REAGE, VERDÃO! E VAMOS LUTAR, PORCOOO!

imagem-blog

Não é fácil ser forte o tempo todo… principalmente quando o “machucado” está doendo, está sangrando…  e tudo o que a gente quer é um colo, que nos proteja do que nos machuca e nos assusta…

É um pesadelo… e a gente não acorda nunca…

Depois de ter sido assaltado pelas arbitragens diante de FluminenC, Flamengo e mais alguns clubes, e, por isso, ter perdido pontos que nos fazem uma falta desgraçada agora, o Palmeiras foi a Goiás, deu um vexame imenso, tomou 6 x 0, e, o que é pior, o juiz nem precisou roubar – e o time da casa nem precisou jogar. Na verdade, pra não perder o costume, a arbitragem garfou um pênalti em Henrique, mas que não mudaria nada na partida. Afinal, o jogo já estava 5 x 0 quando isso aconteceu.

Começamos a partida até que bem, nos primeiros seis minutos, fizemos uma jogada interessante e perigosa, pensamos em nos entusiasmar e, então, em 4 minutos (aos 7′ e aos 11′), por falhas que jogador nenhum, seja bom ou ruim, pode cometer, já perdíamos para o Goiás por 2 x 0.

A partir dai… o que se poderia esperar da partida? Sangue no “zóio”? Só se fosse no “zóio” do torcedor palmeirense… de raiva e de horror. As bolas começaram a espirrar ainda mais nos pés palestrinos, o nervosismo, a insegurança e o descontrole passaram a jogar pelo Palmeiras… E o jogo foi um desastre! O primeiro tempo acabou com 4 x 0 no placar. Por mais mal arranjado que esteja um time, não dá para tomar de 4 x 0, do Goiás (!?!), no primeiro tempo – tomaríamos mais dois gols na segunda etapa, para fechar a conta.

Queria que o Palmeiras fizesse gols com a mesma facilidade com que seus adversários conseguem fazer gols nele… parece que temos uma placa de “Boas-vindas” no nosso gol, destinada aos atacantes adversários… 

Sabe, eu até concordava em “não ser refém do centenário”.  Entendia essa declaração, entendia a situação em que o Palmeiras tinha sido deixado, entendia que estávamos voltando do “inferno”. Mas NÃO ENTENDO, NÃO QUERO E NÃO ACEITO SER REFÉM DA SEGUNDONA!! Será que a diretoria não se dá conta do que está acontecendo ao Palmeiras? Do que ela está fazendo ao Palmeiras?

Não tem cabimento uma coisa dessa!

Perderam a mão depois do Paulistão. Até então, embora não fosse um time de sonhos, eu tinha ficado satisfeita com o time que disputou a série B e nos trouxe de volta à série A sem sustos, sem preocupações; tinha ficado “satisfeita” com o time que disputou o Paulistão, e tinha grandes esperanças que ficaria satisfeita com o time para disputar o Brasileirão no ano do nosso centenário – era só dar uma reforçadinha que ficaria uma beleza.

Que ilusão! A coisa desandou… e de uma tal maneira… que agora está nos custando até a alma.

Ao invés de darmos uma reforçada no time do Paulistão, que tinha algumas carências, a diretoria o desmontou (POR QUÊ?). Saiu Henrique, saiu Kardec (a grande marcada da diretoria ao negociar), saiu o Mago… três jogadores importantes, fundamentais. Que saíram sem que o Palmeiras tivesse os seus substitutos “na manga”… que saíram quando não podiam ter saído. Nenhum jogador é inegociável, eu sei, mas nenhum jogador, importante para o time, é negociado sem que seu substituto tenha chegado antes. Mas foi o que fizeram.

