Outra vez… NÃO, diretoria!!

“Era uma vez um clube de futebol. Cheio de títulos e glórias. Celeiro de craques que sempre encheram os olhos de quem quer que o visse jogar.Desde quando ainda “engatinhava” no cenário esportivo, o danadinho já roubava a cena e colecionava títulos. Seu nome era Palestra Itália!  Palestra cresceu tanto que passou a incomodar. Alguns, por inveja,  quase roubaram o seu patrimônio, mas ele esperto, mudou de nome e seguiu seu caminho de vitórias. O chamaram então  Sociedade Esportiva Palmeiras. Os torcedores passaram a chamá-lo apenas Palmeiras ou Verdão.

E ele cresceu, amealhando títulos atrás de títulos. Dono de uma grandeza tamanha, ganhou mais um substantivo para usar ao lado do nome: Academia. E mais talentos vieram vestir a maravilhosa camisa verde-esmeralda. Grandes técnicos e jogadores passaram pelo Palmeiras ao longo de quase cem anos. Grandes homens o dirigiram também. Mas como nas histórias infantis, um período sem luz, de trevas profundas o atingiu. Vítima de uma péssima administração, de um homem interesseiro, intolerante e incapaz, o Palmeiras viveu o pior momento de sua trajetória e foi parar na segunda divisão. Por falta de capacidade e pelo desinteresse dos que o comandavam, toda uma Nação se viu afundada em lágrimas e tristeza…”

Isso, meus amigos, parece historinha infantil, mas não é. É uma parte da história do nosso amado clube, que conhecemos tão bem. E o período das “Trevas” citado, é aquele que todo palmeirense gostaria de jamais ter vivido. O time Campeão do Século, administrado pelo “Sapo”; viu o time ser “desmontado” inúmeras vezes. Com a filosofia do bom e barato, o  dinheiro em caixa deixado pelo patrocinador, foi sumindo, sumindo, sem que nada de bom fosse feito pelo clube. Mas como a nossa história sempre foi de glórias;  mesmo na escuridão da segunda divisão, mesmo sem fazer boas contratações, usando os jogadores juniores, o Palmeiras brilhou, ganhou e voltou à série “A”. E de sobra, ainda apresentou ao mundo, Vagner Love, o craque artilheiro. A Nação, carente de ídolos, ficou maravilhada com ele e quase enlouqueceu  quando o ganancioso administrador, prejudicando imensamente o clube, resolveu vendê-lo a “preço de banana”.

O tempo passou, os palmeirenses lutaram e conseguiram tirar o Sapo do poder. Uma nova era, de luz, de gente feliz, sem lista negra no clube, surgiu! E homens do calibre de Belluzo, Cipullo, junto com Della Mônica, começaram a varrer as sujeiras que estavam embaixo do tapete e foram colocando a casa em ordem. Mas faltava uma coisa pela qual a Nação tanto ansiava: um craque, ídolo legítimo, que nos fizesse comprar a camisa, a ter ainda mais orgulho de vesti-la. Alguém que nos encantasse, como outrora nos encantou Ademir, Evair, Rivaldo, Djalminha, Edmundo… E todos se perguntavam: cadê você?  Queremos tanto que  apareça…

E ele surgiu! EL MAGO chegou, e nós nem suspeitávamos tudo o que iria acontecer então. A Nação ficou louca por ele. A Nação “É” louca por ele. Jorge Valdívia, é o Mago que, com um sorriso lindo veste a nossa camisa como há muito ninguém faz. Suas comemorações nos enchem de prazer. Seus gols nos enchem de orgulho; seus dribles enlouquecem os adversários. Nunca tantas crianças quiseram usar a camisa de um craque; nunca um craque vendeu tantas camisas… e agora, alguma coisa está acontecendo e queremos saber o que é? El Mago está triste e seu futebol não é o mesmo. Isso é visível. E tá na cara que não é porque quer sair como dizem alguns. Parece exatamente o contrário. Ele sempre disse que não quer ir para um clube que não seja grande como o Palmeiras. Mas será que a nossa diretoria, em que tanto confiamos, vai vender o nosso ídolo, a troco de uma merreca? Para um time qualquer? Mandar o nosso ídolo para o Qatar? Hertha Berlim? Isso é piada e chega a ser um insulto à torcida! A Multa era 25 milhões de euros e agora é 12. Isso é um leilão? E são vocês mesmos a desvalorizá-lo? Não podemos acreditar!  Já mandamos o Sapo embora, os tempos são outros e a história não pode e não deve se repetir.

Não somos clientes de banco, somos torcedores, porra! E torcemos para um clube, que precisa de craques, muito mais que de dinheiro. Precisam de grana? Aprendam a explorar a imagem do ídolo. É assim que deve ser feito! É o ídolo que faz o clube respeitado, admirado, prestigiado. É ele quem faz um clube ganhar títulos, se encher de torcedores, vender milhares de camisas, lotar os estádios, ganhar dinheiro… Diretoria, pare de tratá-lo apenas como uma mercadoria. Ele é nosso ídolo e sabem disso. Não deixem que percamos a confiança em vocês e nos lembremos das “trevas”…  do Sapo…  por favor!

  • Periquito Verde

    Perfeito Baronesa!…..nao tem como discordar,destas palavras!

  • Marta

    PERFEITO CLO 🙂 não se tem nem muito acrescentar, apenas reforçar:

    NÃO VENDAM O MAGO PRA TIMINHO OU MELHOR, NEM VENDAM O MAGO DEIXE ELE BRILHAR NO PALMEIRAS 🙂

    A Nação Alviverde agradeçe do fundo do Coração. 😉

    beijos

  • Agora, só nos resta torcer pela sua permanência.

    “Construir para poder conquistar! Acreditar sempre!”