria que gostaria de dividir com TODOS os Palestrinos de Verdade:

    http://www.armadapalestrina.com.br/2014/12/minha-homenagem-ao-centenario-palestrino.html

  • Renato Rocha-DF

    Boa Tarde Tânia:
    Como democratas que somos, permita-me argumentar: Nobre ajeitou as contas?
    Vamos aos fatos reais: quanto perdemos na venda do Barcos? Era em troca de 5 do Grêmio. Vieram 4, sobrou 1, Leandro, que pagamos 4 milhões de euros, para ele não correr em campos.
    Quanto deixamos de ganhar quando não mantivemos o Kardec? Dava mais ou menos o que ele queria, não pulava o muro, e não tínhamos que aturar o ataque da Lusa que hoje esta na 3m divisão: Diogo e Henrique.
    Contratou mais 37 jogadores, todos meia boca, nos dando um prejuízo de uma folha inflacionada, que não rendeu nada. Por 1/4 da nossa folha o Sport nunca beirou o rebaixamento. Só um exemplo, temos vários outros clubes na situação do Sport.
    Não conseguiu um patrocínio máster na camisa, em 2 anos.
    E o pior, avalisou, ou botou 150 milhas no cofre. Quer dizer, tapou a cabeça e descobriu os pés. Pagou aos bancos e ficou devendo pra ele.
    Não sou economista, mas queria entender esse saneamento financeiro.
    E quase conseguiu sua maior proeza: receber menos em 2015 indo pra segundona.
    Sem time não vai. Sem um manager de futebol, e não um cara que nunca esteve no ramo, o Sr. Nobre, não vai.
    Na real, este Sr. nos deu um baita prejuízo físico, material, além de acabar com a saúde, nervos e cabeça de milhões de loucos esverdeados.
    Foi reeleito e sabe Deus o que nos espera
    Eu não espero nada. Lutaremos em 2015 para não cair again, perderemos nossas promessas da base e pior, ele tem mais um ano: onde estaremos em 2016?
    Não votaria no Pescarmona, também. Mas enquanto essa italianada carcamana, mandar no Verdão, estamos caminhando, passo a passo para sermos a nova Lusa. Fora conselho vitalício. Fora conselho deliberativo.
    Presidencialismo já, com votos dos sócios torcedores. Separação do clube social do GRANDE CLUBE DE FUTEBOL. Este existe graças aos títulos que ganhou, arrebatando 18 milhões de apaixonados.
    Este é o verdadeiro Palmeiras
    Aquele é o do Sr. Nobre, idealizado pelos mustafas e genaros da vida.
    Um desabafo, de quem esta longe de SP, e vê a cada dia sua maior alegria, sua razão de viver, depois da família, ser dizimada, trucidada.

