CHEGA AO FIM O FRAQUÍSSIMO BRASILEIRÃO 2013

O Brasileirão 2013 acabou…  Ponte e Náutico já tinham sido rebaixados nas rodadas anteriores, hoje, “Vaixco” e “FuminenC”  completaram a tabela de times da série B 2014 (a série B tava morrendo de saudade do Flu. Em 2000, ele disse que ia só comprar cigarros, fugiu, e não voltou mais. Já o Vasco, como é de praxe, vai ser vice-campeão da série B).

E depois de tanto ouvir alguns palmeirenses reclamarem das vitórias do Verdão, de minimizá-las por causa do baixo nível da série B, resolvi prestar atenção em alguns detalhes do “fortíssimo” Brasileirão da série A-2013. Vejamos…

Com 114 pontos em disputa, só os 6 primeiros colocados conseguiram fazer mais do que a metade dos pontos (57). Os outros 14 clubes pontuaram de 57 pontos pra baixo.

Cruzeiro (76), Grêmio (65), Atlético-PR (64), Botafogo (61), Vitória e Goiás (59), já Santos e Atlético-MG, fizeram exatamente a metade dos pontos (57).

Os dois clubes com os piores ataques do campeonato foram o Náutico, com 22 gols marcados,  e o Corinthians, que mesmo tendo um ataque milionário – só o Pato custou 40 milhões – marcou apenas 27 gols , e ficou com a péssima média de 0,7 gols por partida.

O Náutico, diga-se de passagem, tinha a pior campanha da era dos pontos corridos, e só passou a ter a segunda pior campanha porque ganhou do Corinthians na última rodada (mas vergonha mesmo, segundo a imprensa, foi o Palmeiras ter sido desclassificado na Copa do Brasil pelo Atlético-PR, vice-campeão do torneio, e que terminou como terceiro colocado no Brasileirão 2013).

No saldo de gols, 5 clubes tiveram bons números: Cruzeiro, que esnobou nesse quesito (40 gols), Atlético-PR (16), Botafogo (14), Santos (13) e Atlético-MG (11). Os outros 15 clubes foram de ruim para lamentável: Grêmio (7), Vitória (6), Corinthians (5), Goiás e Portuguesa (4), São Paulo e Inter (-1), Famengo e Coritiba (-3), Fluminense (-4), Bahia (-8), Vasco (-11), Criciúma (-14), Ponte Preta (-18) e, pasmem, Náutico (-57) – como é que o time do Corinthians conseguiu não fazer gols num time, que tomou 79 gols? Como conseguiu empatar sem gols no primeiro turno e perder no segundo (Mas, segundo a imprensa, é o Palmeiras que não tem time para disputar a série A em 2014. E tem torcedor, que deixa o cérebro desligado e sai repetindo essa asneira)?

E é claro que, com esses números tão ruins, a média de aproveitamento dos clubes também não seria grande  coisa e só 6 deles ultrapassariam os 50%. Pra se ter uma ideia, o campeão Cruzeiro teve 66,7% e o Grêmio, que ficou em segundo, 57%. São Paulo, Corinthians e Flamengo, tão badaladinhos pela imprensa, ficaram na casa dos 43% (SPO e COR – 43,9 e FLA 43).

Mas teve algo que me chamou bastante a atenção, e do qual muita gente não se deu conta… algo que escancara o péssimo nível da competição.

Os “canpiaum mundiau” e os bambis, com seus elencos caríssimos, acabaram o campeonato a 4 pontos da série B.

O “Flameingo”, a 3 pontos.

O Internacional, Choritiba, Portuguesa e Bahia, a 2 pontos.

O Criciúma, terminou o campeonato com os mesmos 46 pontos que rebaixaram o Fluminense.

Moral da história: DO 9º AO 19º COLOCADO FICOU TODO MUNDO EMBOLADO (o Náutico, 20º colocado, fez só 20 pontos e nem conta)! DO 9º AO 17º (o primeiro dos 4 rebaixados)  EXISTIAM APENAS 4 PONTOS DE DIFERENÇA!! É mole?

Dos 20 clubes, 14 passaram em algum momento pela zona de rebaixamento.

E vale lembrar que alguns desses grandes, da “fortíssima” série A, que terminaram o campeonato meio embolados com os times rebaixados, precisaram receber ajuda pelo caminho… senão, muito provavelmente, estariam na série B em 2014.

Que “nível altíssimo” teve a série A, não é mesmo? Só o Palmeiras, segundo as bocas e teclados que adoram esculhambar o próprio time, e cujos cérebros se recusam a trabalhar, é que disputou um campeonato de m….  Nada como se observar os detalhes, o que dizem os números, não é mesmo?

Ah, e não vamos esquecer de observar mais uma coisa. Cair, o Flu caiu… vamos ver se vai virar o ano caído, ou se vão escancarar as portas dos fundos do Brasileirão pra ele (para o Vasco também), OUTRA VEZ.

