A MÚSICA DIZ TUDO: TEM QUE JOGAR COM A ALMA E O CORAÇÃO… (e sem “juiz ladrão”)

“Quando há uma tormenta, os passarinhos escondem-se, as águias, porém, voam mais alto.” – Indira Gandhi
.
Mais um  momento difícil em nossas palestrinas vidas… Parecia que estava tudo tão bem e, de repente, o tempo escureceu…
.
Se eu dissesse que não esperava que o Palmeiras avançasse na Copa do Brasil, estaria mentindo; se eu dissesse que não temia uma desclassificação, estaria mentindo também.
.

O que eu não esperava, e nem imaginava, era que os jogadores adversários tivessem mais empenho em campo do que os jogadores do Palmeiras (eles correram em campo, é verdade, mas faltou a alma, a entrega) ; nem que fossemos pra disputa, mal escalados,  tentando garantir a vantagem magrinha de 1 x 0, ou que o time jogasse muito abaixo do que pode, que deixasse uns buracos na defesa e que ficássemos esperando pra ver o que o time da casa ia fazer.

E nunca poderia ter sido do jeito que foi, numa apatia medonha e desrespeitosa à camisa e à torcida do Palmeiras. Nunca tomando gol de lateral (semi-aposentado) do “fortíssimo” Atlético do PR, nunca tomando um vareio e sendo goleado tão facilmente, nunca contando com a “grande” vantagem de um mísero gol (se era pra segurar a vantagem, como vacilamos tanto e tomamos três?), nunca sem termos feito nada que justificasse até mesmo um empate.

Realmente, foi e é inaceitável. Ainda mais porque sabemos que podemos jogar mais do que aquele nada que vimos em campo… porque não dá para engolir que, numa partida valendo vaga à fase seguinte de uma Copa do Brasil, a apatia entre em campo no lugar da determinação e da vontade de ganhar a qualquer custo.

A tormenta chegou e percebemos que o time que jogava como time de série A, não soube jogar nem mesmo como time de série B, que enfia os 11 na área para não tomar nenhum gol e se tiver oportunidade se aventura no ataque. Time de série B que bate um bocado no adversário e, o tempo todo, simula faltas que não existiram. Acho horrorosos esses dois últimos “recursos”, mas nem isso fizemos.

Kleina errou – não foi a primeira vez – e não soube consertar. Henrique fez uma partida muito abaixo do que poderia fazer, Wesley segurava a bola demais e estragava muitas tentativas de jogadas; Charles e Márcio Araújo na marcação (?) era trabalho dobrado para os dois zagueiros, Juninho muito ruim… e, justiça seja feita, o time inteiro não foi bem.

Kleina é mais um técnico medroso comandando o nosso time… e não entendeu que mais vale se arriscar a perder o emprego sendo um kamikaze, ousando, usando os seus conhecimentos de futebol na tentativa de vencer o “inimigo”, do que perdê-lo por não ter tentado fazer mais, por ter ficado esperando pra ver o que o adversário ia fazer e acabar sendo surpreendido por uma goleada e uma desclassificação (mais uma). Aqui é Palmeiras, Kleina! Você não percebeu a diferença ainda? Pra virar um grande técnico vai ter que tirar um Ás da manga. Se continuar repetindo os esquemas furados dos grandes técnicos, que já não são mais tão grandes assim, seu futuro vai ser um Bragantino da vida e olha lá.

E embora eu ache que o Kleina não serve para 2014 (e o que eu acho não vale niente), ainda temos bons meses até lá, e somos líderes da competição que nunca deveríamos estar competindo. Penso que ele deveria ser mantido até que tenhamos pontos suficientes para subirmos. Muito embora nos pareça que subir já é ‘fava contada’, o futebol tem nos mostrado, com revezes muito doloridos, que nada está ganho antes de ser matematicamente comprovado. E, por isso, mesmo não podemos nos desunir agora, aceitar mais pilha da imprensinha, declarar guerra a todo mundo, e ajudar a nossa maionese a desandar, porque o prejuízo vai ser só nosso.

E já passou, vamos em frente! É o que se tem pra hoje.

