NAS ALEGRIAS DE SÁBADO À NOITE

Embalo de sábado à noite, para parmeras, é mesmo com o… PALMEIRAS! Frio, sabadão, jogo às 21h00, time na zona de rebaixamento, sem perspectiva de sair dela nessa rodada, contra a Ponte Preta (invicta há 8 jogos), e 31 mil pessoas estavam no Pacaembu!! Isso não é para qualquer time! Isso não é para qualquer torcida…

E foi uma noite linda! Especial! Cheia de alegria! Do lado de fora, o clima entre os torcedores era festivo, confiante. Não havia aquela tensão costumeira, havia apenas ansiedade nos olhos de todos. E, por essa disposição do torcedor, pude constatar que o papo do rebaixamento já ser favas contadas, era realidade apenas nas cabeças de quem se deixou levar pela mídia sensacionalista e tendenciosa. A parte pensante da torcida palestrina, acredita no time SIM! Está com o time SIM!

E foi uma festa para os sentidos estar naquele Pacaembu lotado, fazer parte daquela demonstração de amor, de apoio ao time, tão querido, que entrava em campo. Foi uma festa para o coração…

A gente ouve dizer que Kleina devolveu a confiança ao grupo… Eu acho que ele nos devolveu e nos trouxe tantas coisas mais, como por exemplo, botar o time pra cima desde o começo da partida, e não depois dele estar no prejuízo. Outra boa devolução, e que fez muito bem ao grupo, foi Maikon Leite! Ficamos bem mais perigosos com ele em campo, Barcos consegue jogar seu melhor futebol quando ele está no time. Mais uma coisa que Kleina nos trouxe, foi a movimentação de Henrique, Assunção e Márcio Araújo, trocando muitas vezes de posição… Me pareceu também, que o Mago não fica mais centralizado e se movimenta bastante, se posicionando sempre do lado oposto a Maikon Leite, para que o time leve perigo ao adversário pelos dois lados… tem Barcos mais fixado lá na frente…  Num desenho tático que funciona melhor (4-3-1-2) é natural a volta da confiança e da alegria!  Moral da história: o Palmeiras jogou um bolão! Venceu, convenceu e encantou o seu torcedor!

E foi bonito desde o início da partida. A Ponte ficava inteirinha na defesa; quase todos os seus jogadores estavam na área ou na entrada dela, morrendo de medo do Palmeiras! E o Verdão, com muito boa movimentação (fazia tempo que eu não o via assim), era bastante ofensivo. Tivemos algumas chances claras de gol  já nos primeiros minutos. Numa delas, o goleiro da Ponte fez quase um milagre, numa cabeçada de Artur.

Vendo o Palmeiras todo no ataque, a gente sabia que era só uma questão de tempo… E eu sabia que essa questão de tempo acabaria nos pés do Pirata… Tava na hora de sair a “nhaca”, tava na hora da alegria da saudação pirata! Aos 12′, Assunção cobrou uma falta, houve um bate-rebate na área e, depois da ajeitada de Artur, a bola apareceu na frente de Barcos. El Pirata só precisou se esticar todo e tocar com a ponta do pé, meio de raspão, pra ela ir morrer no cantinho esquerdo do goleiro. FESTA TOTAL NAS ARQUIBANCADAS! E todos os jogadores, lá na bandeirinha de escanteio, explodindo de alegria, davam um ‘abraço gigante’ em Barcos! Ah, esses “jogadores sem comprometimento”…

Estávamos ainda em plena comemoração, quando, dois minutos depois, numa jogada em velocidade, Maikon Leite, espertíssimo, veloz, bateu a carteira de Uendel, arrancou pela direita e cruzou rasteiro para Barcos, sem marcação (jogada em velocidade dá nisso) só ter o trabalho de guardar. El Pirata estava avassalador! Quanta alegria nós sentíamos lá na bancada (um torcedor à minha frente, chorava de emoção), todo mundo se abraçando; quanta alegria sentiam os jogadores em campo, os que estavam no banco… quanta alegria sentia o nosso técnico Kleina, ex-técnico da Ponte. Devia estar sendo uma prova e tanto pra ele…

