VAMOS À LUTA, VERDÃO! A PRÓXIMA BATALHA VEM AÍ!

Depois da bela partida diante do Vitória (acabei nem falando dela aqui), do futebol bonito, dos belos gols, do jogo sem sustos, sem atropelos, sem gol tomado,  sem “fio desencapado”, com passe “de costas”… depois de uma noite de alegria, estávamos todos confiantes para a partida seguinte diante do Figueirense.

Mas, abriram a Caixa de Pandora e todos os “monstros” escaparam…

Dorival mandou a campo Deola, João Pedro, Gabriel Dias, Nathan, Victor Luis, Renato, Marcelo Oliveira, Diogo, Valdivia, Cristaldo e Henrique.  Henrique, seria o centroavante isolado à frente, para ser municiado por Diogo, Valdivia e Cristaldo, armados no meio de campo; o já conhecido 4-2-3-1. Na zaga, talento e vontade da garotada, mas também muita inexperiência. Com 21 anos e 20 partidas no profissional, Victor Luis era o atleta mais experiente da defesa do Palmeiras.

Chovia bastante…

O “serviço de primeira” lá do SporTV, ao mostrar a escalação do Palmeiras, usou a foto de Everaldo(FIG) como se ele fosse Cristaldo. Olha o nível…

Cristaldo-by-SporTV

No primeiro minuto de jogo, Valdivia levou uma cotovelada e o árbitro nada marcou. Na TV, mesmo vendo o replay com a cotovelada dada com vontade, Milton Leite diria:“até sobrou um braço na cara dele, mas aparentemente o jogador não teve a intenção”. Dobrou bem o braço e meteu o cotovelo… e foi sem intenção? Se fosse o contrário, teria intenção, mereceria expulsão, né Milton “só podia ser gambá” Leite?

Valdivia-leva-cotovelada1

Dois minutinhos depois, Henrique tocou lindamente para Diogo arriscar da entrada da área, mas o goleiro mandou pra escanteio.  Um início de jogo muito auspicioso para nós…

Valdivia era caçado em campo – até os 20 minutos aproximadamente, sofreria três faltas duras (fora as outras, menos desleais),  uma delas, a cotovelada do primeiro minuto, e nenhum adversário levaria sequer amarelo. Os idiotizados narrador e comentaristas da transmissão achavam tudo normal e “segue o jogo”.

O jogo era de muitas faltas (o Palmeiras apanhava muito mais do que batia), o gramado pesado… e, por isso mesmo, os erros de passe apareciam e a criação das jogadas ficava comprometida.

Mas o Palmeiras ia pra frente, tentando buscar o gol. As melhores jogadas de ataque saíam dos pés do Mago, Cristaldo e Diogo, sempre buscando Henrique, o “1” do 4-2-3-1 de Dorival Júnior. Lá atrás, quando o Figueirense aparecia, encontrava uma defesa segura. Nathan jogava certinho, com confiança…

Falta em Cristaldo, falta em Henrique… e nada do juiz marcar… Valdivia sofreu uma falta desleal, na cara do juiz, mas sabe quem levou amarelo? Marcelo Oliveira, que, na sequência, parou o jogador do Figueirense com falta. A cartão para o catarinense, o juiz, que deu vantagem para o Palmeiras no lance, preferiu deixar no bolso (mas não teve como “esquecer” de amarelar Paulo Roberto, no minuto seguinte, por uma falta dura em Victor Luís). O Figueirense fazia muitas faltas.

E haja saco para aguentar as piadinhas dos “humoristas” da transmissão, e a sua ignorância futebolística – não é porque o juiz deu vantagem, que ele tem que deixar de dar cartão para quem faz uma falta dura, né seus manés? E pensar que a gente tem que pagar para poder assistir ao SporTV…

Valdivia cobrou falta e mandou a bola na área, a zaga tirou e a sobra ficou com Cristaldo, ele cruzou, o zagueiro furou, e Henrique chutou pro gol, mas o chute foi fraco, e ficou fácil a defesa do goleiro. Com a bola molhada podia até ter dado certo…