A princípio, não nos demos conta da falta do centroavante; Henrique, o “substituto” marcava gol em todas as partidas e nós até nos gabávamos da boa fase do nosso atacante, e da falta que não sentíamos do “falecido” pulador de muro (ele, com a sua gastrite inventada, também pisou na bola). Porém, quando ficamos sem um meia, a realidade do time se fez presente e a coisa começou a andar pra trás numa velocidade espantosa… e não havia no banco um substituto à altura de Valdivia – tinha que ter. Vimos a diferença do time com ele, diante do Flamengo. Ele, que foi o responsável pelo futebol lindo que o Palmeiras jogou no segundo tempo, por levantar a torcida, (e cometeu a estupidez de ter sido expulso no mesmo jogo), e de quem esperamos a ajuda para nos safarmos, só voltou ao Palmeiras porque os árabes pisaram na bola.

As apostas nos argentinos me pareceram acertadas, uma vez que tinham sido campeões em seu país, porém, tendo que chegar e segurar esse rojão, nem podemos saber ou avaliar o quanto cada um pode/poderia render de verdade.

E o que era dúvida, pequena possibilidade, apenas um receio, virou certeza… o time, com a pior defesa do campeonato, com o terceiro pior ataque, com o pior saldo de gols e o maior número de derrotas, foi parar no Z4… e, com esse desempenho, nem poderia ser diferente (mas nem por isso esqueço os pontos que as arbitragens nos tiraram. Estaríamos lá pelo 13º/12º lugar com esses pontos).

Essas coisas acontecem, contratações que parecem promissoras, podem não dar certo… mas, numa administração profissional há que se ter o plano B,  C, D… Y, Z. E onde estão eles? Onde estão as providências e as soluções que tirarão o Palmeiras da situação em que ele se encontra? Precisamos delas pra ontem. Não é possível que nada será feito.

Se nada mudar, se deixarem as coisas apenas seguir o seu curso, vamos continuar encenando a mesma peça e tocando a mesma música até o fim…

Fim… Me recuso a pensar nisso, a pensar como boa parte da torcida pensa – alguns, já desde o início do campeonato. Tenho a maior dificuldade de entregar os pontos – em qualquer situação -, de jogar a toalha; não sei fazer isso. Tenho que esperar até o apito final. A razão fica brigando com a emoção…

E por que é que eu teria que desistir quando ainda há tempo, quando se pode mudar isso? Não pode ser que só os torcedores estejam desesperados com o que está acontecendo ao Palmeiras. Não é possível que só a nossa carne sangre…

Não consigo acreditar nessa estúpida guerra de interesses políticos… não consigo aceitar que um lado acredite que o planejamento está todo certo, que não dê o braço a torcer e não admita que houve erros ao se traçar a rota deste ano, que não se redima dos erros tentando novos acertos; tampouco consigo acreditar que o outro lado boicote o trabalho de quem está no poder, e jogue tão sujo, aja como inimigo do Palmeiras, com a única intenção de chegar ao poder. Que vergonha!

E tudo isso, no ano que deveria ser o ano mais importante do resto de nossas vidas… não haverá outro centenário pra nós…

Acordem aí no Palestra, pelo amor de Deus! Todos vocês! É o Palmeiras, vocês estão entendendo?  P-A-L-M-E-I-R-A-S !! O CLUBE MAIS VENCEDOR DO BRASIL! Como podem fazer isso com ele, com a sua história? Como podem fazer isso conosco? Se ele não é importante pra vocês, é muito importante pra mim e para vinte milhões de outras pessoas.

Quantos desastres mais serão necessários para que entendam, de uma vez por todas, que nada, N A D A, adianta ou adiantará se o futebol naufragar? Que todas as coisas, importantes sim, que foram feitas na parte administrativa, serão nada, serão inúteis se o futebol do Palmeiras sucumbir novamente… Ele é a prioridade.

Infelizmente, nós, torcedores, só podemos… torcer e apoiar, só podemos cobrar, só podemos rezar para que algumas cabeças sejam iluminadas, para que o Palmeiras volte a vencer,  essa é a parte que nos cabe. E é isso que essa palestrina aqui, que bate no peito pra dizer que “é Palmeiras, sim senhor”, vai continuar fazendo.