E aí, com 2 x 0 no placar, time e torcida ficaram tranquilos e o futebol do Palmeiras ficou ainda melhor! Valdivia fazia uma excelente partida, com o jogo passando todo por seus pés, e ele achava os companheiros em todos os cantos do campo, deixando doidinhos os jogadores da Ponte; Barcos, era um perigo constante e fazia lindas jogadas; Maikon Leite, voltava a jogar o seu bom futebol;  A trinca Henrique, Assunção e Márcio Araújo era de importância vital, Márcio Araujo (quem diria!), embora errasse alguns passes e fizesse umas trapalhadas, estava desarmando um bocado e nos ajudava bastante; Juninho e Arthur, menos sobrecarregados pareciam mais tranquilos; a defesa estava segura; Maurício Ramos, raçudo, estava muito bem; Thiago Heleno fazia uma partida monstruosa, e o Brunão, com segurança e personalidade, tomando conta direitinho do gol. E garra não faltava em campo, em momento algum! Que delícia de jogo! O Palmeiras deixava de ser um time previsível, até mesmo para nós, torcedores.

E a torcida não parava de cantar… não parava de apoiar o time… Mágico!

Eu, que estava rezando para que Valdivia, sempre tão perseguido pelos árbitros, não tomasse cartão, percebia que ele nem chegava perto do juiz; sofria faltas e mal olhava o sujeito que deixava de marcar algumas delas… Valdivia não deu a menor chance para Ceretta o amarelar. Barcos, Maikon Leite e Henrique também estavam pendurados e não podiam tomar cartões. Que medo! Infelizmente, Maikon Leite levou o terceiro amarelo, mas, numa jogada idêntica, Ceretta não deu amarelo para o jogador da Ponte… E ele, que no jogo, amarelou 4 jogadores do Palmeiras e só um da Ponte, tava doidinho para amarelar Henrique… Mas Henrique e Barcos também sairiam “ilesos”.

Com o futebol fluindo, com o placar tranquilizador, acho que o Palmeiras deu uma relaxada nos quinze minutos antes do intervalo; errou muitos passes, e a Ponte até pensou em reagir, mas o domínio era mesmo do Verdão. As investidas da Macaca paravam na zaga ou nas mãos de Bruno. Que bela partida ele fez! Com direito à uma defesa sensacional, numa cabeçada perigosíssima, de endereço certo, que fez o torcedor gritar seu nome no estádio.

Na segunda etapa, o Palmeiras voltou disposto a liquidar a fatura.  Em jogadas individuais do Mago e do Pirata, o Verdão poderia ter massacrado a Ponte, mas elas paravam no goleiro. E a gente, lá na bancada, rezando pelo terceiro gol, para o Gilson poder ‘guardar’ Valdivia pro clássico. E o gol veio, aos 14′, nos pés de Assunção, que chutou da intermediária, rasteiro, e guardou lá no cantinho esquerdo do goleiro. Os torcedores enlouqueceram de alegria! Que sensação maravilhosa estava comigo. O meu Palmeiras, em dois jogos, fazia 6 gols! O meu Palmeiras, em dois jogos, conquistava duas vitórias e seis pontos! O meu Palmeiras estava de volta!! E o meu coração me dizia: “Eu sabia! Eu sempre soube…”

Passamos o resto do jogo cantando, felizes, vendo duas bolas (uma do Mago e outra do Barcos) carimbarem a trave. Já era a terceira do jogo. E o Kleina fez o que esperávamos, substituiu Maikon Leite, que não jogará o próximo, por Mazinho; sacou Valdivia e colocou Daniel Carvalho; e Assunção, muito aplaudido, deu lugar a Denoni.

Já no final, a Ponte teria uma chance desperdiçada; Roger entrou na área, driblou Maurício Ramos e só tinha Bruno e o gol pela frente, quando tentou tocar por cima e isolou a bola. Sorte do Palmeiras? Talvez… mas eu diria que essas finalizações desastrosas são também consequência de quem está perdendo, e sabe que não vai conseguir mudar o placar. Já passamos por isso muitas vezes… Quando mudamos nossa maneira de jogar, construímos a nossa sorte.