O Figueirense fez uma tentativa, Nathan estava esperto e tirou a bola da nossa área. Verdão foi pro ataque, Valdivia deu um belo passe pra Cristaldo (eles começam a se entrosar), mas ele chutou na rede pelo lado de fora… Furada de Thiago Heleno, João Pedro pega a sobra e toca pro Mago, ele tenta surpreender o goleiro com chute colocado, mas a bola sai à direita… Valdivia lança Henrique, que vai até a linha de fundo, tenta bater pra trás, mas é interceptado… O Palmeiras, marcando bem e se insinuando no jogo… mas precisava achar o “último atalho”…

E não é que o Cris achou? Diogo fez uma ótima jogada pela esquerda, cruzou pra trás procurando Henrique, que deixou a bola passar para Cristaldo; CR9 girou e chutou forte, bonito, e ela foi morrer no canto direito do goleiro. CRISTALDO, SEU LINDOOO!

O Palmeiras, que cadenciava mais o jogo depois do gol, tentou engatar mais uns ataques, mas sem muito perigo. E antes que o juiz apitasse o final do primeiro tempo, Renato, dando lugar a Bruninho, saiu lesionado e chorando… e nós, tão felizes estávamos, tão desavisados, nem percebemos que abriam a caixa dos nossos pesadelos…

Nos primeiros minutos da segunda etapa, depois de tentativa de Henrique, Bruninho tentou de longe, mas a bola foi pra fora… no minuto seguinte, em contra-ataque do Verdão, Valdivia dá um passe lindo pra Cristaldo, colocando-o na cara do gol, mas o Cris chutou em cima do goleiro…

O Palmeiras ia pra cima, trocando passes Diogo lançou Cristaldo, que tocou para Marcelo Oliveira, que chegava pelo meio; mas  a defesa do Figueirense afastou…

Mesmo tendo errado muito mais passes, o Palmeiras tinha finalizado mais e tinha desarmado muito mais também (28 x 7), o que explicava a sua superioridade em campo,  mas o Figueirense, a pedido de Argel, jogava mais adiantado.

No campo pesado, alguns jogadores do Palmeiras pareciam extenuados – Diogo era um deles -, e Dorival demorou a se dar conta disso. Os atacantes, improvisados como meias, já não conseguiam render muito. Dorival demorava pra substituir… os “monstros” saíam da caixa…

Aos 22′, troca de passes entre Valdivia, Cristaldo, Marcelo Oliveira, e a bola voltou para Valdivia, de frente para o goleiro. Ele tentou abrir para Henrique que entrava pela direita, mas o zagueiro ficou com a bola, matando a nossa oportunidade.  A gente quase gritando gol… putz… não pode!!!

Não se pode perder uma chance de gol, de jeito nenhum! Valdivia deveria ter tentado fazer o gol (se ia fazer eram outros quinhentos). Viu a brecha tem que bater, não podemos desperdiçar nada, ainda mais nessa situação. A opção foi um erro, mas não foi um crime. Não dá para culpar Valdivia, com exclusividade, pelo resultado final (outros gols foram perdidos por outros jogadores na mesma partida, outros erros foram cometidos). Tem vários culpados nessa história. Valdivia é um deles, sim, não é o único. Tentou enganar o goleiro, o goleiro não entrou na dele, saiu bem, fechando em cima dele, e então escolheu passar para Henrique.

Mago-chute1

Essa jogada é típica do Mago e a aconhecemos muito bem. Vimos ele fazer o mesmo em tantas outras oportunidades – na Copa do Brasil 2012, por exemplo, com o gol escancarado à sua frente, deu de bandeja para Luan marcar… e, na ocasião, todo mundo o elogiou pela jogada e pelo altruísmo. Talvez o altruísmo desse domingo pudesse esperar outra hora, outro jogo, outro campeonato. Eu também preferiria que ele tivesse tentado marcar, mesmo porque o considero mais competente pra isso. No entanto, se Henrique tivesse acompanhado a jogada, como fez o zagueiro adversário, poderia ter feito o gol, e sem goleiro, e nenhum de nós estaria reclamando agora, pelo contrário.

Nossas chances de vitória poderiam ser maiores, caso tivéssemos feito esse gol? SIM! Mas o grande erro do Mago, não justificaria todos os outros que veríamos mais à frente… Não é porque ele perdeu um gol praticamente feito que nossa zaga e goleiro poderiam entregar três.