FORÇA, VERDÃO!! BOTA O MEU CORAÇÃO AÍ NA PONTA DA CHUTEIRA E VAMOS LUTAR, PORCOOO!!

  • Adriano

    “Quantos desastres mais serão necessários para que entendam, de uma vez por todas, que nada, N A D A, adianta ou adiantará se o futebol naufragar? Que todas as coisas, importantes sim, que foram feitas na parte administrativa, serão nada, serão inúteis se o futebol do Palmeiras sucumbir novamente… Ele é a prioridade”…Se entenderem isso ficarei satisfeito. Perfeita tua colocaçao.

    • Obrigada, Adriano.
      Eu também espero que entendam. E que as porradas, essa última especialmente, sirvam de lição e alerta.

  • Fernando

    Tania, excelente texto como tantos outros, precisamos de torcedores como sua pessoa, não se deixa abater, na goleada sofrida não senti poder de reação, apatia geral, erros individuais inaceitávies e de profissíonais, Dorival para mim não tem comando, falta convicção até em suas entrevistas, falta autoridade em tirar do time jogadores que não fazem por merecer vestir nossa camisa, não tem que fazer média com ninguém, precisamos como disse Diogo de ter vergonha na cara, o clube é maravilhoso torcida sempre presente e apoiando, às vezes parece sonho o que temos assistido e vivido, não quero crer que o pior possa ocorrer pois tenho certeza de que os profissionais que tem orgulho em vistir nossa camisa e que devidamente separados dos mercenários que mais uma vez peço que sejem dispensados, possam dar a oportunidade à aqueles que como nossa torcida desejam realmente o mellhor pelo nosso clube. PALMEIRAS, VAMOS VIRAR A PÁGINA, SEU LUGAR É DE DESTAQUE. NÓS PALMEIRENSES AMAMOS DE PAIXÃO CONTEM CONOSCO SEMPRE!!! VOCÊ É NOSSA RAZÃO DE VIDA…NÃO DESISTA NUNCA.

  • Marco

    Texto publicado hoje pelo blog Observatório Alviverde.
    Para reflexão, independentemente das convicções de cada um.
    ==========================

    O SOM DOS TAMBORES! SE VOCÊ FOR FANÁTICO POR SUA RELIGIÃO OU ATEU, NÃO LEIA ESTA POSTAGEM!!
    ==========================
    O SOM DOS TAMBORES!

