STJD… JUSTIÇA PARA UNS, “JUSTISSA” PARA OUTROS

PRIMEIRA PARTE –

Nesses últimos dias/anos, andamos reclamando um bocado do Superior Tribunal de Justiça (?) Desportiva – STJD.

Parece que o tribunal tem problemas com o poder que tem para punir jogadores; jogadores que, muitas vezes, nem foram punidos pelos árbitros, e que são punidos pelas imagens das partidas; jogadores já punidos pelos árbitros, que o STJD acha que deve punir de novo, quando isso nem é necessário; jogadores punidos pelo próprio tribunal, que são levados a julgamento outra vez pela mesma infração… e esse poder, que não anda sendo usado de maneira justa e imparcial, acaba influenciando até no andamento dos campeonatos.

Parece também que o STJD tem algum problema com o Palmeiras… ou então, o problema é que os seus promotores não conseguem julgar e punir outros clubes, jogadores de outros clubes, as torcidas de outros clubes, com o mesmo rigor com que julgam as situações envolvendo o Palmeiras. O tribunal parece implacável para o Palmeiras e para os que vestem as suas cores – se valendo até de denúncia feita por torcedor profissional de imprensa -, enquanto é uma verdadeira “mãe” pra outros… As penas nunca são iguais, mesmo em situações semelhantes. E as desculpas pra justificar essa “bipolaridade” são as mais esfarrapadas possíveis. Fica parecendo que é apenas clubismo o que move os promotores e que, de justiça, mesmo, esse tribunal não tem nada, uma vez que as imagens de um, são minuciosamente revistas e analisadas, enquanto as de outros, parecem que nem existiram, ou então, que foram/são vistas com outros olhos.

E aí a gente lembra do Vagner Love sendo julgado pelo STJD, e um dos seus promotores se lamentando que as trancinhas do jogador – verdes e brancas, na ocasião – não fossem rubro-negras. Essa “cor das trancinhas” tem feito cada coisa…

Na semana retrasada, os promotores do STJD tiveram a cara-de-pau de dar 2 jogos de suspensão para Valdivia, por ele ter forçado um cartão amarelo. Um tipo de suspensão que o mesmo STJD nunca deu para nenhum outro jogador, mesmo tendo sido inúmeros os casos de cartões forçados e publicamente confessados. E se a Justiça Desportiva nunca puniu ninguém por isso (o mesmo STJD absolveu Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, quando eles tinham as “trancinhas” rubro-negras), por que é que puniu um jogador do Palmeiras? E por que não puniu Paulinho e Tite do Corinthians no ano passado? Nem o Riveros do Grêmio? Nem todos os milhares de outros que fazem o mesmo desde que os cartões foram inventados? Punição com exclusividade para um único clube é inaceitável. Cheira a abuso de poder!

Na ocasião do cartão amarelo forçado de Valdivia, o presidente do tribunal, Flávio Zveiter, participou de um programa da Globo (o programa que havia recebido Valdivia antes da rodada, e que depois usou o que foi falado por ele lá, para dedurá-lo ao STJD) e afirmou:

Estou tomando conhecimento da declaração do atleta agora (“agora” significa: depois que o programa do corintiano André Rizek ligou pra ele pra questionar a punição que cabia ao jogador do Palmeiras. O mesmo Rizek, que não ligou para o tribunal quando o Paulinho, do Corinthians, o time para o qual ele torce, fez o mesmo), mas em tese, uma vez que eu ainda não vi o lance, essa atitude pode ser passível de punição porque caracteriza uma infração ao artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva. Ou seja, cavar propositalmente um cartão amarelo para se livrar de pura ou eventual suspensão se caracteriza como uma infração ao código, o que passa a ser passível de punição de uma a seis partidas (Guarde bem essas informações, você vai precisar delas depois).