E então, o juiz apitou… Estávamos abraçando uns aos outros, comemorando mais aquela vitória, quando eu olhei pro campo e vi que os jogadores ainda estavam lá… Eles permaneceram em campo para agradecer à torcida. E, enquanto eles a agradeciam, ela os aplaudia. Que momento lindo! E ele me tocou profundamente… Não pude conter as lágrimas e não posso contê-las agora, ao me lembrar.

O meu Palmeiras, lindo, estava de volta, e a torcida, linda, estava com ele!

FORÇA, VERDÃO! “TAMO JUNTO”! E É PRA SEMPRE!

  • Marta

    =) Com o Palmeiras sempre!! Chegamos em Jundiai já era um da manhã, adivinha se não paramos pra tomar mais uma em comemoração a vitória huahua, time e torcida em uma só sincronia, lindo de se ver, e falar que é sempre bom estar com você na bancada é dispensável né??? bejão pro cê que venha os bambis e em Araraquara começar a distanciar dessa zona maldita =)

    • taniaclorofila

      Ô vitória comemorada, hein Marta? kkkkkk
      Mas ela foi deliciosa! Principalmente, por podermos compartilhar as alegrias com os amigos.

      Agagaquaga que espere por nós! rsrs

      Beijão, Marta!

  • Marta

    =) Com o Palmeiras sempre!! Chegamos em Jundiai já era um da manhã, adivinha se não paramos pra tomar mais uma em comemoração a vitória huahua, time e torcida em uma só sincronia, lindo de se ver, e falar que é sempre bom estar com você na bancada é dispensável né??? bejão pro cê que venha os bambis e em Araraquara começar a distanciar dessa zona maldita =)

    • taniaclorofila

      Ô vitória comemorada, hein Marta? kkkkkk
      Mas ela foi deliciosa! Principalmente, por podermos compartilhar as alegrias com os amigos.

      Agagaquaga que espere por nós! rsrs

      Beijão, Marta!

  • O gigante renasce…
    Descama a pele do time “medíocre” e vemos surgir, debaixo dela, um novo corpo com a verdadeira alma, oculta, mas sempre presente. Diante de incrédulos… de críticos…de mal-amados. Diante daqueles que se fazem cegos, mesmo antes de contemplar a luz dos fatos, das injustiças de árbitros mal intencionados…daqueles que se fazem surdos,  e não ouvem o  clamor de uma nação de 15 milhões. Principalmente daqueles que se fazem “burros” e que não se curvam as evidências que fizeram o  Campeão do Século. Contra tudo e contra todos: xenófobos, racistas, invejosos, descrentes, ladrões do dinheiro público… Somos verdes da esperança e branco da paz, da decência. Não temos o preto da escuridão onde se escondem covardes e  hipócritas. Temos um coração! Temos paixão! Sangue nas veias e fé. O gigante oculto, enfim, e por justiça, renasce…

    • taniaclorofila

      Que comentário mais lindo, Gaetano!

      A pele do “time medíocre” nos foi dada por árbitros e profissionais de imprensa mal intencionados, partes de um esquema para diminuir o Palmeiras.
      Mas, infelizmente, quem a “colou” no time, na marra, foi uma parte da nossa própria torcida. Parte que se deixou vencer e convencer pelos inimigos do Palmeiras.

      Mas o Palmeiras é maior do que tudo isso!

  • Gaetano

    O gigante renasce…
    Descama a pele do time “medíocre” e vemos surgir, debaixo dela, um novo corpo com a verdadeira alma, oculta, mas sempre presente. Diante de incrédulos… de críticos…de mal-amados. Diante daqueles que se fazem cegos, mesmo antes de contemplar a luz dos fatos, das injustiças de árbitros mal intencionados…daqueles que se fazem surdos,  e não ouvem o  clamor de uma nação de 15 milhões. Principalmente daqueles que se fazem “burros” e que não se curvam as evidências que fizeram o  Campeão do Século. Contra tudo e contra todos: xenófobos, racistas, invejosos, descrentes, ladrões do dinheiro público… Somos verdes da esperança e branco da paz, da decência. Não temos o preto da escuridão onde se escondem covardes e  hipócritas. Temos um coração! Temos paixão! Sangue nas veias e fé. O gigante oculto, enfim, e por justiça, renasce…

    • taniaclorofila

      Que comentário mais lindo, Gaetano!