O jogo seguiu…

Valdivia sofreu falta dura, que ele mesmo cobrou com perigo, fazendo o goleiro colocar pra escanteio. Dois minutos depois, Valdivia recebeu na esquerda e tocou atrás para Nathan, ele limpou a jogada, mas o chute saiu fraco, pra fácil defesa do goleiro catarinense. Argel ia trocando os atacantes.

As coisas pareciam sob controle… E nós nem sonhávamos com o que viria… os “monstros” se libertariam todos então…

Aos 31′, o Figueirense foi pro ataque, a bola foi cruzada na área, o atacante subiu sozinho (a zaga não saiu do chão) e cabeceou lá da marca de pênalti, Deola ficou só olhando a bola entrar no gol, nem pulou na tentativa de defender.  Achei que ele poderia ter evitado o gol.

Figueirense-gol

Os fios desencapados, que tanto temos visto entrar em curto a cada vez que tomamos um gol, se encostaram uns nos outros… Dorival sacou Cristaldo e colocou Allione.

Um minuto depois, ainda tentávamos entender o que tinha acontecido para tomarmos aquele gol besta, quando mais uma bola foi levantada na nossa área, e mais um gol do adversário aconteceu. Victor Luís levou uma senhora bola nas costas, e o atacante saiu na cara do Deola, sozinho (!?!?) sem marcação alguma… Deus do céu!

Cleiton-pede-bola

Três minutos depois, em mais uma cochilada monstra da nossa defesa, e do nosso goleiro, que foi muito mal no lance (11 gols tomados, é isso mesmo, Deola?), tomávamos o terceiro gol. Três palmeirenses na área, mais o goleiro, e um adversário, sozinho, fez a festa…

Figueirense-gol3

Tomamos 3 gols em 4 minutos… como pode uma coisa dessa? (os levianos e tendenciosos espantalhos da transmissão quase morriam de felicidade)

Se já estava péssimo… o juiz ajudou a ficar pior… aos 38′, Henrique sofreu pênalti de Thiago Heleno, mas o árbitro marcou fora da área – em cima linha é dentro, juizão.

Figueirense-pênalti

Já no finalzinho, o sinal claro que o emocional do time está em frangalhos (imagina o nosso?), Nathan seria expulso por pisar no adversário.

E o juiz decretou o fim do jogo, o fim do sossego que teríamos por alguns dias, o fim do nosso final de semana…

Os “monstros”, fora da caixa, tripudiavam das nossas esperanças… e um frio danado se apoderava da gente…

Duro de entender, duro de engolir, duro de aceitar (cadê os planos B.C,D… X,Y,Z, diretoria? Que centenário, hein?)

Mas não temos escolha, é lutar ou lutar. É ficar com o Palmeiras, ou abandoná-lo.

E EU ESCOLHO VOCÊ, PALMEIRAS!

E vamos à luta! A próxima batalha vem aí!

  • Marco

    Não conheço pessoalmente o jogador Valdivia, não sei da convivência diária desse jogador junto ao elenco do Palmeiras. Portanto, não tenho condição de julgá-lo como pessoa e considero que a grande maioria de quem o julga também não tem. Não tenho procuração para defendê-lo, porém sendo ele atleta do Palmeiras observo o que acontece no meio esportivo em relação a esse jogador e, pelos fatos públicos, emito opinião.

    Valdivia, sendo jogador da S.E.Palmeiras, qualquer prejuízo causado por ele ou contra ele é prejuízo para o time que defende e pelo qual torcemos. Nessa condição de jogador da S.E.Palmeiras ele deve ser visto. Desta mesma forma, qualquer benefício que ele proporcione é benefício para o time. Constantemente, observamos pelos blogs e mesmo pela imprensa pessoas questionando o seu caráter, como se analisassem, como se comentassem sobre um simples lance de jogo. Falam do caráter do jogador sem a menor prudência ou preocupação.

    Quando leio ou ouço esse tipo de comentário, que considero leviano, pela falta de base ou pela edição de fatos, procuro analisar os motivos e os antecedentes de quem os faz. Classifico como edição dos fatos, pois em quase todas as situações é fácil observar que a realidade é moldada para que a conclusão seja a condenação do jogador.