  • Gaetano

    Contra números não há argumentos. A lamentar, infelizmente, o menosprezo que alguns dos torcedores palmeirenses, fomentados pela imprensinha, dão ao nosso time. A série B é fraca? Claro que sim, mas não devemos achar que não tivemos dificuldades e não devemos deixar de levar em consideração que sobramos. Perdemos 7 jogos sendo 4 deles, de forma questionável (Sport e América no primeiro turno, ABC e Icasa, no segundo) por má arbitragem ou por lance de sorte dos adversários . Os outros 2 contra Boa, Chapecoense merecemos a derrota e,ainda assim, jogamos bastante desfalcados. Restou o jogo contra o Paysandu que merecíamos, pelo menos, o empate. JOGAMOS MUITO a série B. Esses são os números. Por isso, na minha opinião, o trabalho de Gilson Kleina não pode ser, ainda, questionado. Não se pode ter opinião formada, quando se entra numa disputa sobrando, por ser muito superior, onde o treinador não teve papel vital. Particularmente, pelo nível da Serie A, estaríamos, também, nessa competição, muito bem colocados. Agora, veremos a qualidade do treinador. E, honestamente, torço pelo seu sucesso.

  • Gaetano

    Contra números não há argumentos. A lamentar, infelizmente, o menosprezo que alguns dos torcedores palmeirenses, fomentados pela imprensinha, dão ao nosso time. A série B é fraca? Claro que sim, mas não devemos achar que não tivemos dificuldades e não devemos deixar de levar em consideração que sobramos. Perdemos 7 jogos sendo 4 deles, de forma questionável (Sport e América no primeiro turno, ABC e Icasa, no segundo) por má arbitragem ou por lance de sorte dos adversários . Os outros 2 contra Boa, Chapecoense merecemos a derrota e,ainda assim, jogamos bastante desfalcados. Restou o jogo contra o Paysandu que merecíamos, pelo menos, o empate. JOGAMOS MUITO a série B. Esses são os números. Por isso, na minha opinião, o trabalho de Gilson Kleina não pode ser, ainda, questionado. Não se pode ter opinião formada, quando se entra numa disputa sobrando, por ser muito superior, onde o treinador não teve papel vital. Particularmente, pelo nível da Serie A, estaríamos, também, nessa competição, muito bem colocados. Agora, veremos a qualidade do treinador. E, honestamente, torço pelo seu sucesso.

  • Marco

    Tânia,
    Seu texto deveria ser reproduzido em todos os blogs da Mídia Palestrina.
    Para o Palmeiras voltar ao lugar que merece, além da reorganização do clube e do time que está sendo feita, é preciso reorganizar a mentalidade do palmeirense que precisa, com urgência, deixar de comprar crises. A imprensa vende crises para o Palmeiras porque existem muitos consumidores.

    • Marco

      Globo, Gazeta e Terra mantém os escudos dos times como série A e série B em 2013.
      Quando terminou a série A de 2012, a mudança dos escudos foi imediata.

    • Gaetano

      Concordo com você, totalmente e parabéns pela última sentença.

  • Marco

    Tânia,
    Seu texto deveria ser reproduzido em todos os blogs da Mídia Palestrina.
    Para o Palmeiras voltar ao lugar que merece, além da reorganização do clube e do time que está sendo feita, é preciso reorganizar a mentalidade do palmeirense que precisa, com urgência, deixar de comprar crises. A imprensa vende crises para o Palmeiras porque existem muitos consumidores.

    • Marco

      Globo, Gazeta e Terra mantém os escudos dos times como série A e série B em 2013.
      Quando terminou a série A de 2012, a mudança dos escudos foi imediata.

    • Gaetano

      Concordo com você, totalmente e parabéns pela última sentença.

  • Marcelo

    Ótima observação!
    Você fala o que todo palmeirense sente ao ler ou ouvir as matérias produzidas pela imprensa, cada vez mais sem credibilidade e coerência.
    Fosse os timinhos da imprensa prejudicados pela arbitragem como o Verdão no ano passado, certamente ficariam atrás até da Ponte Preta. Mas nesse caso choveu pênaltis (um mais ridículo que o outro) para salvar um deles do rebaixamento.
    Parabéns pelo Blog e saudações alviverdes!

  • Marcelo

    Ótima observação!
    Você fala o que todo palmeirense sente ao ler ou ouvir as matérias produzidas pela imprensa, cada vez mais sem credibilidade e coerência.
    Fosse os timinhos da imprensa prejudicados pela arbitragem como o Verdão no ano passado, certamente ficariam atrás até da Ponte Preta. Mas nesse caso choveu pênaltis (um mais ridículo que o outro) para salvar um deles do rebaixamento.
    Parabéns pelo Blog e saudações alviverdes!