      A pele do “time medíocre” nos foi dada por árbitros e profissionais de imprensa mal intencionados, partes de um esquema para diminuir o Palmeiras.
      Mas, infelizmente, quem a “colou” no time, na marra, foi uma parte da nossa própria torcida. Parte que se deixou vencer e convencer pelos inimigos do Palmeiras.

      Mas o Palmeiras é maior do que tudo isso!

  • Degerard

    Tânia…lindo Post, conseguiu de uma maneira única colocar em palavras o que vivenciamos no sábado passado, realmente é de emocionar!!Só quem é Palmeirense e quem estava lá, sabe do que estamos falando!!!EU ACREDITO NESTE TIME TENHO FÉ, AVANTI PALESTRA!!!
    Gostaria apenas, de deixar aqui minha crítica a forma brusca e desnecessária que a PM resolveu acabar com nossa festa chamada de “Corredor Alviverde”, no qual consistia única e exclusivamente em Festejar a chegada do ônibus de noss time ao Pacaembu.Estavamos todos lá, famílias itneriras, mulheres, crianças, unidos comemorando o que seria nosso útlimo jogo pelo Brasileiro no Pacaembu, estava td tranquilo, clima de festa e alegria na calçada em frente a entrada do ônibus do estádio, quando sem mais nem menos a PM resolveu soltar a cavalaria em cima de todos os torcedores, que não tiveram como escapar e muitas famílias acabaram se perdendo no tumuldo causado pela PM.
    Os jornalistas foram obrigados a aguardar a liberação do ladod e dentro e assim que puderam sair, conseguiram alguns depoimentos de torcedores revoltados e assustados, que tiveram que observar a cena, se espremendo no muro do estádio aguardando a correria terminar.
    SOMOS PALMEIRENSES E MAIORES QUE ISSO!!ESTAMOS CONTRA TUDO E CONTRA TODOS!!!

    • taniaclorofila

      Degerard,

      Obrigada por falar a respeito do que fez a PM. Eu ia falar sobre isso no texto, mas é algo tão revoltante, que achei melhor não misturar com a emoção e alegria da partida.

      Para o Palmeiras, nada é permitido! Nem mesmo a torcida festejar e recepcionar o ônibus da delegação. Fosse com outra torcida, não só seria permitido, como os jornais e TVs mostrariam as imagens, provas do amor e confiança da torcida, à exaustão.
      É óbvio que os truculentos “meganhas” foram instruídos a agir assim, por pessoas obtusas e, talvez, mais truculentas do que eles.

      Mas ninguém irá nos deter! Seremos como a água que contorna tranquilamente todos os obstáculos que encontra em seu caminho…

      NÓS VAMOS CONSEGUIR!

  • Degerard

    Tânia…lindo Post, conseguiu de uma maneira única colocar em palavras o que vivenciamos no sábado passado, realmente é de emocionar!!Só quem é Palmeirense e quem estava lá, sabe do que estamos falando!!!EU ACREDITO NESTE TIME TENHO FÉ, AVANTI PALESTRA!!!
    Gostaria apenas, de deixar aqui minha crítica a forma brusca e desnecessária que a PM resolveu acabar com nossa festa chamada de “Corredor Alviverde”, no qual consistia única e exclusivamente em Festejar a chegada do ônibus de noss time ao Pacaembu.Estavamos todos lá, famílias itneriras, mulheres, crianças, unidos comemorando o que seria nosso útlimo jogo pelo Brasileiro no Pacaembu, estava td tranquilo, clima de festa e alegria na calçada em frente a entrada do ônibus do estádio, quando sem mais nem menos a PM resolveu soltar a cavalaria em cima de todos os torcedores, que não tiveram como escapar e muitas famílias acabaram se perdendo no tumuldo causado pela PM.
    Os jornalistas foram obrigados a aguardar a liberação do ladod e dentro e assim que puderam sair, conseguiram alguns depoimentos de torcedores revoltados e assustados, que tiveram que observar a cena, se espremendo no muro do estádio aguardando a correria terminar.
    SOMOS PALMEIRENSES E MAIORES QUE ISSO!!ESTAMOS CONTRA TUDO E CONTRA TODOS!!!