    Tambores inimigos! Infernais.
    Ressoam. Ribombam. Explodem!
    Cada vez mais!
    Conduzem, esparramam, pelo ar, ondas mentais.
    Dirigidas, altamente destrutivas!
    “Fiéis” condutores energéticos, os tambores direcionam, malignamente, a perversidade de pensamentos destrutivos!
    Danças, saias, chapéus, estandartes, pulseiras, velas, figas, são captores de energias negativas…
    Sacrifícios, sangue, cadáveres de animais, mormente de girinos, submetidos ritualmente às vibrações fluídicas de mentes destrutivas e malignas. Não vemos, mas, sentimos!
    Tudo isso, junto, somado, amalgamado, envolto em trouxas denominadas catimbós, sub-repticiamente, preferentemente enterrado em território inimigo.
    São os condensadores de energia deletéria, acumulando e, ao mesmo tempo, emanando fluidos enfermiços, que envenenam os ambientes, as pessoas e as instituições, endereçando-os invisivelmente, à aura das vítimas.
    As instituições também têm as suas auras, refletidas naquelas de quem as dirige.
    A existência desse campo elétrico denominado aura (aquela representação circular em volta das gravuras de santos), de há muito, é provada pela ciência, através da foto de Kirlian.
    Covardia das covardias, as rezas, hinos e preces desses rituais do mal, são a moldura, o pano de fundo para que tanta gente má cultue e entronize os verdadeiros satãs desta vida, a inveja, o ódio, o rancor, a inveja e a cobiça, ao desejar a doença, a infelicidade, a morte e a desgraça àqueles a quem considera desafetos, inimigos seus ou de seus amigos.
    Os tambores batidos contra o Palmeiras continuam surrados com força e disposição.
    No entanto, o carnaval já passou e o próximo está longe de chegar.
    Magos-negros, nos terreiros, porém, garantem um carnaval em novembro, ou, no máximo, em dezembro.
    Estão certos de que pisotearão o Palmeiras, na passarela de nossa descrença.
    Nobre presidente, desça do assento etéreo em que se encontra, acorde e caia na real!
    Trabalhar é preciso, dentro e fora do campo!
    Ainda que seja, apenas, para a nossa autodefesa.
    Quem tem olhos para ver, veja!
    Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!
    Quem tem sensibilidade para perceber, perceba.
    Quem tem inteligência para entender, entenda.
    Quem tem coração para sentir, sinta!
    Quem tem fé dentro d’alma para crer, creia.
    Quem não está vendo ou não percebe que (há anos) o Palmeiras é um clube perseguido pelo astral dos maus pensamentos, macumbado, umbandado, quinzumbado, quimbandado, despachado, enfeitiçado, seduzido, submetido, prostrado, e espiritualmente, arrasado…
    Entre todas as nomenclaturas possíveis, sinônimas de baixo espiritismo e “magia negra” que me vêm à cabeça, eu só não diria mesmo que o Palmeiras é um clube encantado… As outras ele as tem, e faz jus a todas!
    Ah, antes que eu esqueça, para esse tipo de trabalho, puramente mental, não adianta só dizer que “o sangue de Jesus tem poder”!
    Sei que tem e, pessoalmente, acredito que tenha!
    Mas aqueles que gostam de afirmar isso, se esquecem de que o mestre afirmou e ressalvou que “o meu reino não é deste mundo!” Entendam o recado!
    Dizem os espiritistas e os grandes conhecedores dos impactos e consequências da força do pensamento sobre os homens e as instituições, que os grandes antídotos contra a maldade mental projetada são, na devida contrapartida, os pensamentos e atitudes de paz, serenidade, alegria, caridade, presteza, temperança, respeito, sobriedade, apreço, paciência…
    Exatamente tudo o que falta à maior parte do contingente diretivo e societário que compõe nossa vaidosa, irascível e indomável Sociedade Esportiva.
    Tudo pode ser resumido em uma simples palavra de quatro letras, A-M-O-R! Onde falta amor, falta tudo!
    A palavra D-E-U-S, também tem quatro letras e ambas, para mim, são sinônimas, pois elas têm o poder de conter e submeter todo o universo!

    ….

