OBRIGADA, SÃO MARCOS, PELAS GRAÇAS RECEBIDAS

06 de Junho de 2000… Há exatos 12 anos, um santo foi, definitivamente, canonizado.

Eu poderia falar da alegria… do coração que quase explodiu dentro do peito…

Eu poderia falar da dissimulação, que foi vista sem a máscara e perdeu a pose…

Também poderia falar que, quando vimos quem seria o último a cobrar o pênalti, todos nós já antevíamos o que ia acontecer…

Poderia dizer que estávamos mais unidos do que nunca naqueles breves instantes…

Poderia lhes contar que, nos segundos que antecederam a cobrança, a TV mostrou Marcos no gol e eu, quase morrendo de aflição, notei que a imagem de seu escapulário aparecia pela gola da camisa…

Poderia escrever aqui que, naquele momento, a certeza de que ele ia pegar, corria pelo meu rosto…

Poderia lembrar que todas as nossas rezas deram certo naquela noite… e que quase morremos de felicidade, que lavamos a alma… que a nossa aflição e apreensão deram lugar ao riso, aos gritos de alegria e às lágrimas…

Mas não é preciso que eu diga nada. Nem mesmo que aquela emoção permanece comigo e que ainda choro ao lembrar…

Esse filme jamais sairá da nossa memória…

Que Deus o abençoe sempre, São Marcos! Amamos você imensamente!

 

  • Angela Bonora Gamez

    este texto, sempre que leio, me remete àquele dia, eu estava sozinha na minha casa, assistindo o jogo, gritei tanto, que meu vizinho abriu a janela para ver o que acontecia, afinal estava desvairada. Nunca mais esqueci a sensação, porque quando vi que o último batedor era o Marcelinho, eu tinha certeza que ele iria fazer, e de repente São MArcos, ah! São MArcos, ele fez da minha vida o céu!

  • Angela Bonora Gamez

    este texto, sempre que leio, me remete àquele dia, eu estava sozinha na minha casa, assistindo o jogo, gritei tanto, que meu vizinho abriu a janela para ver o que acontecia, afinal estava desvairada. Nunca mais esqueci a sensação, porque quando vi que o último batedor era o Marcelinho, eu tinha certeza que ele iria fazer, e de repente São MArcos, ah! São MArcos, ele fez da minha vida o céu!