Se no domingo deu ‘zica’… HOJE VAI DAR PALMEIRAS!!

Falar sobre a derrota no clássico é chato, e é chover no molhado. Mas não dá para pular essa parte. Não jogamos para ganhar… Mas acontece que o adversário também não. Fizemos dois jogos contra eles, neste brasileirão; no primeiro turno, deu empate, com o juiz ajudando os gambás, numa partida em que o Palmeiras jogou muita bola; no último domingo, o Palmeiras perdeu, com um gol contra, que tinha as mãos de Deola como endereço certo. Haja saco!
Antes do jogo vivemos uma situação inédita… Tínhamos passado para pegar uma amiga que mora pertinho do Pacaembu. Éramos 5 parmeras pelas ruas e tínhamos feito a besteira de descer até a Av. Pacaembu, para dar de cara com a galinhada devidamente escoltada pela polícia, chegando também. Teria sido apenas engraçado se não soubéssemos o perigo que estaríamos correndo caso fossemos identificados. Claro que estávamos à paisana, ou quase… A Flávia tinha a blusa que escondia o manto, mais curta e, portanto, não escondia muito. Ainda bem que a Núbia tirou a blusa de lã e emprestou prá elaamarrar na cintura… rsrs Meu anel, feito de pedra, verde, eu escondi com a manga do agasalho que vestia, mas não pude fazer o mesmo com os brincos… hahaha Duas belas e verdinhas araras… uhauhauah De vez em quando eu percebia um olhar meio torto para os meus brincos e tratava de ficar perto do Custódio para buscar proteção… kkkkkk
Agora eu rio, mas na hora foi tenso demais. Aquelas centenas, ou milhares (não sei) de torcedores adversários rumando para o Pacaembu e nós, 5 parmeras (Núbia, Flavinha, Nathy, Custódio e eu), andando no meio deles. Meu telefone tocou e imagina se eu ia atender. O aparelho é verde e traz uma bela foto do Mago… Era morte certa! hahahah E sorte que não foi o da Flavinha que tocou, porque teria sido preciso correr um bocado caso o hino do Verdão começasse a tocar ali, no meio da galinhada. Depois de passarmos pela praça, subimos a rua lateral e tava cheio de gambá ali também. O vendedor me ofereceu uma camisa; respondi que já tinha uma e murmurei entredentes: no rodo lá em casa! uhauhauah A PM fazia a divisão na rua com grades que foram abertas para que passássemos. Tão logo cruzamos a “fronteira” e chegamos em território amistoso começamos a tirar as camisas das bolsas e gritar: Palmeiras!  A adrenalina tava a milhão e a gente ria até não querer mais… Haja amor ao Palmeiras!
Pena que o time não correspondeu nadinha no primeiro tempo. Com o Mago no banco, graças à “bendita” fibrose, e Lincoln em tarde de nenhuma inspiração, ficou  difícil a bola chegar no ataque. E se chegava, Luan tratava de estragar. Ele e Rivaldo (que até se esforçou e conseguiu fazer uma jogadinha ou outra), em alguns momentos, faziam do nosso lado esquerdo, um parque de diversões. Faltava o Mago, Gabriel, Maurício Ramos e até mesmo o Márcio Araújo.  Achei que os gambás estavam mais voluntariosos e o Palmeiras, como não conseguia criar, tratava apenas de se defender e tentar na bola parada. Um primeiro tempo de torrar a paciência do mais calmo dos torcedores. Ainda mais depois do gol contra de Fabrício, aos 22’… Uma bola que ia direto às mãos de Deola, acabou nas redes, com o desvio do nosso zagueiro. Que raiva!!!
No segundo tempo as esperanças se reacenderam com a entrada do Mago, no lugar do inexpressivo Lincoln. Até a galinhada ficou mais silenciosa, preocupada… Ficamos bem mais ofensivos. A situação se inverteu. O Corínthians se defendia e o Palmeiras ameaçava. As faltas aconteciam e a torcida verde se enchia de esperanças mas, Júlio César, estava num bom dia. Pela comemoração da gambazada nas intervenções de seu goleiro, podíamos avaliar o medo que as cobranças de Marcos Assunção causavam… Mas, quando a pressão do Palmeiras aumentou, perdemos o Mago que, sentiu a coxa e, por precaução, saiu do jogo. Um erro de Felipão, ter tirado Lincoln,  já que o Mago era dúvida o tempo todo… E, por mais que o Palmeiras, tivesse tentado, o jogo terminou com a vitória dos gambás por 1 x 0. Que raiva! Nosso gol contra fez a diferença… A ausência do Mago, o elenco reduzido, e a falta de qualidade no banco do Palmeiras, também. ESTAMOS ESPERANDO QUE AS PROVIDÊNCIAS SEJAM TOMADAS, VIU PALAIA? TORCEDOR NENHUM ACHA NORMAL O TIME PERDER CLÁSSICOS, NÃO TER RESERVAS NA LATERAL E, PRINCIPALMENTE NÃO TER UM CAMISA 9 QUE PRESTE!
Não bastasse isso, a imprensinha tratou de inventar mil e uma coisas para a saída do Mago aos 35′ do segundo tempo. Por mais que se diga que ele tem uma fibrose, que isso às vezes dói, às vezes não, os jornalistas e repórteres cismam de inventar outros “diagnósticos”, outras lesões. Felipão foi taxativo com um deles: “Não tem lesão merda nenhuma!”, “Não coloquem palavras na boca dos médicos”!  E Felipão está certíssimo! (da Vila Belmiro penhorada, ninguém fala, né?)
E hoje, temos uma partida diante do Galo, lá em Minas, pela Sulamericana. É o campeonato que estamos privilegiando e que o torcedor tanto quer. Diz o técnico do Atlético que vai mandar um time misto a campo. Claro que é melhor, mas nem por isso garantia de jogo fácil; reservas, em sua maioria, costumam se esforçar bastante para ganhar as posições titulares. Felipão que não se fie nisso, abra o olho e escale o time direitinho. Tomara o Mago possa jogar e não sinta nenhuma dor (precisaremos muito dele); tomara o Gladiador faça uma bela partida; tomara a defesa e Deola não deixem passar nada; tomara Felipão continue copeiro, especialista em mata-matas; tomara possamos dormir felizes… Caso o Palmeiras consiga um bom resultado -vitória ou empate-, na casa do adversário, ficará mais fácil passar à outra fase  na partida de volta, no Pacaembu!
TÁ VALENDO VAGA NAS SEMIFINAIS DA SULAMERICANA, PALESTRINOS!! Vão preparando o vinho e a cerveja aí, porque  VAMOS GANHAR ESSE TÍTULO!
E SE O PALMEIRAS VAI JOGAR, NÓS VAMOS!! EM PENSAMENTO, COM A FORÇA DA ALMA, LEVAREMOS PARA MINAS, A ENERGIA E O AMOR DE 20 MILHÕES DE CORAÇÕES!!
ÔÔÔ  VAMOS GANHAR, PORCOOOOO!!!