Salvador Hugo Palaia dissolve a diretoria de futebol

Hoje, quase no final da noite, notícias vindas de lá do Palmeiras, colocaram a Nação Palestrina em polvorosa. As notícias davam conta que, o primeiro vice-presidente do Palmeiras Salvador Hugo Palaia, instantes depois de assumir interinamente a presidência do Palmeiras,   já teria tomado a primeira medida, e  ela foi bastante polêmica. Causando espanto na reunião do conselho deliberativo do clube, o novo presidente dissolveu a diretoria de futebol, que era composta por Gilberto Cipullo, Genaro Marino e Savério Orlandi. Cipullo seguirá como vice-presidente, mas não poderá mais responder pelo futebol.

Imaginem o rebuliço que tais medidas causaram. Sorte do Belluzzo que ele nem deve ter ficado sabendo de nada. Mas pouco depois de anunciar que a diretoria de futebol do Palmeiras estava dissolvida, o presidente Salvador Hugo Palaia causou uma nova surpresa. Através do site oficial do clube, ele anunciou que Gilberto Cipullo será convidado a permanecer no departamento para a sequência da temporada 2010.

A intenção de Palaia é formar um conselho gestor para cuidar do futebol alviverde. Desta forma, serão convidados ao departamento os demais vice-presidentes eleitos, Clemente Pereira Júnior, o próprio Gilberto Cipullo e Edvaldo Frasson Teixeira, o diretor administrativo Wlademir Pescarmona, o diretor financeiro Francisco Busico, o diretor de planejamento José Cyrillo Junior, o conselheiro e membro do COF Seraphim Del Grande, o assessor especial da presidência Fabio Raiola, e Antonio Carlos Corcione, que assume o departamento jurídico de futebol do Palmeiras. Além de fazerem parte do conselho gestor, Raiola e Corcione também serão assessores diretos do presidente no futebol. Daí pode-se concluir que  nomes como Genaro Marino e Savério Orlandi (ex-diretores de futebol) estão fora dos planos.

“Dizem que sou polêmico, mas isso não é verdade. Eu sou é corajoso. Não sou homem de fazer média com ninguém, gosto das coisas muito claras”, afirmou Palaia, em seu primeiro discurso em relação aos 45 dias que ficará na presidência.

“Sou favorável a pacificar o clube. Não abro mão da minha candidatura para o próximo biênio. Serei um candidato conciliador”, emendou.

Apesar do discurso conciliatório, Palaia sabe que enfrenta grande rejeição no Palmeiras. Informações sobre o seu relacionamento ruim com Gilberto Cipullo, fazem os palmeirenses acreditarem que dificilmente Cipullo permaneça.

Palaia almeja dar uma resposta aos torcedores e tentar apagar os recentes problemas no clube, principalmente os originados pelos insucessos no futebol.

“Sou presidente de um dos maiores clubes do mundo. Pode ter certeza que nos próximos 45 dias, o Palmeiras será respeitado por todos. Sinto-me honrado em assumir a presidência. Sei da minha responsabilidade. Podem esperar o melhor de mim”, avisou.

Vamos aguardar, amigos. Tomara essas medidas não sejam mais combustível na imensa fogueira de vaidades que já há muito tempo chamuscam a Sociedade Esportiva Palmeiras. Vamos acompanhar atentamente o desenrolar desses acontecimentos. Amanhã Belluzzo se submeterá à uma intervenção cirúrgica para a correção de um problema cardíaco. O novo presidente mandou o seu recado: “Rezo por ele. Espero, como todos que o admiram, que ele tenha um pronto restabelecimento. É um grande economista, intelectual e também um político admirável”

Nós sabemos que Belluzzo é mais do que isso. É um palestrino de corpo e alma. E a Nação reza por ele e  estará com Belluzzo nesse delicado momento.  FORZA, BELLUZZONE!  Boa sorte na cirurgia e um pronto restabelecimento.