    • Renato, Paulo Nobre ajeitou as contas sim. Pegou um Palmeiras falido, o que não foi “mérito” apenas de Tirone, e sim das gestões anteriores, e acertou as coisas da maneira que foi possível. Emprestou dinheiro ao Palmeiras – e graças a Deus que tínhamos alguém que poderia fazê-lo – e vai receber durante 10 anos, com juros de 1% ao mês. Qual o banco que faria isso? Nenhum! E teríamos que recorrer aos bancos. Foi muito melhor não termos feito isso.
      Barcos cansou de dizer que não ficaria no clube para disputar a segundona, publiquei aqui já várias matérias da época, que todo mundo faz que esqueceu. Ele sairia de uma maneira ou de outra, porque visava a seleção e o técnico havia dito pra ele que jogar a série A poderia atrapalhar. Como o Palmeiras devia pra ele – o aumento que Tirone deu em Outubro e nunca pagou -, devia para a LDU, e como não tinha atletas suficientes no elenco nem para um coletivo – Tirone havia dispensado mais de 20 jogadores – a negociação foi feita.
      Quando o Palmeiras pagou para ficar com Leandro, ele estava em boa fase, e era consenso geral que ele deveria ser contratado. Todo mundo queria a sua contratação. Agora, todo mundo diz que não queria… Não sei ao certo, mas, segundo li, o Palmeiras pagou por 50% dos direitos do atleta, e ficou de posse de 64%. Talvez essa diferença fosse parte do que o Grêmio ainda devia ao Palmeiras. Mas não sei se era mesmo.
      Fala-se tanto dos 37 jogadores – Belluzzo contratou muitos mais em sua gestão – mas um time foi montado para sairmos da segundona. Gostemos ou não das contratações de 2013, elas deram conta do recado e o objetivo foi cumprido. Um time foi montado para o Paulista, e o Palmeiras até que se saiu bem e por pouco não foi à final. Para o Brasileirão é que a coisa ficou feia e o time acabou sendo o mais fraco dos três.
      A negociação com Kardec foi um grande erro. Não sei se o presidente não deu autonomia para o Brunoro; se deu, não sei se os dois comeram bola, o fato é que faltou visão, faltou malícia para conduzir a negociação… Mas o dirigente são-paulino já confirmou que o jogador se ofereceu ao clube para a pulada de muro. Não era o santo que pensávamos que fosse. E, num time melhor montado, com Kaká, Ganso, Pato e Cia o moço fez 9 gols. Henrique, que não é craque, num time cheio de problemas, conseguiu fazer quase o dobro. Se o Kardec tivesse arrebentado a boca do balão nas vizinhas, eu até estaria saudosa, mas não estou, e isso não quer dizer que esteja contente com Henrique. Acho que ele pode fazer parte do elenco, mas precisamos de um bom atacante.
      Quanto ao patrocínio, esse problema não é exclusividade do Palmeiras. 9 times possuem patrocínio Máster (7 da Caixa e dois do Banrisul) e o Santos fechou um contrato agora, se não estou enganada. As empresas não andam muito entusiasmadas para investir no futebol e ainda teve a Copa do Mundo que centralizou os investimentos das empresas.
      Só a título de curiosidade, falamos muito da italianada, mas Paulo Nobre não é de família italiana.
      Renato, também não gostei nem um pouco de ver o Palmeiras brigar para não cair, sofri muito esse tempo todo, sofri demais nessa semana, quase tive um treco ontem, e também espero que isso nunca mais aconteça. Não podemos esperar nada diferente agora, do que um time para brigar por títulos, do jeito que o Palmeiras e a sua torcida merecem. Somos loucos pelo Palmeiras e não aguentamos mais isso. O tempo para dar um jeito nas finanças já foi, agora TEM/PRECISA/DEVE ser o tempo de se cuidar do futebol, de fazê-lo grande novamente. E temos que cobrar a diretoria.
      Concordo que o sócio-torcedor tem que ter direito a voto, e só por isso, em minha opinião, PN já ganharia do seu adversário, que deixou claro para quem o quisesse ouvir/ler que o “sócio-torcedor” era um “desastre”.

      Entendo o seu desabafo, o torcedor palmeirense tem sido colocado à prova demais, tem sido machucado demais, e não merece isso. Falo sem medo de errar, que essa torcida é a mais apaixonada do mundo, e tá na hora de alguém faz~e-la sorrir, de verdade.

      Mas, a eleição já passou, um candidato já ganhou e o outro já perdeu. Agora é hora de todos, juntos, remarmos para o mesmo lado, imbuídos dos mesmos objetivos, senão esse barco não sai do lugar.

      Que Deus nos ajude e ilumine os que vão conduzir o Verdão.

      Um abraço.