O promotor Paulo Schmitt, também afirmou que jogador seria denunciado no artigo 258 do CBJD. E Valdivia foi mesmo denunciado (imagina se não seria) e punido com dois jogos. Uma punição exclusiva para Valdivia, nunca antes dada a nenhum outro jogador do país! Mas, antes dessa punição, já havia acontecido um julgamento – o único – de jogadores que forçaram um terceiro cartão amarelo. 

E veja o que o STJD achou da infração ao código naquela ocasião:

STJD-absolve-ronaldinho

Os jogadores das “trancinhas rubro-negras” – o tribunal as adora –  forçaram um terceiro cartão amarelo, admitiram isso e foram absolvidos, e, pelo mesmo motivo, o jogador do Palmeiras foi condenado. O pau que não bateu nos jogadores do Flamengo, bateu no jogador do Palmeiras. MAS QUE REGRA É ESSA, QUE VALE PRA UNS E NÃO VALE PRA OUTROS?  O STJD está se sobrepondo às regras do futebol? Caça as bruxas que ele bem entender, e deixa voando as que bem entender também? Se forçar um cartão é infringir o artigo 258, não pode haver absolvição pra uns e condenação pra outro. Ou pune todos ou não pune ninguém.

E o que diz o famigerado artigo 258?

Art. 258. Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

PENA: suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador (o Tite não foi punido, nem julgado e tampouco denunciado), médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código. (NR).

§ 1º É facultado ao órgão judicante substituir a pena de suspensão pela de advertência se a infração for de pequena gravidade. (AC). (acharam de grande gravidade o Valdivia forçar um cartão, sem ter dado botinada em um adversário!?!?)

§ 2º Constituem exemplos de atitudes contrárias à disciplina ou à ética desportiva, para os fins deste artigo, sem prejuízo de outros:

I – desistir de disputar partida, depois de iniciada, por abandono, simulação de contusão, ou tentar impedir, por qualquer meio, o seu prosseguimento; (AC). 

II – desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões. (AC). (nessa aqui, o tribunal vê quem ele quer ver. Os casos de punição pra uns e “vistas-grossas” pra outros são inúmeros. Tem jogador que xingou o juiz e recebeu gancho, e tem jogador que xingou o juiz, igualzinho, e recebeu pena comunitária…)

E prestem atenção: O ARTIGO NÃO DIZ ABSOLUTAMENTE NADA SOBRE A PUNIÇÃO SER BASEADA NO TIPO DE REAÇÃO QUE TEVE O JOGADOR AO CONSEGUIR O SEU INTENTO (guarde essa informação também).

E se já tínhamos a impressão de que esse artigo 258 poderia estar sendo usado de maneira seletiva, clubista, uma nova situação veio reforçar a coisa. Nesta semana, o jogador Elias, do Flamengo – olha as “trancinhas” rubro-negras de novo -, forçou um terceiro cartão amarelo, pra descansar, e admitiu isso:

Elias-admite-cartão-forçado1

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/2013/09/elias-recebe-o-terceiro-cartao-amarelo-e-nao-enfrenta-ponte-preta.html#atleta-elias-trindade

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/2013/09/elias-deve-ser-denunciado-pelo-stjd-por-forcar-cartao-e-pode-levar-gancho.html

E aí, todo mundo pensou: “vai pegar dois jogos de gancho, assim como pegou o Valdivia, vai ser pego no tal artigo 258”, não é mesmo? Não há nem o que questionar. O presidente do tribunal disse que cavar propositalmente um cartão amarelo para se livrar de pura ou eventual suspensão se caracteriza como uma infração ao código. 

Nada disso! Parece que para o promotor Paulo Schmitt (como ele é contraditório) as coisas não são inquestionáveis assim. Pasme com as declarações do promotor à imprensa, sobre Elias ter admitido que forçou o cartão, acrescentando que a ideia foi do seu treinador:

Quem falou foi o Elias, o Mano disse que não pediu ao jogador. Em tese, será só o atleta (que será denunciado) – explicou Paulo Schmitt, procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Um dos dois está mentindo, né “seo Ximit”? E o tribunal, ao que parece, premia a mentira, absolvendo de antemão quem dela se utilizou.

