JOGO SIM, JOGO NÃO, O STJD DENUNCIA O VERDÃO

No momento em que escrevo essa postagem, está a todo vapor o julgamento de Palmeiras e Corinthians no famigerado Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), a nossa conhecida “Capitania Hereditária” (quando você me ler, por certo já existirá uma punição para o Palmeiras, e só pra ele), por conta das 258 cadeiras do Itaquerão que a torcida do Palmeiras danificou. Os clubes (os? Tem certeza, Ximit?), pasmem, correm o risco de perder até 10 mandos de campo (Oi?? Esperar o quê de um julgamento, quando o promotor já ameaça o time ao fazer a denúncia?) e ainda receber uma multa que pode chegar a R$ 100 mil.

Os dois clubes foram enquadrados no artigo 213 do CBJD, por “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto”. Porém, o primeiro parágrafo do mesmo artigo prevê que, preste atenção nisso, “caso a desordem seja feita pela torcida da entidade adversária, tanto a entidade mandante como a entidade adversária serão puníveis, mas somente quando comprovado que também contribuíram para o fato” (“enrolation”, para muito provavelmente punir só o Palmeiras, como sempre, e, como sempre também, por coisas que as torcidas de todos os outros times fazem, inclusive a do Corinthians, e que não servem de motivo de punição para os seus clubes).

Como não houve gravidade na ocorrência, e, segundo o promotor que adora encher o saco do Palmeiras, é provável que a punição seja apenas uma multa (o que não teria cabimento, uma vez que não houve contribuição alguma dos clubes, principalmente do clube visitante, para que as cadeiras fossem quebradas). Eu não questiono haver punição para o absurdo que é torcedores quebrarem cadeiras, depredarem arenas, sejam elas de adversários ou dos seus próprios clubes. No entanto, como não houve grande desordem, violência, e a depredação de algumas cadeiras não interferiu no andamento da partida, penso que a punição deveria ser para as torcidas responsáveis pela infração (a torcida do “dono” também danificou cadeiras no estádio).

Também não vou questionar a quantidade de cadeiras danificadas… as imagens mostram um número pequeno; logo após a partida disseram que eram 25 cadeiras danificadas, e, de repente, viraram 258. Imagino que o Palmeiras tenha ido lá conferir se foram 258 mesmo – eu teria ido -, que tenha visto as imagens das câmeras de segurança do Itaquerão mostrando o vandalismo…

Outra coisa que nem vou questionar também é a péssima qualidade das tais cadeiras. A arena, construída com 1, 2 bi de dinheiro público, foi inaugurada em Junho, e até hoje, menos de dois meses depois, já foram danificadas mais de 800 cadeiras por lá. A própria torcida do “dono” do Itaquerão danificou cadeiras na partida de estreia da arena, e também na partida diante do Palmeiras. Parecem cadeiras feitas de papelão ou isopor – um amigo que esteve lá, durante a Copa, me disse que elas são muito frágeis e de qualidade bem inferior.

Também não vou questionar o fato de que a torcida do “dono” do Itaquerão já danificou cadeiras de vários estádios, botou abaixo as grades do Pacaembu, fez arruaça e depredação em aeroporto, meteu fogo em carro alegórico de escola de samba… e eu nunca soube que o Corinthians tenha pagado coisa alguma, tenha ressarcido os muitos prejuízos causados por seus “fiéis”. Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço, não é mesmo?

Nem vou dar muito destaque ao fato de que o “Cara de Areia” cantou a bola sobre cadeiras quebradas durante toda a semana que antecedeu o Derby. Já falava em cobrar o prejuízo (que ele nunca pagou quando foi a sua torcida a depredar patrimônio alheio) antes mesmo dele existir, e, ainda assim, nossos “muy espertos” torcedores fizeram exatamente o que ele esperava (queria?) que fosse feito.

O que questiono aqui, e que precisa ser questionado sempre, é a maneira dúbia de se fazer justiça no STJD. O Palmeiras se encarregou de cobrir os prejuízos no Itaquerão e mesmo assim ainda vai ser julgado. Se há regras para se denunciar, julgar e punir os clubes, quando os seus torcedores brigam, depredam… como é que não me lembro de ver outros clubes ressarcindo prejuízos alheios? Também não me lembro de ver seus atos de vandalismo e violência serem denunciados multados e punidos pelo tribunal, por promoverem desordens, depredações e até mesmo incêndios como esses, mostrados nas imagens abaixo (existem muitos outros casos, inclusive com torcedores feridos gravemente)?

