Nicolelis sugere a Felipão a criação da Academia de Estudos do Palmeiras

Considerado um dos 20 maiores cientistas do mundo pela revista norte-americana ‘Scientific American’, o médico e cientista brasileiro Miguel Nicolelis, 49 anos, visitou a Academia de Futebol na tarde desta sexta-feira (24), conversou com o técnico Luiz Felipe Scolari e o goleiro Marcos, e sugeriu um projeto social que pode ser pioneiro entre os clubes do planeta.

Palmeirense fanático, Nicolelis pretende contar com a ajuda dos investidores para criar a Academia de Estudos do Palmeiras. O projeto reuniria os atletas das categorias de base e de jovens da periferia que teriam uma chance de jogar pelo clube e construir uma carreira profissional que vai além das quatro linhas.

“Muitos jovens atletas tentam a carreira de jogador e não conseguem. No Palmeiras, esses jovens teriam a oportunidade de continuar no clube, mas através de um projeto acadêmico educacional, realizando atividades que estimulam os estudos através de aulas práticas. Também usaríamos a ciência como objeto de transformação social dentro de um clube de futebol”, explicou Nicolelis, que pretende levar esse projeto para os patrocinadores do clube.

“Já conversei com o Belluzzo e mostrei o projeto ao Felipão. O próximo passo é atrair os investidores a aceitarem esse projeto. Não tenho dúvida de que vão concordar. O Palmeiras passaria a ser exemplo de cidadania para o mundo inteiro. Esses jovens atletas ou profissionais do mercado se lembrariam para sempre que se tornaram verdadeiros homens através do Palmeiras.”

Nicolelis atua na área de fisiologia de órgãos e sistemas e é responsável pela descoberta de um sistema que possibilita a criação de braços robóticos controlados por meio de sinais cerebrais. O trabalho está na lista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) sobre as tecnologias que vão mudar o mundo. Em janeiro de 2008, Nicolelis conseguiu fazer um macaco nos Estados Unidos mover um robô do outro lado do mundo, no Japão, somente com a força do pensamento.

Atualmente, o cientista possui um projeto ainda mais ambicioso, que consiste em levar impulsos cerebrais de quadriplégicos a uma estrutura robótica, fazendo com que eles passem a ter movimentos. O projeto deve ter um desfecho em novembro de 2014

Nicolelis também falou da sua relação com o Palmeiras e dos motivos que o levaram a desenvolver esse projeto o clube.

“Eu sou palmeirense desde que estava na barriga da minha mãe. Acompanho o clube desde a década de 60. Estou nos Estados Unidos há 22 anos, mas meu fanatismo não diminuiu. Já fiz loucuras pelo clube fora do país, na época da Libertadores de 99, da Série B em 2003… Como neurocientista, voltei ao Brasil há sete anos para realizar um projeto no Rio Grande do Norte, e pensei que estava na hora de fazer algo pelo Palmeiras. É um clube muito grande, de muita história. Acho extremamente importante manter essa posição como maior clube do Brasil, e isso não se faz apenas com títulos, mas com uma filosofia e uma cultura ‘Palmeiras’. Estou bastante entusiasmado e espero que dê certo.”

Agência Palmeiras
Fábio Finelli