E então, o promotor falou sobre denunciar ou não o jogador do Flamengo:

É provável. O tratamento a esse tipo de conduta de manipular o controle de cartões, escolhendo o adversário para o cumprimento do impedimento automático, é reprovável e será avaliado. Dependendo da análise das provas, receberá da procuradoria esse atleta o mesmo tratamento de outros que assim agirem – explicou.

http://extra.globo.com/esporte/flamengo/flamengo-stjd-vai-analisar-se-elias-forcou-terceiro-cartao-amarelo-9946022.html#ixzz2eyQ0A1f5

Análise das provas? É reprovável e será avaliado? O jogador admitiu e o tribunal ainda vai analisar as provas? Como assim, “seo Ximit”? Não tem essa de que vai analisar se o Elias forçou o cartão, ELE ADMITIU PUBLICAMENTE QUE FEZ ISSO! O jogador vai ter que provar que falou o que falou? Depois dessa embrulhada toda só se ele for muito burro, né? O senhor não se pronunciou da mesma forma sobre o cartão do Valdivia.

E o promotor também não quis comparar os dois casos (Valdivia e Elias) ainda alegando que precisaria rever os lances da partida e o pós-jogo.

Cada caso é um caso. O Valdívia riu no lance, debochou após o jogo e entrei com uma ação para a suspensão. Nesse caso tenho que avaliar, ver como tudo aconteceu, como o jogador reagiu. Não posso afirmar nada ainda – disse.

Que história é essa de “Valdivia riu no lance” e ” tenho que ver como o jogador reagiu”, Sr. Paulo Schimitt? A regra diz que a punição é para quem ri ou para quem força o cartão? Os dois casos são idênticos! Os dois forçaram o cartão e admitiram isso. A única diferença que há no caso são as “trancinhas rubro-negras” do Elias. Elas vão pesar, de novo?

Onde há na regra qualquer alusão à reação do atleta que forçar um terceiro cartão? O TRIBUNAL NÃO PODE INVENTAR UM “ADENDO” À REGRA QUE ESTÁ NO LIVRO, CONDENAR VALDIVIA PORQUE ELE RIU E ABSOLVER ELIAS PORQUE ELE NÃO RIU. Já não há nada no artigo sobre forçar um terceiro cartão, o tribunal é que resolveu que um cartão tomado de propósito (só o do Valdivia) é exemplo de atitude contrária à disciplina ou à ética desportiva. NO ARTIGO NÃO HÁ NADA SOBRE A REAÇÃO DO ATLETA. A Justiça Desportiva está querendo que isso seja a brecha para livrar o jogador que tem as trancinhas nas cores que agradam aos homens do tribunal? É isso? Se não é, tá com cara que é!

Tá com cara também, que estão dando a deixa para que os jogadores, daqui por diante, cometam a infração, jurem de pés juntos que não a cometeram e não riam em hipótese alguma. E isso é vergonhoso, uma vez que a infração, SE É QUE ISSO É MESMO UMA INFRAÇÃO, continuará a ser praticada. O tribunal, que puniu a sinceridade de Valdivia,  absolverá a dissimulação de outros?

Não entendo nada de leis, mas imagino – e imaginar eu posso – que os promotores não têm o direito de usar a regra de maneira torta, da maneira que acharem melhor, para punir quem eles querem punir e inocentar quem eles querem inocentar.  Eu quero entender, Sr. Paulo Schmitt. O tribunal não DEVE APENAS FAZER COM QUE AS REGRAS SEJAM CUMPRIDAS, IGUALMENTE, SEM PRIVILÉGIOS? A DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE DO TRIBUNAL É CLARA: cavar propositalmente um cartão amarelo para se livrar de pura ou eventual suspensão se caracteriza como uma infração ao código. 