    • taniaclorofila

      Degerard,

      Obrigada por falar a respeito do que fez a PM. Eu ia falar sobre isso no texto, mas é algo tão revoltante, que achei melhor não misturar com a emoção e alegria da partida.

      Para o Palmeiras, nada é permitido! Nem mesmo a torcida festejar e recepcionar o ônibus da delegação. Fosse com outra torcida, não só seria permitido, como os jornais e TVs mostrariam as imagens, provas do amor e confiança da torcida, à exaustão.
      É óbvio que os truculentos “meganhas” foram instruídos a agir assim, por pessoas obtusas e, talvez, mais truculentas do que eles.

      Mas ninguém irá nos deter! Seremos como a água que contorna tranquilamente todos os obstáculos que encontra em seu caminho…

      NÓS VAMOS CONSEGUIR!

  • Marco

    O
    ano de 2012 precisa servir de exemplo para marcar a vida do
    Palmeiras.

    Além
    do título da Copa do Brasil superando todo tipo de obstáculo, tudo o que
    aconteceu para prejudicar o clube precisa ficar vivo na memória dos
    palmeirenses, sejam eles torcedores ou dirigentes.

    A
    lição de 2012 não pode ser esquecida e nos servir de alerta. Alerta para
    reconhecermos o trabalho sujo da imprensa que não perde oportunidades para nos
    prejudicar e tumultuar nosso ambiente. Alerta em relação à CBF, Tribunal e
    Comissão de Arbitragem que precisam ser vistos e tratados de outra forma pela
    direção e pelo público palmeirense. Não se pode mais admitir a censura às
    manifestações, quando a torcida do Palmeiras denuncia o que acontece.

    Alerta
    também para a pequena, mas barulhenta ala de torcedores adepta do quanto pior
    melhor. Ala sempre disposta a atuar como
    massa de manobra de jornalistas esportivos que claramente trabalham para atender
    interesses dos rivais pregando o derrotismo e o pessimismo no nosso
    meio.

    Essa
    ala de torcedores que apareceu na última década devido aos resultados abaixo da
    tradição do clube não pode ter espaço, pois sua atuação nunca acrescenta nada de
    positivo e nem serve para os momentos onde a critica construtiva é necessária.
    Sua intenção nunca é ajudar, apenas tumultuar pela falta de capacidade de
    avaliação.

    O
    ponto positivo no aparecimento dessa ala de alienados é que ela fez ressurgir a
    participação da grande maioria dos palmeirenses que se encontrava calada e por
    ficar calada permitiu que esses derrotistas surgissem.

    A
    união time/torcida nos últimos dois jogos mostrou que a ação dos incendiários,
    amendoins e limões jamais poderia levar a lugar algum.

    Ainda
    não saímos da posição incomoda, mas vamos sair com a união de todos e para a
    tristeza de quem queria ver o Palmeiras cair para encher a internet de ofensas,
    tendo o “prazer” de mostrar que suas teorias estavam certas. Para esses, o
    importante não era o Palmeiras se livrar, mas mostrar que tinham
    razão!

    • taniaclorofila

      Perfeito, Marco!
      Essa turma do quanto pior melhor, parece torcedor adversário.Tem sempre que achar alguma coisa para depreciar o Palmeiras.O Palmeiras ganhou, jogando muito bem, e marcou 3 gols.  Depois do jogo, enquanto comemorávamos nas mídias sociais, apareceu quem reclamasse dos gols perdidos, é mole?Mesmo a gente tendo visto o time jogar bem, teve quem meteu o pau em jogador (não foi só em um, não), fechando os olhos à ótima partida que ele fez. Teve quem metesse o pau no cartão tomado por Thiago heleno, repetindo o velho chavão “ele tava pedindo para tomar”…Para mim, isso não é torcedor! Um torcedor, de verdade, por mais falta de capacidade para pensar que tenha, não seria tão bobo assim.  Esses daí, ficam à espreita, só esperando acontecer algo para poderem entrar em ação. São pessoas que estão de mal com as próprias vidas.Como Bruno não tomou nenhum gol, Valdivia jogou bem pra caramba e não tomou o cartão que eles juravam que tomaria, como Kleina acertou na escalação e substituição, Márcio Araújo desarmou um bocado, Barcos acertou o pé e Maikon Leite fez uma bela partida, Juninho esteve mais tranquilo… eles ficaram sem ter o que falar, e sumiram!

