♫ PEGA NA MENTIRA… ♫ ASSIM NÃO PODE, ‘PRESS’!

“Uma inverdade/mentira, continua sendo inverdade/mentira, ainda que todos acreditem nela,  e mesmo que tenha sido proferida pelo Papa.”

Há uma semana, na Folha de São Paulo, foi publicada uma matéria que tratava da saída do jogador Alan Kardec do Palmeiras, e abordava a economia feita pelo clube, que, segundo o redator da matéria, o jornalista Paulo Vinícius Coelho, é uma economia porca e vai tirando do Palmeiras a possibilidade de se equiparar com as outras grandes equipes do estado.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/163454-economia-porca.shtml

Até aí, tudo bem. Se o jornalista, mesmo sabendo que as outras equipes não fizeram tão boas contratações assim, que o Palmeiras não faz economia por hobby (é uma necessidade herdada da gestão anterior), e, ainda assim, acha que essa política é errada, e que o Palmeiras fica em desvantagem em relação aos outros clubes, ele está no seu direito.

Mas o que deu grande visibilidade à matéria foi a resposta que Valdivia deu à ela (muita gente, que não tinha lido o que o jornalista escreveu, correu saber do que se tratava).

No entanto, o que fez com que a matéria passasse a ser criticada, discutida, foi algo que, no meu leigo entender, e no de alguns profissionais de imprensa também, extrapolou a esfera da competência jornalística. Além da deselegante comparação feita entre a saída de Kardec e os salários pagos a Valdivia – como se um jogador fosse o responsável pela pulada de muro do outro, o que não é verdade -, a matéria traz os números do que seria o salário do camisa 10 do Palmeiras. E, para piorar, o valor publicado não é o correto, e está BEM ACIMA do valor real.

E, como aconteceria com qualquer um de nós, Valdivia ficou bravo com a atitude do jornalista e com a inverdade (mentira) publicada, e o chamou de mentiroso. E a polêmica foi instaurada, e todo mundo passou a analisar a questão.

Acho que o jogador está certo, afinal, se sentiu desrespeitado com essa invasão e com a  mentira sobre o seu salário. E todo mundo sabe, salários são de interesse de empregados e empregadores. E você não vê nenhum jornalista publicando quanto ganha, ou quanto ganham os colegas de profissão, não é mesmo? Trocam de emissoras de TV, de redação, são contratados, demitidos, e os seus salários, como deve ser com qualquer cidadão, são mantidos em sigilo).

A tal notícia diz que, “… na hora de decidir, era Kardec quem resolvia e não o meia chileno” (o “chileno” tem nome, mas parte da imprensa faz questão de esquecer esse detalhe).

E a própria frase diz tudo, “o meia”. Valdivia é o meia do time; Kardec era o atacante, o centroavante (e o salário de um não tem relação alguma com o salário de outro. Ou Kardec vai chegar do outro lado do muro ganhando, ou querendo ganhar o mesmo que Pato e Luís Fabiano, por exemplo?). É natural e lógico que atacantes sejam mais credenciados para fazer gols. É deles que esperamos as bolas na rede. Do meia, esperamos a criação das jogadas,  a bola nos pés dos atacantes  – e o Mago faz isso como ninguém – e alguns gols também. Além disso, basta uma pesquisada para constatarmos que o atacante não fez tantos gols a mais que o meia…

ALan Kardec

Vasco (2007-2009) – 88 jogos – 23 gols
Inter (2009) – 2 jogos – nenhum gol
Benfica (2010-2014) – 53 jogos – 13 gols
Santos (2011-2012) – 62 jogos – 14 gols
Palmeiras (2006-2014) – 46 jogos – 24 gols

Seleção Brasileira Sub-20 (2009) – 15 jogos – 6 gols

Valdivia

(Para ser justa, vou contar os gols do Mago a partir de 2007 também, muito embora o que deveria ser contado, no caso de Valdivia, seriam as suas assistências a gol e as suas jogadas que resultaram em gols. Mas aí, fica tão injusto com Kardec, que não é meia, quanto é injusta a comparação que o jornalista fez com os dois. E se forem contados os passes feitos por Valdivia e desperdiçados pelos atacantes, até mesmo por Kardec, aí a conta da importância do jogador para o time ficará mais desigual ainda)

Palmeiras (2007-2008) – 78 jogos – 24 gols
Al-Ain (2008-2010) – 36 jogos – 20 gols
Palmeiras (2010-2014) – 124 jogos – 17 gols

Seleção Chilena Sub-23 – 9 jogos – 1 gol
Seleção Chilena – 54 jogos – 4 gols
(em 2009, no jogo Chile e Colômbia, Valdivia saiu do banco quando o Chile perdia por 1 x 0, deu duas assistências pra gol, fez a jogada de um outro e marcou o seu, classificando o Chile para a Copa de 2010)