      • Renato Rocha-DF

        Tânia:
        Não quero polemizar, ou seja extremismo. Mas no mundo do futebol, malícia, enganação, é tudo.
        Barcos não queria jogar a segundoma? Vende, mas não perdendo dinheiro.
        Pode ver minhas postagens no blog, sempre achei o Leandro uma enganação. Ele é daqui do DF;
        Kardec queria sair? Tô contigo, não choro por ele, só mostrei que foi mais uma perda de grana, péssimo negócio.
        E assim foram todas as outras contratações. O que esperar de Bernardo, reserva do Vasco da 2ª? Devem ser uns 50 paus mensais. O que esperar de um aposentado Bruno César? Deve custar uns 100 paus. E o asilado Lúcio? Deve sair por uns 150 paus por mês. E o reserva do Sport, na época na 2ª, Sleep Menezes? Porque contratá-lo? Outros 50 paus. Somados deram 350 mesais. Será que o C.Xavier não voltaria por essa grana? Ou outro brasuca ucraniano ou russo?
        This is the point Tânia. Que o presidente é palmeirense, bem intencionado, pegou o clube devendo, bla´, blá, bla´.
        Quanto vale estar na Libertadores? Quanto vale estádios lotados?
        Para não dizer que só falo mal, o crescimento do Avanti é uma ação digna de aplausos.
        Só espero, que com a grana do estádio, o Avanti, receitas de patrocínios pontuais (porque não fez isso em 2013/2104), ela pegue o dinheiro e use no futebol. Contratando craques, juntando ao “mejor” futebolista em Brasil, o Mago, juntando a nossa base e forme um time, capaz de pelo menos, ganhar um clássico.
        Abraços.

        • Renato, espero o mesmo que você.
          Agora, vai ter dinheiro; agora, tem que “cavar” um patrocinador; agora, tem que investir, mesmo, no futebol, pra ter time competitivo, pra brigar por títulos. Temos um craque maravilhoso no time, temos uma garotada boa de bola. Não pode ser tão difícil assim, né? O Palmeiras merece voltar ao seu lugar de vencedor. E nós também.

          E vamos cobrar a diretoria!!

          Abraço.

  • Marco

    A partir e agora o Palmeiras precisa discutir conceitos e não só individualidades.

    Não existe jogador inegociável no elenco do Palmeiras. Frase que nunca mais deve ser dita, apesar de verdadeira em todos os times. Até Messi e Cristiano Ronaldo são negociáveis, caso chegue alguém com uma fortuna considerável para o valor dos dois. Entretanto, um presidente de clube não pode ficar colocando seu elenco à venda em todas as declarações.
    Em primeiro lugar deve estar sempre a necessidade de um time forte, pois um time forte trará muito mais receitas do que a venda de jogadores pela primeira oferta.

    A venda fracassada do Valdívia salvou o Palmeiras e esse é o fato marcante do ano do centenário. Uma lição de economia e de futebol para o presidente do clube. Caso Valdívia tivesse sido vendido, hoje o Palmeiras estaria rebaixado. Qual seria o valor do prejuízo? O dinheiro que seria recebido pelo Valdívia compensaria esse prejuízo? Esse é o fato principal para ser explorado junto ao Presidente do Palmeiras. Essa é a lição que ele obrigatoriamente tem que aprender.

    Porém, nesse episódio Valdívia existe a desonestidade de muita gente que critica o presidente. Muitos dos críticos torciam, queriam e faziam campanha pela venda do Valdívia e depois de maneira hipócrita usaram a venda fracassada para afirmar que a salvação do time na competição se deu pela permanência do jogador, pois a negociação não deu certo. Parte da torcida foi massa de manobra e jogou contra, querendo que o Palmeiras “se livrasse” do jogador.
    Onde estão os idiotas que ficavam o dia todo na internet enchendo blogs, fóruns e chats falando do salário do jogador? Onde está o pessoal que se incomodava tanto com o valor pago ao jogador? Fizeram a conta do prejuízo que seria um queda para a série B?

    A Venda do Henrique e a perda do Kardec por amadorismo ensinaram que no futebol é preciso ter sangue frio, não se deixar levar por capricho pessoal e pensar nas consequências para o time. O Palmeiras desmontou a base de sua equipe durante a competição sem ter a reposição necessária. Esse é outro conceito que precisa ser cobrado dos novos gerentes de futebol e do Presidente.
    Mesmo que tivesse a reposição, o ajuste da equipe teria que começar de novo.

    Por fim, mais um conceito que precisa ser revisto no Palmeiras é o do silêncio, da omissão de direção, comissão técnica e jogadores na defesa dos interesses do clube. O Palmeiras como um todo não sabe se comunicar, não sabe se defender perante a suja imprensa e não faz isso porque não há uma Assessoria ou mesmo pessoas atualizadas e com malícia para o futebol para falar pelo clube ou para orientar seus representantes. Essa omissão generalizada é que permite a constante desmoralização da instituição e o ataque a sua imagem que tanto combatemos aqui neste blog.
    O presidente deve se lembrar de que esconder o clube da TV aberta, denegrir diariamente a instituição, ter sempre noticiário só negativo, criar polêmica em cima de polêmica afeta a obtenção de patrocínios e prejudica a imagem da instituição, sem contar os prejuízos técnicos em campo.