  • Marco

    O
    ano de 2012 precisa servir de exemplo para marcar a vida do
    Palmeiras.

    Além
    do título da Copa do Brasil superando todo tipo de obstáculo, tudo o que
    aconteceu para prejudicar o clube precisa ficar vivo na memória dos
    palmeirenses, sejam eles torcedores ou dirigentes.

    A
    lição de 2012 não pode ser esquecida e nos servir de alerta. Alerta para
    reconhecermos o trabalho sujo da imprensa que não perde oportunidades para nos
    prejudicar e tumultuar nosso ambiente. Alerta em relação à CBF, Tribunal e
    Comissão de Arbitragem que precisam ser vistos e tratados de outra forma pela
    direção e pelo público palmeirense. Não se pode mais admitir a censura às
    manifestações, quando a torcida do Palmeiras denuncia o que acontece.

    Alerta
    também para a pequena, mas barulhenta ala de torcedores adepta do quanto pior
    melhor. Ala sempre disposta a atuar como
    massa de manobra de jornalistas esportivos que claramente trabalham para atender
    interesses dos rivais pregando o derrotismo e o pessimismo no nosso
    meio.

    Essa
    ala de torcedores que apareceu na última década devido aos resultados abaixo da
    tradição do clube não pode ter espaço, pois sua atuação nunca acrescenta nada de
    positivo e nem serve para os momentos onde a critica construtiva é necessária.
    Sua intenção nunca é ajudar, apenas tumultuar pela falta de capacidade de
    avaliação.

    O
    ponto positivo no aparecimento dessa ala de alienados é que ela fez ressurgir a
    participação da grande maioria dos palmeirenses que se encontrava calada e por
    ficar calada permitiu que esses derrotistas surgissem.

    A
    união time/torcida nos últimos dois jogos mostrou que a ação dos incendiários,
    amendoins e limões jamais poderia levar a lugar algum.

    Ainda
    não saímos da posição incomoda, mas vamos sair com a união de todos e para a
    tristeza de quem queria ver o Palmeiras cair para encher a internet de ofensas,
    tendo o “prazer” de mostrar que suas teorias estavam certas. Para esses, o
    importante não era o Palmeiras se livrar, mas mostrar que tinham
    razão!

    • taniaclorofila

      Perfeito, Marco!
      Essa turma do quanto pior melhor, parece torcedor adversário.Tem sempre que achar alguma coisa para depreciar o Palmeiras.O Palmeiras ganhou, jogando muito bem, e marcou 3 gols.  Depois do jogo, enquanto comemorávamos nas mídias sociais, apareceu quem reclamasse dos gols perdidos, é mole?Mesmo a gente tendo visto o time jogar bem, teve quem meteu o pau em jogador (não foi só em um, não), fechando os olhos à ótima partida que ele fez. Teve quem metesse o pau no cartão tomado por Thiago heleno, repetindo o velho chavão “ele tava pedindo para tomar”…Para mim, isso não é torcedor! Um torcedor, de verdade, por mais falta de capacidade para pensar que tenha, não seria tão bobo assim.  Esses daí, ficam à espreita, só esperando acontecer algo para poderem entrar em ação. São pessoas que estão de mal com as próprias vidas.Como Bruno não tomou nenhum gol, Valdivia jogou bem pra caramba e não tomou o cartão que eles juravam que tomaria, como Kleina acertou na escalação e substituição, Márcio Araújo desarmou um bocado, Barcos acertou o pé e Maikon Leite fez uma bela partida, Juninho esteve mais tranquilo… eles ficaram sem ter o que falar, e sumiram!

  • Thais Helena

    Parabéns, você escreve muito bem. Lendo seu texto é como se eu estivesse lá, muito emocionante! 

    #EuAcredito

    • taniaclorofila

      Obrigada Thaís!
      Que bom que você se sentiu lá no estádio também!

  • Thais Helena

    Parabéns, você escreve muito bem. Lendo seu texto é como se eu estivesse lá, muito emocionante! 

    #EuAcredito

    • taniaclorofila

      Obrigada Thaís!
      Que bom que você se sentiu lá no estádio também!