Num outro trecho da notícia, o jornalista pergunta “por que Kardec deveria receber metade de Valdivia (vão dividir o Valdivia ao meio??  😯 ), se ele cumpre o contrato assinado em 2010 e não precisa ser campeão para arrecadar mais?” (Deve ser por isso mesmo, porque Valdivia tem um contrato que foi firmado há quatro anos, e assinado por um outro presidente, não é mesmo? Ou talvez seja porque ele é o cara que chama a marcação em campo, e apanha feito um condenado, para que seus companheiros possam ficar livres para marcar gols, ou porque ele é o cara que pensa o jogo, ou porque é o mais criativo e diferenciado do time, ou porque é o jogador  que os nossos adversários mais temem, ou porque ele tem uma história no clube, mais títulos conquistados… vai saber…)

Prêmios Individuais de Alan Kardec

  • Artilheiro do Campeonato Paulista 2014 Série A1: 9 gols
  • Melhor atacante do Campeonato Paulista 2014 Série A1 
  • Seleção do Campeonato Paulista 2014 Série A1

Prêmios individuais de Jorge Valdivia

  • Melhor Meia Esquerda do Campeonato Brasileiro 2007 (Prêmio        Craque do Brasileirão) 
  • Bola de Prata (Placar) 2007
  • Melhor Meia de Ligação do Campeonato Brasileiro 2007 (Troféu        Mesa Redonda)   
  • Melhor jogador do Campeonato Brasileiro 2007 (Troféu Mesa          Redonda)  
  • Seleção do Campeonato Brasileiro 2007
  • Melhor Meia Ofensivo das Américas 2007 (Jornal El País)  
  • Melhor jogador do Campeonato Paulista 2008
  • Melhor Jogador Estrangeiro da Liga dos Emirados Árabes 2008   
  • Melhor jogador da Liga dos Emirados Árabes 2009

Com todo respeito a Kardec, que está caminhando para se tornar um grande jogador, mas, por enquanto, Valdivia joga muito mais bola. Kardec, até hoje, só conseguiu destaque jogando pelo Palmeiras. Valdivia é ídolo no Palmeiras, no Colo-Colo, no Al-Ain, e qualquer grande clube brasileiro gostaria de contratá-lo.

E a notícia traria mais um trecho “nada a ver”… a crítica à politica de salários do Palmeiras, com uma comparação com o salário de um jogador,  “desde o ano passado havia o alerta das pedras no caminho para implantar a política de bônus salariais num time que paga 700 mil para Valdivia…” .

Achei grosseira e irresponsável essa matéria. Primeiro, pela tentativa de vincular a saída de Kardec com o salário pago a um outro atleta do clube, o que leva um leitor incauto a se voltar contra o jogador, a responsabilizá-lo por Kardec ter escolhido/preferido ir jogar no rival; segundo, por trazer valores de salários, algo que é assunto particular entre Valdivia e Palmeiras, e só a eles diga respeito, algo que é assunto particular entre qualquer patrão e empregado do mundo (você não costuma ver revelados os salários de jogadores de outros times, costuma?); terceiro, porque não tem cabimento desmerecer a qualidade, inquestionável, de um profissional, para amplificar as qualidades de um outro – se Kardec, que é muito bom jogador, fez muitos gols e viveu no Palmeiras o seu melhor momento da carreira até hoje, obviamente que ele deve isso ao seu próprio talento, mas deve também ao Palmeiras, que o tirou do desvio lá no Benfica, e deve aos companheiros de time, Valdivia, inclusive, que lhe deram passes e cruzamentos na medida; quarto, porque traz uma informação de impacto (o Palmeiras paga 700 mil a Valdivia), que não é verdadeira.

É lamentável que um profissional de imprensa, por mais credibilidade que tenha, se ache no direito de publicar os valores de salário de um jogador, ou de qualquer outro profissional; ainda mais, num país como o nosso, com sérios problemas de segurança e violência.  E fazendo de destaque, de alvo – mesmo que seja sem querer – um jogador que já foi sequestrado (ninguém pensa nessas coisas?).

Se publicar valores de salários aqui no Brasil é algo irresponsável, com valores incorretos e aumentados então… é pior ainda. Não pode, né?

Não é a toa que o jogador respondeu publicamente. Você já pensou se fosse o inverso? Um jogador, qualquer um, divulgando e questionando quanto ganha um profissional de imprensa? Comparando o salário de um jornalista com o de um outro profissional do mesmo veículo de comunicação? Comparando a competência profissional dessas pessoas? Seria o caos, você não acha?

O jornalismo precisa estar atrelado à verdade. Não se pode levar para milhares, milhões de leitores, uma informação originada no “achômetro” de uma “fonte”, uma informação, que pode ter saído (who knows?) das “fontes de água ratificada” que existem no Palestra.

