O PALMEIRAS VAI JOGAR, EU VOOOU… TORCER!!!

Torcida-palmeirense

Até que enfim chegou a quarta-feira!!

Como podemos ficar tantos dias sem jogo do Verdão? Sem Palmeiras não há vida! Até o ar fica parado… O final de semana foi horrível, dois dias com uma baita cara de duas segundas-feiras.

Mas, se por um lado, é muito ruim ficar sem ver o Palmeiras em campo; por outro, é bom que ele tenha ganhado um dias a mais para treinar antes de enfrentar o Tigre (hoje à noite).

E haja felídeos em nosso caminho! Tigre no meio da semana, e Tigresas no domingo. Tigresas que, aliás, foram responsáveis pelo que aconteceu aos nossos adversários de logo mais, que apanharam dos seguranças do São Paulo, dentro de seus vestiários, em pleno Morumbi. E depois de termos visto o Libertad, impunemente, bater à vontade em nossos jogadores lá no Paraguai, não duvidem que sejamos nós a pagar a conta dessa agressão aos argentinos do Tigre (a arbitragem vai liberar geral). Ainda mais com a imprensinha sacana, fazendo um baita sensacionalismo, como se o Palmeiras fosse lá devolver alguma coisa. Quem tem responsabilidade no caso dos jogadores argentinos agredidos é o São Paulo.  Mas isso é mais uma presepada que ficou impune pela “credibilíssima” Conmebol, que não anda punindo nem time cuja torcida mata torcedor adversário dentro do estádio.

E tem mais uma coisa que esses dias de abstinência nos trazem: uma pausa para refletirmos e repensarmos algumas coisas. Na derrota do Palmeiras para o Libertad – a primeira em oito partidas – as reclamações de uma pequena parte da torcida extrapolaram os limites do bom senso e da palestrinidade.

Às vezes, eu acho que tem alguns palmeirenses que são torcedores de outros times passando por uma crise de identidade e, por isso, se imaginam palestrinos. Porque não é possível! É uma caça às bruxas por tudo e por nada. Uns, reclamam de qualquer coisa, criticam qualquer contratação feita, antes mesmo do cara entrar em campo e, desde o primeiro minuto de jogo, ficam só esperando os erros aparecerem (contam até os passes errados dos jogadores!) para poder dizer: “Eu não falei?”, “É sempre o ‘X’ quem falha”, “Tá faltando o ‘Y’, que foi dado de graça – o “Y” nem pensou em recusar ser ‘dado’, não é mesmo? (Pô, durante o jogo a gente torce! Tá no Livro de Regras de qualquer torcedor!) E há aqueles, que com uma derrota em oito partidas, acham que está tudo perdido; há ainda os que acham que os torcedores que levam em consideração a situação em que o clube se encontra, que sabem que mesmo contra a nossa vontade, vai levar tempo até as coisas voltarem ao normal, estão errados porque são conformados… Que porre!

Ah, como eu gostaria que os problemas que impuseram ao Palmeiras ao longo de décadas, pudessem ser consertados em apenas um mês (também fico p…  de ver meu Palmeiras nessa situação)! Como eu gostaria que bastasse uma nova pessoa se sentar na cadeira presidencial para que, num passe de mágica, pudéssemos ter grana e um monte de contratações maravilhosas; como seria bom se, num piscar de olhos, todas as reformas necessárias fossem feitas e ressuscitássemos a Academia; como eu gostaria que tivéssemos uma varinha de condão para que, em um mês, pudéssemos resgatar todo o respeito perdido e estarmos aptos a conquistar a Libertadores e todos os títulos que disputarmos – como deve ser sempre quando se trata de Palmeiras.

Mas como é que podemos achar/esperar/cobrar que um estrago tamanho “king-size” seja consertado em um mês? Como é que podemos pedir a contratação de super craques se sabemos (quem é palmeirense sabe) que a administração anterior deixou o clube quebrado? Que ela antecipou aproximadamente uns 50% das receitas, fazendo com que em 2013 a grana ficasse ainda mais curta? Se sabemos que não houve tempo hábil para que o marketing gerasse novas fontes de receitas? E além do mais, são poucos os que querem jogar a série B (estão aí, o Barcos e o Marketing Assunção, que não me deixam mentir). Há trabalho pra caramba a ser feito, e, infelizmente pra nós, que estamos cansados de sofrer, não é trabalho fácil, não; e tampouco será feito a curto prazo.

