O VERDÃO SE ENCONTROU NA ILHA DE LOST

Há quase vinte dias sem telefone e internet, por conta dos péssimos serviços prestados pela Companhia Telefônica e seus atendentes, para quem apenas deseja uma transferência de linha; eis-me aqui, em uma lan house, comemorando com vocês a vitória maravilhosa do Palmeiras em Recife. Eu esperava ansiosamente por essa partida, desde o ano passado. Naquela ocasião, até uma diarréia coletiva, os nossos adversários deram um jeitinho de proporcionar aos nossos atletas, com um “inocente” lanchinho. Lembram? Então, era ponto de honra que agora fossemos até lá e mostrássemos quem é o time grande nessa história. Quem é o Campeão do Século nesse país.

Durante a tarde, eu já não aguentava mais de ansiedade e nervosismo. Um nó na garganta e um frio na barriga me atormentavam o dia todo. Estar longe dos assuntos relativos ao Palmeiras, num dia em que temos um jogo dessa importância, é um verdadeiro suplício. Até fui brigar na Telefônica e nada de transferirem a minha linha. Um joelho machucado, não tem me permitido frequentar uma lan house. Mas amanhã eu vou, mancando, porque não posso deixar passar essa ocasião. Minha alegria é imensa!!! Ganhamos, porra!!! E estamos na briga, pela Libertadores, outra vez.

Quando o jogo começou, eu achei o Palmeiras cauteloso até demais, mas as coisas foram se ajeitando, a defesa estava bem postada. Isso, sem contar a garra do nosso time. Onze guerreiros em campo e mais seis (acho eu) no banco. Eu não conseguia ver a partida direito. O coração era quem comandava a visão e todos os outros sentidos. Só conseguia torcer e xingar o juiz, que deixou barato para Paulo Baier, um carrinho desleal e depois uma agressão a Diego quando ele estava no chão. Deixou barato também para o tal Ciro, cheio de firula e achando que é estrela, quando na verdade é um ator digno de Oscar. Era só encostar no desgraçado que ele já encenava um atropelamento. Mas foi bom, porque ganhamos na bola e na raça. Eu sentia um orgulho imenso cada vez que nossos jogadores entravam rasgando para tirar uma bola, desfazer uma jogada… No verdadeiro espírito de Libertadores, o time do Palestra foi perfeito! Segurou, amarrou, defendeu e atacou quando deu e foi preciso. E, tomando conta dos espaços, mesmo sob marcação cerrada, o Palmeiras impediu que o Sport chegasse e ainda conseguiu abrir o placar. Depois da jogada esperta de Maurício, que mandou pro gol, K9 só teve o trabalho de acabar de empurrar a bola prá rede. Meu coração quase explodiu de alegria! E o primeiro tempo tempo terminou com o verdão à frente do placar e a Que Canta e Vibra fazendo a festa em plena Ilha de Lost.

Parece que quando a gente está ganhando, aí é que ficamos mais nervosos. Eu não tinha mais dedos para roer. Pensei que ia ter um infarto. Mas o Sport também ficou nervoso e, quando viu suas tentativas pararem nas defesas de Marcos (sensacional!!), e nas chuteiras de nossos defensores, ao mesmo tempo em que Diego levava perigo ao gol de Magrão, os pernambucanos se postaram mais atrás, com medo de levarem o segundo. O Palmeiras comandava mais as ações. O Sport levou perigo algumas vezes (eu rezei muuuuito), mas Marcos, o nosso Marcos de Libertadores, estava de volta. Fez uma defesa tão linda, que me fez até chorar de emoção… Maurício Ramos, Danilo, Edmílson, Capixaba, Armero, Pierre, Cleiton Xavier, Willians, Diego Souza, Keirrison… que raça desgraçada! Todo mundo fazia a sua parte, jogando o que sabia, lutando como podia e como dava. Raça, vontade e determinação pareciam ser as palavras de ordem. O juiz não me agradava. Marcava tudo quanto era encostada nos jogadores do Sport e deixava de marcar muitas coisas para o Palmeiras. Deixou até mesmo de dar alguns cartões – vermelhos, inclusive – para os pernambucanos. Ai que nervoso!

Luxa chamou Ortigoza para o lugar de Willians, e o paraguaio entrou com o mesmo espírito guerreiro do grupo. Depois, foi a vez de K9 dar lugar à Sandro Silva. Confesso que fiquei preocupada por Luxa querer segurar o jogo aos 18′ do segundo tempo. Mas tava na cara que ele apostava em Diego mais à frente, com Ortigoza, enquanto Sandro Silva daria ainda mais consistência ao meio ou á lateral, trocando com Capixaba. E Diego Souza (ou seria, SHOWZA?) estava demais!! Jogou muito! Que jogada foi aquela em que ele lançou a si mesmo e enganou até a gente? pena que o goleiro conseguiu defender. Mas ele, abusado, repetiu a dose e marcou um golaço! 2 x 0! Ah, Palmeiras… eu te amo!