Não sou jornalista,  mas imagino que uma informação como essa, que vem direto da “fonte” – que nunca é revelada, mas pode mentir, se enganar – deveria, sim, ter sido checada com o jogador, com seus representantes, sua assessoria (algo tão fácil de ser feito por um jornalista, não é mesmo? Até eu fiz isso antes de escrever aqui) e parece que esse caminho não foi percorrido. Uma grande mancada! Não é a toa que Valdivia está bastante aborrecido, e ele tem toda a razão.

Talvez agora, os profissionais passem a se questionar um pouco mais sobre a exposição que fazem de algumas pessoas, de seus assuntos particulares, de suas vidas privadas… talvez sabe agora, passem a, pelo menos, duvidar da confiabilidade de certas fontes…

 

  • Marco

    Estamos bem servidos de palmeirenses, na política, na FPF, na CBF, na imprensa.
    Nossa Arena teve “todo apoio” político para a aprovação do projeto e para a obtenção alvarás.
    Jornalista corneteiro que se busca o clube para autopromoção é o que não falta.
    Dirigente de federação nem se fala, o que acontece contra o Palmeiras para que façam média é uma festa.
    Agora temos esse elemento conhecido pela alcunha de PVC, ou tubo de esgoto, dar a sua contribuição.
    Com os palmeirenses que temos em cargos de visibilidade não precisamos de inimigos.
    Quanto a ele estar mal informado, não acredito, acredito muito mais em má fé do citado cidadão.

  • Jorgito Valdivia

    ALAN QIENNDEC? JAJAJAJAJA este camisa 14 ai tiene que dar metade del saláriozito dele para mi, pois qien era ele até chegar aqui?? nunca havia ganho premio algum todos taxavam atacante de série b.. no era nem relacionado la em Portugal jajajajaja jugando con yo, todo atacante fica consagrado é mucho fácil.. Barcos, Alex MIneiro.. O Suazo entón, me ama, tiene yo na selecion y teve en lo Colo Colo..
    Mais yo fico assustado o cuanto yoo incomodo las pessoas.. pq sera?? Será que é pq to indo pra minha segunda copa?? pq jogo mucho?? guardem a raiva, voy jugar mais uma en 2018 jajajajajajajajaja y digo mais, se o Palaia tivesse me trazido antes, esta seria la terceira copa jajajaja para deiirio do Tubos PVC jajajajajajaja o parmerense mais fajuto que existe..y yo duvido q seja mesmo viu?? no tem nenhum lapso de parmera nem de vez em quando… mais no precisamos dele.. somos 15 milhões de apaixonados, esses daí não fazem a diferença… arrebentouu clorofijaaaa #tchupaimprensinharidicula #tchupabvambvii

  • Paulo Rogério Almeida

    Vamos por partes, começar pelo o mais grave… Salário do jogador.

    Essa informação é tão, mas tão furada… Com base nos noticiários de 2010, quando o Palmeiras contratou o Kleber, ele vinha com um salário e as luvas, podia chegar perto de 400 mil.

    O Valdívia por sua vez, diziam que chegava perto de 500 mil com as luvas, e falavam que o teto do Palmeiras na ocasião, era o Marcos, que ganhava 500 mil.

    As luvas acabaram em 2011, que por sua vez, o Kleber começou a ficar insatisfeito com seu salário, notícias davam conta que o salário do atleta tinha baixado pra 260 mil e era menor do que o do Lincoln e outros… Por sua vez, o do Valdívia também baixou muito, ou seja, ele devia, eu disse devia, ganhar por volta de 360 mil no máximo.

    Ai os chutômetros vão de 500 pra 700? Faça-me o favor…

    E outra, vamos falar de atleta por atleta… Quem é o meia do Palmeiras, que quando atua, chama de três marcadores acima? Valdívia.

    Se ele chama esse número de marcadores e dá passes pra deixar seus companheiros em condição de gol, qualquer jogador, até o Betinho, fica em condições de balançar as redes.

    O cara fez nove gols no fraco Paulista, e muito por conta de jogadas do Valdívia. O único jogador diferenciado nosso é o Jorge Valdívia, tanto que a cobrança em cima dele é bem maior.

    Voltando a parte dos salários, é só lembrar o Zé Roberto no Santos, pedia pra não ficarem falando e o próprio Felipão, quando veio ao Palmeiras nessa última passagem, convocou o sindicato pra dar uma dura na impren$a, pois estávam falando do seu salário e jogando números que podiam queimá-lo.

    Isso é muito irresponsável da parte desse jornalista, o que se diz Palmeirense, mas desmerece nossos títulos do passado e fica à toda hora lambendo o outro lado do muro, jornalista esse, que no estádio olha para o pessoal da arquibancada com olhar de desprezo, eu vi, não foi ninguém que me falou.

