Gilson Kleina deixa o Palmeiras

Gilson Kleina não é mais o técnico do Palmeiras. Na tarde desta quinta-feira (08), a diretoria se reuniu  e decidiu pela saída do técnico que estava comandando o Palmeiras desde setembro de 2012.

Kleina comandou o Palmeiras em 105 jogos, e obteve 56 vitórias, 20 empates e 29 derrotas.

E ele agradeceu pela oportunidade de trabalhar num clube como o Palmeiras:

– “O Palmeiras, uma potência do futebol brasileiro e mundial, foi um lugar onde eu tive a honra de trabalhar durante 20 meses. Me orgulho de ter ficado à frente da equipe em importantes momentos. Agradeço em especial à torcida, jogadores, funcionários, diretoria e a todos que sempre estiveram me apoiando e dando força em momentos difíceis, que, com garra e força de vontade, superamos e vencemos etapas importantes. Encerro esse ciclo e espero que o Palmeiras tenha muito sucesso e esteja sempre no lugar em que merece”.

Muito obrigada, Kleina, por ter aceitado dirigir o Palmeiras quando nenhum outro técnico, nem aquela porcaria do Falcão, aceitou o cargo…

Muito obrigada por ter nos ajudado a voltar à serie A, sem sustos…

Obrigada pelo título da série B… (se não o conquistássemos cairiam de pau na gente por isso)…

Obrigada pela boa vontade, que eu sei que você teve…

E obrigada por sair agora. Não dava mais pra você.

Boa sorte no seu caminho, Fred Flintstone!

E que venha o próximo! Seja quem for, vai ter todo o nosso apoio!!

  • Paulo Rogério Almeida

    Kleina, você pegou o Palmeiras numa sinuca de bico… Foi o menor responsável pela queda. Em 2013, apenas nas oitavas da Copa do Brasil a culpa de uma eliminação em mata-mata foi exclusivamente sua. Tiveram jogos com falhas do “bundão” do goleiro Bruno, como aquele diante o Tijuana ou mesmo o primeiro revés na série B, contra o América-MG. O seu maior erro, foi por um sistema de rotação entre os jogadores, quem se contundia (e não fosse titular absoluto igual o Valdívia ou o Prass), sem explicações, sumia e em alguns casos, sequer era relacionado. Foi assim com João Denoni, que pegou e mostrou personalidade na reta final do BR12 e mesmo contundido foi guerreiro e jogou, voltara à ocorrer com Patrick Vieira, outro garoto que entrou naquela sinuca de bico e mostrou personalidade, foi bem na Libertadores e contundiu para sumir do mapa e ser emprestado. O fato ocorreu com outros jogadores, o próprio Mendieta, contundiu e as vezes sequer foi relacionado. Eguren? Coitado, preterido pelo péssimo Josimar, daonde você viu futebol nele? França com problemas extra campo, mas que de futebol tinha muito mais que o seu Josimar… Monte um banco e time titular com base na técnica e não em rodízios sem noção. Ah, só pra constar, outro erro foi o sistema de “revezamento” de goleiro reserva e que nos prejudicou diretamente no Paulista de 2014, voltara à nos prejudicar diante do Flamengo, colocar o Bruno foi o seu “pedala moleque”, se queimou e foi prejudicado com esse goleiro fraco e que, o senhor tinha deixado ser emprestado ao Criciúma e por alguma razão não foi, o Fábio, é o nosso goleiro reserva e o Bruno, sequer tinha que ser relacionado mais. Foi sua primeira passagem por um gigante do futebol, pode vir a aprender com estes erros futuramente, boa sorte na sua nova trajetória e obrigado pelo acesso e o título.