    Enquanto isso, ainda que não percebam os nossos diletos irmãos de clube, o Palmeiras, sucumbe, lentamente, pela babel de vaidades e de interesses pessoais em que foi transformada a nossa Sociedade Esportiva.
    Em razão disso, submete-se, rapidamente, aos mal feitos egressos de inimigos, em face das transgressões, do desamor, da cobiça e da luta desenfreada pelo poder vigentes no Palestra.
    A egrégora (soma das energias dos pensamentos emitidos), outrora imensurável, de nossa SE, atualmente, é débil, fraca, extremamente baixa.
    Tudo em razão do mau comportamento, das aleivosias de nossos irmãos de clube, tantos são os seus seccionamentos e divisões internas, com reflexos e ingerências diretos em nosso time de futebol do ponto de vista astral, em face do comportamento humano condenável de cada um.
    Essas atitudes representam um terreno fértil apropriado ao plantio do ódio e da desgraça através de nossos inimigos! Estamos, é verdade, muito mais do que fragilizados, arrasados!
    Coincide, essa crise de baixa de estima que parece não ter fim (numa análise fria e realista) com o término de uma geração forte e privilegiada, repleta de ânimo, sequencial àquela que iniciou a fantástica e incomparável saga palestrina.
    Pode-se dizer que os filhos e alguns poucos netos da geração que concebeu a nossa Sociedade Esportiva, são aqueles que souberam manter, construir e ampliar a nossa grandeza.
    E o fizeram, transitando, sempre, muito menos pela estrada do egotismo, da ostentação e da autopromoção, muito mais pela estrada da humildade com grandeza, da simplicidade, da dedicação ao trabalho, do amor às nossas cores e do apego às nossas tradições.
    São tantas coincidências que, em meu entendimento, fazem com que a nossa situação, em vez de melhorar, piore ano a ano, com tendência a se agravar, cada vez mais, à medida que o tempo passa…
    Já que o momento é inadequado para que se obtenha a pacificação de nossa agremiação e de seu corpo associativo, pois estamos em ano eleitoral, quero fazer uma sugestão a Nobre, diretoria e aos atuais detentores do poder:
    Neste momento grave da vida de nosso clube, recorram ao poder da fé, buscando auxílio na religião!
    Se possível, em várias, ao menos nas principais, a fim de efetuar uma varredura astral e material na SE e no time do Palmeiras.
    É necessário, porém, que os problemas materiais sejam atacados e resolvidos de frente, pois como disse o profeta, “faça (primeiro) a sua parte que (depois) eu te ajudarei!”
    Concordando ou não com a postagem, emita o seu ponto de vista, pois, da discussão, nasce à luz e a única luz com que contamos neste instante é aquela, infeliz, proveniente da lanterna do Brasileiro.

    ADENDO

    ANO PASSADO REDIGI UMA POSTAGEM SOBRE O TEMA, QUE TEM SIDO RECORRENTE, ENTRA ANO SAI ANO, MAS CONTIVE-ME EM PUBLICÁ-LA, POR NÃO DESEJAR FERIR OS SENTIMENTOS, AS IDIOSSINCRASIAS E AS SENSIBILIDADES RELIGIOSAS DE NINGUÉM.

    FIQUE CLARO QUE TUDO O QUE EU DISSE ESTÁ RELACIONADO, ESTRITAMENTE, ÀS TEORIAS EM ESTUDO LABORATORIAL, CADA DIA MAIS EVIDENTES, QUE COMPROVAM A EMISSÃO DE ENERGIA POR TODOS OS SERES VIVOS, NOTADAMENTE, PELO HOMEM!
    COMO NEGAR A DUALIDADE DO MUNDO, “SE ME BELISCO E ME SINTO”, E, COMO DIZIA SÓCRATES NO SÉCULO V ANTES DE CRISTO, “(SE) PENSO, LOGO EXISTO”!
    NÃO, NÃO FALO EM BÍBLIA, NÃO FALO EM RELIGIÃO, MAS, FALO DE UM EMBRIÃO CIENTÍFICO QUE, À MEDIDA QUE O HOMEM DESENVOLVER NOVOS APARELHOS E EQUIPAMENTOS DE PROSPECÇÃO ULTRA DIMENSIONAL, SERÁ ALGO LÍQUIDO, CERTO E COMPROVADO. (AD)
    VEJAM E LEIAM O QUE ESCREVI E NÃO PUBLIQUEI, HÁ QUASE DOIS ANOS!
    COM PEQUENAS ATUALIZAÇÕES, ESTARIA, PERFEITAMENTE, ADAPTADO E APROPRIADO PARA A SITUAÇÃO ATUAL DO PALMEIRAS.