    A primeira condição para entendermos essa situação é saber que em termos técnicos o jogador Valdivia é acima da média, e no atual momento do futebol brasileiro é muito acima da média. Nossa história como clube registra que jogador acima da média não pode defender o Palmeiras, pois é massacrado e perseguido por uma imprensa tendenciosa e parcial sempre a serviço de rivais. Só esta condição já deveria ser suficiente para prestarmos mais atenção em relação à imagem imposta sobre esse atleta. Valdivia não é o primeiro e nem será o último jogador do clube “demonizado” pela imprensa e perseguido pela parte “inteligente” da torcida, no seu pleno papel de massa de manobra. Quem vier depois dele e se tornar diferencial será em pouco tempo escolhido para alvo.

    Outro ponto fundamental a ser visto é o atual momento do time, disputando a parte inferior da tabela. Valdivia representa uma esperança técnica de reação. O ressurgimento do Palmeiras no campeonato atrapalharia os interesses eleitorais de pessoas no clube, seria isso? Uma queda para a série B poderia servir muito bem para interesses do processo eleitoral? Nessa condição, valeria o questionamento sim sobre caráter, mas não do jogador.

    Deixando esses aspectos subjetivos de lado e nos prendendo às questões técnicas, podemos aproveitar as informações que este blog nos proporciona há muito tempo.

    Após o jogo de Florianópolis notamos desde a transmissão do jogo, depois pela imprensa e pela “Mídia Palestrina” um processo de linchamento público do jogador pela perda de um lance, um gol que mudaria o resultado, como se este fosse o único lance decisivo da partida. Novamente imprensa e parte da “torcida”, alguns, propositadamente, ignoraram as situações que prejudicaram o TIME do Palmeiras. Observo que também foram ignoradas as participações positivas que esse jogador teve na partida e outros atletas não concretizaram em gols. Isso é um exemplo do que classifico como edição de opinião. Seria apenas por incompetência ou por má fé?

    Valdivia apanhou o tempo todo, levou cotovelada, mas como sempre ninguém foi punido. Quando isso ocorre sabemos que imagens não são requisitadas e os “jornalistas” que cobrem as partidas dão risada ou ignoram. Porém, em seguida, como aconteceu neste jogo com o Figueirense, se mostram atentos a qualquer episódio que possa ser utilizado para jogar a torcida do time contra o jogador, classificando-o como irresponsável, displicente e personagem central na derrota. Aqui pode existir outra situação para se duvidar do caráter das pessoas, como aconteceu neste último Paulistão quando esse jogador do Palmeiras levou soco no rosto, foi quebrado pelos jogadores do Bragantino, teve seu tornozelo estourado, ficando de fora do jogo contra o Ituano e ainda foi chamado de chinelinho por desfalcar a equipe em partida decisiva.

    A lista é longa de casos semelhantes onde o comportamento foi dúbio, incluindo até estratégia de time adversário revelada pela imprensa para tirá-lo de campo como ocorreu em 2007 e ignorada por todos.

    O objetivo principal deste comentário não é defender um jogador da S.E.Palmeiras, mas de apontar as contradições de quem considera o atleta como alguém de caráter dúbio.

    Repito, não tenho a menor condição para fazer qualquer julgamento sobre a pessoa do jogador, não tenho convivência com ele, não o conheço pessoalmente, mas tenho total condição de avaliar os fatos públicos e a manipulação deles, atendendo a interesses pessoais ou ao ódio irracional (desculpem o pleonasmo) de quem pensa muito pequeno e ainda se julga coerente.
    ====================
    Obs: Para que a limitação de algumas pessoas, de maneira oportunista não desvie o foco para questões internas do clube, informo que não tenho convivência com as pessoas que administram o clube hoje, não tenho direito ao voto para as eleições no Palmeiras. Sou apenas torcedor palmeirense preocupado com o destino do meu time, alvo constante de disputas mesquinhas.

    • Marco,

      Eu conheço o Mago e tive/tenho algum contato com ele. Te garanto, falam muitas bobagens a respeito dele.