Vou achar imoral e muito anti-ético se isso for agora distorcido para beneficiar um clube, quando um outro clube já foi prejudicado pelo mesmo motivo (acho imoral que a imprensinha já tenha “esquecido” o cartão forçado do Elias; acho indecente que ela legitime, sempre, o benefício pra alguns em detrimento do prejuízo pra outros). O STJD vai ter que dar dois jogos para o Elias também, como deu para Valdivia (onde está a imprensa para falar sobre isso?). Porque se não der, vou me sentir no direito de pensar que o STJD pune quem quer, quando quer, do jeito que quer, e deixa de punir também quem ele quer, quando ele quer e do jeito que quer.

E aí, vou começar a pensar também que vão ter que criar um outro tribunal, para que ele possa fiscalizar, denunciar, julgar e punir o STJD que não anda fazendo as coisas direito…

  • Angela Bonora Gamez

    adorei a postagem! novamente descreveu nosso sentimento, porque sentir-se injustiçado, perseguido é muito duro! E isto acontece com todos nós palestrinos!

    • taniaclorofila

      Angela, é revoltante!
      O tribunal imagina que os torcedores todos perderam a capacidade de pensar. Para o jogador do Palmeiras o discurso inicial era: pena de até 12 jogos!! E agora que tem “flameinguishta” na história, vamos analisar como ele reagiu. É muita desfaçatez do promotor!
      E se esse país fosse sério – não é -, se o futebol fosse sério – também não é – esses promotores do tribunal já teriam sido todos dispensados das suas funções, e mandados para as arquibancadas, porque lugar de torcedor é lá.

  • Angela Bonora Gamez

    adorei a postagem! novamente descreveu nosso sentimento, porque sentir-se injustiçado, perseguido é muito duro! E isto acontece com todos nós palestrinos!

    • taniaclorofila

      Angela, é revoltante!
      O tribunal imagina que os torcedores todos perderam a capacidade de pensar. Para o jogador do Palmeiras o discurso inicial era: pena de até 12 jogos!! E agora que tem “flameinguishta” na história, vamos analisar como ele reagiu. É muita desfaçatez do promotor!
      E se esse país fosse sério – não é -, se o futebol fosse sério – também não é – esses promotores do tribunal já teriam sido todos dispensados das suas funções, e mandados para as arquibancadas, porque lugar de torcedor é lá.

  • Zeca_SEP

    Só imaginando a seguinte estória aqui:

    UTOPIA (REPÓRTER IMPARCIAL): -Estamos aqui com Paulo Schmitt, promotor do STJD, para falar de um lance polêmico que aconteceu no jogo entre America MG x Palmeiras, onde… (Nesse momento Utopia é bruscamente interrompido).

    PAULO SCHMITT: -Palmeiras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!? (Brada prazeirosamente o paladino da justiça)

    -… A pena pode variar de 10 a 15 perdas de mando de jogo, e caso os mandos restantes na série B não sejam suficientes… (Utopia intervem nesse instante, sem esperar a conclusão do antecipado julgamento de Schmitt)…

    -…Então Sr. Paulo, como eu estava relatando, no jogo entre America MG x Palmeiras houve um lance polêmico que ocorreu numa confusão generalizada, onde o atacante William do time mineiro cuspiu em Alan Kardec, jogador do clube Paulista, e esse ultimo ainda foi expulso sem ter feito nada!

    Então Paulo Schmitt, o ícone da ordem, respira profundamente e conclui decepcionado:

    -Nesse caso teremos que assistir o vídeo do lance em questão para analisar se o jogador William REALMENTE teve a intenção de acertar Kardek. Caso essa intenção fique comprovada, precisaremos também analisar se o cuspe REALMENTE acertou o jogador do Palmeiras. Isso ficando claro, também precisaremos levar em consideração o que o árbitro da partida REALMENTE relatou na súmula… Como você pode ver, são vários fatos que teremos que analisar antes de tirar uma conclusão REAL… (TO BE CONTINUED)

    • taniaclorofila

      Perfeito, Zeca! É exatamente assim.
      Uma vergonha!