    XXXXXXXXXX

    (SIC)
    Não, não me chamem de místico ou de ignorante por acreditar em fatos espirituais, transcendentais, para os quais a maioria das pessoas não liga a mínima importância.
    Não se esqueçam, porém, de que a dimensão em que vivemos é dicotômica, na qual convivem, nem sempre em harmonia, a matéria e a energia.
    Tenho motivos de sobra, por própria experiência, para acreditar na influência de energias positivas ou negativas sobre este mundo material em que nós, seres humanos de costumes, crenças vivemos e convivemos.
    Por mais de uma vez elaborei matérias, elogiadas por muitos -os livre pensadores-, criticadas por outros -os fanáticos religiosos- e ridicularizadas por meia de dúzia de três ou quatro -os ateus- abordando o controverso tema em face do Palmeiras!
    O exagero de contusões -muitas gravíssimas- de nossos atletas, as confusões em que se metem os nossos dirigentes -mesmo sem ser chamados-, o clima de guerra -constante- em que vive o clube, a briga pelo poder -incessante e eterna- não são fatos meramente coincidentes, mas decorrentes, também, da, vá lá, precária defesa espiritual do clube, tida e havida por muitos como inexistente.
    Sem ir tão longe, o rosário de contusões no Palmeiras em 2012,
    os erros em série das arbitragens,
    o ambiente de tumulto dentro e fora do clube,
    os péssimos negócios de Frizzo e Tirone,
    a lamentável queda para a segunda divisão,
    a dificuldade inenarrável para que dobrássemos o fraquíssimo time do Coritiba na epopeia da Copa do Brasil,
    as suspensões sequentes.
    As draconianas punições do STJD aplicadas aos nossos atletas por cápsulas de minúcias
    o desastre na Arena que vitimou dois operários,
    a briga quase que irreconciliável da construtora/Palmeiras pela divisão de cadeiras…
    Tudo isso são episódios que poderiam perfeitamente ser, alguns, minimizados e, outros, evitados, tivesse o clube uma proteção espiritual mais eficaz

    Quando eu falo em defesa espiritual não estou pedindo que o Palmeiras venha a ter -como nosso maior adversário- um “pai de santo” na folha de pagamento, embora, se tiver, não faça muita diferença, haja vista que qualquer linha religiosa é revestida de poder espiritual e temporal.
    Pai Nilson, contratado pelo CU-rintia, há anos, realiza trabalhos em prol daquela equipe que, além de ser a maior vencedora da última década ganhou, até, um estádio.
    Na verdade, o ecumenismo poderia caracterizar a ação do Palmeiras, sem a necessidade de colocar nenhum religioso na folha de pagamento.
    Porém, na medida do possível, sem alarde e sem que ninguém fique sabendo, chamar um padre, um pastor, um espírita, um budista, um espiritualista ou qualquer pessoa portadora de força mental e espiritual e realizar um trabalho sério de limpeza e desobsessão nas dependências do clube. Isto, creiam, é muito salutar!
    Quem sabe possa aliviar, um pouco a pesadíssima aura do clube, (reflexo dos pensamentos dos diretores e do corpo associativo da agremiação), melhorar a cabeça dos dirigentes e sossegar a alma violenta e incoerente daqueles que fazem parte integrante de nossas ferocíssimas uniformizadas.
    Aliás, esses trabalhos, se não fizerem bem -garanto que fazem- certamente, mal não farão!
    Acima de tudo e no melhor italiano, “al-di-la”, isto é, muito além, além de todos e de tudo, até do próprio Palmeiras que tanto amamos, existe um Deus.
    Ele há de nos livrar de todo o mal, amém!

    Façamos, pois, a nossa parte!

  • ELIABE

    PERFEITO
    “SENTIMENTO DA NAÇÃO ALVIVERDE” FOI ESCRITA AQUI
    PARABÉNS!!

  • Ze

    Uma pergunta: Tirando os anos da leiteria (parmalat), o palmeiras ganhou quando um título de alto nível ??? época do Ademir da Guia ??? Pois é, fazem 30 anos que nascemos e morremos lutando e lutando…

    • Em 2012, por exemplo.