      Quando Belluzzo o contratou (as pessoas esquecem que foi Belluzzo – contra a vontade de Cipullo – e não Paulo Nobre quem o trouxe) nada havia de errado com ele, a não ser que vinha contundido da Copa do Mundo. Bastou a gestão Belluzzo se aproximar do final, e uma pessoa da chapa candidata da oposição, que queria de todo jeito se desfazer dos jogadores mais caros, começou a soltar informações sobre Valdivia. Com a ajuda de umas mocinhas descabeçadas, felizes/deslumbradas (compradas) com números de celular de dirigente, e com a ajuda de alguns “militantes”, as tais informações chegaram ao Twitter, ao FB. E como tem muita gente que não pensa por conta própria na nossa torcida, muita coisa passou a ser “verdade”. Tal qual a história do Elias e do Maicon… muita gente jura que é verdade, e muita gente jura que é mentira.

      Qualquer pessoa que vai num treino do Palmeiras vê o quanto os jogadores gostam dele. Felipão falava bem dele, Kleina fazia o mesmo, Gareca idem, Dorival também… se ele fosse “atleta”, com as aspas que algumas pessoas lhe colocam, não seria querido e respeitado pelos companheiros de elenco, não seria querido e respeitado por São Marcos, um grande amigo pessoal do Mago. Não seria aplaudido por 3/4 do estádio. Sim, se vc dividir o estádio em 4 partes, verá que menos de 1/4 do público não o aplaude. E que esse menos de 1/4 é vaiado pelos outros 3/4 a cada vez que insulta o jogador.

      O fato é que Valdivia é o nosso mais talentoso jogador, o melhor meia em atividade no futebol brasileiro. E isso é inquestionável, gostem dele ou não. O Palmeiras precisa de qualidade em campo, precisa do futebol do Mago pra se safar da situação em que se encontra. Sem ele, nosso time fica sofrível. E é muito estranho que torcedores, ainda que não gostem dele, coloquem o “não gostar do jogador” acima das necessidades atuais do time, esquecendo que o Palmeiras não tem nenhum outro jogador que atue com a qualidade de Valdivia, que crie, e arme o jogo como ele faz.

      E aí, caímos naquela situação… essas pessoas, ou são da parte “inteligente” da torcida, a que deixa que os gambás e bambis da imprensinha pensem por elas, ou são os politiqueiros de plantão que manipulam fatos e notícias à sua conveniência…

  • Fernando

    Tânia, excelente colocação da pessoa do Sr.Marco, concordo plenamente com tudo o que descreve, como ele sou tão somente torcedor de nosso verdão, desejo o melhor para nosso time, não aceito as críticas infundadas da mídia em relação ao Mago, nosso time com ele jogando é outro, aquela história de custo X benefício dá para questionarmos tantos outros atletas, exemplo mais recente Fabiano dos bambis, que comentários nós ouvimos? Infelizmente não temos outras emissoras que possamos ouvir e ver comentários imparciais do jogo, sempre tendenciosos neste último foi mais uma vez exemplo. Valdívia é craque e todos sabem disto, faz a diferença quer queiram ou não. Sou mais verdão com o Mago jogando e seus companheiros de profissão também o dizem, só a nossa mídia não o vê assim. Deola não é jogador para o verdão, gostaria que Dorival voltasse com Fábio no gol, pelo menos ele tenta defender qualquer bola que vá na direção do gol, Deola…pede para sair ou inventa contusão.. caia fora de fininho!!!

    • Fernando,

      A boa notícia é que o Prass treinou normalmente ontem. Claro que deve levar mais uns dias ainda, mas a volta dele ao gol está se aproximando. Até chorei de alegria quando soube que ele treinou normalmente. Tomara que ele não sinta dor alguma.
      E o Palmeiras talvez consiga efeito suspensivo para o Mago. Tô rezando.

      E eu também prefiro o Fábio ao Deola.

  • sergio marangão

    Tânia até o título da sua matéria,ta igual o hino da lusa —-vamos á luta ó campeão—————O time e elenco é horrivél !!!

    • Sergio, o “ó campeão” é por sua conta… rsrs No título não tem isso.

      O time/elenco é o que temos, e, sinceramente, não o acho horrível. Ele não anda produzindo, o que é diferente.
      Mas, seja bom ou ruim, é o meu (nosso) time. E eu não sei fazer outra coisa a não ser torcer, muuuuito, por ele!

      E amanhã estarei no Pacaembu para a próxima batalha!! É de batalhas que se vive a vida! =)