Para não cometer nenhuma injustiça, já que não me lembro muito bem se houve ou não denúncia e punição para alguns casos, vou passar a bola pra você, amigo leitor. Por favor, me ajude a lembrar, quais foram as punições para os clubes dessas torcidas cujo vandalismo e violência causaram o que as imagens mostram? Quanto eles pagaram de multa, quanto pagaram para ressarcir os clubes prejudicados, e quantos mandos perderam?

Depredação-gambazada-no-Morumbi

Depredação-MORUMBI ARQUIBANCADA VISITANTES VANDALISMO (3)

Depredação-Pacaembu-2006

Depredação-Pacaembu-20061

Depredação-Confronto-2006

Depredação-torcida-corinthians-incendio-morumbi-2005

Depredação-aeroporto1

Depredação-Cumbica-ae18

Depredação-Vasco-Flamengo

Tão logo fiz essa postagem, a “Capitania Hereditária” já tinha dado o seu veredito: Corinthians, o responsável pela segurança do/no estádio, absolvido, e multa no valor de R$ 50 mil para o Palmeiras. O Verdão concordou em pagar o prejuízo, e, ainda assim, foi multado?

Estou começando a achar que precisamos de uma Justiça Desportiva com promotores que venham da Alemanha… Afinal, lá, o futebol é conduzido com muito mais seriedade do que aqui.

  • Marco

    Estádio sem alambrado ou sem fosso, para uma torcida de perfil agressivo não é tragédia anunciada?
    Mais cedo ou mais tarde, alguma situação grave não pode acontecer em um local onde o PROJETO do estádio não indica alambrado ou fosso de proteção?
    Ter um estádio sem os equipamentos necessários de segurança não é uma responsabilidade ou não do “dono” do estádio?
    O que fará o nosso ilibado tribunal em alguma situação de extrema gravidade?
    Nossa brilhante e responsável imprensa que se prestou ao papel de moleque de recado na semana anterior ao jogo, divulgando a cobrança antecipada por cadeiras quebradas não vai fazer nenhuma reportagem, matéria ou editorial sobre o risco inerente a um estádio sem alambrado ou fosso de proteção? Vão esperar acontecer algo sério?
    E se o Palmeiras tivesse vencido aquele jogo, o que poderia ter acontecido?

    • Verdade, viu Marco?
      Não vai demorar muito, uma situação adversa vai se apresentar, e as consequências não vão ser nada boas… e a imprensa faz de conta que não se dá conta disso…

      E quanto ao STJD, se queriam multar algum clube, deveriam ter multado o responsável pelo estádio, não é mesmo? O Palmeiras não tem responsabilidade alguma em relação à segurança do/no Itaquerão.

  • Carlos Z/S

    Nessas horas a gente vê como falta gente com coragem à frente do Palmeiras (isso há pelo menos 30 anos). O Palmeiras é muito bonzinho.

    Já vai lá e indeniza prontamente. Essa de fazer acordo de cavalheiros com rival não dá certo (vide o “jogo da paz”, quando o sccp estava em crise. Agora que a crise é nossa, nada.).

    E outra, se a acessoria de imprensa do Palmeiras não fosse capitaneada por um gambá, o Palmeiras poderia municiar a imprensa com informações como estas que a Tania colocou aqui. E ter alguém para ir a todos os programas esportivos e ficar batendo no absurdo da situação.

    Mas não, o Palmeiras fica encastelado e a imprensa/CBF/tribunalzinho deitando em cima.

    • Carlos, em quê ter um gambá na assessoria mudou a maneira da imprensa tratar o Palmeiras?
      Antes, acontecia a mesma coisa, ou até pior. E não tínhamos nem o costume de responder e desmentir os portais como estamos fazendo agora. Sem contar que os nossos jogadores eram execrados pela mídia, vivíamos metidos em escândalos e mais escândalos, tínhamos atas roubadas, as notícias sobre o Palmeiras eram distorcidas pela imprensa, algumas coisas eram inventadas … O UOL arrumou uma baita confusão com Felipão, faziam matérias detonando o técnico do Palmeiras, e que resposta demos?
      Acredito que a assessoria anterior não tinha autonomia/liberdade para trabalhar, não podia fazer muita coisa, mas dizer que, em relação à imprensa, o trabalho era melhor, não é verdade.
      E se queremos profissionalismo, não podemos levar em consideração o time para o qual o profissional torce. O que interessa é o que ele vai produzir. E, justiça seja feita, o trabalho da assessoria não tem deixado nada a desejar.