      O Palmeiras da época da empresa Parmalat (ela não é uma leiteria, se você fosse palmeirense mesmo não usaria esse termo) era muito bem administrado, coisa que no futebol brasileiro, no clubes brasileiros, não se vê. Taí a Alemanha que passeou em cima da “badalada” selenike que não me deixa mentir. E não há motivo algum para que se faça qualquer separação nessa época. O Palmeiras ficou 16 anos na fila, mas reza a lenda que já teve clube que ficou 24. Essas coisas fazem parte do futebol, não é mesmo?

      Tem muito clube aí conquistando título de alto nível, à custa de lavar dinheiro da Máfia Russa; outros comprando árbitros com ingressos de show da Madonna; houve quem conquistasse Copa do Brasil graças ao apito do Simon; houve quem conquistasse Libertadores, graças a gol legítimo do Vasco que foi anulado numa semifinal… tem que mande bater em adversário no vestiário no intervalo das partidas… tem o FluminenC e seu advogado… nem sempre uma conquista de título de alto nível é sinônimo de competência… de lisura.
      No Brasil de hoje em dia, os trambiques prevalecem, e não seria diferente no futebol.

      Os títulos do Palmeiras – e ele ainda é o clube brasileiro que mais títulos possui – são todos legítimos. 😉

    • Marco

      A Parmalat foi uma empresa privada e não publica que fez um acordo comercial com o Palmeiras. Teve uma projeção de sua marca como nenhuma outra divulgação conseguiu.
      Os jogadores tinham participação do clube e da empresa, como é feito até hoje, especialmente em função da lei Pelé.
      Nas três seleções que chegaram as finais de Copa do Mundo a participação de jogadores que passaram pelo Palmeiras foi marcante.
      O Palmeiras montou times equivalentes aos atuais gigantes europeus de hoje e mesmo naquela época pelo jogo sujo de alguns rivais e prejuízos de arbitragens deixou de vencer várias conquistas como a Libertadores 95, O Brasileiro de 96 e 97, o Rio SP de 97, a Copa do Brasil de 99 e o Paulistão de 99.
      Para tentar impedir as conquistas palmeirenses e justificar sua inferioridade, adversários por várias usavam golpes baixos para pressionar arbitragens, denegrir as conquistas e até no desespero para não ver o Palmeiras comemorar em seu estádio esburacar o próprio gramado.
      Atualmente, quando o poder público interfere na disputa esportiva, quando a TV determina quem deve ter privilégios, não se fala de período Globo, período STJD, período CBF, período Caixa, período estádio público.
      Nos dias de hoje, o pior de tudo está no orgulho das pessoas de obter vantagens graças ao “jeitinho” e aos favorecimentos.
      Assim, não tem como discutir, cada um se identifica com o seu tipo de perfil.

  • Adriano Nunes

    Vejo por parte da mídia uma ferocidade em desqualificar o elenco do Palmeiras, dizendo que seria o pior do brasileiro entre outras coisas que prefiro não comentar. Alguns oportunistas dizem que times como Bahia, Criciúma possuem melhores jogadores para reagirem no campeonato do que nós. Infelizmente os resultados não vieram e estamos em uma situação delicada, me revolto com cada resultado e com erros que foram cometidos, mas nunca daria razão aos oportunistas que tentam a todo instante desqualificar meu time do coração.
    Fazendo uma breve retrospectiva dos jogos observem como nosso time não merece estar na atual posição:

    *0 x2 Santos – Realmente o Palmeiras não mereceu ganhar, foi muito mal
    *1x 2 Cruzeiro – Apesar do resultado Palmeiras teve tudo para ganhar, metemos bola na trave, Henrique perdeu gol sozinho na pequena área e Fábio fez defesas fantásticas.

