PALMEIRAS… DO JEITINHO QUE A GENTE GOSTA!

Até parecia jogo contra os bambis… (Mais à frente você entenderá porquê) Mas era contra o Santo André, lá no Bruno José Daniel e seu gramado horroroso. O time do Palmeiras treina no gramado certinho da Academia e depois tem que ficar fazendo “tour” pelos piores estádios de Sampa e do Brasil. E pensar que a FPF, por tantas vezes, quis vetar o Palestra para jogos contra os grandes, porque um deles sempre reclamava do nosso estádio. E esse “grande” vai jogar em Santo André, São Caetano… E não reclama. Que coerente!

O jogo começou com o Santo André marcando forte, mas sem levar perigo ao Palmeiras, que era superior na partida. Logo aos 3′, quase que Marcos Assunção abre o placar, em cobrança de falta. Mas o comentarista da Globo e vidente, Caio Ribeiro, jurava que o Assunção quis cruzar. Haja saco! Comentários infelizes à parte, a superioridade verde foi ficando mais acentuada. Aos 21′, depois de passe mágico do Mago, Kleber recebeu e entrou na área, tentou cortar e foi derrubado. PÊNALTI!!! O Gladiador foi para a cobrança e o goleiro defendeu! Mas a alegria de Neneca durou só meio segundo. Porque Kleber, rápido, pegou o rebote e guardou! O grito de gol explodiu nas arquibancadas! A festa palestrina, que já começara antes do apito inicial, se consolidava entre os 6 mil palmeirenses que compunham a maioria no estádio.

E aí o Palmeiras cresceu! Valdivia estava soberbo! Kleber se movimentava muito bem lá na frente e Luan na esquerda. Pena que Luan esteja pecando nas finalizações… Perdeu uma chance depois de um belo cruzamento de Cicinho, e mais outra após cruzamento de Danilo. Ele cabeceou, tirando do goleiro, mas a bola foi muito alta. Antes que o juiz apitasse o final do primeiro tempo, Tinga ainda tentaria com um belo chute, mas a bola passou perto…

Na segunda etapa, com 20s de jogo, Aloísio chutou de longe; Deola teve que cair e se esticar para fazer a defesa. O Palmeiras parecia ter diminuído o ritmo e, o Santo André, pelo primeiro lance de real perigo que levou ao gol de Deola, parecia estar disposto a vir prá cima. Mas não aconteceu nem uma coisa nem outra. Um estranho e misterioso gás, liberado, sabe-se lá como (por isso eu disse que parecia jogo contra os bambis. Eles é que gostam dessas artimanhas.), se espalhou pelo campo e a partida teve que ser interrompida por cinco minutos. Jogadores e comissão técnica tossiam, tinham os olhos ardendo  e ninguém sabia nem mesmo o que estava acontecendo… Mais tarde diriam que a PM teria usado gás lacrimogênio do lado de fora do estádio… Essa Copa do Mundo promete!

O jogo foi reiniciado e Tinga, tentando por cobertura, perdeu uma bela chance. O Santo André insistia em atacar, mas a defesa barrava as investidas do “Ramalhão”. Aos 17′, Tinga, do meio de campo meteu uma bola linda para Luan, que entrou na área, tentou bater cruzado, mas chutou em cima do goleiro. Aos 22′, Valdivia tirou mais um sortilégio ‘das mangas de sua capa’ e achou Luan pela esquerda; ele entrou na área e foi derrubado. Pênalti! Cleber Machado, incansável, ao invés de comentar a maravilha de passe de Valdivia, tentava de todas as formas achar uma irregularidade qualquer na marcação do árbitro. Alguém precisa avisá-lo que se houve o toque (como ele mesmo afirmou), ainda que o jogador tenha valorizado (outra afirmação dele), é pênalti, sim senhor! Kleber foi para a cobrança, bateu do mesmo jeito que batera o primeiro e… o goleiro defendeu! Para alegria do narrador que não se cansava de dizer que, agora sim, Neneca tinha defendido do jeito que queria, sem dar rebote, mandando para escanteio. E o escanteio foi cobrado por Assunção, Thiago Heleno cabeceou, Neneca defendeu e, no rebote, adivinhem quem apareceu? QUEM?? Ele mesmo! Kleber chegou primeiro e marcou o segundo gol do Palmeiras, o segundo do nosso Gladiador artilheiro!

Um jogador que perde dois pênaltis na mesma partida, e marca dois gols logo em seguida, se aproveitando dos rebotes, tá ou não tá com sorte e garra de campeão?? E foram dois pênaltis originados pelos mágicos pés de Valdivia. Mas, aos 30′, o Mago extrapolou! Levou a torcida ao delírio e presenteou a todos os que assistiam à partida com mais uma jogada de encantamento e magia… Uma jogada de Valdivia! Um toque de letra digno de aplausos e que me fez chorar de alegria… Eu sempre disse e vou continuar a afirmar: VALDIVIA É UM PRESENTE DE DEUS! E eu nunca vou deixar de agradecê-Lo por isso.

Que maravilha ver o Palmeiras assim! Que maravilha  ter o Mago e o Gladiador no time! Que maravilha ter Felipão no banco para fazer do nosso antigo amontoado de jogadores, um time de verdade, com padrão de jogo, consciência e pegada. QUE DÁDIVA SER PALMEIRENSE!

Em campo, aos 34′, Felipão sacou Valdivia, que sofrera um forte pisão no pé, chamando pro jogo o estreante Wellington Paulista. A Que Canta e Vibra o recebeu com muitos aplausos. Aos 40′, foi a vez de Chico ir a campo em lugar de Assunção. Mas, com a vantagem, o Palmeiras diminuiu o ritmo. Sem o Mago, ficou menos perigoso. E, numa cobrança de falta’, Anderson, de cabeça, diminuiu para o Santo André. Felipão ainda faria mais uma substituição, colocando João Vítor no lugar de Kleber. Com a partida quase no fim, o Ramalhão viu Vítor Hugo ser expulso após entrada muito dura em Danilo. Com 7 minutos de acréscimo o juiz encerrou a partida.

Os palestrinos que saíram felizes, cantando e confiando no time para a segunda partida, à noite iriam sonhar com os gols de Kleber, com os encantamentos do Mago, com a Copa do Brasil… Do outro lado, Neneca, com certeza, iria ter pesadelos com o Gladiador…

E hoje é em Campinas, ‘parmeras’! A última partida da fase de classificação do Campeonato Paulista. O Palmeiras vai em busca de mais uma vitória e da manutenção da liderança (que tantos profetizaram, seria do Verdão apenas uma rodada)! Não teremos o Mago e vários outros titulares estarão no banco. Mas o time do Palmeiras é uma família agora. E fazemos parte dela. ENTÃO VAMOS APOIAR OS “PARENTES”, SEJAM ELES QUAIS FOREM A VESTIR O MANTO!

FORÇA, PALMEIRAS! ÔÔÔ VAMOS GANHAR PORCOOOOO!