  • Zeca_SEP

    Só imaginando a seguinte estória aqui:

    UTOPIA (REPÓRTER IMPARCIAL): -Estamos aqui com Paulo Schmitt, promotor do STJD, para falar de um lance polêmico que aconteceu no jogo entre America MG x Palmeiras, onde… (Nesse momento Utopia é bruscamente interrompido).

    PAULO SCHMITT: -Palmeiras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!? (Brada prazeirosamente o paladino da justiça)

    -… A pena pode variar de 10 a 15 perdas de mando de jogo, e caso os mandos restantes na série B não sejam suficientes… (Utopia intervem nesse instante, sem esperar a conclusão do antecipado julgamento de Schmitt)…

    -…Então Sr. Paulo, como eu estava relatando, no jogo entre America MG x Palmeiras houve um lance polêmico que ocorreu numa confusão generalizada, onde o atacante William do time mineiro cuspiu em Alan Kardec, jogador do clube Paulista, e esse ultimo ainda foi expulso sem ter feito nada!

    Então Paulo Schmitt, o ícone da ordem, respira profundamente e conclui decepcionado:

    -Nesse caso teremos que assistir o vídeo do lance em questão para analisar se o jogador William REALMENTE teve a intenção de acertar Kardek. Caso essa intenção fique comprovada, precisaremos também analisar se o cuspe REALMENTE acertou o jogador do Palmeiras. Isso ficando claro, também precisaremos levar em consideração o que o árbitro da partida REALMENTE relatou na súmula… Como você pode ver, são vários fatos que teremos que analisar antes de tirar uma conclusão REAL… (TO BE CONTINUED)

    • taniaclorofila

      Perfeito, Zeca! É exatamente assim.
      Uma vergonha!

  • delaney, eric.

    O Valdivia também tem q parar de rir e dar “olhadas nos cotovelos” alheios! Onde já se viu isso? Não podemos de maneira nenhuma admitir que ele fale a verdade, muito menos que ele esboce algum sorriso! Vamos cancelar o visto desse chileno!! Hahaha

    • taniaclorofila

      Verdade, né Gringo?
      Eu estava vendo um vídeo daquele Vasco x Palmeiras de 2007, quando Valdivia foi expulso e depois pegou 5 jogos de gancho do STJD.
      Ele levou um monte de sarrafada no jogo, com as bençãos do juiz. Um jogador veio por trás e deu um chute no Valdivia; narrador e comentarista disseram que tinha sido uma agressão, e foi, mas o juiz deu só amarelo para a agressão.
      Entre todas as sarrafadas, o Kardec puxou cabelo dele, e ele, que já tava com o saco cheio de todas as botinadas, tava com sangue no zóio, revidou com um quase soco… E foi expulso na hora! Quem puxou ele pelo cabelo levou… amarelo. A agressão que ele sofrera foi punida com amarelo, e a que ele cometeu, com vermelho… Legal, né? Só que não…
      E quando ele foi expulso, os “comentarishtais” esqueceram de tudo o que s jogadores do “Vaixco” fizeram com ele na partida e disseram: Ele é muito pavio curto, ele não jogou nada (se tivesse jogado poderia revidar?), ele provoca, é muito nervosinho… como se a culpa de tudo fosse apenas dele…

      Agora, em 2013, ele é culpado por RIR!!!!!!! Porque forçou cartão igualzinho ao “flameinguishta”, mas o Schmitt disse que ele RIU!
      É como vc disse: Tirem o visto desse moço que dá “olhada” e “bocadas” no cotovelos dos adversários, que fala a verdade e que ri… Só falta isso, mesmo!

  • delaney, eric.