    Esperamos que a nova chance dada ao Presidente reeleito seja muito bem aproveitada para o sucesso de todos nós. As lições deste ano foram mais do que suficientes!

  • Renaro Rocha-DF

    Concordo plenamente com o Marco. Mudança de conceitos. Mais firmeza, mais audácia e malícia, bonzinhos e santos, no mundo do futebol, vão para o inferno.
    Dormi mais leve sabendo que o trio de ouro tinha sido mandado embora.
    Agora só falta mandarem uns 25 pseudo jogadores embora.
    Não precisamos de dar nomes, todos já sabem quem são.
    Quanto ao técnico, vai ser uma aposta, pois o Sr. presidente, não quer gastar dinheiro.
    Assim como entendo que ele não fez nenhuma faxina financeira, pois continuamos devendo muito, não importa a quem, negócios de jogadores em que perdemos muita grana, sem patrocínio na camisa, sem libertadores, sem nada.
    Ele continua arrogante, se acha dono da verdade, e diz que não vai sair por aí gastando dinheiro.
    Como ele quer títulos?
    Quanta incoerência, quanta falsidade.
    Feliz natal a todos, próspero e alegre 2015 junto a família, pois no futebol, serão tristezas, mais uma vez.

    PS: Espero estar errado, pois aos 64 não aguento mais sofrer com o Verdão.

  • FERNANDO S.J.RIO PRETO

    Sr. Paulo Nobre, já começou pelo visto reformulação no elenco, eu como torcedor palmeirense, acredito sim em atitudes que virão a colocar o verdão em seu verdadeiro lugar, basta o presidente ter pessoas capazes em seus devidos lugares, que o elenco seje formado de profissionais com identidade ao clube, não precisamos de craques e sim verdadeiros profissionais que honrem a camisa que vestem, exemplo o cruzeiro, basta ter um técnico de pulso e autoridade, o restante é o tempo que se encarrega, o paulistão servirá como preparação para nossa arrancada e acredito mais do que nunca em nosso sucesso, este novo ano será o início para nosso sucesso. Se não fizesse a dispensa do atual treinador a renovação não seria feita, sem este tudo tem que dar certo.

  • Jessé

    A melhor atitude que o Paulo Nobre teve durante esses quase dois anos de gestão foi a demissão conjunta de Brunoro, Omar e Dorival.

    Brunoro demonstrou que é incompetente quando não tem um auxílio de uma grande empresa como a Parmalat para montar grandes elencos. A contratação de Weldinho com um contrato de 5 anos deveria até ser investigada por uma sindicância de tão esquisita que foi, isso sem falar na famigerada doação de Barcos para o Grêmio, que era treinado pelo seu amigo Luxemburgo.

    Omar Feitosa demonstrou-se incapaz de administrar os conflitos existentes entre os jogadores argentinos e a Turma do Pagode, encabeçada por Wesley e Leandro. Parecia até uma mera figura decorativa no Palmeiras, já que nunca ninguém viu os frutos do seu trabalho.

    Dorival Júnior até que começou bem o seu trabalho no Palmeiras, porém a sua birra com os argentinos e a sua estranha insistência em escalar jogadores como Wesley, Diogo, Felipe Menezes e Juninho só prejudicaram o time e quase levou o clube de volta para a segunda divisão. Também foi incapaz de resolver os conflitos existentes entre os jogadores e foi extremamente incompetente em não dar um padrão tático para a equipe. O único aspecto positivo do seu trabalho foi ter dado oportunidade para alguns bons valores surgidos das categorias de base, como o João Pedro, Nathan e o Gabriel Dias, ao contrário de Felipão e Gilson Kleina, que boicotaram os jogadores da base palmeirense.

    Espero que Paulo Nobre tenha aprendido alguma coisa nesses dois anos e que consiga reverter esse clima de pessimismo existente no Palmeiras atualmente.