      Mas, você tem razão, o Palmeiras precisa se portar com mais firmeza em relação a isso. Estão mesmo deitando e rolando em cima da gente. Precisamos que o Palmeiras, e seus jogadores também, usem seus minutos na imprensa para reclamar desse tratamento seletivo, reclamar de penas inéditas e exclusivas que nossos atletas recebem, da perseguição – é perseguição sim – que o tribunal faz com os jogadores palmeirenses e com o Palmeiras, e, principalmente das garfadas das arbitragens.
      Empatamos com o Bahia, mas o pênalti que o Henrique sofreu, ninguém sabe, ninguém viu…

      • Carlos Z/S

        Oi Tânia, eu reconheço muitos méritos na atual gestão. Acho que poderia ser bem melhor, mas que melhorou em relação aos inimputáveis Tirone/Frizzo/Piraci, não há dúvida.

        Mas continua faltando uma postura mais incisiva. Tem coisas que a torcida toda vê e parece que a Diretoria, que está lá única e exclusivamente para defender os interesses do Palmeiras, não enxerga. Isso chateia.

  • Fernando

    Amigos palmeirenses, hoje novamente voltei a acreditar ainda mais no nosso verdão, com o retorno do “Mago”, pelo que jogou óntem o Allione farão uma boa dupla, tenho certeza de nossa recuperação como havia comentado tempos atrás, infelizmente não é unanimidade entre os palmeirenses pela sua volta, más aqueles que são torcedores como eu e adora o futebol bem jogado, Valdívia é craque e só tão somente ele faz oque faz com a bola. Imprensa tendenciosa que só comenta de suas contusões e não falam sobre entradas desleais que sofre com parcialidade da arbitragem, afinal ele voltou e com ele o verdão ressurgirá e ocupará posição de destaque na tabela. Seja muito bem vindo “Mago”, eu como muitos verdadeiros torcedores torcemos por ti e sei que fará o melhor pelo nosso verdão!! Estarei sempre com o Palmeiras e tiro o chapéu para ti Sr.Mago e craque Valdívia. Minha satisfação e felicidade pelo seu retorno, as más linguás secarão.

  • Marco

    Muito mais grave do que a penalidade não marcada sobre o Henrique (mais uma para a coleção do Palmeiras) é que ela “não existiu” para os olhos da mídia, da CBF e da própria torcida do Palmeiras.
    Nossa diretoria (essa e as anteriores), nossos jogadores e nossa torcida nunca se manifestam. Pior que isso, se tivesse errado a favor do Palmeiras, partiria dos “nossos torcedores” o carnaval em cima desse erro.
    Para o restante do ano, se tiver alguma reclamação de arbitragem, os primeiros a dizer que erram a favor de todos e contra todos (mesmo que a proporção seja de 50:1) seriam os “nossos torcedores”.
    Nosso problema é cultural, de mentalidade. Somos muito bonzinhos como bem escreveu o Carlos, mas essa bondade não é exclusividade de um ou dois, mas de todo o meio palmeirense, seja nas direções, na torcida e nos nossos dedicados jornalistas que se dizem torcedores do clube.

  • Fernando

    Não é possível nosso verdão ser o que é, tantos times piores do que o nosso e não conseguimos sequer resultado positivo para fugir das últimas colocações, fico preocupado com tudo que vejo, temos jogadores que se escondem, exemplo Wesley e Leandro, será que é má fase?? Acredito que não, faz algum tempo que deixam a desejar, tem mais coisas que não sabemos o que seja, no jogo de ontem além de ser feio a imprensa torna-se repetitiva enfatizando o que todos sabem, no lance da penalidade não marcado do Tóbio, falaram inúmeras vezes, a favor do verdão do Henrique contra Bahia passou em branco..será que enxergam tão somente contra o verdão…imprensa tendenciosa e safada. Já passou da hora de virarmos o jogo…mesmo assim, continuo sendo verdão sempre!!

  • Vinicius

    A torcida do Grêmio quebrou 25 cadeiras no Beira-Rio np Gre-Nal de ontem. O Grêmio terá que pagar 7.500,oo ao Inter.
    Engraçado, não vi o paladino da justiça, Xiiiimitiii, falar nada a respeito. Não vai pedir imagens e nada…
    Saafado