    O Valdivia também tem q parar de rir e dar “olhadas nos cotovelos” alheios! Onde já se viu isso? Não podemos de maneira nenhuma admitir que ele fale a verdade, muito menos que ele esboce algum sorriso! Vamos cancelar o visto desse chileno!! Hahaha

    • taniaclorofila

      Verdade, né Gringo?
      Eu estava vendo um vídeo daquele Vasco x Palmeiras de 2007, quando Valdivia foi expulso e depois pegou 5 jogos de gancho do STJD.
      Ele levou um monte de sarrafada no jogo, com as bençãos do juiz. Um jogador veio por trás e deu um chute no Valdivia; narrador e comentarista disseram que tinha sido uma agressão, e foi, mas o juiz deu só amarelo para a agressão.
      Entre todas as sarrafadas, o Kardec puxou cabelo dele, e ele, que já tava com o saco cheio de todas as botinadas, tava com sangue no zóio, revidou com um quase soco… E foi expulso na hora! Quem puxou ele pelo cabelo levou… amarelo. A agressão que ele sofrera foi punida com amarelo, e a que ele cometeu, com vermelho… Legal, né? Só que não…
      E quando ele foi expulso, os “comentarishtais” esqueceram de tudo o que s jogadores do “Vaixco” fizeram com ele na partida e disseram: Ele é muito pavio curto, ele não jogou nada (se tivesse jogado poderia revidar?), ele provoca, é muito nervosinho… como se a culpa de tudo fosse apenas dele…

      Agora, em 2013, ele é culpado por RIR!!!!!!! Porque forçou cartão igualzinho ao “flameinguishta”, mas o Schmitt disse que ele RIU!
      É como vc disse: Tirem o visto desse moço que dá “olhada” e “bocadas” no cotovelos dos adversários, que fala a verdade e que ri… Só falta isso, mesmo!

  • Marcelo

    1º Gostei de seu Post , mas vamos por Partes .
    Desde a Punição ao Ex Presidente Beluzzo por este mesmo Tribunal de Merda
    e do processo movido pelo Pior Arbitro da Face da Terra , que como Premio Ganhou um Microfone e Hoje é Comentarista de Arbitragem da Fox , Nos Palmeirenses percebemos que muita Decisão do STJD tem sido diferente , nunca a nosso Favor .
    Mas entendo que não devemos achar que ha uma Teoria da Conspiração contra o Palmeiras né ?? Este Tribunal que ai está , seu modelo não existe em nenhum buraco deste planeta onde se jogue futebol , A Itália Por exemplo ha um Tribunal de penas
    a decisão sai no dia seguinte apos a partida realizada , Pronto simples
    Um Abrç , Continue com seu Texto Brilhante !!!
    Marcelo

    • taniaclorofila

      Marcelo,

      A gente nem sabe o que dizer, principalmente, porque está mais do que escancarado! O tribunal tá punindo só quem ele quer e não como manda a regra.
      Fred, do Fluminense, tá quase careca de agredir adversários e ficar impune, quando pegou um gancho foram só dois jogos; Sheik pisou o pescoço de um adversário e pegou um jogo; Wiliiam, do Coritiba, deu um chute em Valdivia, na final da Copa do Brasil e não foi expulso e nem pego pelo STJD… São dezenas de casos ao longo desses últimos anos… Pra uns, a regra, seguida à risca e muitas vezes na forçada, na marra, no jeitinho achado de enquadrar o cara; pra outros, a enrolação e a absolvição, ou a pena para tapear, para ‘inglês ver’…
      Já passou da hora desse tribunal ser extinto…

      Um abraço

  • Marcelo

    1º Gostei de seu Post , mas vamos por Partes .
    Desde a Punição ao Ex Presidente Beluzzo por este mesmo Tribunal de Merda
    e do processo movido pelo Pior Arbitro da Face da Terra , que como Premio Ganhou um Microfone e Hoje é Comentarista de Arbitragem da Fox , Nos Palmeirenses percebemos que muita Decisão do STJD tem sido diferente , nunca a nosso Favor .
    Mas entendo que não devemos achar que ha uma Teoria da Conspiração contra o Palmeiras né ?? Este Tribunal que ai está , seu modelo não existe em nenhum buraco deste planeta onde se jogue futebol , A Itália Por exemplo ha um Tribunal de penas
    a decisão sai no dia seguinte apos a partida realizada , Pronto simples
    Um Abrç , Continue com seu Texto Brilhante !!!
    Marcelo

