Quem mandou “convidar” o Palmeiras para a festa?

Era comemoração do aniversário do Grêmio, que, além dos 107 anos de existência, comemorava a milésima partida em campeonatos brasileiros. E, para a festa, “convidou” justo o Palmeiras…

22ª rodada do Brasileirão (faltam 16 ainda, mas o Jucilei dos gambás já afirma que seu time será o campeão.  Não sei não…  #2005feelings) e o Palmeiras, que tem oscilado bastante, entre cometer erros absurdos em campo e fazer partidas quase perfeitas, onde esbanja raça e vontade, resolveu que iria fazer bonito na festa do time gaúcho, mas não foi muito educado e jogou água nas velas do bolo gremista.

O Estádio Olímpico estava lotado, a torcida adversária era ensurdecedora, mas o Palmeiras nem se importou, ou vai ver que foi desse antagonismo todo que tirou ainda mais vontade de jogar. Para evitar que o time tomasse gols e acabasse se perdendo na partida, como já tinha ocorrido inúmeras vezes, Felipão (de novo com Rivaldo!?!) encheu de volantes na frente da zaga e deixou Kleber e Ewerthon lá na frente. Começo de jogo o Grêmio já “trombava” no meio-campo cheio de gente, do Palmeiras e encontrava muita dificuldade de se aproximar da meta de Deola. O time do Verdão mostrava atitude e pegada já nos primeiros minutos. Eu gosto quando percebo que meu time está aguerrido, com vontade de ganhar. E festa de aniversário sem chapéu não dá, né? Logo nos primeiros minutos, Vítor deu um chapéu lindo no jogador gremista. Maravilha!!

O Palmeiras estava diferente… Na retranca, é verdade, mas ia pará cima do Grêmio e, aos 14′, numa dessas investidas, sofreu falta na entrada da área. Do jeitinho que Assunção gosta. E não é que ele me fez um baita golaço? Meteu bem no ângulo esquerdo sem nenhuma chance para o goleiro Victor. Que gol maravilhoso!!! E quase que Ewerthon marca mais um aos 25′. Entrou na área e chutou rasteiro, mas Victor pulou no canto e evitou o gol. Em seguida foi a vez do Grêmio chegar com André Lima, que cabeceou forte após cruzamento de Jonas. Deola, esperto, mandou para escanteio. Com o estádio cheio, a torcida do Grêmio fazia uma pressão dos diabos, pedia pênalti “até em cobrança de lateral”, tá doido! A defesa do Palmeiras estava esperta não deixando passar quase nada; quando passava, Deola se encarregava de defender. Kleber sofria um monte de faltas, muitas delas o juiz fazia que não via… Mas foi ele quem levou cartão amarelo, por reclamação! Que raiva! Perdíamos o Gladiador para o clássico contra o time do Jd Leonor.

Na segunda etapa, O Palmeiras veio com tudo! E aos 2′, Marcos Assunção cruzou com perfeição para Ewerthon, na área, ganhar do zagueiro pelo alto e fuzilar de cabeça. Mais um lindo gol do Palmeiras!!! Eu mal podia acreditar, que já estávamos ganhando de 2 x 0!! E credito 70% do gol para o Assunção; ele “colocou” a bola na cabeça do Ewerthon! “Chiqui Assunção”? Sim, ele foi uma boa contratação.

A vantagem do Palmeiras, assustou os gaúchos e deixou o Palmeiras mais tranquilo, que ficou atrás, na retranca, mesmo! Aos 20′, Felipão colocou Valdivia no time mas, ao meu ver, errou tirando Ewerthon. O Mago tinha que entrar, demorou até, mas não creio que era Ewerthon quem deveria sair. O Grêmio trocou 3 jogadores (colocou até o Lúcio… “aquele”!!) tentando buscar uma reação, mas a retranca verde não deixava o time gaúcho marcar. Aos 28′, Jonas quase desconta, mas Deola mandou para escanteio. Na cobrança, Jonas, de novo, manda de cabeça e quem defendeu foi a trave! Que susto! Aos 35′, Felipão tirou Tinga e colocou Pierre. E deu certo! O Grêmio não conseguia reagir.  Mas aos 46′, já nos acréscimos, numa falha de Edinho após cobrança de escanteio, Jonas descontou para o time do Grêmio. Final de jogo Grêmio 1 x 2 Palmeiras! Que delícia ver o meu Verdão vencer jogando bem!!

Foi uma bela vitória do Palmeiras, e não pensem que ela ocorreu apenas porque jogamos com o time retrancado. Claro que isso ajudou, mas o diferencial foi o ataque que teve melhor aproveitamento do que nas partidas anteriores. Chutamos menos que o Grêmio, é verdade, mas com mais qualidade. E vamos fortalecidos para o clássico contra as “soberanas” do Jd Leonor, que também tiveram um adversário do Sul e acabaram levando um chocolate, em casa, com direito a frango da “borboleta-mor”. Que coisa, hein? “Clientes preferenciais” do Inter! hahaha

Kleber não vai estar no jogo de domingo, mas o Mago, sim! Está confirmadíssimo! Eu sei do que ele é capaz, e você também sabe. Tomara Valdivia consiga apresentar o seu melhor futebol. Tô botando a maior fé no Palmeiras, tanto que meu ingresso está comprado

E não se esqueça, amigo! 68 anos depois de termos  sido obrigados a  “matar” o Palestra Itália, para que o time do Jd Leonor não nos roubasse o estádio, vamos enfrentar o time da farsa outra vez! 20 de Setembro, de 1942, na final do campeonato, o Palmeiras foi à campo contra o já trambiqueiro time do São Paulo. E vencemos por 3×1. O resultado final só não foi maior, porque o São Paulo abandonou o jogo aos 19 minutos da segunda etapa. Os covardes bambis, sem alma, sem fibra e sem história, correram. E o Palmeiras,  sagrou-se “Campeão Paulista de 1942″. As manchetes dos jornais diriam: “Morreu líder para nascer campeão”…

VAMOS LOTAR O PACAEMBU, PALESTRINOS!! Dizem que  o Palmeiras entrará em campo no clássico deste domingo, vestindo um modelo de camisa igual ao do ano de 1942, quando, pela primeira vez, o antigo Palestra Itália atuou com o nome de Palmeiras. E nós estaremos lá, com a camisa atual, mas com o mesmo espírito de nossos avós e antepassados!

AVANTI PALESTRA! SCOPPIA CHE LA VITTORIA È NOSTRA!!!

  • Roberto

    Temos tudo p/ ganharmos, mas oq me preocupa são os nossos dirigentes. Eles não estão fazendo pressão na arbitragem.
    O trio é da FPF, Del Nero é oposicionista ferrenho do presidente Belluzzo e, Cel. Marinho é Bambi.
    De qualquer forma estarei no Pacaembú fazendo minha parte, incentivando o Palestra.
    Contra tudo, contra todos…