Ah, e antes que eu me esqueça, tem mais uma coisa que quero falar e com a qual eu também não contava… que se tornasse normal o Palmeiras ser prejudicado em todas as competições, e que parte da sua torcida perdesse a capacidade de enxergar isso, em meio aos nossos muitos defeitos, aos nossos tantos erros. (Pouca gente ainda se lembra porque não passamos pelo Tijuana na Libertadores).

No dia seguinte à desclassificação na Copa do Brasil, ninguém lembrava dos erros da arbitragem que prejudicaram o Palmeiras nas duas partidas diante do Atlético, ninguém falava do juiz deixando que eles batessem à vontade no primeiro jogo e levando em banho-maria o primeiro tempo para não punir com cartão amarelo os jogadores mais violentos. Ninguém lembrava do pênalti que Henrique sofreu na primeira partida e nem de todos os erros de quarta-feira, do pênalti em Leandro, que não foi assinalado, por causa da marcação de um impedimento que não existiu

Do pênalti em Henrique, que aconteceu bem na minha frente, no Pacaembu, só encontrei essa imagem. Reparem na mão que puxa Henrique pelo braço e para baixo:

Henrique-pênalti

Se criticamos técnico e jogadores, merecidamente, diga-se de passagem, temos que falar da arbitragem também. E não é feio, nem choro de perdedor, como imaginam alguns. E porque temos agido assim, com esse “escrúpulo” politicamente errado, errar para o Palmeiras passou a não trazer consequência alguma pra ninguém… roubam o Coritiba diante do Corinthians e depois, para compensar as reclamações de que os times do eixo Rio-SP são favorecidos, eles equilibram a balança permitindo que o Palmeiras seja prejudicado. E é sempre assim. E todo mundo que acompanha futebol sabe o que acontece quando o erro é contra outro(s) time(s). Basta comparar como é diferente quando é conosco.

A partida de quarta-feira mostrou os nossos problemas dentro e fora de campo. Problemas que teriam sido relevados, e até mesmo ignorados, caso o Palmeiras não fosse operado pelos auxiliares no primeiro e no segundo tempo (auxiliares que ficaram em Curitiba desde domingo, que trabalharam em dois jogos seguidos do Atlético). Muito provavelmente, esses problemas apareceriam mais à frente (ou não), mas o resultado dessa partida poderia ter sido outro. E porque o time foi muito mal e o técnico também,  o nosso problema, de sempre, passou batido…
.
No primeiro tempo, o bandeira Altemir Hausmann (aquele que levou uma bolada em Barueri, lembra?) impediu duas jogadas de gol do Palmeiras, marcando dois impedimentos absurdos. Lances fáceis de serem vistos e que não poderiam ser marcados por alguém com a sua capacidade técnica. E apesar da ofensividade do time da casa, de importante mesmo na primeira etapa, teve o gol do Atlético, uma outra chance, perdida pelo Delatorre, e duas jogadas do Palmeiras, tiradas pelo Altemir Hausmann. A reação do Palmeiras, que poderia ter acontecido (por que não?) foi tolhida na marcação desses impedimentos absurdos. 
.
Na segunda etapa, quando ainda estava 1 x 0, e um gol do Palmeiras, na casa do adversário, o deixaria em situação muito confortável, o outro auxiliar completou o serviço. Leandro entrou na área com a bola dominada e foi derrubado pelo goleiro. Pênalti… que não foi marcado porque a arbitragem inventou um impedimento (tente imaginar o que aconteceria caso o impedimento inventado prejudicasse um certo outro time). As imagens, que são muito claras, já sumiram dos vídeos com os melhores momentos (essa é a jogada). Só consegui a do tal “impedimento” do Leandro, antes que ele sofresse o pênalti.
Leandro-impedimento
.
E com a vantagem de um empate, com um gol marcado fora de casa (caso o pênalti tivesse sido assinalado e convertido), quem garantiria que o Palmeiras, tranquilo,  não tivesse marcado mais um ou dois gols, nas chances que criou? Mas aí, o Palmeiras tomou o segundo, e se perdeu totalmente na partida. Fica tão fácil para a arbitragem conduzir o jogo para um determinado resultado, não é mesmo? Os problemas vistos ontem, talvez tivessem sido adiados, minimizados e, até mesmo, corrigidos, mas o Palmeiras não teria sido desclassificado.