    • taniaclorofila

      Marcelo,

      A gente nem sabe o que dizer, principalmente, porque está mais do que escancarado! O tribunal tá punindo só quem ele quer e não como manda a regra.
      Fred, do Fluminense, tá quase careca de agredir adversários e ficar impune, quando pegou um gancho foram só dois jogos; Sheik pisou o pescoço de um adversário e pegou um jogo; Wiliiam, do Coritiba, deu um chute em Valdivia, na final da Copa do Brasil e não foi expulso e nem pego pelo STJD… São dezenas de casos ao longo desses últimos anos… Pra uns, a regra, seguida à risca e muitas vezes na forçada, na marra, no jeitinho achado de enquadrar o cara; pra outros, a enrolação e a absolvição, ou a pena para tapear, para ‘inglês ver’…
      Já passou da hora desse tribunal ser extinto…

      Um abraço

  • Gaetano

    Tânia, quem pode provar que o Valdívia, quando deu risada, o fez por causa do cartão? Já que se fala tanto em “provas”; Podia ter rido para alguém que o cumprimentou, ou de um companheiro. Julgar a risada como prova é um absurdo!! Ainda mais nesse caso, que não foi dirigida ao árbitro e não caracterizou qualquer ação respeitosa.

    • taniaclorofila

      Gaetano,

      O que me espanta é o promotor não ter um pingo de vergonha de dizer: “O Valdivia riu”. E daí que ele riu? Qual é a infração à regra, forçar um cartão? Então, é isso que os promotores devem analisar. E só!
      Não há agravantes, nem atenuantes, ainda mais por causa de um sorriso. O PROMOTOR É QUE PARECE QUERER FAZER ISSO POR CONTA PRÓPRIA!
      E esse promotor deveria ter que responder por isso, deveria ter que se explicar sobre querer se sobrepor à própria regra.
      Tá muito estranho isso…

  • Gaetano

    Tânia, quem pode provar que o Valdívia, quando deu risada, o fez por causa do cartão? Já que se fala tanto em “provas”; Podia ter rido para alguém que o cumprimentou, ou de um companheiro. Julgar a risada como prova é um absurdo!! Ainda mais nesse caso, que não foi dirigida ao árbitro e não caracterizou qualquer ação respeitosa.

    • taniaclorofila

      Gaetano,

      O que me espanta é o promotor não ter um pingo de vergonha de dizer: “O Valdivia riu”. E daí que ele riu? Qual é a infração à regra, forçar um cartão? Então, é isso que os promotores devem analisar. E só!
      Não há agravantes, nem atenuantes, ainda mais por causa de um sorriso. O PROMOTOR É QUE PARECE QUERER FAZER ISSO POR CONTA PRÓPRIA!
      E esse promotor deveria ter que responder por isso, deveria ter que se explicar sobre querer se sobrepor à própria regra.
      Tá muito estranho isso…

  • Lucius

    E quando vai ser esse julgamento, ou sei lá o que do Elias? Quero saber logo o resultado disso, porque se não pegar a mesma punição que o Valdivia vai ser a maior prova de todas da discriminação feita por esse “tribunal”.

    • taniaclorofila

      Lucius,

      Pode apostar que ele não pegará dois jogos.
      A não ser que seja julgado depois que o campeonato acabar, ou depois que a arbitragem der um jeito de salvar o time carioca do descenso, como já vimos ser feito 7.869.567 vezes.

  • Lucius

    E quando vai ser esse julgamento, ou sei lá o que do Elias? Quero saber logo o resultado disso, porque se não pegar a mesma punição que o Valdivia vai ser a maior prova de todas da discriminação feita por esse “tribunal”.