    O pior, esse cara tem uma credibilidade por números que ele fica caçando e histórias que ele pesquisou, mas fala um monte de groselha e se acha o dono da verdade.

    Esse texto dele, foi extremamente ridículo e leviano.

  • delaney, eric.

    Mais um exemplo da irresponsabilidade de parte da imprensa esportiva no Brasil, que fala qualquer groselha, sem saber se elas procedem realmente, ou sem saber se essa informação pode prejudicar alguém.

    Primeiro que falar sobre o salário de algum profissional, independente de sua área de atuação é absolutamente deselegante e desrespeitoso (além de perigoso, num país como o Brasil, infelizmente), MENTIR e aumentar essas cifras pra “sustentar” uma matéria furada, é uma ofensa ao jornalismo, um desrespeito.

    Tem jornalista hoje em dia que não tem nenhum pudor em “inventar fatos”, sem a menor preocupação que isso pode causar a jogadores, inclusive jogando torcida contra eles, em comparações estapafúrdias como essa. Nem vou entrar no mérito dessa comparação, pq acho que ela nem cabe, só serve pra sustentar as teorias dessa turma de irresponsáveis.

    Pelo menos, o próprio Valdivia dá uns cortes nesses caras, com inteligencia, até pq, ele deve ter cursado mais tempo de jornalismo, do que boa parte dessa turma (vide Neto, que não deve ter terminado o ginásio). Enfim, ser jornalista esportivo hoje em dia, é uma moleza, não precisa mais de diploma, e você pode sair por aí falando qualquer besteira, sem a menor responsabilidade, depois se alguém desmascara, é só falar que “sua fonte que vc não pode revelar” estava equivocada, e segue pra próxima mentira, ops! matéria.

  • ednei

    Em primeiro lugar eu quero dizer que a Tania Clorofila,nos alerta e chama a atenção para fatos que podem de vez em quando passarem despercebidos.Mas a nossa obrigação(torcedores )que não temos um canal como o Blog,temos a obrigação de invadirmos os sites, blogs,e-mails,de tvs, jornalistas,pseudos jornalistas,e reclamar nos fale conosco,nos atendimentos,em todos os meios de comunicação.Já que estamos em guerra(Tudo contra o Maior de todos)tem até juiz sendo multado por não ter dado o penalty contra o Verdão no jogo do criciuma(Jamais verão isso acontecer novamente)Vamos deixar de desabafar com a Clo,ou com o Malaga que parece que foi censurado,visto que sumiu,e deixar esses caras loucos e pensarem antes de falar ou melhor mentir contra o Maior de todos.Abs a coletividade palmeirense.

  • Marco

    Quero mandar um recado ao Valdívia, caso ele leia este blog.
    Trata-se do relato de uma conversa que tive com um ex árbitro, durante uma
    partida do Palmeiras em que ele trabalhava como observador da CBF.
    Foi uma conversa informal dentro da possibilidade de não atrapalhar a
    função que ele exercia naquele momento.
    Foi mais um jogo em que o Valdívia apanhou à vontade sob a anuência da
    arbitragem que, como de costume o “premiou” com o cartão amarelo por
    reclamação.
    Foi exatamente esse o tema da conversa: a não punição da violência e a
    punição das reclamações.

    Pelas respostas desse ex árbitro alguns pontos ficaram nítidos, resumindo:
    Árbitro não se preocupa tanto com violência e sim com reclamações, pois
    reclamação é contra eles, já o jogo violento é contra o jogador – Essa foi a
    conclusão que tive pelas opiniões que ouvi, pois tudo o que era falado sobre
    jogo violento era relativizado, já para as reclamações, a rejeição era
    forte.
    Acham o Valdívia chato em campo e deixam bater para dar uma “lição” nele.
    Por exemplo na frase utilizada no dia: “Quando o Valdívia reclama muito, é só
    avisar que vai ter cinco minutos de pancada liberada que ele acalma”

    Nesse sentido, fica o recado para o Valdívia. Caso continue reclamando com
    a arbitragem só vai fazer o que eles querem. Vão assistir você apanhar, vão dar
    risada na sua cara e ainda aplicar o cartão.
    Não adianta dar murro em ponta de faca com a arbitragem brasileira, ela não
    é séria. Quem teria que denunciar essa situação é o clube pelos canais
    competentes e junto à imprensa.
    Relacionando com o problemas abordado neste texto do blog, nunca ouvi ou li qualquer manifestação desse tal jornalista condenando ou denunciando o jogo violento e desleal contra o Valdívia.

  • The Hunter Protoss

    Essa anta desse pvc, que se diz palmeirense, era contra a unificação dos titulos brasileiros…! Com um palmeirense desses na mídia, quem precisa de inimigos?