    *0x 2 SCCP – Jogamos muito mal o clássico, foi um jogo para ser esquecido.
    *1×1 Bahia – mesmo tendo vacilado quando fez o gol o Palmeiras teve um penalti claro que não foi marcado o que mudaria completamente o resultado final do jogo.
    *1×2 Atlético MG – Aqui o empate era certo, fora de casa, mas Josimar entrou e mudou a cara do jogo.
    *1x 2 São Paulo – tivemos tudo para ganhar o jogo e Henrique perdeu um gol fácil, sem goleiro, aos 42 do segundo tempo e logo em seguida levamos o gol de Kardec, essa foi a pior derrota, não dormi nesse dia de tão puto

    *1×2 Sport – Aqui o time já começou a perder a cabeça pela sequência negativa; o Palmeiras controlava o jogo até o gol contra do Fábio, depois tudo se perdeu e fomos derrotados

    *1×0 Coritiba
    *0x 1 Internacional – Palmeiras jogou mal, mas a falha do Fábio deu uma força a mais para o adversário que também não jogou bem e estava sob pressão

    *1x 1 Atlético PR – três penaltis claros para o Palmeiras e apenas um marcado, nem preciso escrever mais alguma coisa.
    *1x 0 Criciúma
    *0x 3 Rebaixado – Foi um jogo em que o Palmeiras foi mais assaltado no campeonato,foi algo incrível o que aconteceu nesse jogo, no mínimo o empate era nosso, mas como sempre CBF/STJD futebol clube não deixaria.
    *2×2 Flamengo – Esse jogo foi um crime contra o futebol, não fizeram questão de esconder o roubo. Esse aqui está fresco na memória.

    O que quero dizer é que se tivéssemos um pouco de sorte em alguns jogos e mais capricho de nossos jogadores em outros somaríamos 15 pontos:

    -no mínimo empatado com o Cruzeiro em casa
    – ganhado do Bahia
    – empatado fora de casa contra o Atlético – obrigado Josimar por sair pedalando a frente dos zagueiros aos 43 do segundo tempo

    – ganhado do São Paulo- valeu Henrique por perder um gol feito, sem goleiro
    – Empatado com o Internacional – valeu Fábio, o jogo era para ser 0 a 0, pq ninguém jogou nada
    – ganhado do Atlético PR
    – Ganhado do Flamengo

    – Não coloco um resultado sobre o Rebaixado pq tenho certeza que se o jogo estivesse empatado, algum penalti “surgiria” para eles

    Se não fosse esses erros e arbitragens desastrosas estaríamos no mínimo na oitava ou oitava posição com 35 pontos. Para que possamos ver como erro individuais e erros de arbitragem nos prejudicaram bastante. Não é a melhor das posições muito menos o que esperamos do Palmeiras, mas não estaríamos nessa posição desconfortável.

    Apresentei uma hipótese, a realidade está cruel e somente com muita luta para sairmos dessa situação. Agora nunca aceitarei que jornalistas oportunistas venham dizer que o Palmeiras é o pior , analisando os jogos de forma descontextualizada somente com a intenção de criticar e inflamar a torcida.

    Eles sabem que o torcedor palmeirense quando joga junto é difícil bater o Palmeiras, independente da situação e que os dirigentes possam aprender com os erros cometidos para que tenhamos times mais competitivos, pois o Palmeiras não é time para ficar em meio de tabela ou brigar para não cair.

    Mas nesse contexto o Palmeiras precisa da torcida e eu tenho certeza que vamos sair dessa.

    Tânia parabéns pelo excelente trabalho que você tem feito, acompanho o blog e seus argumentos fantásticos.

  • Marco

    A publicação indicada abaixo é dedicada a todos os inocentes úteis que não gostam de falar de arbitragens e bastidores.
    Na torcida do Palmeiras e no clube, é o que não falta.

    http://aqipossa.blogspot.com.br/2014/08/saiba-como-manobra-da-ferj-tirou-o.html