Apontar o que é feito contra o Palmeiras não é errado e nunca vai determinar a perda do nosso senso critico em relação ao futebol, a perda da nossa capacidade de avaliar o que está errado com nosso próprio time e desempenho. E, por isso mesmo, não podemos nos calar e achar que é legítimo que nos roubem só porque o time jogou mal.

Se estamos revoltados, se estamos p… da cara, temos que nos posicionar contra tudo de errado que vimos acontecer em campo, com nosso time, com o técnico e com a arbitragem também.

E sem esquecermos do pessoal da TV.. (Jota Junior, Antero Greco) que, covardemente, continua omitindo tudo o que é feito contra o Palmeiras.

Mas vamos em frente, torcedor, não vamos nos perder na (justa) revolta, não vamos perder o rumo e muito menos o foco; vamos voar mais alto, acima da tormenta… SOMOS PALMEIRAS, EM QUALQUER TEMPO E SITUAÇÃO!

  • DON MARTINO

    Tania nosso time é muito fraco se passasse para a outra fase não ganharia do inter e em questão do penal não achei que foi pode ver no lance que o goleiro encolhe os bracos e o leandro se joga mas não estava impedido enfim nosso presida é outro que parece amador falar as coisas na imprensa não pode tem que se lavar roupa suja em casa nem patrocinio ele consegue enfim esse é nosso palmeiras cada dia mais amador e sofrido!abs!

    • taniaclorofila

      Don Martino,

      Não importa se ele iria perder ou ganhar na próxima fase. Isso não dá o direito à arbitragem de prejudicá-lo. Não temos que pensar em nos poupar de desgostos futuros, de prováveis derrotas. Se somos torcedores, temos que torcer até mesmo se o adversário for o Barcelona. Temos que querer que o clube vá adiante. Além do mais, ninguém pode garantir o resultado de um jogo, antes que ele seja jogado. Fosse assim, os gambás não teriam perdido do Tolima, o Palmeiras não teria sido desclassificado pelo Asa e seria “facinho” a gente ganhar na loteria toda semana e montar um timaço pro Palmeiras. rsrs.

      O Palmeiras, apesar de não ter jogado nada, teve uma penalidade a seu favor, o juiz não a deu, porque marcou um impedimento QUE NÃO EXISTIU (o bandeira inventou um impedimento, outros já tinham sido inventados na partida), mas tudo bem, ele não ia passar para a outra fase mesmo… Não podemos pensar assim. Amamos esse time e temos que querer que ele seja bem sucedido, mesmo quando as probabilidades não nos são favoráveis.

      Quanto ao patrocínio, pensa bem, se vc fosse dono de um empresa, patrocinaria um clube que não é acreditado por boa parte de sua própria torcida, time do qual essa boa parte da torcida desfaz? Time que a própria torcida acha melhor ser desclassificado porque não vai passar na outra fase mesmo? Um time que está na segunda divisão e não tem exposição na TV, uma vez que transmitem pouquíssimos jogos nossos?

      Parece fácil encontrar patrocínio. Na teoria. Mas, na prática, o time fica refém das empresas, que dão as cartas na hora de negociar os valores. Eles acham que o clube, desesperado, vai aceitar qualquer merreca. Penso que Paulo Nobre está certo em não aceitar menos do que ele acha que a marca Palmeiras vale. E conduzir o time assim, sem patrocínio, sem as cotas de 2013, que Tirone recebeu em 2012, pagar os salários (a única coisa atrasada são os direitos de imagem que Tirone deixou de pagar) não me parece coisa de dirigente amador, muito pelo contrário.

      Tem time que se gaba de ser melhor, de ter a marca mais forte, que conquistou grandes campeonatos recentemente, e, se não fosse a influência de certo político e um banco do governo, estaria até hoje na pindura e com a camisa loteada.

      Respeito a sua opinião, mas não concordo com ela, exceto pela parte dos comentários e reclamações via imprensa. Eu tb acho que não devem ser feitos. Primeiro, porque não é bacana; segundo, porque a imprensa aumenta esse tipo de notícia, faz um leva-e-traz, uma parte da torcida ‘compra’ e ajuda a atear fogo no clube. E temos que procurar viver em paz. Mas temos que dar um desconto, quarta-feira, foi tenso pra todos nós…

      Precisamos ter calma e ajudar o Palmeiras a sair do lugar onde ele não deveria estar… Aí, se Deus quiser, nossos caminhos se tornarão mais fáceis.