E as coisas ficam ainda piores quando aparece gente do Palmeiras, jogando contra e dando declarações como essa:

Pescarmona-imbecil Reparem no detalhe grifado em vermelho: oposição(?). Esse senhor, que se lançou candidato à presidente pela UVB, é OPOSIÇÃO? E como ele dá uma declaração desfavorecendo o Palmeiras?  Para bom entendedor, a mensagem é: “É fria patrocinar o Palmeiras! Patrocinadores, não caiam nessa!” Será que se ele fosse o presidente do clube, como pretendia ser, ou se fizesse parte de uma administração, como também pretendia, quando apoiava o candidato que foi derrotado, ele falaria algo assim? Claro que não! Então, porque fala agora?

Possíveis patrocinadores, lendo uma declaração como essa, devem se sentir bastante ‘motivados’ a colocar o seu dinheiro no Palmeiras, vocês não acham? Isso deveria, na melhor das hipóteses, resultar numa advertência.

E a pergunta que fica é: Será que alguma multinacional teria um cara desse como presidente?

Coitado do Palmeiras… O revanchismo não morre…  Até a Mídia Palestrina agora tem “situação” e “oposição”, vejam só! E essa nova oposição, tem o ressentimento da eleição perdida, bastante mal digerido, diga-se de passagem, como o grande redator de muita coisa que os palmeirenses andam lendo por aí. Mas, da boca para fora, todo mundo quer o bem do Palmeiras… E a gente finge que acredita!

Mas voltando ao mundo dos que não têm interesses particulares… Todos nós, torcedores, temos o direito de nos aborrecermos, de criticarmos, de cobrarmos; na verdade, devemos fazer isso, mas parece que alguns de nós só gostam do time quando ele ganha. Não consigo entender…

O Palmeiras foi ao Paraguai enfrentar o Libertad, o campeão nacional de lá, time do manda-chuva da Conmebol (até o estádio tem o nome dele), e não se apresentou bem, principalmente no primeiro tempo. O time já se apresenta melhor do que o do ano passado, está evoluindo – não podemos negar isso -, ma, na partida diante do Libertad estacionou, se mostrou desentrosado, desatento, temeroso… Nervoso, não se achava em campo, e só no finalzinho do primeiro tempo é que começou dar mostras de que ia se acertar.

Em compensação, o Libertad fez valer o fato de que jogava em seus domínios e meteu pressão. Pressão de um lado, desatenção e temor de outro… e o Libertad abriu o placar aos 10′. Mas não sem ter uma grande ajuda do árbitro. Que tirou Henrique de campo – que estava com o nariz sangrando, POR UMA COTOVELADA RECEBIDA, E QUE FICOU IMPUNE – justo quando uma falta ia ser cobrada na área do Palmeiras. Com o nosso melhor defensor do lado de fora do campo, ficou muito mais fácil para o adversário mandar pra rede. O engraçado é que depois disso, o Henrique continuou com o nariz sangrando e não foi mais obrigado a sair de campo….

O Palmeiras até tentou reagir; Kleina, que não deveria ter começado com Valdivia e Kleber no banco, chamou os dois para o segundo tempo, mas o Palmeiras não conseguia aproveitar as poucas chances que, então, passou a criar. Pra piorar a situação, o Libertad marcou o segundo. O Palmeiras parecia melhor no segundo tempo, mas gol que é bom… nem sinal! Embora o time tentasse resolver, não jogamos com a pegada que a competição exige. Some-se a isso o Libertad podendo bater à vontade,  e só o Palmeiras  se enchendo de cartões amarelos… O juizão marcava as faltas que cometíamos e as que não cometíamos também, parava ataque do Palmeiras para atender jogadores(!?!). E teve jogador paraguaio que distribuiu porrada até não querer mais e saiu no lucro.

Kleina reclamou um bocado, Henrique saiu furioso de campo…

E então a gente passou a ler por aí, que o Kleina não presta, nem o Souza, o MKL, o Vinícius, o Maurício Ramos, o Marcelo Oliveira, o Wesley, o Kleber, o Prass (!?!)… e por aí vai… Há quem diga que o Palmeiras não presta…

Hoje tem Verdão em campo, e se você faz parte do grupinho que acha  que nada presta no Palmeiras, se diz “amém” para o que publica a imprensinha sobre esse time, em formação, cheio de jovens, nunca ter ganhado nada fora do país (daquele time que, até ano passado, tinha passado 100 anos sem ganhar nada lá na fora, esses picaretas não falavam nada, né?), se você acha que só dá para torcer quando o Palmeiras voltar a ser do jeito que você imagina,  aqui vai uma sugestão: tire férias! Quando o Palmeiras tiver um time que seja do seu agrado, quando ele tiver um time que faça a sua vida do torcedor ser fácil, você volta a torcer, tá? Enquanto isso, deixa que a gente torce.

BOOOOORA, VERDÃO!!! VAMOS  BUSCAR A VITÓRIA!!