    • taniaclorofila

      Lucius,

      Pode apostar que ele não pegará dois jogos.
      A não ser que seja julgado depois que o campeonato acabar, ou depois que a arbitragem der um jeito de salvar o time carioca do descenso, como já vimos ser feito 7.869.567 vezes.

  • Carlos Wagner Borel

    Tânia, você foi simplesmente espetacular. Esta é nossa “Justiça”.

  • Carlos Wagner Borel

    Tânia, você foi simplesmente espetacular. Esta é nossa “Justiça”.

  • Marco

    O Tribunal jamais conseguiria fazer o que faz se não houvesse o amplo e
    irrestrito apoio e incentivo da imprensa esportiva.

    Não podemos esquecer de que em todos os casos de julgamentos por imagem que o
    Palmeiras foi submetido, a origem foi a ação de jornalistas e veículos de
    comunicação.

    Para os outros clubes, além da omissão e “esquecimento” do Tribunal e do
    seu promotor pavão, a imprensa cumpre o papel de esconder, justificar ou
    manipular os fatos.

    Em 2012 tivemos até o caso de interferência externa definindo um lance.
    Interferência que delatou a mão do atacante Barcos para fazer o gol, mas não
    informou que ANTES DE COLOCAR A MÃO NA MÃO, O JOGADOR PALMEIRENSE SOFREU
    PENALIDADE. Caso fosse legal, interferência externa deveria ser para tudo e para todos e não para escolher que parte do lance informar.

    O Tribunal legitimou uma ilegalidade (interferência externa) e a imprensa
    (que ajudou nessa interferência) editou o que queria informar e explorar.

    Temos também a agressão sofrida pelo Valdívia no final da Copa do Brasil,
    quando o jogador Willian deveria ter sido expulso no primeiro tempo e não foi.
    Essa agressão, como as agressões que o Valdívia sofreu em BH sumiu de todos os
    noticiários.

  • Marco

    O Tribunal jamais conseguiria fazer o que faz se não houvesse o amplo e
    irrestrito apoio e incentivo da imprensa esportiva.

    Não podemos esquecer de que em todos os casos de julgamentos por imagem que o
    Palmeiras foi submetido, a origem foi a ação de jornalistas e veículos de
    comunicação.

    Para os outros clubes, além da omissão e “esquecimento” do Tribunal e do
    seu promotor pavão, a imprensa cumpre o papel de esconder, justificar ou
    manipular os fatos.

    Em 2012 tivemos até o caso de interferência externa definindo um lance.
    Interferência que delatou a mão do atacante Barcos para fazer o gol, mas não
    informou que ANTES DE COLOCAR A MÃO NA MÃO, O JOGADOR PALMEIRENSE SOFREU
    PENALIDADE. Caso fosse legal, interferência externa deveria ser para tudo e para todos e não para escolher que parte do lance informar.

    O Tribunal legitimou uma ilegalidade (interferência externa) e a imprensa
    (que ajudou nessa interferência) editou o que queria informar e explorar.

    Temos também a agressão sofrida pelo Valdívia no final da Copa do Brasil,
    quando o jogador Willian deveria ter sido expulso no primeiro tempo e não foi.
    Essa agressão, como as agressões que o Valdívia sofreu em BH sumiu de todos os
    noticiários.

  • Leo Bailer

    Infelizmente o negocio é podre mas não adianta o Palmeiras querer ser o time mais honesto do Brasil, isso aqui nesse país é sinônimo de otário. É como diz o ditado se não pode vencer junte-se a eles, então para o Verdão voltar a ser vencedor terá que ser forte nos bastidores e parar de ser o bobinho da história!!!

  • Leo Bailer

    Infelizmente o negocio é podre mas não adianta o Palmeiras querer ser o time mais honesto do Brasil, isso aqui nesse país é sinônimo de otário. É como diz o ditado se não pode vencer junte-se a eles, então para o Verdão voltar a ser vencedor terá que ser forte nos bastidores e parar de ser o bobinho da história!!!