      Um abraço.

  • DON MARTINO

    Tania nosso time é muito fraco se passasse para a outra fase não ganharia do inter e em questão do penal não achei que foi pode ver no lance que o goleiro encolhe os bracos e o leandro se joga mas não estava impedido enfim nosso presida é outro que parece amador falar as coisas na imprensa não pode tem que se lavar roupa suja em casa nem patrocinio ele consegue enfim esse é nosso palmeiras cada dia mais amador e sofrido!abs!

    • taniaclorofila

      Don Martino,

      Não importa se ele iria perder ou ganhar na próxima fase. Isso não dá o direito à arbitragem de prejudicá-lo. Não temos que pensar em nos poupar de desgostos futuros, de prováveis derrotas. Se somos torcedores, temos que torcer até mesmo se o adversário for o Barcelona. Temos que querer que o clube vá adiante. Além do mais, ninguém pode garantir o resultado de um jogo, antes que ele seja jogado. Fosse assim, os gambás não teriam perdido do Tolima, o Palmeiras não teria sido desclassificado pelo Asa e seria “facinho” a gente ganhar na loteria toda semana e montar um timaço pro Palmeiras. rsrs.

      O Palmeiras, apesar de não ter jogado nada, teve uma penalidade a seu favor, o juiz não a deu, porque marcou um impedimento QUE NÃO EXISTIU (o bandeira inventou um impedimento, outros já tinham sido inventados na partida), mas tudo bem, ele não ia passar para a outra fase mesmo… Não podemos pensar assim. Amamos esse time e temos que querer que ele seja bem sucedido, mesmo quando as probabilidades não nos são favoráveis.

      Quanto ao patrocínio, pensa bem, se vc fosse dono de um empresa, patrocinaria um clube que não é acreditado por boa parte de sua própria torcida, time do qual essa boa parte da torcida desfaz? Time que a própria torcida acha melhor ser desclassificado porque não vai passar na outra fase mesmo? Um time que está na segunda divisão e não tem exposição na TV, uma vez que transmitem pouquíssimos jogos nossos?

      Parece fácil encontrar patrocínio. Na teoria. Mas, na prática, o time fica refém das empresas, que dão as cartas na hora de negociar os valores. Eles acham que o clube, desesperado, vai aceitar qualquer merreca. Penso que Paulo Nobre está certo em não aceitar menos do que ele acha que a marca Palmeiras vale. E conduzir o time assim, sem patrocínio, sem as cotas de 2013, que Tirone recebeu em 2012, pagar os salários (a única coisa atrasada são os direitos de imagem que Tirone deixou de pagar) não me parece coisa de dirigente amador, muito pelo contrário.

      Tem time que se gaba de ser melhor, de ter a marca mais forte, que conquistou grandes campeonatos recentemente, e, se não fosse a influência de certo político e um banco do governo, estaria até hoje na pindura e com a camisa loteada.

      Respeito a sua opinião, mas não concordo com ela, exceto pela parte dos comentários e reclamações via imprensa. Eu tb acho que não devem ser feitos. Primeiro, porque não é bacana; segundo, porque a imprensa aumenta esse tipo de notícia, faz um leva-e-traz, uma parte da torcida ‘compra’ e ajuda a atear fogo no clube. E temos que procurar viver em paz. Mas temos que dar um desconto, quarta-feira, foi tenso pra todos nós…

      Precisamos ter calma e ajudar o Palmeiras a sair do lugar onde ele não deveria estar… Aí, se Deus quiser, nossos caminhos se tornarão mais fáceis.

      Um abraço.

  • Angela Bonora Gamez

    muito bem dito, escrito de maneira clara e concisa. vc realmente tem o dom de escrever o que todo palmeirense sente!

  • Angela Bonora Gamez

    muito bem dito, escrito de maneira clara e concisa. vc realmente tem o dom de escrever o que todo palmeirense sente!

  • Marco

    Considero essa situação preocupante. Foi criada uma mentalidade dentro do
    Palmeiras, na sua torcida e na imprensa que erro contra o time deve ser ignorado.Trata-se de um sentimento geral de aceitação.