O Sport sentiu a “consistência” do jogo do Verdão e o gol que selaria a partida e nos daria os tão desejados três pontos. Marcão entrou no lugar de Maurício e foi outro guerreiro em campo. Ganhamos do Sport, que o Cléber Machado não se cansava de dizer, era o time que estava há 25 partidas sem perder em seus domínios. Estamos de alma lavada e prontos para recebê-los, na partida de volta, no Caldeirão Verde de Palestra Itália… E vamos ganhar, outra vez.

A próxima batalha de nossos bravos guerreiros, será na Baixada, pelo Paulistão; contra o Santos, que não conseguiu sair do 0 x 0 diante do CSA, pela Copa do Brasil. É só ir com a mesma pegada Verdão, que estaremos na final do campeonato. Eu já vou preparar o vinho, a pizza, a pastaciutta e o coração, para receber mais essa dose estonteante de felicidade. Marcos, K9, Diego Souza e Cia, vão dar uma volta olímpica, não demora muito…

  • Aversa

    Tânia, para de mentir. O esmeraldino já entregou que você estava passando férias no Tahiti. Vê se avisa a gente antes.
    Sobre a partida, normal. Time grande é maior que time pequeno. Exceto pela lavada no Palestra (que eu estava), foram as circunstâncias do momento que geraram os resultados.
    De resto, concordo com tudo, menos com que o Luxa foi genial em colocar o Sandro Silva. Se o Sport tivesse ido pra cima e empatado um jogo que já estava ganho apesar do magro 1 a zero, todos estariam pedindo a cabeça dele.
    18 do segundo tempo com um gol só de vantagem não é hora de segurar.
    De resto, texto impecável. O cão do norte voltou a ser o que era, nada. É a eguinha Sporcotó.
    E como chegou a Páscoa, parei com a carne. Eu quero agora é peixe.

  • Alcides Drummond

    Tânia, você voltou, que bom! Estamos, novamente, sintonizados com a melhor visão e o melhor textos femininos da mídia palestrina. É muito bom termos você de volta com o brilho de sua inteligência a iluminar os caminhos de nosso amado Palmeiras.
    Depois de tudo o que vc escreveu, onde é que eu assino?
    Seja muito bem-vinda, Clorofila!

  • Fabop (Bito)

    Eeeeeeeee Telefonica hein??? rsrsrsrs
    Que jogo hein???
    Lembrou muito a época do Felipão!!!
    O Palmeiras tem tudo para ganhar aqui também e seguir forte na Libertadores!!!
    Beijos
    Bito

  • Alcides Drummond

    Eu deixei um comentário pela manhã mas não o vejo agora à tarde. Teria caído na moderação ? ou por algum motivo especial deixou de sair ? Tânia. Dou-lhe as boas vindas ao mundo cibernético, o único meio pelo qual podemos realçar as conquistas de nosso time e barrar a imprensinha imunda de São Paulo e do São Paulo.
    Olha, se o Palmeiras mantiver a pegada, o empenho e a obediência tática, vamos ganhar bem das sardinhas.
    É um jogo difícil, mas temos muito mais time.
    Saudações alviverdes!

  • Andreia

    Tânia estava sentindo falta dos seus comentários aqui no blog, que legal que vc voltou.
    Fiquei muito emocionada em ver nosso querido presidente Beluzzo chorar ao lembrar do momento em que os jogadores cantaram o hino do palmeiras no ônibus, isso é muito legal mostra o quanto ele ama o palmeiras, valeu Beluzzo eu já te admirava agora admiro mais ainda.
    “vai tranquilo palmeiras que o nosso amor te empurra”

  • Rolembergue

    Ô Clorofila, não tô gostando muito do seu comportamento. Voce só comenta quando o Palmeiras ganha! Tem que aprender a conviver com derrotas, afinal do outro lado tambem tem “onze” querendo ganhar e satisfazer a torcida. E olha que eu sou palmeirense roxo,daqueles que olha a internet todo dia pra ver “como vão as notícias verdes”. Moro em Portugal. Mas não se desanime Clorofila! Esta semana serão duas vitórias certas e sinto um cheiro de goleada verde…

  • Esmeraldino

    Volte logo, Tânia. Estamos apreensivos e preocupados por sua longa ausência e com muita saudade de seus indefectíveis textos.

  • Keep up the good work.

  • Amigos, a Cia Telefônica quer acabar comigo. Só transferiu a minha linha no dia 18/04 (exatamente na hora em que eu ia sair de casa para assistir ao jogo do Palmeiras contra o Santos). Mas acontece que o Speddy não veio com a linha e agora é uma enrolação só. Não sei mais o que fazer… Dois dias atrás, fiz uma reclamação na Anatel e estou aguardando resposta.
    Na lan house a coisa não é melhor, eles tb t~em problemas com o Speddy e está td muito lento, algumas páginas não abrem nunca. É de matar!

    Quem me dera eu estivesse no Tahiti, Aversa…

    Estou morrendo de saudades de todos vocês, de viver o meu Palmeiras mais de perto, de visitar o Sopalmeiras, o Observatório Alviverde, e estar em contato com os amigos tão queridos.

    Mas me aguardem que não demora muito eu volto e posto de uma vez só todos os textos que escrevi e não postei.

    Saudações Clorofiláticas