    Entre os palmeirenses passou a existir a cultura de que apontar qualquer
    problema externo que nos prejudique é sinal de desculpa para falhas ou
    deficiências do time.

    Os erros cometidos pelos auxiliares FIFA nesta última quarta feira foram
    grosseiros e inaceitáveis. Caso fossem cometidos contra algum clube de maior
    representatividade e que tenham torcedores com sangue nas veias, teríamos uma
    polêmica gigantesca pela imprensa esportiva. Já o Palmeiras, o palmeirense e os
    jornalistas esportivos censuram qualquer tipo de alusão ao que foi feito em
    campo. Como de costume, apenas os erros do Palmeiras é que merecem destaque. Os acontecimentos do jogo até dois minutos antes do segundo gol do Atlético não
    existiram!

    Ao contrário, quando alguma interpretação de arbitragem nos favorece, mesmo
    quando absolutamente correta, surgem “vigilantes da ética” (imprensa e parte da
    torcida) para apontar o dedo insinuando favorecimento ao clube.

    Infelizmente nos tornamos uma coletividade de omissos e de otários, para a
    alegria dos rivais e inimigos. Enquanto os rivais vivem a realidade do mundo
    atual do futebol, o Palmeiras e sua torcida habitam a Ilha da Fantasia.

    Sugestão: O tema “covardia palmeirense” poderia e deveria ser objetivo de
    texto especial.

    DEFENDER OS DIREITOS DO SEU TIME EM NENHUM MOMENTO IRÁ IMPEDIR DE RECONHECER E TRABALHAR PELA RESOLUÇÃO DOS SEUS PROBLEMAS!

  • Marco

    Considero essa situação preocupante. Foi criada uma mentalidade dentro do
    Palmeiras, na sua torcida e na imprensa que erro contra o time deve ser ignorado.Trata-se de um sentimento geral de aceitação.

    Entre os palmeirenses passou a existir a cultura de que apontar qualquer
    problema externo que nos prejudique é sinal de desculpa para falhas ou
    deficiências do time.

    Os erros cometidos pelos auxiliares FIFA nesta última quarta feira foram
    grosseiros e inaceitáveis. Caso fossem cometidos contra algum clube de maior
    representatividade e que tenham torcedores com sangue nas veias, teríamos uma
    polêmica gigantesca pela imprensa esportiva. Já o Palmeiras, o palmeirense e os
    jornalistas esportivos censuram qualquer tipo de alusão ao que foi feito em
    campo. Como de costume, apenas os erros do Palmeiras é que merecem destaque. Os acontecimentos do jogo até dois minutos antes do segundo gol do Atlético não
    existiram!

    Ao contrário, quando alguma interpretação de arbitragem nos favorece, mesmo
    quando absolutamente correta, surgem “vigilantes da ética” (imprensa e parte da
    torcida) para apontar o dedo insinuando favorecimento ao clube.

    Infelizmente nos tornamos uma coletividade de omissos e de otários, para a
    alegria dos rivais e inimigos. Enquanto os rivais vivem a realidade do mundo
    atual do futebol, o Palmeiras e sua torcida habitam a Ilha da Fantasia.

    Sugestão: O tema “covardia palmeirense” poderia e deveria ser objetivo de
    texto especial.

    DEFENDER OS DIREITOS DO SEU TIME EM NENHUM MOMENTO IRÁ IMPEDIR DE RECONHECER E TRABALHAR PELA RESOLUÇÃO DOS SEUS PROBLEMAS!

  • palmeirense

    é praga da Globo td isso, pode crer

  • palmeirense

    é praga da Globo td isso, pode crer

  • Lincoln – Campeão Mundial 1951

    Também não aguento mais as várias partidas que o palmeiras é prejudicado (o unico time no mundo a tomar 2 gols com a mão no mesmo campeonato – payssandu e sport), o palmeiras toma providencias agora ou nunca mais vai ganhar nada porque não vão deixar.

  • Lincoln – Campeão Mundial 1951

    Também não aguento mais as várias partidas que o palmeiras é prejudicado (o unico time no mundo a tomar 2 gols com a mão no mesmo campeonato – payssandu e sport), o palmeiras toma providencias agora ou nunca mais vai ganhar nada porque não vão deixar.